História Hazel Eyes (Yoonkook) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Ação, Bangtan Boys (BTS), Gay, Habilidades, Japao, Jungkook, Kookga, Kookgi, Kpop, Luta, Poderes, Shounen, Shounenai, Suga, Sugakook, Sugakookie, Yaoi, Yoongi, Yoonkook
Visualizações 51
Palavras 2.361
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Capítulo seis.


Luar Vermelho

 

     O sol começava a iluminar gentilmente o quarto de Jeon, que rapidamente abriu os olhos e se sentou na cama. Para sua surpresa — ou não —, seu mestre estava sentado na escadaria da varanda, olhando para o jardim vívido que era, pouco a pouco, tomado pela luminosidade do sol.

     Silenciosamente, Jungkook arrumou sua cama e alguns pequenos móveis e decorações que estavam desajeitados no quarto. Então, vendo que o cômodo estava bem organizado, foi até à varanda e assim que tocou o ombro do Min, viu que o mesmo desviou de seu toque e o encarou assustado:

— Ah... Desculpe, Yoongi-sensei...

— Não, está tudo bem... — o pálido suavizou a expressão, como se tivesse ficado aliviado por saber que quem o tocou havia sido o moreno. — Dormiu bem, Jungkook-kun? — os olhos castanhos-escuros do menor focaram-se no garoto alto que estava em pé ao seu lado.

— Sim... E você, mestre?

— Já tive noites melhores, mas não dormi tão mal como o costumeiro.

— Entendo. É muito cedo ainda, mestre? — o Jeon encarava o riacho correndo morro abaixo, levando consigo peixes que nadavam por aí; a água cristalina reluzia assim que os feixes solares a tocavam.

— Não tanto, contudo, acho que o café ainda está sendo preparado. Então, ainda temos algum tempo de moleza aqui...

— Certo. Então... O que iremos fazer hoje?

— Vamos iniciar os treinos físicos, afinal, do que adianta ter uma habilidade incrível e ser um fraco desnutrido? — o Min disse com os olhos brilhando.

— Você está certo, Yoongi-sensei.

— Inclusive, hoje você irá conhecer outra aprendiz minha. Acho que vocês se darão bem, são um tanto parecidos.

— Tudo bem... — aquele bate-papo gostoso e calmo foi interrompido por um dos poucos serviçais naquela base:

— O café já está pronto! — a garota avisou com animação.

— Obrigado por avisar! — o Min agradeceu e a garota fechou a porta. Ambos se levantaram animados para o café da manhã, porque depois dele, vinham as atividades do dia.

  · · • • • • • • • • ✤ • • • • • • • • · · 

     Depois de uma boa refeição, Yoongi e Jungkook se direcionaram para o campo de treinamento. Este estava vazio e o menor deduziu que a sua aprendiz ainda devia estar tomando café. Sendo assim, ficaram esperando na escadaria enquanto conversavam sobre coisas da vida. 

     Algum tempo depois, uma garota de cabelos longos e castanhos claro apareceu na porta. Os seus olhos eram em um tom mel bem bonito; a pele era bronzeada e vestia um quimono roxo com detalhes brancos:

— Bom dia, Yoongi-sensei! — a voz dela era doce e contagiante, seus lábios desenhavam um sorriso simpático no rosto com sardas da garota.

— Bom dia, Yam! Está animada para hoje? — o pálido devolveu no mesmo tom.

— Sim, sim! — a garota olhou para Jeon que estava ao lado de Yoongi e então cumprimentou-o alegremente. — Oi! Eu sou Yam Vervein, mas você pode me chamar só de Yam, ou sou de Vervein!

— Olá... Sou Jeon Jungkook, mas pode me chamar só de Jungkook. É um prazer conhecê-la, Yam-san!

— Digo o mesmo, Jungkook-kun! — ela sorriu de um jeito tão alegre que só faltou brilhar.

— Agora que vocês se conhecem...Vamos ao treinamento! — o Min guiou ambos aprendizes até o centro do campo. — Certo. O primeiro exercício de vocês será correr dez voltas ao redor deste campo. Vão lá! Corram! — o menor incentivou-os e os observou ambos.

