História He is (not) insane -Vkook - Taekook - Capítulo 40


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bts, Jeon Jungkook, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Taekook, Vkook
Visualizações 397
Palavras 3.741
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


THE
END
IS
VERY VERY VERT
NEXT.

Capítulo 40 - Nineteen,


Depois de Jungkook ir para o quarto dormir, imin e Yoongi entrar no hospital pra voltar a trabalhar porque ainda tinha gente naquela emergência, tive que ficar fora do hospital, pois Namjoon me ligara.

Chamada de vídeo? okay...

RM: Tae! - sorriu,  mostrando suas covinhas. - ai está você! onde estava? 

Me: Namjoon Hyung, pintou o cabelo de roxo? wow, maneiro! - devolvo seu sorriso. - estava passeando por ai, por quê? 

RM: nada, só queria te mostrar isso!

Namjoon colocou na câmera traseira, mostrando a imagem de Yang. Naquele momento, abri mais ainda meu sorriso vendo o garoto que tanto amo..

Me: Acordado! v-você está acordado! 

YG: hyung.. que saudade.. - diz fraquinho, ainda usando a máscara de ar.

Me: c-como você está se sentindo? 

YG: ainda muito fraco, mas Namjoon Hyung disse que estou indo bem.. Tae, tô morrendo de saudades, por favor, quando vai me ver?

Me: por favor, não fala "tô morrendo", isso me traz traumas.. - digo rindo fraco. Saeng, eu também quero te ver, mas minhas férias não chegaram ainda. 

YG: e quando sairá? 

Me: verei, não se preocupe. 

Namjoon volta para a câmera frontal, diz que meu irmão deve descansar agora, e sai do quarto. Percebi que ele andava pelos corredores do hospital, só parando num lugar meio vazio - pelo que percebi. 

RM: há algo que temos que conversar. 

Me: parece ser importante. Vamos, diga o que é. 

RM: Tae, Yabi vem me perguntando sobre algumas coisas, inclusive sobre Jungkook. ele sabe das suas saídas. 

Gelei. Yabi é o presidente do hospital. 

RM: ele confia muito em você. - completa. - que tal tentar falar com ele de uma vez? 

Me: eu sei, eu sei..

RM: aliás, estou cuidando do seu irmão para você, não acha justo cuidar do nosso problema ai? querendo ou não, se você cair, caio junto pela farsa. 

Me: Hyung, não se preocupe, falo com Yabi hoje mesmo! - digo seguro de mim. Não vou causar problemas para Nam, ele é como meu irmão mais velho. Além do mais, se para mim pode dar muito errado, quem dirá á um chefe  dos  residentes? - inclusive, já que tenho um tempo livre, vou agora. 

RM: acha adequado? - confirmo. -okay, boa sorte! quanto Yang, relaxa e curta muito Seul, ele está bem aqui.

Encerramos a chamada. 

Fiquei pensando... sempre fui transparente com Yabi, até porque precisa ser. Eramos próximos, mas não amigos.

Devo contar sobre Jungkook, que eu sim dei umas escapadas com ele sem liberação, e que também estávamos juntos. Estou leve, sabe?  porque sei que ele vai me entender em relação as saídas do hospital porque, como paciente de psiquiatria, ele precisava sair um pouco; arejar a cabeça, ficar ao ar livre. Essa é a diferença entre um hospital e um manicômio. 

Apertei o botão para subir até o andar da sala.

 Agora não sei se ele vai gostar de saber que um médico está namorando um paciente, tô todo nervoso aqui. 

tam dam! - o andar chega.

Voltando aos meus doidos pensamentos, é contra a polícia do hospital namorar um paciente, mas isso é pior quando você é um psiquiatra porque isso envolve mais o estado do seu paciente, qualquer coisa errada que acontecer e ocasionar problemas que danifiquem o paciente em termo de estado mental ou físico (se cortar, tentar algo), a responsabilidade cai muito mais e hospital considera negligência. 

Parei na frente da sala da presidência e respirei fundo.

