História Harry Potter e Luna Black - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Aberforth Dumbledore, Abraxas Malfoy, Alastor Moody, Alecto Carrow, Alice Longbottom, Alvo Dumbledore, Alvo Potter, Amycus Carrow, Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Antíoco Peverell, Antonin Dolohov, Arabella Figg, Argo Filch, Ariana Dumbledore, Armando Dippet, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Augusta Longbottom, Augustus Rookwood, Avery (Marauder-era), Avery (Riddle-era), Barão Sangrento, Bellatrix Lestrange, Blásio Zabini, Cadmo Peverell, Caradoc Dearborn, Carlinhos Weasley, Cassandra Trelawney, Cassandra Vablatsky, Cedrico Diggory, Charlus Potter, Cho Chang, Colin Creevey, Córmaco Mclaggen, Cornélio Fudge, Cuthbert Binns, Dama Cinzenta, Daphne Greengrass, Dênis Creevey, Dino Thomas, Dobby, Dolores Umbridge, Dominique Weasley, Dorcas Meadowes, Dorea Black, Draco Malfoy, Duda Dursley, Edgar Bones, Eduaphora Mergus, Emmeline Vance, Ernesto Macmillan, Euphemia Potter, Evan Rosier, Fabian Prewett, Fenrir Greyback, Fílio Flitwick, Fineus Nigellus, Fleamont Potter, Fleur Delacour, Franco Longbottom, Fred Weasley, Fred Weasley Ii, Frei Gorducho, Galatea Merrythought, Gellert Grindelwald, Gideon Prewett, Gilderoy Lockhart, Gina Weasley, Glenda Chittock, Godric Gryffindor, Gregory Goyle, Grope, Gui Weasley, Gwenog Jones, Harold Minchum, Harry Potter, Heberty Beery, Helena Ravenclaw, Helga Hufflepuff, Hermione Granger, Hestia Carrow, Horácio Slughorn, Hugo Weasley, Ignoto Peverell, Jorge Weasley, Katie Bell, Kingsley Shacklebolt, Lilá Brown, Lílian Evans, Lílian L. Potter, Lino Jordan, Lorcan Scamander, Lord Voldemort, Louis Weasley, Lucius Malfoy, Lucretia Prewett (Lucretia Black), Lucy Weasley, Lukas Karuzos, Luna Lovegood, Lysander Scamander, Marcus Flint, Marlene Mckinnon, Merlin, Merope Gaunt, Mila Bulstrode, Minerva Mcgonagall, Ministro Milicent Bagnold, Miranda Goshawk, Molly Weasley, Molly Weasley II, Mulciber, Mundungo Fletcher, Murta Que Geme, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Newton Scamander, Nick Quase Sem-Cabeça, Nymphadora Tonks, Olive Hornby, Olívio Wood, Órion Black, Padma Patil, Pansy Parkinson, Parvati Patil, Pedro Pettigrew, Penélope Clearwater, Percy Weasley, Personagens Originais, Petunia Dursley, Pirraça, Pomona Sprout, Poppy Pomfrey (Madame Pomfrey), Quirinus Quirrell, Rabastan Lestrange, Regulus Black, Remo Lupin, Rita Skeeter, Rodolfo Lestrange, Rolanda Hooch, Rolf Scamander, Ronald Weasley, Rose Weasley, Rosier, Rowena Ravenclaw, Roxanne Weasley, Rúbeo Hagrid, Salazar Slytherin, Scorpius Malfoy, Severo Snape, Sibila Trelawney, Simas Finnigan, Sirius Black, Sra. Cole, Ted Lupin, Theodore Nott, Thorfinn Rowle, Tiago Potter, Tiago S. Potter, Tom Riddle Jr., Tom Riddle Sr., Tracey Davis, Valter Dursley, Victoire Weasley, Viktor Krum, Vincent Crabbe, Walburga Black, Walden Macnair, Wilhelm Wigworthy, Wilhelmina Grubbly-Plank, Yaxley, Zacharias Smith
Tags Filha De Sirius Black
Visualizações 45
Palavras 3.166
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Saga

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 32 - Primeiro capitulo da camara secreta


Luna Black, 31 de julho de 2001:

Já tinha passado um bom tempo que voltamos de Hogwarts.

