História Hate - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias One Piece
Personagens Koala, Monkey D. Luffy, Nami, Nefertari Vivi, Nico Robin, Personagens Originais, Portgas D. Ace, Roronoa Zoro, Sabo, Sanji, Viola
Tags Ace X Vivi, Bonney Seguradora De Vela, Bonney X Nojiko, Kid X Law, Kidlaw, Luffy X Nami, Luna, Mihan, Mihawk X Hancock, Sabo X Koala, Saboala, Sanji X Viola, Sanola, Shankino, Shanks X Makino, Vivace, Zoeira, Zoro X Robin, Zorobin
Visualizações 131
Palavras 2.742
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


HELLO, IT'S ME
ESTOU DANDO AS CARAS NESSA FIC, MILAGRES ACONTECEM, NÃO É MESMO???
pra compensar a demora eu trouxe um capítulo grande p vcs <3
espero que gostem, galera szz
aliás, MUITO OBRIGADO PELOS FAVORITOS E COMENTÁRIOS <333

beijos e boa leitura amiguinhos sz

ps: e esse Sabo tão uma diliça, vamos glorificar de pé ahuahaua

Capítulo 3 - Esse micão que você tá pagando, é no crédito ou débito?


Fanfic / Fanfiction Hate - Capítulo 3 - Esse micão que você tá pagando, é no crédito ou débito?

One Piece, Grand Line; 23:19h.

— Aqui está o que pediram, garotos. — Nami colocou as coisas sobre a mesa. 

— Obrigada. — Sabo, o único com educação por ali, agradeceu. Os outros dois já estavam devorando a comida.

— De nada. — riu suspeita, levantando as mãos em um claro sinal que ela estava pedindo gorjeta.

Luffy, que não tinha entendido, deu uma batata frita pra ruiva, que o olhou irritada.

— Idiota. — resmungou vendo o garoto dar um sorriso enorme. Revirou os olhos, jogando a batatinha goela abaixo. Luffy riu com o ato da ruiva.

— Ei, e a galinha pintadinha? — Zoro perguntou, dando uma golada no sakê. Ele estava falando de Ace, geralmente eles se tratam com esse carinho mesmo. — Não vi ele desde que aquela garota desmaiou.

— Ainda está no quarto com a Vivi. — Nami deu de ombros. — Se bem que isso já tem uns vinte minutos. Tô achando que algum deles morreu.

— Ah, tá. — Zoro deu de ombros, desinteressado. Se Ace não vinhesse sobraria mais comida, então quem liga para o sardento, não é mesmo?

— Ei! — alguém chamou Nami.

— Tenho que ir, vida de pobre é uma merda. — resmungou, indo em direção ao rapaz que a chamou.

Os três deram de ombros, voltando toda sua atenção para a comida e a bebida que Nami trouxe, afinal, não tinha nada melhor.

》》》

Vivi tinha acabado de acordar. Preferia esquecer o dia de hoje, com certeza. E ela nunca mais beberia. Não queria ter que passar vergonha novamente. Deus me livre, pensou a azulada.

Ao abrir os olhos para saber onde estava, ela se deparou com uma cena que a chocou completamente; o cara que ela chamou de desconhecido gostosão estava dormindo, com a cara nos seus seios. Os olhos da garota praticamente saltaram para fora e ela fez uma expressão de horror.

A primeira atitude dela foi dar um belo tapa no sardento, fazendo-o acordar mas querer cair no minuto seguinte.

— NÃO FUI EU! — gritou ao se levantar. Olhou para todos os lados com uma expressão confusa, atordoado e sem saber sequer onde estava.

Se alguém tirasse uma foto ele viraria um dos melhores memes, Vivi tinha certeza. 

A Nefertari ainda o olhava assustada, e quando Ace retomou sua lucidez, a primeira coisa que fez foi a encarar. Cerrou os olhos, aparentemente entendendo a situação.