Mas.. estou bem fazendo isso, mesmo sabendo que pode dar errado. o sabor da adrenalina é muito bom, não saber o que vai acontecer ou se vai acontecer, é algo que cativa você. Eu precisava de alguém assim, alguém que me deixasse louco a ponto de fazer coisas erradas.

Ele, Jeon, devolveu-me a vida.

- licença? - perguntei entrando na sala

- Dr Taehyung! - tirou seu óculos de grau e olhou para mim. - a que me deve sua visita?

- vim conversar com você.  

- ah, claro. pode entrar! - afastou uns papéis que ele estava lendo quando entrei, logo me dando atenção. 

O que me deixou nervosão.

O presidente, cujo nome era Yabi, ficou me olhando de braços cruzados mas sem o olhar de raiva ou algo do tipo. Não ficou me olhando como Yoongi me olhava quando eu falava de Jungkook, Yoongi me olhava meio que me dizendo que ia dar errado e era melhor parar.

- e então, que coisa importante é essa pra você vir até aqui?

- um paciente meu, chamado Jeon Jungkook. acho que o senhor deve conhecê-lo.

- ah, então você foi mais rápido! sabe? eu ja te ia chamar para falar sobre isso.

Mas.. a que ponto ele sabia?

- do que o senhor sabe?

-  fiquei sabendo que você saia do hospital com ele sem permissão, sem a liberação. ó, - afastou sua cadeira mais pra frente. - eu sei que você é um bom médico, então sei que vai poder me explicar isso.

- que mal lhe pergunte.. - olhei confuso. - a quanto tempo sabia disso?

- bom, - se levantara-se. - há um mês atrás. mas eu não disse nada porque sei que você sabia o que estava fazendo, é você que é o médico dele. nao é? e ai, pode explicar?

- claro. Jungkook tem depressão grave, e por isso veio para cá. - Yabi caminhava pela sala, me me ouvindo.- então já sabemos que o manter num quarto sem sair já não ajuda, não é?  já que os pais não o viam e nem o liberavam, eu precisava o levar para algum lugar nem que seria por poucos minutos.

- exatamente! -sorriu largo. z e deu certo? Jungkook melhorou?

- ya.  ele conseguiu se abrir, melhorou bastante. ou seja, deu certo passar por cima dos pais dele, por assim dizer.

- certamente que sim! e é por saber disso que eu o deixei continuar com as saídas. Você é um médico, ou seja, você é responsável pelos pacientes e eu sei que você não iria fazer isso se não precisasse. Além disso - escondeu sua boca para um sussurro: - vamos combinar que os pais dele eram péssimos.

Sabia que ele ia entender! Yabi é alguém mó legal, que entende muito bem, é alguém que era um bom presidente porque sabia lidar com os médicos, então eu não tinha medo de me abrir. 

 - eu acho que está tudo bem. - diz. - Além disso, já que Jungkook melhorou tanto..- voltou a sentar em sua cadeira e começou a ver uns papéis. - podemos anular a responsabilidade dos pais em relação a decisões desse tipo. Mas claro, não totalmente porque Jungkook ainda precisa de tratamento, ele não está totalmente curado.

E é verdade, Jungkook ainda tinha muita terapia pela frente, tem muito caminho para ele real ficar bom. Ele ficará totalmente bom, entretanto. 

-  acho que já terminamos, não? - falava ocupado com os papéis.

- ainda não. tem um pequeno detalhe que precisa ser dito.

- outro? tudo bem, estou te ouvindo.

- desculpa estar te atrapalhando. - ri. - enfim, eu sei do regulamento do hospital e tal...

- an? quê? 

Peguei um papel que eu tinha escrito sobre a tal situação. sim, eu copiei do regulamento do hospital porque eu ia me enrolar nas palavras. Era tipo uma colinha que levei para burlar a prova, entendem? 

