1. Spirit Fanfics >
  2. He is that friend. - Sabrina e Caliban >
  3. Flashbacks.

História He is that friend. - Sabrina e Caliban - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


E aí está o primeiro capítulo!
Com uma surpresa no final final ;)

Capítulo 2 - Flashbacks.


Fanfic / Fanfiction He is that friend. - Sabrina e Caliban - Capítulo 2 - Flashbacks.

- Sabrina, acorde! - Eu ouvi Lilith me chamar com o tom de voz alto enquanto me balançava carinhosamente. Olha como ela é carinhosa me acordando.

- Ah... - Me espreguicei na minha cama. - Sempre tão carinhosa ao me acordar... - Sentei-me na cama.

- Não há de que. - Ela saiu do meu quarto apressada.

Fiz minhas higienes e vesti um vestido preto de renda rodado acima do joelho com sapatilhas da mesma cor. Penteei meu cabelo num penteado simples e passei uma maquiagem leve no rosto.

Após terminar, sai do meu quarto indo para o salão onde estavam meu pai e Lilith. 

- Atrasada, Sabrina. - Meu pai lembrou e eu suspirei. - Rainhas não se atrasam, entendeu?

- Entendi. Mas eu estou atrasada para algo em específico? - Perguntei sentando-me em meu trono quente.

- Sim, uma reunião com os membros do conselho. - Dito isso, os demônios apareceram. Barulhentos como sempre.

- Alguém me explica o motivo da reunião? - Perguntei irritada.

- O Caliban não foi encontrado ainda. - Asmodeus falou. Senti uma séria vontade de rir. Olhei para o meu pai e ele continha um sorriso debochado em sua face.

Eu queria rir, mas logo me veio um flashback no meu pesadelo e o sorriso que tinha em meu rosto desapareceu. Fiquei uma fração de segundos calada mas depois superei o flashback.

- Poxa, eu achei que fosse algo mais sério. - Falei fazendo uma cara de peninha e depois rindo. -

- Se não foi encontrado, pode ser porque o principezinho de barro ficou com medinho e fugiu. - Meu pai falou e risadas dos demônios foram escutadas.

- Talvez você com sua ganância pelo trono o fez sumir ou trapaceou, que nem fora feito em uma das regalias. - Aquilo dito por ele fez mais um flashback vir em minha mente, mas não liguei.

Levantei-me do meu trono e fui até Asmodeus o pegando pelo seu colarinho. - Escuta aqui, não ouse falar assim com a sua rainha! E só para lembrar, Caliban também já trapaceou, então antes de falar besteira, pense direito! - Soltei-o e voltei para meu trono.

- Eu diria que não vale mais a pena procurar por ele, dito isso, buscas pelo principezinho o qual vocês tanto exaltavam não devem mais haver. Entendido? - Perguntei em respostas e os demônios concordaram, logo depois saíram do salão.

- Eu tenho mais alguma coisa para fazer ou participar? - Perguntei me levantando de meu trono.

- Não. - Lilith respondeu e eu acenei com a cabeça saindo do salão.

Eu andava pelos corredores até Lilith me chamar. - Sabrina, precisamos conversar sobre algo! 

- O que? - Perguntei me virando para ela e cruzando os braços.

- Não pense que não percebi. - Ela falou e não entendi de primeira fazendo uma cara confusa. - Você estava tendo flashbacks durante a reunião.

- Que isso, Lilith. Eu não estava tendo flashbacks nenhum! - Menti e continuei andando mas ela me alcançou.

- Sabrina, não mint... - Ela foi ouvida pela voz do meu pai e nos viramos para ele.

- Lilith, deixe a garota em paz. Agora vamos, que quem precisa conversar somos eu e você. - Após as frases ditas por meu pai, ele saiu andando e Lilith o acompanhou.

Felizmente não tive que responder as perguntas dela. Mas se fosse perguntas vindas de meu pai, logo ele captaria que eu estava mentindo.

 Eu continuei meu caminho para meu quarto e ao entrar tranquei a porta. Me aproximei da janela do quarto e fiquei observando, o inferno não tinha vistas tão bonitas na minha opinião.

Enquanto observava fiquei pensando nesses flashbacks de meu pesadelo. Todos eram sobre Caliban, que saco! Eu só queria que ele sumisse de minha mente e se possível, da minha vida mas isso parece ser impossível.

Quer dizer...Ele já sumiu da minha e da vida de todos também quando eu prendi ele a aquela pedra. Como será a sensação? Com certeza tristeza e solidão. Mais ou menos o que sinto aqui, mas não há tristeza, apenas solidão.

Eu passo a maior parte do tempo sozinha. Sinto falta da minha Tia Zelda reclamando comigo por conta problemas que eu trazia a ela. Da Tia Hilda tão atenciosa comigo. Do Ambrose e dos meus amigos. A Sabrina da Terra tem tudo isso... Sortuda do caralho!

[...]

- Você é uma trapaceira do caralho! - Caliban me dizia com raiva. - Você me prendeu numa pedra.

- Foi para minha segurança, você ia me enganar e me prender lá!

- Você não tem direito de dizer nada, não está presa na pedra, não é mesmo? - Me olhou irritada e passou a andar até mim. - Havia outras formas de evitar que eu te prendesse lá!

- A única que surgiu foi aquela. 

- Você governa como rainha? - Em questão de um segundo ele estava o mais perto de mim possível. - Que patético. - Riu e passos as mãos sobre o meu cabelo. - Você merece morrer.

- Se você não tivesse pensado na hipótese de me prender lá não estaria preso lá, sendo assim, a culpa é toda sua.

- Mo rrer! - E do nada, eu estava caindo de algum lugar.

...

Acordei com a respiração pesada. Que sonho foi esse? Eu posso jurar que este era pior que os outros que tive não eram tão ruim assim que nem os outros.

Pra mim já deu! Eu tentei evitei esses pesadelos que surgem enquanto durmo e tentei também evitar a idéia maluca de tirar o Caliban daquela pedra, mas eu não aguento mais ser culpada!

Eu me levantei de minha cama e troquei a camisola que vestia por uma calça de moletom preta e uma blusa de manha longa na cor vinho. 

Me certifiquei que a porta de meu quarto estava trancada e a pulei. Eu caminhei pelo inferno indo até onde Caliban estava, posso ter demorado mas agora cheguei.

Ótimo. Chega de pesadelos, chega de Caliban me culpando nos pesadelos e chega de flashbacks. Finalmente vou me livrar de tudo isso.

Quando eu tirá-lo desta pedra ele poderá está aborrecido, com raiva, enfurecido. Mas eu vou dar meu jeito, contanto que ele seja libertado, eu ficarei mais calma.

Fechei meus olhos e tentei lembrar qual eram as palavras certas para tirá-lo dali, após lembrar, continuei meus olhos e apenas recitei o feitiço.

Após abrir meus olhos torcendo para que tivesse dado certo, encontrei um Caliban irritado, obviamente,  me observando.

- Oi, Caliban. Parece que alguém foi libertado e deve ter uma conversa séria com  a rainha.


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capítulo! Que suspense, não é mesmo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...