1. Spirit Fanfics >
  2. He Is a Devil - Jikook >
  3. Capítulo Vinte e Um

História He Is a Devil - Jikook - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


A capa não tem nada a ver mas seguimos em frentr kkkk 💖🖤

Capítulo 22 - Capítulo Vinte e Um


Fanfic / Fanfiction He Is a Devil - Jikook - Capítulo 22 - Capítulo Vinte e Um

                     Jimin pov's
Na manhã da viagem eu acordo com um barulho irritante e persistente no meu quarto. Mas quando abro os olhos e olho em volta não tem nenhum outro ser vivo além de mim no local.

- espírito maldito - eu resmungo colocando o travesseiro sobre a cabeça para abafar o som caso ele volte - nem pra esperar eu 'Tá acordado pra me assombra, tem que vim bem na hora que eu tô dormindo.

Quando acho que o barulho parou e finalmente posso dormir em paz o barulhinho volta e dessa vez mais forte, e para ajudar meu celular começa a tocar bem ao lado da minha cabeça.

- inferno - emburrado eu pego o aparelho e atendo a ligação - quem é a desgraça que 'tá me ligando a essa hora?

- sou eu lesado, eu 'tô aqui fora a meio hora tacando pedra na sua janela mas você não levanta!

- Jungkook? - eu franzo as sobrancelhas me jogando da cama e indo até a janela - o que você tá fazendo aqui? - eu pergunto assim que abro o vidro e olho que o dia está começando a amanhecer - você é idiota? Que horas são? - eu pisco sonolento vendo o garoto de casaco amarelo parado embaixo da minha janela.

- cinco horas - ele fala como se não fosse nada demais.

- cinco horas Jungkook? Falta a porra de duas horas e meia ainda para as aulas começarem, e é a porra de duas horas e meia a mais que eu poderia estar dormindo! - eu rosno em voz baixa para que meus pais não escutem.

Jeon bufa impaciente e revira os olhos levantando um galão vermelho a cima da cabeça e depois uma caixa de ferramentas azul.

- preciso encher o tanque e dar uma última chegada no motor e nos pneus - ele fala.

Eu respiro fundo, contando até cem mentalmente para não me estressar, afinal ele veio aqui e me acordou por uma boa causa, então o mínimo que eu posso fazer é não tacar uma das minhas enciclopédias de matemática de mil e quinhentas páginas de capa dura na cabeça dele.

- espera no portão da garagem - eu digo passando as mãos pelo rosto - já vou descer.

O moreno assente e sai andando para dar a volta na casa. Deus me de paciência.

A passos arrastados eu saio do quarto e vou até o banheiro, lá eu começo a me despir e vou tomar um banho rápido, Jungkook não vai morrer se esperar uns cinco minutos a mais.

Logo depois eu volto para o quarto com uma toalha enrolada na cintura e visto uma roupa confortável para a viajem. Calças Jeans e um moletom largo junto a tenes esportivos, que na minha opinião, são os mais confortáveis.

Depois eu pego minha mochila com as trocas de roupa e material de higiene pessoal e desço para a garagem. Tudo isso em menos de quinze minutos.

Quando chego na garagem eu subo o portão de metal com o maior cuidado do mundo para não fazer barulho, já que meus pais não iam gostar nada de a acordar uma hora antes do previsto e ainda por cima encontrar Jeon Jungkook mexendo no meu carro que foi uma herança de família.

- demorou - o moreno fala impaciente já invadindo o local e tirando a lona que cobre meu carro.

- eu aproveitei que já tinha acordado mesmo e fui me arrumar - falo abrindo o porta malas e jogando a mochila ali dentro.

Jungkook para ao meu lado e tira uma mochila azul e preta das cotas jogando ao lado da minha.

- você já conferiu se tem o estepe caso o pneu fure? - ele pergunta.

- claro que já - eu digo convencido, mesmo sabendo que ontem mesmo eu estava pesquisando no google "o que não pode faltar no carro durante uma viagem?" E quando a palavra estepe apareceu eu fui procurar o significado e onde essa parte ficava no carro.

- ok, então eu só vou abastecer, e dar uma olhada nos pneus e no motor, para ver se o reservatório de água e a bomba de óleo estão funcionando bem.

- enquanto você mexe aí com suas engrenagens - eu aponto entrando para dentro de casa - eu vou preparar uns lanches pra viajem.

- o que você vai preparar? - Jungkook pergunta interessado.

- depois você descobre - eu digo já dentro da cozinha.

Meia hora depois eu e Jungkook já arrumamos tudo e eu já estou sentado atrás do volante, enquanto Jeon espera do lado de fora até que eu saia com o carro para ele abaixar o portão depois. E logo que o faz o moreno corre até o veículo e entra se sentando no banco do passageiro.

- nós vamos buscar o Jin e o Tae? - ele questiona colocando o cinto de segurança.

- sim, já estamos prontos mesmo, vai poupar o tempo deles virem até aqui - eu digo ajustando o espelho retrovisor - onde o Taehyung mora?

- a três ruas depois da escola, então acho que é melhor buscar ele primeiro - o moreno sugere.

- sim, é mais perto mesmo - eu arranco com o carro da calçada e sorrio ao escutar seu motor roncando, cara eu adoro esse som.