"(...) Pois o envolvimento sexual também envolve um envolvimento emocional o qual pode afetar o julgamento do médico na visão profissional, prejudicando o diagnóstico junto com o tratamento do paciente, bem como também altera sua visão crítica, a qual pode levar a um erro médico com possíveis danos graves. 

O paciente pode desencadear uma série de sentimentos como culpa, vergonha, ansiedade, depressão, raiva, desprezo, e que pode prejudicar tanto o tratamento, como a relação entre médico-paciente" - li. 

- mas o quê? - ainda raciocinava. - d-deixa eu ver se entendi: você está tendo um caso com Jungkook?

Confirmei;  gelei; quase gaguejei.  Parecia um adolescente que bebia escondido o wisky dos pais e foi confessar que fazia isso.

 - ah, Taehyung... como deixou isso acontecer?

- eu me pergunto isso todos os dias.

Yabi se levantou ainda tampando seu rosto. Vi que ele não acreditava que eu tinha burlado algo assim; um médico tão bom, segundo as palavras do mesmo. Ele permaneceu em silêncio total enquanto abria a veneziana da janela grande janela, ai a visão do hospital apareceu e eu vi uns médicos passando.

- lê para mim a parte que explica o porque isso ser proibido - falava de costa a mim porque via a janela.

- n-não escrevi essa parte..

- tudo bem, eu mesmo te falo. " dado a explicação, tal atração e envolvimento sexual com um paciente não deve acontecer pois é antietico e prejudica o paciente". agora eu te pergunto: como um médico tão profissional deixa isso acontecer? 

- não me pergunte!

- como não vou perguntar, Taehyung? 

- não sei como aconteceu isso, o que eu posso te falar é que aconteceu.

Bufou.

- aigoo, mas então, já resolveu isso?

Me levantei e comecei a andar naquela sala, fazendo círculos. 

- já. - respondi. - agora, se o senhor estiver se referindo se eu dei um fim nisso e já voltei a relação médico-paciente, ai não resolvi..

- o que quer dizer com isso? vai me dizer que você e Jungkook estão namorando??

- não é bem isso, mas eu não vejo um fim para nós. - Yabi me olhou com raiva e incrédulo, com certeza querendo me atirar da janela.  - eu não consigo! e eu não vou mentir se já estou contando tudo!

- e o que vai fazer? - suspirara fundo para tentar manter a calma. - vai apenas "ficar" com ele? olha, estou decepcionado. Você é um dos meus melhores médicos e ainda me fala isso.

- não é ficar com ele. é algo sério, só.. Não foi oficializado para ambos

- você só pode ter enlouquecido. isso é totalmente antietico.  sabe que se não der certo, pode prejudicar jungkook? e mesmo se der certo, você sabe que pode o prejudicar mesmo assim? ora, Taehyung, você não pode simplesmente agir como um adolescente! Jungkook está nesse hospital faz mais de quatro meses e você decide jogar tudo pra fora? 

Eu definitivamente estou agindo como um adolescente, mas isso me faz tão bem, arriscar. Parando para pensar: eu estava fazendo algo muito errado; mas já que ambos estão tão colados, por que acabar com tudo? os dois iriam ficar mal!

 Entraria em abstinência sem tomar minha dose diária de um beijo do moreno, ou se ao menos pensar que eu não poderia fazer mais isso. Não me vejo sem aquele maluco perto de mim. Ora, pela primeira vez eu estou vivendo! tenho vinte e quatro anos e nunca tive algo assim.

- não fiquei totalmente maluco. - digo. -  sei que pode prejudicar ambos, mas o que eu posso fazer?

- você pelo menos pode me afirmar que isso é além de atração sexual?

- posso!

Com todas as letras desse mundo eu poderia afirmar isso. E estou disposto a me arriscar porque isso é o que deu sentido na minha vida que era tão cansativa.  Qmo o meu trabalho e não o largaria, mesmo assim a rotina acaba te deixando estranho.

Ele devolveu-me a vida.

- o que eu posso fazer? te dar uma suspensão? ou você prefere que eu te tire do caso de Jungkook? Melhor! - ironizou. - quer que eu te demita?

