1. Spirit Fanfics >
  2. Hating the Playgirl >
  3. Negação

História Hating the Playgirl - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Negação


Jennie POV

*Flashback ON

Ao subir no avião, olhei para Las Ventanas uma última vez. Todas nossas memórias juntas voltaram em um instante. Com isso, senti o calor fluindo pelas minhas bochechas. Ela se foi. Quando comecei a chorar eu disse: "Eu simplesmente amo você demais, playgirl. Isso nunca vai mudar. Eu vou te amar para sempre. Adeus".

*******

Toda a viagem a caminho de Nova York foi tranquila. Eu ainda estava em negação sobre tudo o que aconteceu. Eu ainda acreditava que era apenas uma piada. Que Lisa nunca faria isso. Mas, novamente, percebi que mal a conhecia. Estávamos juntas há apenas alguns meses... e metade deles foi apenas mentira.

Ela realmente é uma playgirl profissional. Eu cai no seu jogo. Ela me disse que me amava e depois? Ela me deixou... sozinha. Eu preciso de respostas. Eu preciso dela. Eu a quero de volta. No momento em que cheguei ao meu apartamento, fui imediatamente para o meu quarto. Ficar mau humorada e chorar. Bem, é isso que toda pessoa de coração partido faz. Ficar de mau humor e chorar.

Neste ponto, eu não sei como vou enfrentar todos, especialmente Rose. Eu tenho que dizer a verdade, porque ela merece. Eu apenas menti para minha melhor amiga e tenho que enfrentar o resultado do meu ato pretensioso. Eu me pergunto... e se, desde o início, eu tivesse dito a Rose que ainda amo Lisa? E se eu tivesse dito a Lisa que não me importo mais com os outros? E se Jisoo e eu não estivéssemos fingindo que estamos namorando? As coisas seriam diferentes? E se?

Sim, e se, o último sinal de arrependimento. Eu lamento por todas as coisas imprudentes que fiz. Eu estava errada, ok. O que eu fiz foi tão estúpido. Eu fui imprudente. Eu apenas deixei a pessoa que amava. Eu apenas virei as costas para a minha felicidade. O que dói mais é que eu continuei empurrando-a para longe, levando-a para outra pessoa, mas então, no momento em que ela saiu da minha vida, foi nessa hora que eu entendi... Eu preciso dela. Eu quero ela. Mas era tarde demais. Na verdade, você só aprende a valorizar a presença da pessoa quando ela já está ausente.

"Jennie". Virei minha cabeça para a pessoa que acabou de entrar correndo no meu quarto. Quando eu olhei para ela, as lágrimas começaram a derramar novamente.

"O que aconteceu?". Ela perguntou, a preocupação estava escrita em todo o seu rosto. Eu não posso responder, eu não posso nem olhar nos olhos dela. Ela veio na minha direção e me abraçou. "Ei. Está tudo bem. Deixe tudo sair". Ela acariciava minhas costas enquanto dizia essas palavras calmantes.

"Eu... eu... eu ainda a amo. Tanto". Explodi com total honestidade e sinceridade em meu tom.

Eu a senti apertar seu abraço. "Eu sinto muito". Ela sussurrou.

Isso machuca muito. Não sei o que devo fazer. Como uma simples mágoa pode ser tão dolorosa? Isso é insuportável. Como posso sobreviver a isso? Por que me deixei chegar tão longe?

"Jennie. Me desculpe. Me desculpe". Ela continuou se desculpando com a voz trêmula. Quando me soltei do seu abraço, foi nessa hora que a vi chorando.

"Rose?". Eu a chamei.

"Eu sei que o que fiz foi imperdoável. Eu sou uma pessoa egoísta. Eu sabia. Eu sabia que você ainda a ama e ela te ama tanto também. Só tenho medo, Jennie. Você encontrou alguém que vai te amar por que você é, mas não tenho ninguém assim. Pensei que Lisa fosse a única pessoa que me amaria pelo que eu sou". Ela confessou. Não sei o que fazer ou dizer. Eu fiquei sem palavras. "Eu confessei a você, mas minhas intenções naquela época eram puras. Perguntei se você ainda a amava, mas novamente você me disse que não a amava mais. Eu sei que você ainda a ama, mas então aproveitei da sua negação para a minha teoria de que se vocês continuassem juntas, você continuaria se machucando. Eu só não sabia que, sem ela, isso vai te machucar ainda mais".

Rose está sendo completamente honesta comigo e não posso dizer nada sobre isso. Não consigo vê-la como culpada por um erro que foi apenas meu. Foi minha escolha deixar Lisa ir. Fui eu quem a afastou. Fui eu quem disse a ela que eu não a amava mais. A única pessoa culpada aqui, não importa de que lado você esteja olhando, é eu.

Não importa o que as pessoas digam ou façam ao meu redor, a última pessoa que tem uma opinião a dizer sobre isso sou eu. Sou responsável pelo meu próprio erro. Sou responsável pelos meus próprios sentimentos. Sou responsável por estar sofrendo agora. Eu tive a escolha, mas deixei os sentimentos dos outros escolherem por mim. Este é o castigo pelo meu absurdo. Por pensar que isso era tudo para melhor. Com essa mentira, magoei quase todas as pessoas com quem me importo.

"Você ainda ama ela?". Rose perguntou. Eu olhei para ela e pensei nos momentos em que Lisa e eu ainda estávamos juntas.

Apesar de tudo, eu ainda a amo?

