1. Spirit Fanfics >
  2. Hating - ABO >
  3. TwentY fouR

História Hating - ABO - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


---------------- BOA LEITURA ------------------

Capítulo 24 - TwentY fouR


Fanfic / Fanfiction Hating - ABO - Capítulo 24 - TwentY fouR

D.O

Oi gente lindaaaaaaaaaaaaa!!

21:40

Chanyeol

Eita que alguém está animado.

21:40

D.O

Claro que estou menino Park.

21:42

Suho

O que eu perdi?

21:45

Chanyeol

Só o Kyung gastando caracteres de animação.

21:45

Suho

Ah! Nada demais.

21:45

D.O

Como nada demais? É tudo demais.

21:45

Chanyeol

O negócio deve ser sério.

21:46

Suho

O que foi D.O? Achou outra batata com a cara da Hannah Montana?

21:47

D.O

Primeiro que não era a cara da Hannah Montana. Era a cara da Miley Cyrus. E não, não foi isso.

21:48

Suho

As duas são a mesma pessoa. Aff.

21:48

D.O

Cala a boca, porque não são.

21:49

Chanyeol

Mas enfim, qual é o motivo da sua animação?

21:50

D.O

Kai e eu finalmente estamos de aliança. 

21:50

Suho

Ai meu santo Antônio da rola dura

21:51

Chanyeol

Interessante, finalmente. Agora a coisa é mesmo séria.

21:52

Kai

Eu escondi as alianças dentro de uma corujinha de pelúcia.

21:53

Suho

Gente, o Jongin é romântico. Ai que lindo, vou até chorar.

21:53

D.O

Nem precisa. Eu já chorei por todo mundo. Sério. Minha cara está parecendo uma batata recheada.

21:54

Chanyeol

Ai meu Deus! Manda foto disso agora.

21:55

Suho

E voltamos para as batatas.

21:55

D.O

Nunca na minha vida ou na sua, Park.

21:55

Kai

Você fica lindo de qualquer jeito.

21:55

D.O

Eu sei.

21:56

Chanyeol

A melação desses dois hahahaha.

21:56

***

[Suho]

 

Cheguei à escola e praticamente recebi uma bomba.

Todos os alunos estavam comentando sobre isso.

Eu queria sair correndo dali.

Voltar para casa.

Mas precisava fingir que estava tudo bem.

 

O boato dos corredores naquela manhã era que um dos professores estava saindo com um aluno. Pelo que prestei atenção, ninguém sabia quem era o aluno e muito menos o professor. Por isso toda a comoção pela fofoca do dia.

 

Meu coração estava acelerado. A cada cochicho que eu ouvia de algum aluno no corredor, me fazia querer gritar. Mas eu precisava manter a calma. Ninguém sabia que se tratava de mim. Ninguém além do Chanyeol. E eu confiava minha vida que o moreno nunca espalharia esse boato pela escola.

 

Um dos meus maiores pesadelos estava se tornando realidade. Não temia que a polícia se envolvesse, e nem que meus pais quisessem defender minha honra – até mesmo porque os dois sabiam o que eu fazia e eu era maior de idade. Então, essas opções estavam fora do jogo.

 

 Meu medo era os problemas que isso traria para Lay. A carreira dele iria desmoronar. Que escola iria contratar um professor que namora um dos seus alunos? Senti meu estômago girar ao pensar nisso. Decidi parar de me esgueirar pelos corredores tentando ouvir algo útil.

 

Graças aos céus nenhum nome fora citado.

Ninguém suspeitava de nós.

Pelo menos por enquanto.

 Me aproximei dos rapazes próximos a entrada da escola.

 

- Eu não acredito que um dos professores teria a coragem de sair com um dos alunos. –D.O fez careta. – Os professores daqui são quase todos uns velhos babões ou senhoras taradas. –continuou. - Aposto que isso é coisa da Srt. Sophia. Já a peguei olhando para a bunda do Baek no intervalo.

 

- Kyung, todo mundo olha para a bunda do Byun no intervalo. –gargalhou Jongin. – Foi mal Park.

 

- Relaxa. Enquanto os outros olham. Eu faço outras coisas. –o mais alto deu de ombros. Os outros dois gargalharam.

 

- Gente, chega desse assunto. Essa escola não tem mais nada para fazer? –soltei tentando disfarçar meu desconforto.

 

Channy passou a mão no meu ombro em sinal de que estava ali por mim.

Devolvi com um olhar.

 

- As coisas estão feias assim, porque isso chegou à direção. –informou o de cabelos pretos. – Ouvi dizerem que o diretor vai colocar um inspetor em cada corredor da escola para checar se algum aluno fica sozinho com algum professor.

 

Meu coração gelou. Yixing e eu sempre ficávamos alguns minutos sozinhos após a aula dele acabar. Precisava falar com ele urgentemente. E pelo visto não iria poder esperar até depois do intervalo – minha turma tinha a quarta aula com ele.

 

- Gente, eu vou ao banheiro antes que toque o sinal. –disfarcei.

 

Pouco depois passei a caminhar em direção a sala dele. Tentando não levantar suspeitas de que iria para lá. E torcendo que ninguém estivesse no corredor, porta, ou na sala. Por sorte estava tudo vazio.

