História Heal - Capítulo 10


Escrita por: e miss_sxnshine

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Doyoung, Jaehyun, Jeno, Personagens Originais, Taeyong
Tags Abo, Angst, Fluffy, Jaeyong, Mpreg, Nct, Short Fic, Shot, Yonghyun, Yongjae
Visualizações 99
Palavras 1.083
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Capítulo nove, parte dois: Cure meu coração e tire meu medo


Taeyong acordou lentamente. Olhou logo para o braço, onde sentia uma dor aguda.

—Ótimo… —Resmungou ao ver que tomava alguma substância diretamente na veia. Pela cor, deveria ser soro. A enfermaria estava quase vazia, mas havia uma enfermeira logo ao seu lado, checando a temperatura de uma garotinha. —Hm…licença? Quando posso ir embora?

—Quando o soro acabar, senhor —Ela respondeu, checando o provedor do líquido com o olhar. —E vejo que vai demorar um pouco.

—Ah… —Suspirou, inconscientemente pousando as mãos sobre a própria barriga. Parecia até que o local estava estranhamente mais quente. —Então…estou grávido…

—Não desejava um filhote? —A enfermeira questionou, se aproximando para fitar o ômega. Taeyong mordeu os próprios lábios.

—É tudo o que eu mais desejo desde que me conheço por gente —Riu fraco, timidamente acariciando sua própria barriga.

—Então porque parece tão tristonho? —Ela sorriu fracamente, se sentando na cadeira ao lado da maca do ômega.

—Meu…alfa. E meu passado. Perdi meu bebê na primeira gravidez, me separei de meu alfa…estamos reatando agora, aos poucos! E uma gravidez…agora? Não sei se é o ideal mas… —Pausou, sorrindo fraco em seguida. —No fundo estou feliz. Muito. Mas…o medo é maior.

—Sempre vai existir medo, querido. Em todas as situações —Ela sorriu afetada, como se lembrasse de algo. —Conheci um ômega como você, sabe? Depois de superar o medo, ele teve 6 filhotes, todos saudáveis. Então, quer um conselho? Vá sem medo.

—Sem medo… —Taeyong sussurrou. Mas não tinha tanta certeza de que poderia cumprir com as palavras.

Mordeu os próprios lábios, observando o soro pingar lenta e ritmicamente.

[...]

—Boa noite, Jaehyun! Achei que nem iria vir hoje! —A recepcionista disse simples, acenando para o médico e lhe entregando os prontuários dos pacientes do plantão. O Jung sorriu, ajeitando o jaleco no próprio corpo e apanhando os papéis.

—Tive um imprevisto, desculpa —O alfa disse pouco sem graça, lendo os nomes nos papéis rapidamente. —Perdi algo importante?

—Ah, não, na verdade só o seu namorado veio aqui —Ela disse distraída. —Desmaiou, passou super mal, acho que tomou soro e foi embora depois.

—Que!? —Jaehyun praticamente gritou, se virando para a mulher. —Onde ele está!? Ele está bem!? Céus, ele nem me avisou nada!

—Ah, vai saber, às vezes ele só não quis te preocupar —A moça disse simples, entregando ao alfa um prontuário diferente. —É a ficha dele. Não conta pra ninguém, viu? Eu não posso tirar fichas prontas e entregar por aí. Mas, você deveria ler…

Ela saiu andando, e Jaehyun olhou para a ficha em sua mão.

“Nome completo: Lee Tae-Yong

Idade: 29 (vinte e nove) anos

Tipo sanguíneo: B

Sintomas: Vômito e enjôos súbitos

Diagnóstico: Exame de sangue feito às 14:53 do período vespertino; resultado: encaminhamento para ultrassonografia com finalidade (s) gestacionais.

Resultado de análise: Gestação; 8 (oito) semanas.

Anexo: Exames de sangue e ultrassonografia. ”

Jaehyun releu tudo novamente, boquiaberto, o coração batendo tão forte que até doeu. Gestação. Oito semanas.

Largou os papéis e o jaleco em sua mesa, e saiu correndo. A recepcionista o olhou torto ao vê-lo passar correndo pelas portas do hospital.