"Sim. Eu ainda a amo. E dói, Rose. Dói muito". Eu respondi. A dor é evidente em meu tom. "Mas ela me deixou sozinha. Depois de passarmos o dia mais maravilhoso da minha vida no México, no momento em que acordei, ela já havia ido embora".

Entreguei-lhe a carta que Lisa me deu e dei a ela tempo para ler.

Eu tenho lido ela várias vezes, pensando que haveria alguma pista de onde ela deveria estar. Mas tudo o que fez foi me dar dor e sofrimento. Ela terminou comigo e eu não posso fazer nada sobre isso.

Que idiota egoísta ela é!

"Você está satisfeita com isso?". Rose perguntou com um pouco de irritação na voz.

"O que você...".

"Pare com isso. Ela afirmou que ama você e mesmo assim te deixou? Você não tem nada a dizer sobre isso? Você apenas a viu se afastar, Jennie".

"Você não entende, Rose. Eu a empurrei para longe".

"Mas você estava apenas confusa! Droga! Eu sinto como se eu fosse a única razão pela qual vocês duas terminaram e porque minha melhor amiga está chorando agora". Ela se levantou e começou a andar de um lado para o outro.

"A escolha foi minha. Você não tem nenhuma...".

"Ainda assim! Depois que li essa carta... eu sou a errada aqui Jennie. Eu sou uma vadia! Como eu pude fazer uma coisa tão infantil?".

Levantei-me e caminhei em sua direção. "Pare com isso, ok. Não é sua culpa. Eu vou escolher você, minha melhor amiga, a qualquer hora do dia. Eu valorizo a amizade mais do que qualquer outra coisa".

"Você não deveria". Ela me disse imediatamente. "Acima de qualquer outra coisa, você deve pensar em si mesma, em seus próprios sentimentos. Não há outra pessoa que te conhece, apenas você mesma. Não eu, nem mesmo sua família. Portanto, não há outra pessoa que a ajudará, a não ser você mesma". Ela enxugou minhas lágrimas e me fez olhar pra ela.

"Sacrificar não é saudável. Não importa o que aconteça, você ainda pensará nisso como uma dívida alheia. Você pensará que eles devem ser gratos pelas coisas que você fez por eles. Mas eles não pediram. Jennie. Eu não pedi para você desistir de Lisa. Você não precisa deixar de lado seus próprios sentimentos apenas pelo bem dos outros. Você não está apenas se machucando; você também está machucando as pessoas ao redor por mentir para elas".

Não sei, mas senti que o que ela disse era verdade. Ela não me pediu para fazer essas coisas; eu apenas assumi que isso era para melhor.

Sentei-me no meu assento na janela e ponderei sobre as palavras dela.

Isso só me fez perceber que sou realmente nova nessas coisas. Não sabia o que era estar em um relacionamento. É verdade que as melhores lições da vida não são ensinadas pelos livros, mas pela experiência.

"O que eu devo fazer, Rose?". Eu perguntei com olhos suplicantes.

Ela caminhou em minha direção e se sentou na minha frente.

"Encontre-a. Descubra onde ela está". Ela pegou minhas mãos e sorriu. "Então, conte-lhe tudo. Diga a ela o que você realmente sente. Pela primeira vez, para de usar seu cérebro e para de racionalizar em quase tudo. Relaxe. Desta vez... use isso". Ela apontou para o meu peito, onde meu coração está.

Isso me fez rir.

"Jennie, se você a encontrar, diga a ela que... você ainda a ama. Ainda é ela. Você a ama mais do que ela pensa. Desta vez, você tem minhas bençãos. Vamos consertar as coisas".

*Flashback OFF

Acordei com a memória que tinha depois da infeliz viagem ao México.

Sentei-me e contemplei o significado desse sonho. O que isso deveria significar? Eu já havia esquecido, depois de todo esse tempo, por que aparecer logo agora? Sem mencionar o momento que eu tive no evento que aconteceu ontem à noite.

Isso era real? O que realmente aconteceu?

"Você está acordada, finalmente!". Rose disse.

Eu olhei fixamente para ela. Ela não parecia suspeitar de algo. Se minhas suposições estivessem certas de que era ela, Rose deveria pelo menos ter visto ou reagido de alguma forma.

"Rose, você sabe...". Eu hesitei em perguntar, com medo da resposta que ela vai me dar, então eu apenas me acomodei com algo segura. "Rose, o que aconteceu no baile?".

Com essa pergunta, ela gemeu. "Você não vai querer ouvir sobre isso".

Com isso respondido, eu congelei. Ela a viu? Meu coração estava batendo irregularmente.

"Sobre isso. V-Vamos, me diga". Eu gaguejei.

"Eu dancei com James. De todas as pessoas, James! E você sabe que ele é a única pessoa que eu odeio na escola. E eu não tinha nenhuma ideia de que era ele!". Ela gritou.

De alguma forma, suas palavras me deram alívio. Eu pensei que algo realmente tinha acontecido. Bem, talvez isso tenha sido um mal-entendido. Além disso, ela não é a única pessoa que tem aqueles olhos. Além disso, o cabelo daquela garota não era loiro.

Sim, não era ela.

Nunca poderia ser ela.

Era apenas um produto da minha imaginação boba.


Notas Finais


Então, o que acharam desse flashback? Eu não sei vocês, mas quando eu passei para o segundo livro eu queria muito saber como tinha sido a conversa da Jennie com a Rose. Principalmente por elas serem as melhores amigas da porra toda, imagina se fosse na base do barraco.

Jennie misteriosamente não consegue tirar uma certa loira da cabeça... Fazer o quê se ela não consegue assumir para ela mesma que não esquece a loira de jeito nenhum?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...