História Harry Potter e a Revolta dos Sangue Ruins - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Visualizações 16
Palavras 3.251
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Spoilers, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo 18 pronto

Espero que gostem.

Capítulo 19 - Luta Contra Centauros


Harry correu para pegar sua capa e ao voltar para o Salão Principal observava todos os alunos de Hogwarts, felizes, correndo para lá e pra cá, queria ser qualquer um deles, só não queria entrar na Floresta Proibida, hoje, e fazer Hermione correr risco de vida.

Assim que desceu as escadas do Saguão, Hermione estava sentada no primeiro degrau da escada, estava com um papel na mão, lógico, era o papel 
de Minerva, na qual dizia onde os elfos estavam.

- Aonde conseguiu?

- Na sala de Minerva.

- Eu sei, mas como?

- Peguei emprestado sem avisar ela- respondeu sorrindo.

Eles, juntos, foram para o jardim, jogaram as capas em cima das cabeças e ficaram invisíveis, foram caminhando com a varinha em punhos em direção à Floresta Proibida, não demorou muito para eles acenderem as luzes das varinhas.

Harry e Hermine foram aprofundando cada minuto mais, quando um enorme uivo surgiu, Harry teve que colocar a mão na barriga da Hermione impedindo que ela desse mais um passo, e de repente um Centauro passou galopeando, Hermione agradeceu Harry com os olhos e então a garota abriu o mapa e começou a procurar por Winky, ela parecia estar bem mais longe do que eles imaginavam, então foram caminhando, as varinhas acesas eram quase inúteis, estavam numa escuridão total, continuaram caminhando e pareciam se aproximar do elfo, quando uma flecha passou raspando o braço de Hermione, ela gemeu, Harry tampou a boca da garota imediatamente, e, então um Centauro perguntou.

- Quem está ai?

Harry e Hermione com os olhos entenderam alguma coisa, sairam correndo, mas tropeçaram logo na frente e cada um foi para um lado, Hermione continuou com a capa, Harry saiu e continuou correndo pelo lado oposto dela, torçendo para que o Centauro tivesse seguido ele, mas não, ele tinha seguido ela, Harry só precisava rezar agora, torcendo para que Hermione ficasse bem.

Então Harry avistou o mapa ao seu lado, agachou e pegou, olhou, estava próximo da elfo, dobrou o mapa, ainda com a varinha na mão ele começou a chamá-la.

- Winky? Winky? Winky?

Escutou alguns gravetos sendo pisoteado, Harry se escondeu atrás de um tronco e aproveitou para apagar a luz da varinha, tinha sido engolido naquela escuridão, apontou a varinha para qualquer lugar e tentou ficar em silêncio, sentiu uma flecha passar parar acima do seu ombro.

- Humano?

Harry agachou e tentou passar por despercebido, começou a andar em volta do tronco da árvore, tentando evitar uma briga, mas logo sentiu o ombro bater em outro ombro, assustou e saiu correndo fazendo barulho, mas aqueles ombros pareciam de uma pessoa, não tentou voltar para descobrir, apenas correu, percebeu tinha tropeçado em algum ser, e saiu rolado com ele.

- Quem está ai?- perguntou uma voz assustada e falhando.

Harry percebeu, era Winky.

- Winky, eu estava procurando você, os elfos estão doidos para te achar- Harry apalpou o trapo do elfo e agitou ele no ar.

- Você não tem noção de como tem gente correndo perigo para te ajudar.

- Eu não pedi ajuda, Sr.- respondeu a Winky no ar se debatendo.

- Vamos achar Hermione e sair daqui, isto é, se ela estiver...- Harry engoliu em seco, não queria pensar nessa opção, mas então pensou, será que aqueles ombros que ele havia batido no tronco, era Hermione?

Teria de voltar para descobrir, e foi o que fez, mas desta vez acendeu a luz da varinha, não adiantou muito, mas percebeu que a pessoa tinha saído dali e nenhum Centauro mais estava lá, aproveitou para procurar ali perto.

- Hermione? Hermione? Hermione?

Não houve resposta, apenas uma coruja piou, o que fez o coração do garoto saltar pela boca.

- Que susto, vai, sai daqui- disse Harry pegando um graveto e jogando na coruja que apenas ergueu as asas ameaçando atacar ele.

- Sr. Harry Potter, me solte- dizia o elfo se debatendo e conseguiu escapolir das suas mãos.

Harry foi mais rápido e apontou a varinha para ele.