Demissão? não mesmo. Minha vida também era esse hospital. Tudo bem que eu podia trabalhar em outro mas não é a mesma coisa..

 - você acha necessário?

- talvez. olha, Taehyung - tocou amigavelmente meu ombro. - isso é algo que compromete a imagem do hospital, isso é algo sério. mas.. eu não posso perder um dos melhores psiquiatras de Seul, para outro hospital.

- o-o que quer dizer com isso? 

- quero dizer que não vou te demitir. - soltei gritos fininhos internamente. - mas ainda vou pensar se você fica ou não no caso de Jungkook.- foi até a cafeteira, colocando um copo plástico sob a mesma.

- t-tudo bem o senhor decidir isso 

- também não tenho certeza disso. -pegou um copinho de café e estendeu para mim. - mudar um psiquiatra do paciente depois de meses, isso pode interferir no tratamento porque ele já se acostumou com você e com o seu modo de o tratar.

 Sorri. Não acredito que vou continuar tratando o moreno! isso só pode ser obra do divivo!

- então vou continuar sendo o médico dele!?

- ya! - riu. - sabe? eu já me apaixonei por uma paciente. ah, ela era linda - fez uma cara da deslumbrado. - e ainda é porque eu me casei com ela

- caramba.. - quero ser como Yabi, casar com meu paciente preferido. 

- mas me escute bem! você tem a total responsabilidade se alguma coisa acontecer e que dê para entender que foi a relação de vocês que ocasionou. aceita isso? ouvir julgamento sobre estar namorando um paciente?

Se fosse a uns meses atrás eu me importaria mas hoje em dia, não. Hoje, digo sim em sete línguas. Apenas uma porque não sou fluente em outras, mas não deixa de ser verdade. 

(xx)

Já era ali umas nove da noite, eu estava com sono e a tal dor de cabeça da pancada mais cedo veio, então eu fui tomar um remédio depois de um longo banhozinho vaporizado. Tô tão feliz por tudo, tudo está voltando aos trilhos.

- vai embora agora? - perguntou Yá, quando passei por seu balcão. Ela ama ter minha atenção. 

- não. vou dormir aqui mesmo.

- só uma dúvida! - falou e eu olhei para ela. - que história é esse que Yoon disse?

- qual?

- quando achou que você tinha engravidado aquela moça. eu sabia que era brincadeira mas não entendi quando ele disse que Jungkook ia ser padrasto. Então? 

- ah! então, eu e o moreno meio.. meio não, completo! estamos juntos.

Yá arregalou os olhos, tornando uma expressão que não sei definir.. Triste? 

 - c-como?! q-quer dizer, sabe que isso vai dar merda, não sabe? 

- já deu. - dei de ombros. - mas eu acabei de falar com Yabi sobre isso e já resolvi.

- e como ficou? - me olhava fixamente, parecendo sedenta pelas próximas palavras minhas.

- do mesmo jeito.

Ea não entendeu como Yabi tinha deixado que continuasse aquilo, eu expliquei para enquanto ela me repreendia. Yá é uma boa amiga, ela já me ajudou muito e eu já ajudei muito também, então ela se preocupa.

" você só pode ser insano! " disse ela, parando de me olhar. 

Sim, sou.

(xx)

Fui até Jungkook. 

- posso entrar?

- hã? hã, - mastigava em seco, estava no sono e eu acordei, pobrezinho.  -pode.

- ahhn. desculpe. pode voltar a dormir.

- não seja formal. entra. - pediu ainda deitado, então me aproximei. fiquei olhando ele tentar manter seus olhos a ficarem abertos, me fazendo-me sorrir. 

e- eu só vim ver se você estava bem. e te contar que eu falei com Yabi. -mexi em seus cabelos negros.

- Yabi? - abriu um dos olhos rapidamente. 

Ah é, ele não sabe quem é.  Vou atentar o moreno, como adoro fazer! 

- meu amigão.