Tio Valter tinha marcado uma reunião ou algo do tipo com acho que o chefe dele para marcar algo sobre brocas ou sei lá o que...

Eu e Harry tinhamos que ficar em nossos quartos fingindo que não existimos.

De manhã fiquei no jardim pensando em meus amigos em Hogwarts. Comecei a pensar que eles não eram meus amigos de verdade pois não tinham mandado durante todo o verão como tinham combinado.
Era aniversário de Harry mas naquela casa ele não era comemorado.

Eu estava no banco do quintal quando o porco humano (mais conhecido como Duda naquela casa) apareceu dizendo:

"Eu sei que dia é hoje!"

"Então aprendeu a contar os dias da semana?" Perguntei

"Não. Hoje é aniversário do seu irmão esquisito" respondeu

"Harry não é meu irmão" respondi

"Dane-se, o aniversário dele vai ser ignorado como o seu" respondeu rindo

"Novidade" respondi olhando para a muda de planta na minha frente

"O seu aniversário foi ignorado até pelos seus... você chama eles de amigos?" Perguntou

"Você não devia reclamar deles, você se lembrou do aniversário de Harry não é mesmo?" Perguntei

"Que saber Duda? Me deixe em paz, acho que você não quer virar um morcego?" Disse o fazendo correr para a mãe. Aqueles segundos de prazer fizeram com que eu tivesse que arrumar toda a casa.

Os Mason, o casal cujo o homem é chefe de tio Valter, iriam chegar na casa dos
Dursley em pouco tempo, então eu e Harry subimos para nosso quarto e ali havia um ser pulando na minha cama, ao nos ver entrar, o ser parou de pular e disse:

"Harry Potter e Luna Black, muito prazer, eu sou Dobby, um elfo domestico"

Caracteristicas de Dobby:

Baixo, tem orelhas pontudas e caídas para os lados, tem um par de olhos grandes e verdes e sempre usa um pano velho e surrado para cobrir o corpo.

● ● ●

"Quem é você?" Perguntei. Queria perguntar, na verdade, "O que é você?" Mas seria falta de educação

"Eu sou o Dobby, um elfo domestico." Repitiu

"Ok, mas o... o que faz aqui?" Perguntou Harry

"Dobby veio para avisar que Harry Potter e Luna Black não podem voltar para a escola de magia e bruxaria de Hogwarts. Coisas ruins estão para a acontecer" respondeu

"Que tipo de coisas ruins?" Perguntei

"Dobby não pode dizer... Dobby falou demais... Dobby mal... Dobby mal..." disse Dobby batendo com o abajur na cabeça.

"Dobby... Dobby para" disse Harry pegando o abajur da mão do elfo

"Espera, calma! Dobby, precisamos voltar para Hogwarts. Lá está nossa familia e amigos" respondi

"Amigos que não mandam cartas?" Perguntou Dobby

"Bom, eles devem estar ocu... Ei! Como você sabe disso?" Perguntou Harry

"Primeiro Harry Potter e Luna Black não devem se zangar com Dobby" disse o elfo

"O que você fez?" Perguntei

Dobby puxou um bolo de cartas dizendo:

"Dobby pensou que se Harry Potter e Luna Black não recebessem noticias de seus amigos, perderiam a vontade de voltar a Hogwarts" disse Dobby

"Dobby, tente entender nosso lado, ok? Nessa casa nós sofremos e em Hogwarts eu tenho minha familia, Hogwarts é nosso lar, é onde nos sentimos bem e seguros" respondi

"Só que dessa vez Hogwarts não é segura" respondeu Dobby

Ouvi passos na escada então puxei Dobby para o armário.

"O que estão fazendo aqui que produz tanto barulho?" Perguntou tio Valter entrando no quarto

"Estou tentando arrumar esse armário, está abrindo toda hora" respondi

"Faça mais silêncio, ou vão se arrepender" ameaçou tio Valter saindo do quarto

Dobby saiu do armario e eu disse:

"Está vendo? Aqui não é nosso lugar"
0
"Por favor Dobby, poderia nos dar nossas cartas?" Pediu Harry

"Só se Harry Potter e Luna Black prometerem que não vão voltar a Hogwarts" disse Dobby

"Dobby... não dá, Hogwarts é nossa casa" respondi

Dobby estalou os dedos e desapareceu, descemos as escadas, pulando o ultimo degrau que rangia, que dava para a cozinha, lá estava Dobby, desesperada olhei para ele e disse:

"Dobby, por favor, eles vão nos matar"

"Prometa" disse Dobby

"Não" respondi

"Então Dobby terá que fazer isso pelo bem de Harry Potter e Luna Black" respondeu o elfo

"Dobby não" pedi

Era tarde, Dobby estalou os dedos e fez o pudim de tia Petunia começar a levitar, parou em cima da cabeça da Srta. Mason, Dobby estalou os dedos novamente e o pudim caiu na cabeça da mulher que começou a gritar. Eu e Harry saímos correndo para nosso quarto, entramos no cômodo e lá estava uma coruja, com uma carta, a peguei mas ao me virar tio Valter estava ali, pegou a carta e leu:

"Avisamos ao Sr. Potter e a Sra. Black que bruxos menores de idade não podem produzir magia fora da escola de magia e bruxaria de Hogwarts, se isso se repetir os senhores poderão ser expulsos da escola.
Desejamos que estejam bem.
Afetuosamente Minerva McGonagall
Vice-Diretora e professora de Transfiguração na escola de magia e bruxaria de Hogwarts."

"Então quer dizer que vocês não podem fazer você sabe-o-quê-fora-daquela escola maluca?" Perguntou tio Valter vermelho de raiva.

No dia seguinte, tio Valter instalou grades na nossa janela e na porta.

Nos deixava ir no banheiro duas vezes ao dia, e nos dava alimentos... nem sei se nos davam alimentos hora alguma.

Eu estava dormindo, mas ouvi um barulho, acordei e olhei pela janela, vi uma luz forte entrando no quarto. Era um carro, dentro estava Rony Weasley e os gêmeos Fred e Jorge Weasley.

Surpresa, perguntei:

"Rony! Fred! Jorge! O... o que fazem aqui?"

"Viemos tirar vocês daqui" respondeu Fred

"Mas como? E essa grade?" Perguntou Harry

"Saiam da frente" pediu Rony encaixando dois ganchos na grade

Eles puxaram o carro para trás fazendo com que arracassen a grade na janela.

"Venham" pediu Fred

"Nossas coisas, enstão lá embaixo" respondi

"Deixa com a gente" disse Fred e Jorde juntos

"Rm Hogwarts acham bobagem aprender a mexer com fechaduras truxas, não para nós... pronto" disse abrindo a porta que estava trancada

"As coisas estão no armario debaixo da escada e cuidado com o ultimo degrau da escada, ele range" aconselhei

Os gêmeos desceram e pouco tempo depois já estavam de volta.

Entramos no carro mas quando estavam colocando a mala no carro, tio Valter apareceu, e disse segurando meu pé:

"Vocês não vão fugir"

"Vamos sim" disse me soltando o fazendo cair da janela

Entramos no carro e fomos para algum lugar que eu não sabia onde.

Esqueci de citar um detalhe: o carro era voador.

"A proposito, Harry, feliz aniversário" disse Rony

Harry deu um sorriso e fomos embora.

Chegamos em uma casa, a mais diferente que eu já vi, ela parecia ter alguns andares adicionais.

Entramos na casa, na pia, os pratos se lavavam sozinhos, na sala, um pano se tricotava sozinho, na cozinha, o relógio ao invés de mostrar numeros mostrava: casa, hospital, trabalho, escola, ás compras, dormindo, estudando, comendo, perigo mortal, treinando, jogando quadribol e fora de casa. Agora os ponteiro de Fred, Jorfe e Rony acabara de sair de fora de casa para casa.

"Onde estavam? Camas vazias, nenhum bilhete, o carro sumiu..." disse sra. Weasley na nossa frente.

"Ah! Harry, Luna, como é bom reve-los" continuou se virando para mim e para Harry.

"Olá sra. Weasley" cumprimentei

Tomamos café da manhã e o resto dos Weasley acordaram, sr. Weasley chegou mais tarde, se assentou na mesa e se virou para mim e para Harry e perguntou:

"Quem são vocês?"

"Harry Potter" respondeu Harry

"Luna Black" respondi

"Por Merlin! Muito prazer, sou Arthur Weasley." Cumprimentou sr. Weasley.

