História Hate - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Novas Espécies
Personagens Fury, Justice, Personagens Originais, Slade, Tiger, Valiant
Tags Berseker, Ficção Cientifica, Hot, Romance
Visualizações 29
Palavras 1.847
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Hentai, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - Capítulo 14


Fanfic / Fanfiction Hate - Capítulo 15 - Capítulo 14

-Olhe lá a companheira de Hate... – June olha para trás, vendo Luci acompanhando Hate para algum lugar.

-Ah... Ela está com aquela cara...

-Que cara?

-A cara de “então estava escondendo de mim, safada?!”. Com coisa que ela vai acreditar quando eu contar o que realmente aconteceu – Voltou a coletar suas amostras, mas sentia o olhar de Snow sobre ela. O viu com uma expressão curiosa – É que eu disse a ela que só poderia estar louca de ter se entregado a um Nova Espécie assim tão rápido.

-E qual o problema? – Viu o olhar um tanto decepcionado nele.

-Bem... – Notou que tinha feito o mesmo – É que era o Hate. E o Hate é muito agressivo. Inclusive ele quase me arrebentou no soco quando entrei no seu território sem querer – O viu ainda mais decepcionado, com as orelhas baixas e olhar ao chão – Não foi o que eu quis dizer Snow. Quer dizer... Você não me machucou de propósito. O Hate queria me machucar.

-Mas não machucou. Já eu...

-Mas me deixou com muito medo. Você não me assusta – Voltou a olhar pra ela.

-... Não seja tão dura com Hate. Ele é legal, só... Medroso.

-Medroso? Aquele homem tem medo de alguma coisa? – O fez rir. Teria que se acostumar com as suas presas enormes.

-Sim. E ele ataca tudo que o assusta. Ele nem mesmo nos deixava tratar suas feridas depois das lutas. Ele tinha medo.

-Que lutas?

-Ah, as lutas. Como as rinhas de cães, que ainda tem em seu mundo. Nos faziam lutar em gaiolas até um de nós cair. Por isso eu e Hate somos os únicos machos. Éramos os melhores nas lutas – June fez uma cara de completo choque que deixou o Espécie desconfortável. Ela já havia notado diversas “linhas” brancas em sua pele, mas pensava que fossem outra peculiaridade dele. Não pensava que fossem todas cicatrizes quase inaparentes.

-... Snow, eu... Nem sei o que dizer. Que coisa mais horrível o que fizeram com vocês...

-Estamos bem agora, grassas a você e aos seus amigos. Nos salvaram. Mas até que nós machos tivemos sorte. Só lutávamos. Já as garotas não tinham tanta sorte... Estupravam elas na nossa frente, e não podíamos fazer nada. Na verdade eles achavam divertido quando tentávamos os atacar pelas grades quando faziam aquilo. Era divertido para eles as humilhar, as ver chorar... Os machos da sua espécie são repugnantes! – Olhou ainda mais envergonhado para June – Por isso me senti tão mal por ter te machucado. Jamais foi minha intenção – O abraçou para mostrar a ele que tinha plena confiança nele.

-Snow, seu lindo, já disse que está tudo bem. Você não fez de propósito. E se fosse mesmo um homem entrando aqui pra fazer mal a algum de vocês?!

-Exatamente! Por isso fiquei tão nervoso!

-Por isso mesmo. Não pensamos bem quando estamos com raiva. Então tente se perdoar, porque eu já perdoei você – O fez sorrir.

-Você é incrível June.

-Não tanto quanto você meninão.

Agora entendo o que a Luci viu no Hate. Quando estão só eles dois aquele gigante deve ser tão carinhoso quanto Snow. Sempre querendo agradar.

-Pode me ajudar a levar todas essas amostras ao laboratório?

-Claro. Afinal é o meu dever proteger você aqui dentro da reserva. Então, não vou sair de perto de você – A fez sorrir com o seu cuidado.

É Luci! Agora eu te entendo!

Foram até os laboratórios, onde June encontrou os aparelhos ligados e diversos resultados de exames em cima das mesas, organizados. Pensou que Josh estivesse trabalhando, embora não estivesse ali no momento.

Colocou suas amostras para serem preparadas e avaliadas também, lendo os outros resultados.