— Foi você quem me bateu? — Ace perguntou, esfregando o lado do rosto que estava vermelho devido ao tapa. 

Na mente de Vivi aquilo pareceu muito fofo, até porque se controlou para não apertar aquelas bochechas com sardas. Mas aí lembrou que ele era um tarado e o achou completamente horrível. Sim, muito feio.

— Foi! — ela assentiu e ele fez uma expressão de ofendido.

— Eu venho até aqui pra te socorrer porque você tinha desmaiado e eu ganho um tapa na cara de presente? — Ace perguntou, incrédulo. — Que tipo de agradecimento é esse? — ele parecia mesmo indignado. 

— Quando eu acordei você estava com a cara nos meus peitos! Seu tarado! — Vivi o acusou, envergonhada e com o rosto mais vermelho que um tomate.

O sardento fez uma expressão confusa e ao mesmo tempo compreensiva. Bom, talvez — acidentalmente — ele poderia ter tropeçado e caído, talvez nos peitos dela, talvez dormido rindo e feliz. Bom, talvez.

— Ah...— ele coçou a nuca e sorriu sem graça, olhando para os lados assobiando. — Aconteceu um pequeno acidente, sabe. 

Vivi cerrou os olhos, em descrença. Ele era um péssimo mentiroso.

— TARADO! — gritou incrédula, jogando várias coisas aleatórias no garoto, que desviava com certa dificuldade.

— SUA LOUCA! — saiu desvairado e morrendo de medo de Vivi. — MAL AGRADECIDA TAMBÉM! — colocou a cabeça na porta apenas pra levar um copo de plástico na cara. Saiu correndo dali.

Vivi ficou encarando a porta por alguns segundos, respirando fundo.

— Tarado, pervertido, mentiroso... gostoso...— suspirou mas logo se deu conta do que falou, dando um tapa em seu rosto. — Horrível, você quis dizer horrível, Vivi!

E lá ficou Nefertari Vivi, tentando se convencer de que o "desconhecido gostosão" era horrível. Coisa que até ela sabia que não era verdade.

Do lado de fora, Ace saia que nem um louco do quarto, morrendo de medo da azulada.

— Que que foi criatura?! — Nami indagou ao ver a cena de Ace correndo.

— Aquela menina de cabelos azuis...— apoiou as mãos no joelho e respirou fundo, voltando a encarar Nami. —... ela é uma maluca!

— Me conte uma novidade? — Nami não pareceu se incomodar com esse fato. Ela já estava acostumada, afinal.

Ace fez uma expressão de descrença. Ele estava errado. Não é só a de cabelos azuis que era louca, pois Nami também era, e provavelmente ainda mais que a outra doida.

— Deus me livre! — Ace fez o sinal da cruz em direção a Nami, saindo de perto dela o mais rápido que pôde. 

Ela deu uma gargalhada. Ace, por algum acaso, achava que ele era normal? Pois de normal ela podia afirmar com certeza que ele não tinha nada. 

— Eu fui assediada...— Vivi saia do quarto com a mão sobre a testa, numa posição extremamente dramática. 

— Sim, sim. — Nami foi sarcástica. — Agora vamos trabalhar porque dinheiro não cresce em árvore.

— Mas dinheiro é papel. 

— E daí?

— E papel vem da árvore. 

— E...?

— Quer dizer que papel cresce em árvore sim. — Vivi terminou sua explicação com um sorriso.

— Por quê você não trabalha na Praça é Nossa? — Nami debochou.

— Eu ganharia um papel facinho, facinho. — Vivi deu um sorriso triunfante não notando o deboche da amiga.

Logo elas voltaram para seu trabalho normal, mas claro com Vivi dizendo que o Ace era um assediador em todos os momentos. O que resultou numa pratada de macarrão na cara da azulada, obra de Nami, que já estava sem paciência com a amiga "assediada".