"Quando eles chegaram, querida?" Perguntou sr. Weasley

"De manhã... seus filhos voaram naquele seu carro enfeitiçado até a cidade grande." Disse sra. Weasley

"Ele voou bem?" Perguntou sr. Weasley, eu e Harry rimos

"Sem problemas" responderam os gemêos

"Mãe! Mãe! Mãe você viu meu pulouver?" Perguntou uma menina descendo a escada

"Estava com o gato" respondeu sra. Weasley

Era Gina, a irmã mais nova de Rony, ela olhou para mim e para Harry, assustada.

"Oi" cumprimentamos juntos

Ela saiu correndo, então me virei para Rony e perguntei

"Eu fiz algo errado?"

"Não. Gina só estava muito ansiosa para conhece-los." Respondeu

"Vão se trocar. Daqui a pouco teremos que ir ao Beco Diagonal comprar seus materiais" disse Sra. Weasley pegando as cartas do bico da coruja Errol.

Nos arrumamos e ficamos na frente da lareira:

"Usaremos a rede de Pó de Flu" disse Sra. Weasley.

"Pó de Flu?" Perguntou Harry confus

"Venha Rony, para mostra-los como se fazer" pediu sr. Weasley.

Rony pegou um pouco do pó, entrou na lareira e falou:

"Beco Diagonal!" E jogou o pó na lareira

"Você deve dizer bem claramente o lugar desejado" disse sra. Weasley

Leguei um pouco do pó, entrei na lareira e disse guaguejando:

"Be... be... beco dia... diagonal"

E joguei o pó.

Senti estar caindo e girando, então saí em lugar que não parecia ser o Beco Diagonal. Harry saiu do meu lado e eu sussurei para ele:

"Onde estamos?"

"Não faço ideia" respondeu

Ouvimos passos então entramos no armário dali, observamos quem era e descobrimos que era os Malfoy, menos Narcisa Malfoy.

"Pai, pensei que você ia me comprar uma vassoura" disse Draco Malfoy para o pai.

"E vou, mas antes tenho que fazer algo" respondeu o pai

"Olá, sr. Malfoy, que prazer vê-lo. Veio comprar algo?" Perguntou o balconista

"Hoje vim vender, temos umas coisas em casa, que se forem achadas pelo Ministerio posso ser preso" respondeu o Malfoy

"Ah claro! A procura do Miniterio! Não devia se preocupar com isso, o senhor ainda impõe muito respeito no Ministerio" respondeu o balconista

Esperamos os Malfoy sairem e o balconista tambem, para sairmos. Fora da loja era um um lugar escuro, as pessoas vestiam vestes escuras.

"Queridos, estão perdidos?" Perguntou uma senhora do nosso lado, não aparentava ser uma pessoa que nos ajudaria.

"Harry? Luna?" Perguntou alguém, nos viramos e vimos Hagrid.

"Hagrid!" Dissemos indo em sua direção

"O que estavam fazendo aqui? Se te pegassem aqui pensariam que não estariam fazendo boa coisa" disse Hagrid

"Pó de Flu" respondi

"Ok" entendeu Hagrid

Saimos dali e encontramos Hermione.

"Oi, Hermione" cumprimentei

"Oi, Luna, oi Harry" disse Hermione

"Estão em boas mão agora" disse Hagrid se viranso mas antes o chamei e perguntei:

"O que você estava fazendo na Travessa do Tranco?"

Ele levantou um frasco e respondeu

"Procurando repelente para lesmas carnivoras" respondeu

"Ok" respondi.

Nos encontramos com os Weasley e juntos fomos para a livraria Floreiros e Borrões que estava estranhamente cheia, então eu vi eu vi uma placa dizendo:

"Sessão de autografos de Gilderoy Lockhart"

"Sra. Weasley, quem é Gilderoy Lockhart?" Perguntei

"Mamãe adora ele" disse Rony

Não deu tempo dela responder porque o homem na nossa frente disse:

"Não pode ser... Harry Potter e Luna Black..."

Harry e eu nos entreolhamos e fomos puxados para a frente do bruxo

"É... quem é você?" Perguntei

Ele riu e disse:

"Muito engraçado... muito engraçado..."