Incarcerous- o elfo ficou amarrado, mas então um pensamento surgiu "e se ele fizesse igual ao Dobby? Aparatasse?".

O elfo estalou os dedos mas foi inútil.

- Estou sem magia- murmurou ele infeliz- Preciso fazer o ritual.

Harry pegou as cordas e começou a carregar o elfo que tentava roer as cordas, o suor começou a percorrer pelo rosto de Harry, um suor que envolvia medo, raiva, aflição e esperança.

- Eu preciso achar a Hermione.

Harry sentiu alguém bater nas suas costas, mas quando olhou viu um enorme Centauro atrás dele, apontando o arco-flecha para ele.

- Eu disse para não voltar aqui.

Harry se afastou olhando com raiva para ele.

- O que aconteceu com Hermione?

- Ela está morta- respondeu ele entre os dentes.

Não podia ser, o coração e o cérebro de Harry pararam, então a flecha começou a vir na sua direção mas um corpo se jogou em Harry e rolaram por ali, alguém tinha salvado a vida de Harry, McClagan estava ao seu lado, Harry estava encrencado.

- Obrigado- respondeu se limpando e se levantando.

- Harry, precisamos salvar Hermione, os centauros pegaram ela e levaram ela para uma caverna, bem próxima.

Harry sabia que ela ainda estava viva, tinha certeza.

Harry e McClagan se levantaram lentamente do chão, com as varinhas em punhos foram caminhando e olhando para o lado.

- Professor, como o sr. soube que nós estávamos aqui?

- Eu não sabia, eu vim aqui para buscar algumas criaturas para o Campeonato.

- Alguém mais veio?- perguntou olhando o professor.

- O Professor Tofty também.

Harry assentiu e começou a procurar por algum sinal de uma caverna, então Harry sentiu o seu pé enroscar em alguma coisa, e como se um flash tivesse passado na sua frente, fechou os olhos e quando abriu estava de ponta cabeça, com o pé amarrado no tronco da árvore, o professor murmurou um feitiço e Harry caiu de quatro no chão, se levantou depressa e continuou a caminhada, agradecido.

- Ali está a caverna, matenha a calma- disse o professor apontando com a varinha.

Harry e McClagan aprofundaram e logo estavam entrando pela caverna com as pernas bambas, ela era imensa e bem iluminada com várias tochas, Harry e McClagan pegaram uma para continuarem o caminho, logo se depararam com uma bifurcação.

- Harry, eu vou para a esquerda e você para a direita, certo?

- Ok- respondeu assentindo e indo.

Harry caminhou e o elfo guinchava ao seu lado, mas Harry fez ele calar a boca com um feitiço e aprofundou na caverna, logo viu que tinha chego no fim dela e nada, então voltou, McClagan iria achar Hermione, mas quando Harry ia voltando, no mínimo quinze centauros apontavam flechas para o Harry.

- Humano, humano, você não é aquele amiguinho de Hagrid?

Harry deu um passo para frente dando uma de corajoso.

- Sou sim, por quê?

Os centauros trocaram algumas cotoveladas e olharam para Harry.

- Corajoso, não?

Harry apertou a varinha com força, tentava se lembrar de um feitiço forte o bastante para acabar com eles, mas eles saberiam se Harry apontasse a varinha para alguém dali, então ele tentou se lembrar de alguma coisa, a primeira coisa que veio a sua cabeça : Feitiço Involuntário.

Se esforçou, fazendo uma ruga surgir na testa, e então murmurava mentalmente.

Estuperfaça.

Mas nada aconteceu, era um feitiço muito avançado, o garoto não tinha escapatória, ou teria de lutar contra todos ou nada, tentou um feitiço involuntário mas fracassou, Harry então pensou em um feitiço mais simples, talvez conseguisse, murmurou mentalmente.

Accio Firebolt- agora bastava enrolar os Centauros e esperar a vassoura.

- Então humano, Hagrid e o seu gigante sairam de Hogwarts?

- É, o Hagrid deixou o irmãozinho dele escapar e infelizmente, os dois foram despedidos, vocês sentem falta deles?

Eles se entreolharam e caíram na gargalhada.

- Saudades?- perguntou um Centauro desconhecido- Nenhuma.

"Enrole mais, vamos, puxe assunto, Harry" dizia ele para si mesmo.