- Jimin, será que tem como você ir mais devagar? - Jungkook pergunta se encostando no banco como se fosse sair voando pelo parabrisa se por algum motivo eu freiase, o que não vai acontecer porque um, ele está de cinto e dois, não tem absolutamente nenhuma alma viva nas ruas a esse horário porque todo mundo está começando a acordar agora.

- foi mal, eu estou com presa - digo pisando no acelerador. É hoje que você me paga todo o mal que me fez Jeon Jungkook.

- Jimin... pelo amor de deus para isso - o moreno pede com os olhos fechados e aperta o cinto de segurança com força entre as mãos.

- por que? Tá com medo Jeon?

- tô, to com medo de sermos pegos pelas cem leis de trânsito que você infringiu só nesse meio minuto!

- fica calmo Kookie - eu reviro os olhos - não tem ninguém na rua esse horário.

Jungkook olha em volta pelas janelas e solta um suspiro.

- mesmo assim, é errado... - ele murmura.

- Jeon, nós estamos matando aula para passar um final de semana inteiro na praia sem os nossos pais saberem e você 'tá preocupado com as leis de trânsito.

- espera - ele arregala os olhos - você não avisou os seus pais?

- não - dou de ombros - por que? Você avisou os seus?

- não... - ele abaixa a cabeça - acho que eles nem vão dar falta minha mesmo.

Eu sinto uma pequena pontada no peito ao me lembrar das constantes brigas do casal Jeon e de todas as vezes que eu fui a sua casa para acalmar Jungkook durante uma crise.

- bom, meus pais também não ligam muito para onde eu vou, desde que eu não cause problemas para eles nem dão bola que eu saia por aí - falo tentando amenizar a conversa - uma vez passei uma semana na casa do Jin, e quando cheguei minha mãe só se virou para mim e perguntou "vai jantar em casa hoje?".

- pelo menos sua mãe faz o jantar - Jungkook vira a cara para o outro lado, me impedindo de ver sua expressão.

Eu preciono os lábios um ao outro e aperto o volante com força. Cara, que mancada.

Eu começo a remoer meus pensamentos atrás de uma conversa que leve a um "terreno seguro", mas não consigo pensar em nada e quando o silêncio começa a me incomodar Jeon fala.

- aqueles não são o Taehyung e o Jin?

- o que? - eu olho para a calçada do lado direito e vejo dois garotos andando lado a lado com mochilas nas costas - são eles mesmos - eu sorrio levando o carro em direção ao dois que já nos virão e esperam eu estacionar perto da guia - o cabelo azul do Taehyung é inconfundível.

- vocês iam largar a gente por acaso? - Jin pergunta enquanto Jungkook desce do carro e ergue o banco para que os dois entrem.

- claro que não, estávamos indo buscar vocês - eu falo - até porque nem ia ter como eu ir pra casa do seu primo sem você.

- mas ainda falta duas horas - Taehyung comenta entrando no banco de trás.

- nós ficamos ansiosos para ir - digo dando partida no carro mais uma vez, só esperando que Jungkook entre e feche a porta - mas qual a desculpa de vocês?

Jin e Taehyung sorriem cúmplices um para o outro antes de Tae responder.

- também estávamos anelantes por isso.

- anelantes? - Jungkook franze as sobrancelhas - essa é nova.

- pois é - o de cabelos azuis da de ombros - vai ter uma competição de soletração no próximo mês e eu estou estudando um pouco.

- pensei que você já 'tivesse parado com isso - Jin fala.

- bem que eu queria, mas meu pai fica no pé por causa disso, e para agradar ele eu prefiro não desavir.

- filhos e seus problemas com os pais - Jungkook murmura e eu e Taehyung soltamos um suspiro ao mesmo tempo que o moreno.

- eu não tenho problemas com os meus pais - Jin se pronuncia.

- então você falhou como filho - comento, olhando para os dois lados antes de atravessar um cruzamento para sair do bairro residencial.

- ah claro, então você quer dizer que pra eu virar o exemplo de filho tenho que começar a fumar, brigar na escola e passar o rodo por aí?

- assim você oferece a experiência completa aos seus pais - eu dou risada.

- deixa de falar merda Jimin - pelo retrovisor eu observo meu amigo cruzar os braços e se joga para trás no banco. Ele começa a olhar em volta antes de dizer - por que não pintamos os acentos de rosa também? Esse beje tá muito chato.

- qual a obsessão de vocês com rosa? - Jungkook se vira no banco olhando para trás.

- qual a da masculinidade frágil? - Jin responde e eu e Taehyung prendemos o riso.

- não é masculinidade frágil é só que... vocês dois querem tudo rosa! Cara, o Jimin literalmente pintou o cabelo dele de rosa - ele comenta.

- mas você disse pra mim que tinha gostado quando ele pintou - Tae fala.

- cala boca Taehyung!

- você gostou do meu cabelo? - sorrio.

- isso não vem ao caso - Jungkook se senta novamente - e vê se presta atenção pra não bater o carro - ele diz parecendo emburrado.

Eu não digo mais nada depois disso, mas faço questão de apreciar as bochechas vermelhas de Jungkook e sua cara de constrangimento com o maior sorriso do mundo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...