"Hoje, Harry Potter e Luna Black vieram até a livraria para comprar minha auto biografia, o Meu eu Magico, com autografos, nunca imaginariam que sairiam daqui com a minha obra completa e de graça" disse Lockhart colacondo duas pilhas de livros na minha mão e na de Harry

Saí dali e dei a minha pilha para Sra. Weasley já que ela gostava do escritor, confusa ela me perguntou:

"Porque disso?"

"Bom, Rony disse que você gosta desse escritor e... é um presente, de agradecimento" respondi

"Muito obrigada" respondeu

Compramos nossos materias e saindo da livraria nos deparamos com Draco Malfoy na nossa frente, revirei os olhos e ouvi ele dizer:

"Não conseguem nem sair de uma livraria sem aparecerem na primeira página, não é Potter e Black?"

"Nos deixa em paz Malfoy, aposto que você tem coisa mais util para fazer, não?" Disse Gina

"Arrumaram um defensora?" Disse Malfoy em tom de deboche

"Vai com calma, Draco" disse um homem atrás de Draco que era muito semelhante a ele, era seu pai, Lucio Malfoy.

O homem olhou para nossas cicatrizes e disse:

"Essa cicatrizes são duas lendas, assim como bruxo que as fez"

"Voldemort, nunca passou de assassino covarde" disse Harry

"Voldemort, nunca passou nem nunca vai passar de um assassino fraco" completei

"Devem ter muita coragem para falar o nome dele, ou muita burrice" disse o homem

"Acontece que ao contrario de você, nós não temos medo de um nome bobo" disse Hermione

"Srta. Granger, Draco falou sobre você... e seus pais... trouxas, não?" Disse Lucio Malfoy

"Deixe-os em paz Lucio" disse sr. Weasley aparecendo atrás de nós

"Arthuer Weasley, em uma loja, quanto tempo vai ficar sem almoçar para pagar tudo que gastará aqui?" Disse Lucio Malfoy em tom de deboche

"Creio que não é da sua conta" disse sr. Weasley

"Quando achamos que algo já chegou no fundo do poço, não, ele ainda traz mais vergonha para o mundo bruxo" disse o homem em nossa frente

"Temos um opinião muito diferente do que é vergonha para o mundo bruxo, Malfoy" disse sr. Weasley

Lucio Malfoy pegou o livro no caldeirão de Gina, colocou um junto sem que o sr. Weasley percebesse e disse:

"Com certeza"










Saimos da livraria e fomos comprar o resto dos materiais

Depois que acabamos de comprar todo o material,fomos para o carro dos Weasley, um Ford Anglia e fomos para a estação King Cross

Nos direcionamos para a plataforma entre as plataformas nove e dez, primeiro foi Percy, depois os gêmeos, depois Gina com os pais e por ultimos eu, Harry e Rony começamos a andar na direção da platarforma mas ao contrario do que esperavamos que era atravessar a barreira, bafemos contra ela. O guarda que estava proximo dali se aproximou e perguntou:

"O que pensam que estavam fazendo?"

"Ãh... perdemos o controle do carrinho" respondi

"O que aconteceu? Porque não atravessamos a barreira?" Indagou Harry

"Não sei..." respondi

"Meus pais..." disse Rony tocando na barreira fria

"Eles podem aparatar, vamos esperar no carro" sugeri

"O carro..." disse Rony

"O que tem o carro?" Perguntou Harry

"Podemos ir com ele para Hogwarts" respondey Rony

"Não Rony, isso é contra as regras, pensa em quantos trouxas vão nos ver" respondi

"Não se usarmos o controle do papai para torna-lo invisivel, a não ser que queira ficar esse ano fora de Hogwarts e voltar para a casa dos Dursley, pelo ano todo..." disse Rony

"Ok, ok... mas é bom saber o que está fazendo" respondi

"É claro que sei" respondeu

Entramos no carro e começamos a voar e Rony rapidamente deixou o carro invisivel.

Rony e Harry ficaram no banco da frente, eu fiquei atrás brincando com Anne, minha coruja, comemos um doce, e esperamos. Depois de um tempo, avistamos o trilho do trem, então eu disse:

"Não devemos estar muito lon..." mas o reto da minha fala foi abafado por um barulho atrás de nós, era o trem, subimos e passamos por baixo da pontr mas com essa descida, Harry escorregou e ficou pendurado na porta com o resto do corpo para fora do carro, pulei para frente e puxei Harry, depois voltei para trás.