- e o que eu tenho a ver se você falou com o seu amigo?

Ri alto.

- é que ele é o presidente daqui.

- eu não ligo? 

 - e que é pra ele que eu tenho que dizer que estou com você! - falo em óbvio. 

- ele é cego? 

- vai se ferrar! - bati de leve na sua cabeça, deslizando todo seu corpo até chegar em suas coxas. - é pra ele que tem que dizer que estou namorando você, um paciente senão da uma merda maior.

- namorando eu? - riu. -nao me lembro disso.

Ah, não estamos? Então tá tudo bem, ele não reclame depois que eu estiver beijando todo mundo!

 - então estou liberado pra fazer partos?

- faz. Você é médico - deu de ombros.

- ok então. ja te contei como se faz um parto?  a gente abre até um bom comprimento as pernas da tal mulher, quando a gente consegue ver o bebê saindo da vagina, ai eu-

- se você falar mais uma palavra sobre essa porcaria de parto, - se levantou rapidamente e sentou na cama, me fitando com "ódio" no coração.  - eu juro que eu te mato aqui mesmo enforcado com isso aqui! - levantou a raposa de pelúcia. - e escondo seu corpo naquele banheiro! 

Missao "fazer a fera ferir, alcançar o ápice da raiva o moreno": concluída!

- mas não tem como você me matar com isso! - colocar fogo no parquinho? eu? nããão, imagine.

- não tem? - levantou da cama com a pelúcia levantada para mim. - vamos ver se não tem quando eu enfiar isso aqui na sua guela! filho da puta desgraçado.. só podia ser esse filhote de cruz-credo mesmo.. desgraça..

- calma! - ri, mas de medo.- pra que tanta violência? vem aqui, bebê! 

- sai!  

Jk começou a se esquivar de mim. 

- ora, Jungkookie - toquei seu rosto. - você não precisa ter ciúme.

- não tenho ciúmes de ninguém. sou uma pessoa adulta, pessoas adultas tendem a agir como pessoas adultas! - deitou-se na cama, colocou o cobertor e virou para o lado contrário de onde eu estava.

Pelo amor de Deus, que ciúme é esse?

Sorri bobo.

- meu adulto criança. - digo deitando-me ao seu lado.

Fiquei olhando-o, mas ele não se virava pra mim e fingia dormir. Então fiquei na posição "conchinha" com ele, tentando de todas as formas buscar atenção

 - vai fingir que está dormindo até quando?

- estou bravo. - sussurrou.

- não fique. eu não vou mais fazer nenhum parto, tá?  mentira, eu vou fazer sim porque vai que é emergência?

 O moreno me xingou e eu nem tenho coragem de repetir essa palavra. 

- mas não se preocupa! - ri. - você é a única pessoa que eu quero ver nua. ui ui ui!

Um silêncio veio e depois jungkook soltou uma risada gostosa demais. Aquela risada que te faz rir também  como se fosse retardado mental.

- pega na minha pelúcia, Jungkookie? - balancei a mesma. - pega? 

Rimos alto demais. Até compararia ao sonoro do meu despertador tocando as 4h30, ou aquela sirene da ambulância que parece um show de rock.

- vai dormir, por favor! - pedia-me rindo. 

- não estou querendo. nao mais - beijei seu pescoço mais uma vez e o moreno arrepiou instantaneamente.  - vira agora e dá um beijo gostoso no TaeTae, Jungkookie?

O garoto virou-se e me olhou fixamente. Seu olhar para mim era como um pote de doces e eu era uma criança que queria morrer ali.Oo beijei, me deliciando daquele gosto tão perfeito da sua boca, eu beijei intenso e não feroz porque naquele momento  queria sentir sua língua encontrando a minha. Eu queria detalhes sobre esse beijo tão... gostoso. Jungkook sabia beijar tão bem.

- acho que eu estou perdendo meu sono  - disse quando separamos nossos lábios, mas não nos prendemos. 