     Na sexta volta, Jeon já estava pedindo misericórdia. E Yoongi apenas ria e o ameaçava de chutá-lo para fora do clã. Jeito estranho de incentivo, mas totalmente eficiente. As pernas do moreno já queriam um descanso, porém, o cérebro do aprendiz se forçava a continuar correndo ou então estaria fora do clã, e aquilo não parecia uma boa ideia a Jeon.

     Depois daquelas voltas, o único a estar realmente cansado era o maior. Yam estava completamente bem, com um sorriso no rosto e nem uma gota de suor. Isso era possível?!

— Muito bem. Agora é hora de fazer um circuito! — Yoongi comentou com tanta alegria e o Jeon quase se jogou no chão. É... Aquele dia seria longo...

  · · • • • • • • • • ✤ • • • • • • • • · · 

     A manhã inteira se resumiu a treinos físicos. Jungkook teve seu tão desejado descanso na hora do almoço, mas sua felicidade não durou por muito tempo. O Min preparou no campo de treinamento, um espaço para exercícios com espadas:

— Agora vamos combinar os treinos físicos com espadas. Para o primeiro exercício, vocês devem correr daquele ponto — indicou uma marca na areia. — até aquele ponto e atingir os bambus com as espadas. Lembrem-se de que o ângulo do corte deve ser feito na diagonal, não na horizontal.

— Sim, mestre! — ambos aprendizes responderam em uníssono.

     Yam foi a primeira a ir. Correu desde a marca na areia até o bambu, onde com a espada, cortou-o perfeitamente:

— Sua vez, Jungkook-kun! — a garota encorajou o moreno.

     O aprendiz se preparou e correu, estava tudo se saindo perfeitamente, porém, ao tentar cortar o bambu, a espada prendeu no meio dele, fazendo Yam e o Min caírem na risada:

— Do que estão rindo?! — com toda a sua ira, Jeon perguntou com um tom de voz alto.

— De você, bobão! — o pálido continuava gargalhando junto á garota.

— Argh! Não riam! Eu só sou um iniciante!!! — o moreno foi ignorado por completo e então tirou a espada do meio do bambu e voltou para a marcação na areia. Com ira, correu até o bambu e o cortou de uma vez. Aquele ataque foi realizado com tanta fúria que Yam e Yoongi pararam de rir imediatamente:

— Perfeito. Agora com dois bambus! — o mestre correu e posicionou dois bambus amarrados juntos. — Vão!

     Dada a ordem, os aprendizes foram treinando com as espadas. Yam acabava se destacando por possuir mais tempo de treinamento, contudo, Jeon estava avançado para alguém que havia começado há pouquíssimo tempo.
    
     A noite já estava caindo quando um dos serviçais apareceu na porta e chamou por Yoongi:

— Yoongi-sensei, o líder da seita requisita sua presença...

— Yam, Jungkook, vão para seus quartos. Obrigado por esse ótimo treinamento, amanhã terá mais... — então o pálido se foi.

    Yoongi se perguntava se era uma missão ou algo do tipo. Quando entrou na sala de Sonmin, viu todos os líderes de todas os clãs por ali.  Kyodaina, Chuuya, Sonmin, estavam todos ali, principalmente agora que o Heiwa chegou:

— Que bom que chegou, Yoongi. Agora posso avisá-los... — o pálido ficou perto da mesa. — Bom, hoje, recebi uma carta enquanto estava na cidade. E bom, agora irei lê-la para vocês... — Sonmin tomou a carta em mãos e a abriu. Seu lacre já estava violado, indicando que o grisalho já havia a lido anteriormente. — “Caro Líder da Seita Gekkō no Batsu, quem vos fala é Karin, a líder da seita Luar Vermelho. Antes de tudo, não se preocupe, seu endereço e identidades não foram expostos á público. Somente eu sei sobre você. Agora, peço-lhes gentilmente que entreguem o trabalho de shobatsusha para nosso esquadrão, visto que ele é mais competente. Caso insistam em continuar a fazer os serviços, não iremos hesitar em atacá-los. Atenciosamente, Karin.” — os olhos de todos na sala se arregalaram e todos se tornaram apreensivos.