"Achamos o trem" disse Harry ofegando

Passado algumas horas, avistamos o lago e então o castelo, mas o carro começou a falhar pelo tempo que passara andando, então batemos em uma arvore, um salgueiro lutador, que espancou o carro, quebrou os vidros e nos jogou no chão, nisso, Rony tentara fazer um feitiço para parar o carro mas bateu no painel e quebrou sua varinha, saímos correndo do carro e peganos nossas coisas.

"Minha varinha..." gemeu Rony levantando sua varinha

"Sorte não ser seu pescoço" Harry e eu respondemos juntos

Deixamos nossas malas, as corujas e Perebas junto com as outras malas e animais.

Subimos as escadas e nos deparamos com Filch, o zelador, que sorriu e disse:

"Deêm uma boa olhada garotos, essa pode ser a ultima noite nesse castelo"

Ele nos levou para a sala de Snape, o professor de poções, o professor que mais nos odiava e o que mais odiavamos.

"Um total de sete trouxas viram vocês, vocês causaram danos a uma arvore que está em nossas terras muito antes de vocês nascerem, eu juro que vocês fossem de Sonserina vocês voltariam para suas casas hoje..." começou Sanpe masfoi imterropido por alguém atrás de nós:

"Mas como não é" - nos viramos e vimos Dublendore e prof. McGonagall- "essa decisão cabe a Minerva"

"Prof. Dublendore, esse garotos puseram nosso segredo em risco infrigiram a regra que proibe o uso de magia por menores..." começou Snape mas foi novemente interrompido por Dublendore:

"Eu sei as regras Severo, sendo que eu mesmo fiz muitas delas. Severo, deixe Minerva fazer o trabalho dela e venha aproveitar essa bela festa." Respondeu Dublendore calmo saindo dali com Sanpe rabugento

"Vamos pegar nossas coisas" disse Rony

"Hoje não Weasley, hoje vocês comerão aqui, escreverei para suas familias e vocês sofrerão detenções" respondeu a professora

Nos entreolhamos sorrindo, os Dursley ficariam triste de saber que o Salgueiro não nos matou, já os Weasley por outro lado...

"Professora, para que casa minha irmã foi selecionada?" Perguntou Rony

"Para a Grifinória" respondeu prof. Mcgonagall sorrindo

Comemos e fomos para nossos dormitorios, me senti em casa de novo, com meus amigos, feliz pela primeira vez em meses poder usar meus livros de magia livremente, por me divertir com meus amigos, falar de quadribol, jogar xadrez bruxo com Rony e principalmente saber que ali está minha familia, saber que ali eu tenho pessoas que me amam e querem o meu bem e isso, é a melhor sensação do mundo.

Harry Potter...

No dia seguinte...

Recebemos nossos novos horários.

Teriamos Herbologia no primeiro horário do dia, então fomos para as estufas.

"Hoje vamos aprender a reevasar mandragoras, alguém sabe as propriedades das mandragoras?" Perguntou prof. Sprout.

Como de costume, apenas duas pessoas levantaram as mãos, Hermione e Luna.

"Srta. Black" disse a professora

"As mandragoras tem o grito tão alto e fino que chega a ser fatal para quem o ouve, mas apenas quando está grande, ela tem uma substância em suas raízes que é capaz de trazer de volta á vida quem foi petrificado" respondeu Luna

"Parabéns, mais cinco pontos para a grifinória" disse prof. Sprout.

"Hoje aprenderemos a reevasar mandragoras, coloquem esses abafadores, as mandragoras ainda estão muito novas mas pode deixa-los desacordados por horas" alertou prof. Sprout

Colocamos nossos abafadores e olhamos para a professora que continuou:

"Vocês vão puxar a mandragora..." ela puxou a planta então ouvimos um grito estridente, ajeitamos os abafadores e voltamos o olhar para a professora " vocês vão coloca-la no vaso, e cobri-la de terra" disse cobrindo a planta de terra.

"E pronto, fácil, não?" Perguntou a professora entusiasmada

Pegamos as mandragoras e a puxamos, Neville caiu do meu lado ao ouvir o grito da planta e prof. Sprout disse:

"Ah... Longbotton subestimou o abafador, pode deixar ele aí, continuem" 


Notas Finais


Desculpem ter demorado tanto tempo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...