História He is Shy, But he is Mine - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Colegial, Divertida, Hoseok, Hot, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Nerd & Popular, Personagens Originais, Taehyung, Yoongi
Visualizações 131
Palavras 1.465
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiiiii meus amores, quem é vivo sempre aparece neh?

Eu tive um bloqueio recentemente então por isso demorei tanto á escrever essa cap, e pra falar a vdd nem achei ele bom o suficiente pra postar mas não quero deixar vcs sem atualizações.


Boa leitura. ❤

Capítulo 6 - Segundo Item.


Fanfic / Fanfiction He is Shy, But he is Mine - Capítulo 6 - Segundo Item.

Segunda-feira, acordei de bom humor e feliz o que acontecia muito raramente, uma vez ao ano no máximo. Já estava á caminho da escola quando uma mão suspeita puxou meu fone direito, e preparada para soltar um palavrão me virei, dando de cara com um belo sorriso tímido e maçãs do rosto coradas, o meu " herói de vícios ".

— Desculpe te assutar, eu só que- — Interrompi sua fala negando com a cabeça.

— Está tudo bem, aconteceu alguma coisa? — Perguntei meio receosa porque conversar comigo não era algo que ele fazia tão abertamente.

— Oh não, está tudo bem comigo, mas e com você, tem certeza? — Olhou no fundo dos meus olhos e parecia ler meus pensamentos — Sabe que pode confiar em mim… — Murmurou mais baixo, me passando uma sensação de segurança inexplicável.

— Acho que está tudo bem, posso lidar com isso, já passei por coisa pior. — Confirmei tentando convercer mais á mim mesma do que à ele.

— Hum, certo. — Respondeu e passamos á caminhar no mais puro silêncio, eu queria dizer algo mas nenhuma frase se formava em minha mente.

— Eu ando escrevendo, sabe para me aliviar… — Comecei um assunto do nada e vi meio sorriso em seu rosto.

— E tem funcionado? Realmente você é última pessoa que pensei que teria um diário. — Cobriu a boca pensando que teria dito algo errado ou uma besteria mas apenas ri de sua timidez.

— Okay Senhor notas de ouro, eu me saio bem melhor com exatas mas isso significa que não sei usar uma crase. — Tirei sarro de sua resposta deixando um clima descontraído, ponto pra mim.

Ainda faltavam umas duas quadras para escola e conversávamos de assuntos tão banais que chegava á ser engraçado. Lembrei daquele pequeno papelzinho que fiz durante o intervalo,

" 2- Descobrir seus interesses e gostos musicais; "

Essa seria minha maior chance então porque não aproveitar?

— Hum? — Estiquei o lado esquerdo do meu fone para ele, o mesmo observou meio incerto e segurou colocando na orelha.

Eu ouvia uma música qualquer enquanto andava, mas a melodia perfeita apareceu no segundo depois, Nervous da melhor banda que já ouvi, The Neighbourhood. Fiquei na dúvida se Jungkook sabia inglês, mas cara, aquela letra estava nos descrevendo tanto que fiquei encurralada em minha própria vergonha. Seu sorriso de canto apareceu segundos depois, definitivamente ele estava entendo.

Alguns alunos se encontravam no cruzamento para passar o sinal e nós dois se juntamos á eles. O maior me entregou o objeto o qual desconectei do celular guardando na mochila, percebi que o amontoado havia sumido da minha frente mas sequer olhei para cima, apenas caminhei rapidamente até a faixa. Ouvi uma buzina de carro e travei no lugar, fixei meu olhar no rosto do motorista e parecia tão familiar que me amedontrou mais ainda.

Não era possível…

Dois braços fortes me puxaram para trás mas o carro passou em câmera lenta, era como olhar uma miragem, olhar para o passado, para anos atrás.

Fui virada contra um corpo forte de farda, ele me ficou chacoalhando até que fitei seu rosto preocupado, o óculos não ocupava o lugar correto, estava no chão com as lentes quebradas mas ele continuava ali olhando pra mim.

— Sarah por Deus, você está bem? — Perguntou aflito e a única coisa que consegui fazer foi assentir me agachando para pegar seu pertence quebrado.

— Desculpa por isso, eu vou pag- — Sussurei com a voz um pouco trêmula mas fui interrompida.

— Sarah o que aconteceu? — Jihyun olhou preocupada mas a única coisa que senti foi nojo, parecíamos desconhecidas á dias e agora ela quer bancar a melhor amiga?

— E desde quando você se… importa? — Me soltei de seu aperto e olhei para sua expressão perdida.

— Tem razão, não me importo. — Empurrou meus ombros fortemente, e minhas pernas fracas não sustentaram o peso, resultando meu corpo no chão.

Dispensei qualquer ajuda e voltei meu olhar para o Jeon, ele passava ás mãos freneticamente no cabelo, com certeza estava nervoso.