》》》

Robin e Koala chegaram, definitivamente, divando. Em câmera lenta e com os cabelos ao vento, elas entravam na badalada boate One Piece. Por onde passavam atraiam olhares, e isso só servia para aumentar o ego de Koala.

Ela desfilava pela pela boate linda, glamurosa e plena. Cena digna de filmes adolescentes. E Robin só dava suas típicas risadinhas, achando graça em tudo isso. Logo elas se aproximaram do balcão, onde avistaram Vivi.

— Me passa a tequila e ninguém se machuca. — Koala de apoiou no balcão, imitando uma arma com os dedos.

— Oh, meu Deus! Não faça nada comigo, por favor! — Vivi dramatizou, entrando na brincadeira.

Vivi começou a rir logo depois, mas Koala continuou séria.

— É sério, passa logo a tequila. — a ruiva fez uma careta assustadora e Vivi se assustou.

— Tá. — disse a azulada rapidamente indo pegar a tequila. 

— EU SOU O BATMAN! — um cara completamente bêbado subiu em cima da mesa, pulando logo em seguida e caindo de cara no chão. 

Ficou lá mesmo. Parece até que morreu.

— Aquele ali não é o Law? — Robin falou olhando para o cara desmaiado.

— Quem é Law? — Nami fingiu-se de desentendida quando chegou ao balcão.

— Sei nem quem é esse. — Koala concordou bebendo a tequila que Vivi tinha acabado de dar.

— Mas aquele é o Kid, eu tenho certeza. — Vivi apontou para um ruivo que vinha na direção delas.

— Ah, não. — Nami se lamentou ao ver o ruivo se aproximar. 

Ele estava completamente bêbado e vestido de travesti. Por que? Ninguém sabe.

— A sexualidade do seu irmão é um pouco questionável agora, viu, Nami. — Koala disse enquanto observava Eustass mandando um beijo pra um cara qualquer. 

— Sempre foi. — Nami suspirou.

— Oi, amigas! Tudo bem com vocês, manas? — Kid perguntou com uma voz fina e fez uma pose um tanto... gay.

— Esse micão que você tá pagando, é no crédito ou débito? — Nami sorriu provocativa.

— Cala a boca, semelhante de puta. — Eustass retrucou rapidamente, mostrando o dedo do meio pra irmã. 

E daí começou uma discussão interminável, que quase se tornou um agressão física se não fosse por Robin interferir. 

— Ah, pelo amor de Jesus luz, a pia tá cheia de louça pra lavar e vocês estão fazendo isso. — a garota disse com uma enorme carranca e tédio. 

— Eita porra, a Robin se alterou, corre berg! — Vivi começou a correr igual uma louca pela boate. 

— Vai trabalhar Vivi, faz uma coisa útil! — Koala exclamou vendo a amiga enlouquecer. 

— Oi bicha linda do meu heart e sebosas. — Law chegou perto deles com a cara vermelha do queda, grudando em Kid igual uma macaco gruda da mãe. 

— Mais um que não tá na suas faculdades mentais em estado normal. — Robin resmungou, vendo Law soltar um sorriso psicopata.

— Sai daqui namorado do Kid. — Nami disse enquanto servia um cara qualquer. 

— Tá faltando bem pouco pra eu agredir todo mundo aqui. — Law fez uma expressão psicopata e Koala que estava perto dele se afastou.

— Eu hein, tá com o demônio do corpo! Se benze, criatura! — a garota fez o sinal da cruz em direção ao moreno.

— Vamos meu amor, vamos sair de perto dessas imundas! — Kid puxou Law pra Deus sabe onde e sumiu na multidão. 

— Ainda bem que eu gravei. — Vivi disse guardando seu celular. 

— Hmmm, gays. Adoro. — Robin murmurou maliciosa.

— Nami, me passa o whisky que hoje eu vou me esbaldar. — Koala soltou um riso histérico com uma expressão de louça. 

