História Harry Potter e o Segredo dos Fundadores - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Harry Potter, Luna Lovegood, Tom Riddle Jr.
Tags Dumbledore Manipulador, Fundadores, Grey!harry, Herdeiros, Luna, Tom Riddle
Visualizações 120
Palavras 1.543
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Capitulo 6 - Pingos nos i's.


Era o eufemismo do século dizer que Madame Bones estava surpresa ao estar naquela reunião. Primeiro, a mulher havia sido informada de que a vontade de Lily e James Potter havia sido lida e que sua presença era necessária como chefe do DMLE. Segundo, o Lorde Black, que estava isolado do mundo a tempos volta como se nada tivesse acontecido. E terceiro, mas não menos importante, estava querendo tratar sobre seu contrato de casamento com o sobrinho Alphard.

Seu doce e querido, Alphie.

“Não entendo, Lorde Black” Amelia parecia menos confusa do que realmente estava “Nosso contrato de casamento foi pego por seu filho”

Com um resmungar nada característico de sua família puro-sangue, o Lorde falou “Meu filho fez muitas coisas estupidas, se me permite dizer, Madame Bones. Eu estou querendo concertar as coisas o máximo que posso, para só então deixar o mundo mágico em paz.”

Amelia suspirou, olhando pela sala uma ultima vez antes de responder o homem. Sua confiança aumentou um pouco mais ao ver meio sangues e Weasleys presentes. A mulher conhecia bem a fama daquela casa em particular, mas ver com seus próprios olhos que as palavras de Arcturus eram verdadeiras, fez o peso em seus ombros caírem e o sorriso frouxo, que eram dedicados apenas a seu amado e sua família, aparecer em seu rosto.

“Bem, já que é assim, vamos aos preparativos de um novo contrato, Lorde Black.”

“Não há necessidade” interrompeu o Lorde “Estou com o antigo em mãos, apenas coloquei mais uma clausula que a Casa de Black irá presentear os noivos com A Mansão do herdeiro da segunda linhagem”

Dando um passo à frente, Alphard Black assinou o contrato e olhou atentamente para a mulher com cabelos cor de areia, esperando sua aceitação, que não demorou a acontecer logo após ler. O laço magico do noivado circulou os dois, fazendo assim o contrato ser arquivado nos cofres de família.

Em seus dedos era possível ver um anel de prata feito de pura magia, para mostrar que ambos estavam em compromisso de noivado.

“Antes de mais algum contrato, EU, Lorde Arcturus Sirius Black II, estou reinstituindo a família todos os membros aqui convidados, com a aprovação de Lady Magic e a Magia Black”

Todos os citados que estavam presentes, empalideceram ligeiramente quando sentiram o elo uma vez quebrado voltando ao lugar.

A infame Casa Antiga e Nobre de Black estava de pé e pronta para atacar qualquer um que ousasse levantar-se contra seus membros, pois como era de conhecimento comum, seu lema era Toujours Pur, eles sempre cuidavam um do outro desde os tempos de Arthur, quando defenderam juntos a Bretanha e não seria dois homens famintos por poder que iriam acabar com isso.

  “Declaro essa reunião encerrada, esperem cartas e comunicados logo após a próxima semana, e lembrem-se sempre Toujours Pur” Arcturus assistiu cada membro de sua família sair pela grande porta da sala de reuniões de Gringotts, ficando para trás apenas seu neto Regulus com sua filha, Remus Lupin, Severus Snape, Minerva Black e por incrível que pareça, Aries Black, que parecia querer falar algo importante “Aries Black?”

 O jovem rapaz, filho de Cepheus Black II da linha de Lacerta Black primo de Phineas Nigellus I estava parado de frente para o Lorde da família, se bem lembrava, aquele ramo da família não tinha parentesco direto com Phoenix Black e havia migrado para os Estados Unidos há pelo menos um século.

“Meu Lorde Black” Aries fez uma reverencia para o homem antes de continuar “Eu tenho uma noticia que será de seu interesse e está relacionado ao jovem herdeiro Potter.”

Ao ouvir a palavra Potter, o lobisomem quis tomar a palavra, mas foi impedido por um leve tocar de braço do pocionista ao seu lado, que com um olhar deixou claro que não era aceitável intervir numa reunião direcionada ao Lorde de uma família.

“E que noticia seria essa, meu jovem rapaz?”

Aries Black coçou a barba rala que tomava conta de seu rosto magro e pôs-se em posição de sentido, que lembrou os presentes das formações Aurors.

“Não sei se é do seu conhecimento, meu senhor, mas eu trabalho nos Estados Unidos como Auror e uma parente do herdeiro Potter ficou sabendo por meio de uma carta do Gringotts hoje mesmo que o herdeiro Potter foi encontrado e que está sob custodia da Casa de Black, ela deseja entrar em contato com o senhor e assim trazer o garoto nos caminhos da Casa de Potter.”

Dessa vez Severus não foi rápido o bastante para impedir Remus de perguntar: “E que parente seria esse, Auror Black?”