-Podemos ir embora agora? – Viu Snow já a esperando perto da porta.

-Não Snow. Eu tenho que trabalhar.

-Pode trabalhar lá na floresta.

-Primeiro preciso avaliar o que coletamos hoje de manhã. Depois pego mais amostras – O ouviu resmungar – Pode me esperar na sua casa. Voltarei para a floresta mais tarde.

-Mas eu tenho que te proteger. Não pode entrar na floresta se eu não estiver lá.

-Posso te chamar. Seus ouvidos são ótimos. Você vai me ouvir.

-Prefiro que volte comigo.

-Eu preciso trabalhar. Teimoso! – Voltou a atenção aos papéis - E tem um salmão em casa te esperando. Você disse que adora peixe – O viu sentado a sua frente com a cabeça apoiada na bancada de mármore. Novamente ficou com uma expressão adorável a vista de June.

Está tentando me seduzir com a sua fofura seu gatinho crescido?

-June, tudo bem sua linda?! Até que enfim deu as caras.

-Bom dia Josh – Ouviram o rosnado alto de Snow quando se aproximou, automaticamente ficando em posição de defesa em frente a June – Snow, é meu amigo!

-Ei, calma cara... – Josh foi em direção a porta, logo saindo do laboratório quando o ouviu rugir. Bateu no peito de Hate quando o fez, se escondendo atrás do homem enorme.

-Snow, ele ajudou a te salvar!

-Ele é um macho humano! Não se pode confiar!

-Não posso discordar.

-Hate...

-Oh grandão... Pensei que gostasse de mim.

-Não é porque não rosno para você que quer dizer que confio em você. Não confio.

-Caramba...

-Ei, eu confio no Josh.

-Não deveria. Machos humanos podem querer montar você a qualquer minuto sem você querer. É divertido para eles.

-Mais fácil ele querer que você monte ele grandão – Snow e Hate olham um tanto assustados com essa informação.

-Eu sou gay Hate. Gosto de machos, e não de fêmeas. Luci poderia ficar sem roupa alguma na minha frente que eu não faria absolutamente nada.

-Faria! Diria: Credo! Se cobre que eu não quero ver teta! – Faz uma imitação exagerada do amigo.

-Se for um peitoral forte assim que nem do seu macho, eu quero – Se afastou rápido quando Hate rosnou para ele – Calma! É brincadeira! – Estranhou ao ver sua própria amiga rosnando, abraçando o corpo de Hate.

-Esse macho é meu! Sai fora!

-Eu mereço... Saiam todos vocês do laboratório para eu poder trabalhar?! Alguém tem que trabalhar nesse trio, sabe?!

-Vai na floresta pegar as amostras então, engraçadinho! Vai lá derrubar um bisão sem tranquilizantes e coletar sangue.

-Sabe que não posso entrar na floresta!

-E eu estava trabalhando – June sai do laboratório com Snow logo aos seus calcanhares.

-Não vamos deixar vocês sozinhas com ele – Snow diz determinado.

-Não vai. Fiquei com a Luci ontem o dia todo. Também pode ficar e cuidar da June.

-Claro que não. Ele vai ficar rosnando pro Josh. E preciso da ajuda dele pra trabalhar.

-Então você não vai ficar.

-Sua obrigação é me proteger na floresta, senhor Snow. Portanto me espere na floresta enquanto eu trabalho aqui.

-O que está havendo? – Justice aparece no corredor.

-Dois machos super protetores. Eu preciso trabalhar e preciso delas – O líder Nova Espécie suspira.

-Hate, Snow, acham mesmo que eu deixaria um macho humano entrar aqui se não tivesse certeza que não vão tocar nas nossas fêmeas, ou nas suas?

-...

-Até você pode se enganar.

-Entendo a proteção de vocês. Mas suas fêmeas são responsáveis por cuidar da floresta e da saúde de vocês. E precisam do laboratório e de Josh para isso. E elas estarão totalmente seguras. Há câmeras nos laboratórios, e elas estão a distância de um grito de qualquer um de nós – Os dois machos desconfiados trocam olhares.

-Pode deixar um dos nossos na porta do laboratório?