Harry tentou buscar assunto olhando para os Centauros mas nada parecia para intrete-los logo avistou um pontinho vindo na sua direção, seu feitiço involuntário funcionara, sua vassoura vinha e logo atrás um outro Centauro, Firenze, o professor de Adivinhação.

- Ora caro Firenze, foi expulso, é?- perguntaram encarando Firenze e a vassoura indo até Harry.

Harry pegou a elfo e montou na vassoura.

- Não mesmo, só vim ajudar Harry Potter.

- E não vai sair vivo daqui- os Centauros começaram a atacar Firenze e ele murmurava.

- Me deixe morrer Harry, saia daqui, agora.

Harry aproveitou que os Centauros estavam distraídos acabando com Firenze e saiu voando o mais rápido que pode dali, evitando trombar em pedras, começou a correr pelo caminho que McClagan tinha ido, e quase trombou em algumas tochas, ao virar para a direita viu ele e Hermione amarrados em dois cipós, Harry murmurou algumas palavras mágicas e os cipós se partiram, Harry percebeu que o ombro de Hermione estava cheio de sangue.

- Eu vou na frente- disse McClagan encarando Hermione- Vou duelar com eles, vocês vão atrás.

Harry abraçou Hermione ás lagrimas e agarrou a vassoura.

- Eu pensei que você estivesse morta.

- Eu também, Harry, eu também.

Harry e Hermione apertaram as mãos com força e então ouviram um berro.

- A barra está limpa, corram.

Harry e Hermione montaram nas vassouras, com Winky nas mãos e sairam da caverna, na entrada dela, McClagan corria, ofegante.

- Vamos professor, quer ajuda?

- Não, voltem para Hogwarts, agora.

Harry e Hermione lutavam para não baterem nas árvores, e então decidiram sobrevoar a Floresta Proibida e foi o que fizeram, pousaram em frente ao lago esperando o professor, e logo ele veio correndo, com uma flecha no ombro, Harry correu para tirar e o professor guinchou de dor e caiu de quatro no chão.

- Os dois, uma semana de detenção.

Harry e Hermione ajoelharam e começaram a arrastar o professor, o frio da madrugada fizeram Harry e Hermione se sentirem encolhidos, mas não deixaram de ajudar o professor, foram até a enfermaria, estava trancada, os dois começaram a socar a porta, e então uma janelinha abriu mostrando dois olhos pequenininhos.

- O que vocês querem, estão malucos?

- O professor McClagan, ele se machucou muito, encontramos ele na Floresta Proibida.

- O que vocês faziam lá?

- Nós só estávamos passeando e ouvimos gritos.

O professor concordou e então as portas se abriram, Harry e Hermione deixaram ele em cima de uma maca e ainda de camisola a enfermeira disse.

- Estavam fora da cama, certo? Vou avisar ...

- Madame Pomfrey, por favor, não, só estavamos ajudando Winky- disse ela apontando para a elfo do lado que gemia e concordava.

- Bom, de qualquer forma, vão, vão, amanhã eu falo com a diretora.

Sem mais nada a dizer eles sairam da enfermaria, Hermione olhou o braço e fez uma cara feia.

- Você precisa ficar na enfermaria- disse Harry pegando a vassoura e colocando no seu ombro.

- Não, ela vai desconfiar, eu cuido disso.

Hermione tirou a capa da mochila e entrou ao Harry.

- Leve Winky na cozinha, ah! Eu estarei preparando uma Poção na Sala Comunal para o meu ferimento.

Harry concordou, pegou Winky, vestiu a capa junto com ela e desceu para até na cozinha, assim que chegou lá, vários elfos vieram na sua direção, muitos agradeceram e abraçaram Harry que quase o derrubou.

- Não foi nada, bom, preciso ir.

- Leve isso- disse um elfo entregando dezenas de bolinhos para Harry.

- Você tem uma poção para curar ferimento de um flecha?

Um elfo idêntico ao Dobby olhou para o outro que estava com um lençol com um nó frouxo nos ombros e disse.

- Somente na Sala do Professor Severus Snape.

- Perseus Evans- corrigiu Harry mas meteu a mão na testa- Nada, nada- disse para os elfos indignados- Algum de vocês podem ir lá e pegar uma poção dessas pra mim e me levar hoje, na Sala Comunal da Grifinória?

Todos elfos ergueram as mãos para ajudar e começaram uma discussão, Harry viu que aquilo não teria acordo e disse.

- Vamos, você- e apontou para um elfo medroso que guinchou e saiu dali.