— Só se lembra que amanhã começa a faculdade de novo, viu. — Robin disse direcionando seu olhar para a amiga.

— Tô cagando e andando pra isso. — Koala retrucou bebendo um gole de whisky que Nami tinha acabado de dar. — Vou dançar, bye gatonas! 

As garotas olhavam para a ruiva com um olhar de "interna essa garota que ela é perturbada", mas Koala nem ligou e foi dançar pelo meio do tanto de gente que tinha no lugar. 

Enquanto ela dançava lindamente — SQN — ela esbarrou em alguém e quase metia a fuça no chão, claro se a pessoa não tivesse a segurado e a impedido de ter uma cara amassada pelo resto da noite.

 Eles se encaravam por longos cinco minutos igual aquelas cenas românticas de novela, até a criatura fazer jus à cor do seu cabelo e interromper o clima.

— Eu te conheço de algum lugar? — perguntou o loiro arqueando uma sobrancelha. 

— Depende, você já foi na pensão da tia ruiva? — Koala rebateu, ainda sendo segurada pelo cara.

— Não, eu nunca fui em zoológico. — respondeu maldoso.

Koala fez uma expressão de "como ousa" e logo tratou de responder. 

— Ué, então você mora aonde? — perguntou com uma expressão vitoriosa.

O coitado ainda não conhecia Koala e sua língua afiada, resultado: Koala wins! 

— Aí...— ele soltou Koala e fez uma pose ofendida. — Pra que agredir?

— Olha eu nunca te agredi mas se você quiser minha mão tá disponível, tá. — Koala resmungou.

— Acho melhor você usar sua mão pra fazer coisa melhores. — ele disse malicioso. 

— Por exemplo? — ela arqueou a sobrancelha, abrindo um mini-sorriso malicioso.

— Tirar essa camisa horrorosa que você tá usando, todo mundo sabe que a Dc é melhor que a Marvel, só não vê quem não quer. — ele concluiu, a olhando indignado.

— É melhor você bater na sua cara antes que eu bata.  — ela disse, com a voz perigosa e um olhar psicopata. 

— Não me bate porque eu tenho advogado. — disse o garoto morrendo de medo.

— Sai de perto de mim que eu tenho alergia a pessoa ridícula, sai! — disse Koala ameaçadora e quase demoníaca.

— Pai nosso que estais no céu, santificado seja vosso nome (...) — o garoto saiu de perto da garota fazendo o sinal da cruz.

E Koala continuou dançando, ou tentando. Pois a garota mais parecia uma minhoca levando uma descarga elétrica. E por ali as pessoas podiam notar níveis alarmantes de retardo mental.

》》》

— ME PASSA UM JACK DANNIELS AÍ! — um maluco berrou, fazendo todos se assustarem.

— OPORA, VOCÊ TÁ VENDO ALGUÉM SURDO AQUI PRA VOCÊ GRITAR DESSE JEITO, SEU IMUNDO? — Nami berrou, irritada.

— MAS VOCÊ TAMBÉM TÁ GRITANDO, SUA LOUCA! — o garoto retrucou ainda berrando e ela pode reconhecer que era o morto de fome de mais cedo.

— FODA-SE, SE EU QUISER EU GRITO PORQUE EU SOU LINDA! — ela rebateu irada.

— Em que galáxia? — ele disse sorrindo maldoso.

Ele na verdade queria soltar um "é verdade" mas ele não se rebaixaria a tanto. 

— Vou te comer na porrada! — Nami disse começando a subir no balcão pra matar o coitado.

— CREMDEUSPAI! — o garoto deu  um pulo.

— É melhor correr se quiser viver. — Vivi disse desinteressada, entregando uma bebida a um figurante qualquer.

— PUTA QUE PARIU! SAVE MEU CÚ! — e saiu correndo desembestado com o orifício na mão. 

— Eu não posso gastar minha beleza meu irritando com pessoas inúteis. — Nami disse, jogando seu cabelo pra trás num ato dramático.