— Sonmin-sensei... Como pode garantir que ela não revelará vossa identidade e endereço? — Chuuya, líder do clã Ancião se manifestou.

— Se me permite, Sonmin-sensei, posso explicar isso a Chuuya... — o Min pediu.

— Vá em frente. — o grisalho concedeu.

— Chuuya-kun, ela não irá revelar a identidade ou endereço de Sonmin-sensei, pois, ao mandar esta carta ela já se expôs tanto quanto nós. Caso ela divulgasse tais informações á público, poderíamos revelar a identidade dela também...

— Yoongi está correto. Agora, parece que temos uma ameça adicional, já não bastasse a Guarda Real do Reino de Sina, temos também essa seita convencida contra nós...

— O que iremos fazer, mestre? — Yoongi indagou.

— Vamos rastrear a seita com a ajuda de Yunho do clã Kyodaina e assim enviar o mesmo clã para dar um "sacode" neles.

— Deduzindo que eles não tem conhecimento dos nossos poderes, podemos montar um ataque surpresa. — Kyodaina se pronunciou.

— Não já basta enviarmos o Yoong.....— Chuuya teve a boca tampada pelo pálido que fez um gesto de silêncio para todos na sala. 
  
     Silenciosamente, Yoongi foi até a porta da sala e a abriu, dando de cara com uma das serviçais na porta. A mesma se assustou, e aparentemente estava escutando a conversa privada dos líderes dos clãs com o líder da seita:

— Não me surpreende que a líder da seita Lua Vermelha saiba tanta de nós... Mas eu comecei a me perguntar se, provavelmente, não haveria um espião dentre nós. E veja só, a serviçal estava aqui! — o Min comentou sarcasticamente. A garota que ouvia toda a conversa estava surpresa e assustada. Como Yoongi poderia ter notado sua presença?

— Chamem os guardas e a levem para o porão, podemos obter alguma informação com ela. — Yong Sonmin se pronunciou. Logo guardas vieram e fizeram o que lhes foi ordenado. A porta foi fechada novamente:

— Aceito a sugestão do Kyodaina. E o senhor, Sonmin-sensei? — Chuuya se pronuncia.

— Também aceito a sugestão. — o líder decidiu. Entretanto, o Min interrompeu o momento daquela decisão:

— Protesto! Por favor, Sonmin-sensei! Repense sua decisão. E se na verdade, essa tal de Karin queira que a ataquemos para desestruturar um de nossos clãs? Eles não tem conhecimento de quais habilidades temos, assim como também não sabemos quais as habilidades deles. — o ambiente foi preenchido por um silêncio pesado. — Não quero ofendê-lo de forma alguma, mestre, mas tomar uma decisão dessas sem pensar ou questionar é colocar a seita em jogo.

— Olha, para de dar uma de superior por causa das suas habilidades. Sonmin-sensei já tomou a decisão dele e ninguém poderá mudá-la! — Chuuya atacou:

— Mas, Chuuya, eu não estou dizendo isso por causa de minhas habilidades. Eu estou pensando na seita de forma geral! Qual o seu problema?

— Qual o meu problema? É você se achando superior a nós! — o de cabelos castanhos argumentou com um tom de voz mais alto.

— Eu nunca me achei superior a ninguém! Por que está dizendo isso, se a questão não é essa? — Yoongi rebateu já irritado.

— Parem! Recomponham-se! — o mestre ordenou, impondo ordem na sala. — Vamos acatar o aviso de Yoongi, apenas os selecionados pelo Kyodaina irão. Por via das dúvidas, Chuuya também irá. Se aprontem logo e voltem para cá.

— Sim, Sonmin-sensei! — Kyodaina e Chuuya responderam em uníssono. Estes saíram da sala e sobrou apenas o pálido.

— Mestre...

— Apenas relaxe Yoongi... Sei que está preocupado com seus parceiros e com a seita, porém, não podemos nos precipitar, então vamos apenas esperar e ver o que acontece, tudo bem? — disse tentando acalmar o menor.

— Sim, Sonmin-sensei... — assentiu amuado. No fundo, o Min era o menininho do mestre, que acatava suas decisões no fim.