Eles agradeceram mais uma vez e Harry pode finalmente voltar em paz para a Sala Comunal, debaixo da capa.

Assim que chegou na Sala Comunal, Hermione já passava uma poção no braço, lágrimas saltavam do seu rosto.

- Você que mandou aquele elfo aqui?

- Foi.

- Obrigada, ai.

- Quer ajuda?

- Não precisa.

Depois de mais algumas lágrimas, aliviada Hermione sentou na poltrona e contemplou o rosto de Harry.

- Nunca mais farei isso.

- Firenze morreu me salvando.

Hermione levou as mãos a boca.

- Me conta, o que aconteceu?

Harry contou todos os detalhes para a namorada que pareceu surpresa.

- Então, eles mataram Firenze? Acho que depois dessa os alunos tem que tomar cuidado, eles vão começar a atacar Hogwarts.

Harry engoliu seco e deu um selinho em Hermione que quis desviar.

- Harry, agora não, por favor, não estou passando bem.

- Sabe, lembra do Marco Evans?

- Como poderia esquecer?

Hermione não sorriu, continuou séria.

- Não acha que ele seja seu parente, acha?

Harry não soube o que responder.

- Talvez, ele tem o sobrenome da minha mãe, Hermione, aonde você quer chegar com isso?

- Sei lá, já pensou na possibilidade dele ser seu irmão.

Harry caiu numa gargalhada falsa.

- Eu sou filho único.

- Harry, eu sei, mas nunca se sabe, vai que ele--.

Harry cortou imediatamente dando um soco na mesinha.

- Corta essa, ele não é meu irmão ou você está insinuando que a minha mãe é ...?

- NÃO- berrou Hermione se levantando precipitadamente- só acho que ele podia ser seu irmão ou talvez seu primo.

- Ele não é filho de Petúnia, ela tem o sobrenome Dursley, e, ele não tem.

- Eu sei, mas filho de Snape, quem sabe?

O cérebro de Harry quase parou.

- Eles são idênticos.

Hermione sorriu.

- Viu?

- Nossa, talvez você tem razão, Hermione, o Marco e o Snape são parecidos mesmo.

- Viu? E aposto que o Snape não sabe disso, ou se sabe, finge que não sabe.

- Mas o Marco já deve saber que ele é um garoto metade trouxa e metade bruxo, não?

- Talvez, Snape deve saber que é metade trouxa e bruxo ao mesmo tempo, por isso modificou seu nome.

Harry sorriu, mistério quase resolvido, sabia que isso cheirava confusão.

- Vamos dormir, amanhã a gente se fala.

Se despediram com um selinho, Harry caiu no sono assim que seus ombros encostaram de modo confortável no colchão.



Harry teve a impressão de que assim que dormiu, Rony tinha lhe chamado.

- Harry! Harry! Está na hora de descer.

Harry sorriu e se levantou.

- Vamos, então.

Hermione já estava embaixo, esperando eles, deu um selinho no namorado e disse.

- Como está, Hermione?

- Bem obrigada- respondeu sorrindo.

Ao descerem no Salão Principal, centenas de corujas invadiram o Salão distribuindo cartas, jornais, doces e outras coisas aos alunos, Harry, Rony e Hermione sentaram nos seus devidos lugares e então ouviram Dino e Simas discutirem sobre os campeonatos.

- Francamente, vocês estão levando isso muito a sério- disse Hermione antes de morder uma maçã.

- Denis, me passa os pães- pediu Rony esticando o braço para apanhar a cesta de pães, mas ele conversava animadamente com seus amigos do terceiro ano.

- Meu pai assinou o formulário- disse ele contente e empolgado- E eu nem acredito que Sábado agora, vamos para Hogsmeade- então ele se tocou de que Rony havia feito um pedido a ele e obedeceu entregando a cesta.

- Obrigado- agradeceu Rony pegando a cesta e colocando de frente a ele e depois pegando um pão.

- Eu ouvi direito?- perguntou Hermione sorridente para o seu namorado em tom de brincadeira, ela já sabia desta visita.

- Sim- disse Rony dando uma dentada no pão- Vamosss xábado agora.

- Ai Rony, larga a mão de ser porco- disse Hermione se distanciando para evitar que gotículas de cuspe caissem nas suas vestes.

Então Harry olhou para Hermione e depois para o Rony, o ruivo sacudiu os ombros e então ela pegou um guardanapo e limpou os lábios.

- Eu já volto- deu um selinho em Harry e saiu.