 

Os alunos estavam todos amontoados no corredor principal da escola. A fofoca era mais importante do que chegarem a suas respectivas salas. Entrei. O mais velho estava escrevendo na lousa. O moreno estava tão concentrado que não me notou chegar. Deixei minha mochila sobre a primeira carteira que vi.

 

- Lay. –o chamei. O moreno me encarou e sorriu. Ele tentou se aproximar para me abraçar, mas eu me afastei. – Precisamos conversar. –disse em tom sério.

 

O sorriso dele se desfez.

Aquilo doeu em mim.

 

- Parece ser sério. O que foi? –questionou deixando o canetão que tinha em mãos no apoio do quadro.

 

- Você ficou sabendo do boato que está circulando na escola?

 

- Sim. O clima na sala dos professores estava tenso. Ninguém dizia uma palavra. –comentou ele normalmente.

 

- Como pode ficar assim tão calmo?

 

- Suho, eu não tenho motivo para me estressar. Ninguém sabe que somos nós. E nem tem como saberem.

 

- Você tem certeza disso? Porque até ontem ninguém sabia de nada. Hoje já sabem que está rolando algo entre um aluno e um professor. Quanto tempo até que descubram nomes? –soltei.

 

- Calma, loirinho. –Zhang se aproximou e tocou meu ombro. Precisei me segurar para não chorar de desespero.

 

- Precisamos dar um tempo. –disse antes que perdesse a coragem.

 

- O que? –o moreno tirou a mão do meu ombro. –Por quê?

 

- Precisamos dar um tempo para a poeira abaixar. Depois veremos o que fazer. –continuei.

 

- Suho... –o olhar triste de Lay estava me quebrando por dentro.

 

Mas eu precisava proteger a nós dois.

E não era nada definitivo.

 

- É só um tempo Lay. –repeti. – Não estou terminando com você. É só até os boatos esfriarem.

 

- Não quero ficar longe de você Suho. –o moreno passou as mãos no rosto. – Não ligo para essa bosta de escola, ou de emprego.

 

- Esse é o problema. Você não liga, mas eu sim. –retruquei. – Lay, eu não conseguiria ficar com você sabendo que estraguei sua vida. Eu não me perdoaria nunca se você perdesse seu emprego por minha culpa.

 

Yixing respirou fundo.

De repente, ficou sério.

 

- Tudo bem. Se é isso o que  você quer. –disse ele tentando fingir que não estava magoado.

 

- Não é o que quero. É o que precisa ser feito. –disse mais para mim do que para o moreno. – Com sorte esse boato vai esfriar até o fim da semana. E...

 

- Melhor você ir para a sua sala. –comentou ele seco, me cortando.

 

- Lay o que...

 

-Vá para a sua sala Junmyeon. –repetiu.

 

- E eu pensando que era o imaturo desse relacionamento. –sorri sem humor. – Até mais Sr. Zhang.

 

Me virei para pegar minha mochila.

Dei as costas para ele.

 

Por sorte não deu tempo de Yixing ver minhas lágrimas caírem. Sai da sala e fechei a porta. Pelo pequeno retângulo de vidro da mesma, eu pude ver o mais velho com a testa encostada no quadro negro.

 

Odiava magoar as pessoas. Mas se continuássemos, as coisas iriam ficar piores. E por mais que doesse, era para o melhor. Ao menos era isso que eu dizia a mim mesmo. Eu só não esperava aquela reação. E isso me fez mal. Porque eu não sabia mais o que esperar de nós.

 

Decidi correr para o banheiro.

Precisava lavar o rosto e tentar me acalmar.

 

Não teria condições de assistir a primeira aula. Talvez nem as outras. Chegando ao lugar, eu dei de cara com Baekhyun sentado em uma das pias do banheiro com o celular em mãos.

 

Ele não pareceu me dar atenção. Por sorte só havia ele ali. Me aproximei da pia e abri a torneia. Molhei bem as mãos e levei um pouco de água fria para o meu rosto.

 

- Está tudo bem? –questionou ele.

 

- Está sim. –menti.

 

- Então, porque chora? –insistiu o alfa.

 

- Não estou chorando. –outra mentira.

 

- Não é isso o que os seus olhos dizem. É por conta do boato não é?

 

- Você sabe?

 

- Sim. –respondeu ele.

 

- O Channy te contou?

 

- Não. Eu descobri sozinho. E eu vi vocês dois na sala semana passada. Eu havia esquecido um livro na mesa. Voltei para buscar, mas não entrei ao ver vocês dois. –comentou ele.

 

Senti falta de ar. Qualquer um na escola poderia ter nos visto antes. Por sorte fora Baekhyun. Não acreditava que alguém mais tenha nos visto. Se não nomes já teriam sido ditos.

 

- Espero que o Yixing não fique com problemas. –comentei.

 

- Não se preocupe. Não direi nada a ninguém. –soltou ele tentando me confortar. – Pelo seu estado, acho que vocês terminaram. Mas, não dou até o fim da semana para esse boato ser trocado por outro bem pior.

 

- E se ele não quiser mais nada comigo? Ele ficou muito magoado. –minhas lágrimas ficaram mais fortes depois de pensar nisso.

 

O arroxeado saltou da pia, se aproximou e me abraçou.

Me enterrei em seus braços abafando o meu choro.

 

- Estou interrompendo vocês? –ouvi a voz de Chanyeol.

 

 

- CONTINUA -


Notas Finais


em breve mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...