- dorme, minha criança. amanhã  será um longo dia.- coloquei o cobertor em mim também e fiquei mexendo nas suas mãos, na sua cintura, no seu queixo; quase tudinho. 

Porque amo tudo nele

- Oh, minha vida costumava ser em preto e branco, mas você pintou meu amor com cores.

Pintura! Pintura!

Isso parece uma paisagem, Wuh.

Imutavelmente imutavelmente ( Você,você).

Eu vou proteger você imutavelmente.

Flores florescem ao leste, é uma harmoniosa cor.

Eu caminho em sincronia com o seu dia.

Como você brilha nesse mundo inteiro.

Eu estou vindo para você lentamenteVou assistir a sua volta e te seguir.

Veja como o céu noturno está colorido.

Essa pintura é apenas você e eu.

Desejo esse momento estar parado para sempre.

Eu apenas quero te proteger. (Love paint/Nuest) - cantei baixinho

- continua...- pediu sonolento.

(xxx)

- Tae? Tee? Tie? Toe? Tue? Tãoe? - ouvi Jungkook. 

Será isso algum colapso? (!).

- que foi? 

- não vai acordar?

e- não. vou ficar aqui mesmo, abraçado com meu coelhinho. - continuei de olhos fechados e apertando-o. Sabe quando você acorda mas está com mais sono do que quando foi dormir? pois é.

Queria dormir? QUERIA! mas nem sabia que horas eram, vai que já é hora de acordar mesmo e eu tenha que levantar? aliás, eu tinha horas marcadas para pequenas sessões!

- você viu meu celular, bebê? 

- aqui, "bebê". que meloso. - estendeu-o para mim. 

- ah, essa série é muito boa também. ei, o que você estava fazendo no meu chat? 

- lendo suas conversas! inclusive com Jimin, li uma conversa do dia 10, vocês dois falando chocolates falantes. 

- vou te dar o tablet do Yang, sério! Depois compro outro pra ele.

- não precisa ficar me bajulando, sabe?

- ora, não estou fazendo isso. lembra que quando você veio para cá, te prometi um presente se você parasse de se machucar?

- já tinha esquecido isso

- eu também! - abri as cortinas daquela janela, possibilitando a luz entrar.  - mas lembrei então você vai aceitar.

- já tinha aceitado na primeira vez que você me disse - riu e foi até o banheiro.

Fui até ele para também jogar uma água no meu rosto, acordar meu corpo de uma vez porque água fria sempre tem esse efeito sob mim. Jk começou a tirar a camisa e eu o fiquei analisando; tremi quando pensei na nossa conversa ai..

"vamos revezar, Tae! Você que deu uma de ativo, agora será eu!".

Tô esperando até hoje. 

- vai tomar um banho? - perguntei e ele afirmou. - se eu não estivesse atrasado agora, eu ia te ajudar

- quem liga pra hora? - foi até mim, já sem a camisa e começava a abrir o zíper da minha calça.  - preciso de ajuda para ir lá

Uh, me desconcertando logo cedo? quer acordar o mini TaeTae agora? 

- Jungkook? - uma voz chamou o moreno e era a enfermeira. deve estar levando o café da manhã.

- eu? - falou alto e depois encostou no meu corpo. Ele sabia que não podia fazer aquilo porque a enfermeira estava no quarto e talvez veria esse cena; quem disse que esse menino liga? 

- seu café da manhã! - ouvi ela se aproximar da porta.- algum problema?

Apenas fiquei em silêncio, mas queria falar "sai daqui!".

- não! Só estou tentando tomar um banho. - colocou a mão na minha calça. Sim, d.e.n.t.r.o.

- aanh, não faz isso.. - falei manhoso. 

Droga de reflexo.

- quem está com você?? - a moça pergunta. 

- ninguém. agora, pode ir? - a enfermeira confirma e eu ouço a porta se fechar.

- seu... nossa.. seu.. ma.. filho da..caral..AFEE! maluco!! - digo.

Logo saí do banheiro ou eu ia me atrasar mais do que eu estava atrasado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...