— Virou a Hancock, foi? — Robin, que ainda estava no balcão, perguntou rindo.

Mas antes que Nami pudesse responder, um cara de cabelos verdes do caiu de cara nos peitos de Robin.

A cena era a seguinte: Nami e Vivi tinham expressões horror em seus rostos, principalmente a azulada, e Robin tinha a expressão de "ata" estampada em sua face. O cara de estranhos cabelos verdes continuou lá, imóvel e sem nem falar um a.

— Ora. — foi apenas o que Robin disse, olhando agora com uma expressão assustadora em direção ao garoto.

— Mas olha a audácia desse filho da puta... — Nami disse, colocando cerveja na boca de um cara sem nem tirar os olhos da cena. 

— Tem que tacar fogo antes que se reproduza. — Vivi disse de maneira psicopata, acendendo um fósforo de maneira ameaçadora. 

O garoto se levantou lentamente com uma cara de "WTF" olhando para todos os lados.

— Ué, onde é que eu tô? — perguntou com a voz arrastada, bocejando logo em seguida.

— Não se preocupe, pois quando eu terminar você vai estar no inferno, sentando no colo do capeta. — Robin abriu um sorriso diabólico, pegando os fósforos das mãos de Vivi e os acendendo.

O esverdeado permanecia com a cara de "q poarr eh essa" só que agora com uma pitada de "save-me plis". 

— Corre berg! — disse saindo dali encorporando o flash.

— Eu ainda arranco suas tripas. — Robin deu um sorriso psicopata.

— Sinistra. — Nami e Vivi empalideceram de medo.

》》》

Já passava das três da manhã e à boate estava um completo caos. Sim, isso mesmo. Tudo estava na merda.

Koala estava era morta de bêbada, praticamente em coma alcoólico jogada em cima do balcão. Vivi de tão bêbada estava fazendo strip-tease em cima do balcão. Nami tentava tirar Vivi de cima na mesa mas em vão. E Robin bebia sua vodka tranquilamente como se nada estivesse acontecendo ao seu redor.

E os meninos? Ace dançava loucamente na pista de dança, Sabo estava morto no chão, Luffy era outro que estava em coma alcoólico, mesmo que ainda mastigasse a carne e Zoro já estava no trigésimo sono enquanto babavam em cima da mesa.

Kid e Law? Nunca mais deram as caras. Provavelmente um estava com o cú dolorido. Vai saber.

— U-HUUUL! VAMOS! QUEM QUER ME COMER?! — Vivi estava descontrolada. 

— EU! — um maluco berrou. 

A garota estava com vestido, e quando ia tirá-lo simplesmente caiu. Provavelmente de bêbada. Se não fosse por um certo sardento ela ficaria dolorida no outro dia. Ace a pegou igual um saco de batatas, apenas a olhando com o canto dos olhos.

— Seu cheiro é bom. — a azulada disse de maneira arrastada. Logo depois simplesmente desmaiou.

Ace soltou uma risada. Era uma louca mesmo.

A cena poderia ter parado aí, iria ficar muito bonitinha, mas claro que o D. tinha que estraga-lá. Ace caiu com tudo no chão, levando a Nefertari junto. Ele deveria saber que não era um boa idéia carregar alguém quando ele estava bêbado. 

Os dois lá ficaram, desacordados. Pareciam até filhotes de cobra do tanto que estavam enroscados um no outro.

Pouco a pouco todos tinha ido embora da boate, claro menos as oito criaturas com sérios problemas mentais. Por que? Eles estavam tão bêbados que se levantasse do lugar que estavam apenas cairiam de novo. Estavam todos jogados pelo chão, em estado catatônico. 

E sabe o melhor de tudo isso? Amanhã eles tinham faculdade. É melhor rir pra não chorar, amiguinhos.


Notas Finais


até pessoas sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...