-É claro. Estarão seguras.

-Certo – Snow beija a testa de June, que fica surpresa com a sua mudança repentina de humor – Te esperarei na floresta – Não quis falar, ainda tentando se lembrar do porque estava brava.

Passou por Josh, rosnando em aviso, mas seguindo seu caminho.

-E você Hate?

-Na verdade eu e ele estávamos indo para a enfermaria. Grandão, pode ir lá pegar o que viemos pegar enquanto eu converso com a June só um minutinho?

-Não vou te deixar sozinha com ele.

-Eu fico com elas enquanto você vai até lá Hate – Justice diz. Sabia que seria perda de tempo tentar convencer Hate e um erro contraria-lo.

-Está bem então. Como é que se chama aquilo?

-Preservativos. Ou camisinha – Disse envergonhada. Viu os olhares sapecas de seus amigos, os encarando de volta pra que ficassem quietos. Hate sumiu pelo corredor enquanto os demais entraram no laboratório.

-Desculpe pelo inconveniente Josh.

-Tudo bem. Entendo a desconfiança deles.

-Entenderia mais ainda se ouvisse o que Snow me disse. Mas não é motivo para ele querer mabdar em mim.

-Eles nunca tiveram algo para chamar de “seu” quando estavam presos. São protetores demais, e até possessivos.

-Entendo com você e o Hate Luci, inclusive entendo como ficou tão fascinada com ele. Agora eu entendo – Disse corada, e corando ainda mais sobre a expressão interpretativa de sua amiga - Mas não sou do Snow.

-Bem... Ele acha que você é – Justice explica, um tanto desconfortável.

-Mas eu não sou. E é bom que ele entenda.

-Mas talvez um dia seja. Não?!

-....

-Mas se não for. Melhor deixar isso bem claro. Não magoe o homem.

-É isso que não quero Justice. Snow é um doce. Protetor demais. Mas, um doce.

-Eles todos são. Justice, vocês estão de parabéns por serem tão amorzinhos. Poderia existir muito mais de vocês.

-Bem. Agora descobrimos que vai ter... Mais chegando aí não é?! A medida que são encontrados – Quase disse sobre o bebê Nova Espécie. Olhou para os lados para ver se não tinham notado seu erro. Luci piscou um cumplicidade, sabendo sobre a criança. Mas Justice já tinha sido informado que ela já sabia. Os demais não notaram.

-Tomara que achem todos. E os malditos que fizeram mal a vocês. Merecem prisão perpétua pelo que fizeram.

-É pouco! Mereciam ser torturados!

-A empatia de vocês me comove, mas não desejo mal a ninguém, mas que entendam e que se arrependam de verdade pelo mal que fizeram.

-Viu como vocês são maravilhosos?! Deveriam fazer um canal na internet mostrando o dia a dia de vocês para mostrar que não somos diferentes, e que na verdade vocês são é melhores.

-Não e má ideia.

-Luci, perguntaram se quer masculina ou feminina – Hate novamente aparece. Luci bate a mão na testa, envergonhada.

-Vai cuidar do seu macho mulher – June da risada da amiga.

-Vem grandão! Seu bobo! – O guiou pelos corredores.

-Vou deixar vocês trabalharem em paz agora. Vou pedir para ficar alguém aqui na porta apenas para acalmar a todos. E para a sua segurança, Josh.

-Eu agradeceria. Admito que tenho medo dos olhares pela reserva.

-Não fazem por mal.

-Eu sei. Eu entendo. Mas ainda assim assusta.

-Entendo. Até mais.

-Até mais.

-Até mais. Tenha um bom dia Justice.

-Vocês também – Sai do laboratório, fechando a porta.

-Novas Espécies são tão... Eles! Tão sinceros! Sem filtros! Tão...

-Incríveis?

-Sim! Mas ainda me assustam.

-Quem mandou ser homem?!

-E com orgulho. E não vou tocar em vocês.

-Ah Josh... Se soubesse o que fizeram com eles...

-Eu li um pouco sobre...

-Mas se os visse falando... É de partir o coração.

-Só espero que sejam todos muito felizes daqui em diante.

-Assim esperamos.


Notas Finais


Comentários motivam imensamente ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...