—Doutor Jung!? Aonde vai? —Gritou enquanto ainda tinha-o em seu campo de visão. Pôde ver ele sorrir dali.

—Preciso ver meu ômega! —Gritou o alfa de volta.

[...]

Jeno se viu sem saber o que fazer com Taeyong desabando em lágrimas em seu colo. O máximo que podia fazer era acariciar os cabelos rosados dele e deixá-lo chorar e colocar tudo para fora.

—Ei…Tae-hyung…me diz o que aconteceu, uh? Talvez eu possa te ajudar melhor se eu souber… —Timidamente disse o mais novo, vendo o outro fungar, respirar fundo, e se recompor rapidamente.

—Estou grávido —Disse, e voltou a desabar novamente. Jeno abriu a boca, surpreso (surpreso falso, pois já imaginava) e sorriu fraco em seguida.

—E posso saber qual o problema? É do Jae, certo? —Jeno segurou as bochechas do ômega, vendo-o ficar silencioso.

—Eu…eu… —Demorou a raciocinar. Jaehyun não negaria o filho, não brigaria com Tae, não seria um pai ruim, acolheria Taeyong, amaria-o ainda mais, pediria o ômega em casamento…o Lee não via nada ruim pela frente. Exceto… —E se eu perder?

—…perder o bebê? —Jeno disse hesitante, vendo-o concordar. O narizinho dele estava tão vermelho quanto seus olhos, e ele pareceu perder-se da realidade alguns segundos, ficando com o olhar opaco. Jeno suspirou. —Tae…sei que isso assombra você mas…se acalma. Quando eu descobri, também fiquei preocupado. Ainda estou. Mas…você precisa respirar fundo, sabe? Ir sem medo, sei lá.

—A enfermeira me disse a mesma coisa hoje. Mas como eu posso me livrar do medo, Jeno? —O mais novo ficou mudo diante das palavras. Antes que tentasse argumentar, ouviram alguém bater na porta. Era o apartamento de Taeyong, por isso não esperavam ninguém. —Doyoung ia vir te buscar?

—Não…estou com o carro. Deve ser alguém para você. Vou lá atender, espera aí —Se levantou ao dizer, deixando o amigo no sofá da sala e indo até a porta. Ao abrir, vendo Jaehyun ali, imediatamente calou a boca do alfa com seu próprio palmo, impedindo-o de dizer qualquer coisa. —Vai lá com ele. Eu vou embora.

—Tudo bem —O alfa sussurrou, vendo o menor sair. O jeitinho dele, andando rápido porém com atenção, lembrava Taeyong. Sorriu fraco, adentrando o apartamento e fechando a porta lentamente.

—Jeno? Que silêncio é esse? Quem era? —Ouviu a voz preocupada do ômega, e o mesmo se levantou, exibindo o rosto choroso e surpreso ao ver o alfa ali. —J-jae!? Eu…eu…

—Não precisa dizer nada. Eu já sei —Se aproximou, recebendo o ômega em seus braços. Beijou-lhe os cabelos rosados, enchendo as bochechas dele de beijos carinhosos em seguida. —Ei, gatinho, não chora…eu sei, tudo bem? Sei que você está com medo. Eu também estou. Eu tenho medo em dobro, sabia? Tenho medo de perder você, e medo de perder o bebê. Vocês dois são um só agora, e eu…amo vocês dois. Tae, não tem problema ter medo. Eu também tenho. Mas juntos, nós somos fortes o bastante para aguentar isso —O alfa pausou, segurando o rosto do menor com cuidado e o olhando com ternura. —Nossa maior tolice foi pensar que o melhor era nos afastar, gatinho.

—Jae… —O menor comentou choroso. Era tudo o que precisava ouvir. O dia todo lhe disseram para superar, superar…ouvir que estava tudo bem, ouvir que ter medo era normal…era tudo o que precisava. Precisava daquele conforto.

Taeyong abraçou o alfa com força.

E lentamente sentiu seu coração se curar, enquanto o alfa colocava um beijo sobre seus lábios para toda a insegurança que verbalizava.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...