“Hyacinthe Iolanthe Potter, quarta filha de Lorde Henry II, irmã mais nova de Lorde Charlus Potter e tia do falecido herdeiro James Potter.”

O olhar autoritário de Lorde Black recaiu sob Lupin, que perguntou de forma discreta se a tal Hyacinthe Potter existia mesmo e se ela era tudo que aquele membro da Casa de Black estava falando. Ele não iria entregar o neto de Dorea nas mãos de mais ninguém, mesmo ela sendo uma Potter, ainda estava na mesma posição de Arcturus por ser tia-avô e provável regente da Casa de Potter.

“Oh!” Remus Lupin parecia chocado com aquilo “Sim, Hyacinthe Potter, a tia de James que trabalha no MACUSA, ele sempre falava dela se gabando pelos grandes feitos da mulher que até foi convidada a ser ministra, mas recusou.”

“Ela mesma” Aries confirmou acompanhado de um aceno positivo “No momento está como Auror Senior, pois recusou também o papel de chefe do DMLE. Ela pode entrar em contato com as outras duas linhagens de Potter ainda vivas, os Potter da linha Russo-americana e da linha Egípcia.”

 

[...]

As portas de Wizengamot estavam para ser seladas em mais uma reunião quinzenal do tribunal bruxo, mas o corpo esguio de Madame Bones entrou antes que alguém pudesse dizer algo para selar as grandes portas de metal pesado.

“Amélia Susan Bones, Chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia, se apresentando em uma reunião oficial do Wizengamot” as palavras da mulher eram duras como suas feições “E convoco um julgamento para Sirius Orion Black, herdeiro da Mui Antiga e Nobre casa de Black, que foi posto em Azkaban há sete anos sem um julgamento.”

Os passos de Amelia Bones eram estrondosos, fazendo alguns dos Lordes estremecerem ao seu olhar, não era à toa que aquela mulher havia subido rapidamente para o cargo, um leve aceno quase imperceptível para seu irmão mais novo foi o bastante para que as vozes soassem indignadas depois de sua fala.

“Convocação aceita, por Lorde Hector Bones da facção neutra.”

Os gritos da facção de luz eram estridentes, mas com uma compostura clássica de si mesma, Amelia conseguiu cala-los com apenas um olhar. Era necessário que apenas duas das três facções aceitassem a convocação. Quão grande foi a surpresa de todos ao verem a velha e ranzinza Lady Longbottom levantar-se se seu assento;

“Convocação aceita, por Lady Augusta Longbottom da facção da luz.”

O caos estava pronto.

 

[...]

Apesar de ter seus cabelos loiros e feições parecidas com um Malfoy ou um Rosier, Narcissa não era uma mulher para se cruzar em caminhos tortuosos, ela era uma Black afinal. Quando as portas da Malfoy Manor se abriram, a loucura Black passou por seus olhos rapidamente e logo foi controlada ao ver seu marido jogado no chão amarrado em grossas cordas.

“Você sabia que Sirius era inocente” a voz não passava de sussurros “Você sabia e mesmo assim deixou que ele passasse sete malditos anos em Azkaban, quando você não passou sequer dois dias.”

“Cissa, por favor.”

“Eu não deixei você falar, Abraxas” a voz cortante de sua esposa veio junto ao feitiço silenciador. “Sirius era como um irmão para Andy e eu depois do que meu maldito pai fez com Bella, ele cuidava de nós duas mesmo quando foi expulso da família por tia Walburga.”

O rosto de Lucius estava cada vez mais pálido enquanto a magia de sua esposa o circulava em uma dança frenética, era sufocante para o homem estar em contato com aquilo e as defesas da mansão nem ao menos tentaram defende-lo.

“Ele poderia estar em minha casa com meu filho se divertindo em brincadeiras bobas, mas você sequer levantou um dedo para ajudá-lo.”

“Tecnicamente, essa é a casa de meus ancestrais.” Palavras erradas e tempo errado para Lucius Malfoy, que se contorceu cada vez mais no chão, seu suor pingava de sua testa enquanto sua boca estava seca demais.

Os cabelos loiros de Narcissa tornaram-se vermelhos feito fogo e feito a raiva que ela havia parado de tentar controlar, seus leves traços de metamorfomagia começaram a aparecer, enquanto o ar da sala de recepções ficava cada vez mais rarefeito.

Lucius lançou um olhar horrorizado para sua esposa, era a primeira vez que ela perdia o controle de tudo desde que se casaram e Draco nasceu.

“Eu imploro seu perdão.”

“Você vai precisar mais do que implorar meu perdão, Lucius.”

“Eu tenho algo de valor para o Lorde das Trevas e posso entregar ao Lorde Black, se isso fizer você me perdoar.”

As palavras surtiram o efeito desejado.


Notas Finais


Como estamos?
Logo aparecerão Caos e Ordem novamente, porém ainda vai demorar um pouco para a ultima herdeira dar as caras.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...