Harry olhou para Rony e encarou.

- Que foi?- perguntou com a boca cheia.

- Nada- respondeu Harry incrédulo com a atitude do garoto, os Weasleys eram pobres pórem educados, com exceção de Rony, por que ele tinha que ser diferente?

Marco Evans cumprimentou Harry por cima do ombro, e então quando Harry esticou o braço, Luna e Gina entraram na frente dele e se ofereceram para se sentarem ao lado de Rony.

- Vocês já se inscreveram para algum campeonato?- perguntou Gina empolgada.

- Não- responderam secamente.

Luna se intrometeu na conversa e disse.

- Sabia que eu serei a nova artilheira da Corvinal?

Harry deu os parabéns, sorridente, já Rony murmurou um infeliz "parabéns", e Gina dava pontapés em Rony por debaixo da mesa.

- Não se esqueça de que hoje à noite temos treino, ouviu bem, Gina?

- Treino com quem?

- Com a Sonserina- respondeu Harry pelo canto da boca.

- Bom, vamos então, né Luna?

- Vamos- disse Luna puxando a mão da amiga para fora do Salão Principal, dois olhinhos cinzentos perseguiram a saída de Gina e de Luna, aqueles olhos pertenciam a Draco Malfoy.

Assim que a sineta tocou, Harry e Rony já caminhavam para as suas próximas aulas, ansiosos para a noite chegar logo.



- Ai que frio- disse Hermione se encolhendo e dando um selinho em Harry.

- Aonde você vai com tanta roupa assim?- perguntou Rony quase rindo.

Hermione soltou um olhar de censura a ele e então o silêncio voltou.

- Vamos?- perguntou Harry para Rony, pegando sua Firebolt que estava apoiada na cadeira.

- Vamos- respondeu Rony e Hermione ao mesmo tempo.

Harry encarou ela.

- Você vai onde?- perguntou Harry incrédulo.

- Tem algum problema se eu for assistir ao treino de vocês?- perguntou ela não acreditando naquilo.

- Lógico que não, mas você vai passar frio.

- Não tem importância- respondeu ela sorrindo e beijando Harry na frente de Rony que amarrou a cara- Eu quero ver você voando.

Harry, Rony e Hermione desceram juntos para o Campo de Quadribol, eram os únicos que estavam trocados, então Rony deu um pito em cada jogador e eles apressaram para se trocarem.

Então Harry se lembrara mais uma vez de que Rony era o novo capitão do time, e se lembrara também de uma conversa que tivera com o amigo nas férias de verão, na qual Rony disse que o cargo de capitão seria de Harry, assim que o garoto recuperasse seu cargo de apanhador, mas o trato não estava sendo feito e Harry o lembrou disso.

- Ah! Harry, veja só, o treino já vai começar- disse ele mudando de assunto.

Harry montou na vassoura e começou a voar pelo campo, estava muito frio, sentia o vento congelar sua face e logo Draco veio com o time, ele parecia ser o capitão da Sonserina.

- Podemos começar o treino?

- Podemos- respondeu Rony.

Harry deu uma olhada rápida em Hermione na arquibancada, ela gemia de frio e se encolhia, com os lábios tremendo, Harry mandou um beijo a ela, que retribuiu, então o jogo começou nesse mesmo instante.

Harry vôou a procura do pomo de ouro, Draco parecia estar fazendo uma tática, não ia atrás de Harry, e ficava perto dos arcos, a espera de alguma coisa.

Harry correu pelo campo durante uns quinze minutos, não tinha visto nada, muito menos Draco que rodeava os arcos, então Harry resolveu descansar os olhos um pouco, e então viu Gina correndo em direção ao arco, assim que passou ao lado de Draco, Harry pode assistir uma perna se intrometer no jogo e fazer Gina dar uma cambalhota com a vassoura e saltar de lá de cima com a goles na mão, ela bateu a perna no arco antes de aprofundar na escuridão, caindo no campo, Draco sorriu, só então quando virou o rosto para Harry percebeu que o garoto vinha furioso na sua direção.

Harry pulou da Firebolt avançando os braços na direção de Draco, agarrou as vestes dele e juntos os dois cairam da vassoura, Hermione gritava de lá de cima, parecia entrar em pânico, a situação daquela vez tinha sido invertida, agora Hermione sabia perfeitamente bem o que Harry sentia quando ela estava em uma grave situação na Ala Hospitalar.


Notas Finais


Próximo: Veneno de Draco


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...