— Nem pense que eu vou fazer você pagar alguma coisa… — Respondeu mais calmo e nem me deu chance de retrucar — Eu só fiquei assustado.

Ri achando toda aquela situação meio engraçada, Jungkook é o que, meu anjo da guarda ou um Super herói particular?

— Desculpa é só que isso é meio engraçado… — Comecei á morder o lábio numa tentativa de abafar a risada — É a segunda vez que você me salva de alguma coisa, estou te devendo.

— É verdade. — Riu nasalado concordando então atravessamos finalmente a rua, mas sua mão segurou o meu pulso, e definitivamente eu parecia uma criança.

— Então… saí comigo. — Pensou alto e quando se deu conta do que falou soltou minha pele imediatamente — Qu-ue-r dizer só se você qu-ui-ser... — Gaguejou coçando a nuca tirando o olhar do meu.

— Hummm, gostei da ideia. — Incentivei e segurei novamente sua mão, o mesmo contraiu todo o corpo o olhou para o nosso contato — Me leve para tomar um sorvete.

— Mas, não era para mim escolher? — Murmurou meio confuso então soltei uma risada nasal.

— Estou te ajudando. — Sussurrei baixinho, como se fosse um segredo e vi sua boca abrir numa descoberta silenciosa.

Olhei para os lados, para ver se não tinha ninguém por perto e como éramos os últimos ali fora me inclinei na ponta dos pés deixando um selar em sua bochecha que demorou mais que o necessário, a textura de sua pele contra a minha me causou arrepios e ao voltar suas maçãs do rosto estavam coradas e os olhinhos continuavam fechados. Ele consegue ser muito lindo até sem querer.

— Te espero ás três no ponto. — Foi a última coisa que consegui dizer e então corri em direção ao portão, sendo seguida pelo moreno.

Sentei na carteira e notei a sala toda cheia, ou seja, ele se sentaria ali, logo hoje que eu planejei fugir o resto do dia, minha dose de coragem já havia sido esgotada. Não demorou para seu perfume fresco e leve chegar ás minhas narinas, nem sequer me atrevi á olhar para o lado continuei ali fingindo fazer algo interessante no celular até a professora de biologia entrar.

A matéria era um saco mas o quadro estava cheio de anotações importantes, o garoto ao meu lado parecia inquieto e sem saber o que fazer, seu caderno estava com as folhas limpas então escutei sua voz baixinha.

— Sarah por favor, me empresta seu caderno, não estou conseguindo ver direito... — Sussurou próximo ao meu pescoço e apertei com força a caneta que segurava, mas respirei fundo tentando conter a risada.

— Por que não disse antes? — Empurrei o material para perto dele e soltei o ar incrédula — Aigo…

                           […]

Juro que eu não corri para casa na intenção de fugir dele, mas sim para achar algo pra vestir, qual é eu tinha um encontro, tinha que estar no mínimo arrumadinha.

Almocei rápido lavando a " pequena " pia de louça, entrei em meu quarto e agora sim começava a verdadeira missão impossível, achar algo no roupeiro. Tirei tantas blusas dali de dentro que minha cama mal suportava o peso, tudo isso para no fim escolher uma camisa branca a qual dobrei até os cotovelos e nada melhor do que combinar o clássico, optando por um shorts jeans preto meio soltinho, mas ai a dúvida novamente de usar a peça de cima por dentro ou fora.

Acabei que coloquei por dentro, calçando um all star preto e meio surrado, amarrando o cabelo num rabo de cavalo alto e firme, deixando apenas a franja pequena de fora. Olhei para a penteadeira com algumas das maquiagens que tinha e pensei mil vezes antes de passar algo, o que resultou numa mistura de pó compacto, rímel e um leve batom no centro dos lábios, finalizando com meu perfume floral.

Mais clichê impossível.

Peguei dinheiro e desbloquiei meu celular vendo que eram quase duas e quarenta e cinco, virando praticamente um flash passando pela casa. Tranquei a porta com cuidado e desci ás escadas numa velocidade desumana, pedindo á Deus para que eu não rolasse os degraus abaixo.

Mas de nada adiantou correr tanto, não havia nem sombra do moreno ali, desde a hora que cheguei até os trinta minutos depois. Impaciente eu bufei com raiva e medo de ter tomado um bolo, fiquei ali até dois ônibus passarem, mas nada dele, continuei ali como uma idiota.

Realmente eu já estava desistindo, uma hora de atraso era o suficiente para eu entender que ele não viria, então em pé eu olhei para os dois lados da rua, bufei novamente e comecei á caminhar até meu prédio. Fui o mais devagar possível porém só perdi meu tempo, busquei a chave no bolso e coloquei na fechadura do portão, já destravado eu entrei por fim ouvindo longe.



— Sarah…


Notas Finais


Espero que tenham gostado anjos, qualquer coisa me digam, se a fic n estiver boa ou algo assim.

Obrigada por lerem amores❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...