     Enquanto isso, Yam e Jungkook se ocupavam de guardar os equipamentos usados nos treinos daquele dia:

— Jungkook-kun... Ainda não tive a oportunidade de ver sua habilidade, qual é? — Vervein guardou as espadas em um canto, e encarou Jeon.

— Eu posso produzir um arco e flecha de luz... — o moreno então, invocou sua habilidade. Yam encarava o armamento azulado na posse de Jeon totalmente surpresa e encantada.

— Isso é incrível! — a garota tentou tocar o arco, todavia foi impedida por Jeon.

— Não toque ou sua mão queimará. Apenas eu sou imune a esse arco e flecha.

— Entendo.

— E qual sua habilidade, Yam-san? — Jeon questionou.

— Eu consigo prever o futuro 10 segundos antes de acontecer, inclusive eu visualizei minha mão queimando no futuro caso tivesse tocado no seu arco...

— Oh! Isso é surpreendente!

— Obrigada... — ela disse um pouco amuada.

— Yam-kun... O que será que aconteceu? Será uma nova missão para Yoongi-sensei?

— Não faço ideia...

— Bom, precisamos descansar! Até amanhã, Yam-kun!

— Até, Jungkook-kun!

     Ambos seguiram corredores e portas diferentes e depois de um banho com água fria do riacho, o maior se preparava para dormir. Assim que se deitou na cama, sua mente foi invadida por pensamentos sobre Yoongi. Afinal, estava se acostumando a vê-lo todas as noites antes de dormir. Já sem esperanças que o menor apareceria, apagou a lâmpada acessa no quarto e tentou dormir, porém, a porta de seu quarto se abriu:

— Jungkook-kun? Já está dormindo? Oh, me desculpe....

— Não, mestre... Hm, eu esperei por você, mas achei que não viria mais hoje.

— Aconteceu algumas coisas na seita e acabei ficando um pouco afetado, por isso demorei.

— Entendo.

— Posso ficar aqui um pouco? Prometo ficar calado... — o Min pediu baixinho.

— Claro! Por favor, fique.

— Obrigado, Jungkook-kun. — sentou-se próximo à cama de Jeon. A porta que dava acesso à varanda não estava fechada por completo, então havia uma fresta, onde a luz da lua entrava sutilmente.

— Yoongi-sensei... Não gostaria de dormir aqui comigo? — aquela indagação montou um silêncio no cômodo. As bochechas do Min esquentaram e Jeon já se arrependia de ter perguntado aquilo.

— V-Você não se sentirá i-incomodado?

— Não. Por favor, não fique constrangido, mestre. Afinal, eu sou apenas seu aprendiz, certo?

— Hum. — assentiu e ainda hesitante, se deitou na cama alheia. Jungkook abriu espaço nas cobertas e abrigou seu mestre. Ambos estavam se encarando, mesmo com a luminosidade escassa, conseguiam ver os traços dos rostos um do outro.  — Por que? Por que você é assim, Jungkook-kun? — indagou baixinho, ainda com vergonha por estar tão próximo de seu aprendiz.

— Assim como?

— Tão encantador.

— O-Oras, eu não s-sei...

— Obrigado. Ninguém nunca fez isso comigo... — disse aquilo com um sorriso tímido desenhava os lábios do pálido — referindo-se ao ato de Jeon chamá-lo para dormir junto dele.

— É o certo a se fazer, hyung... — aquela simples palavra fez o coração de Min quase sair pela boca. O interior de Jungkook vibrava em uma sensação diferente.

     Como se fosse algo normal, o Jeon envolveu seus braços ao redor do pálido que corou mais ainda. O aprendiz esperava que fosse prontamente rejeitado, contudo, Yoongi apenas se aconchegou mais naquele abraço quentinho. Suas almas pareciam ter se encontrado e se acalmado; os pensamentos fluíram organizados, tranquilizando ambos corações e fazendo com que adormecessem na companhia um do outro.

    Sentir sua pele, seu abraço, sentir você, é a melhor sensação de todas...

 


Notas Finais


Comentem sobre o que estão achando, suas teorias também são válidas! Obrigada a todos que leram, fico extremamente grata por vosso apoio! <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...