1. Spirit Fanfics >
  2. Heart Attack - Ellie e Dina >
  3. Ataque Cardíaco?

História Heart Attack - Ellie e Dina - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Enfim, o último.
Espero que gostem.
Foi uma ideia que me surgiu bem do nada e fiquei muito satisfeita em colocá-la no papel😘🥰

Heart Attack - One Direction

Capítulo 3 - Ataque Cardíaco?


Fanfic / Fanfiction Heart Attack - Ellie e Dina - Capítulo 3 - Ataque Cardíaco?

 Ellie não conseguia dormir. A idéia de reciprocidade dos seus sentimentos era absurda. Isso fez com que ela virasse a noite ouvindo suas músicas. No entanto, ela se surpreendeu ao descobrir uma banda chamada One Direction. O ritmo não era tão maduro mas era um pouco animador. Ellie acabou por encontrar cada vez mais músicas que condiziam com seus sentimentos. Com uma insônia terrível, ela passou a noite inteira praticando e tentando desvendar os acordes daquela música que lhe chamava bastante atenção.
    Somente quando o sol começava a raiar, Ellie conseguiu cochilar. Após alguns pesadelos com infectados, Ellie pulou ao despertar. Ela escutou a porta de casa bater e desejava de todo coração que fosse sua amiga.

"Voltei!" Ela ouviu Joel gritar. Decepcionada por não ser Dina mas feliz que Joel estivesse vivo, ela desceu as escadas. "Tudo bem marrentinha?" Joel a encarou, analisando suas olheiras de uma noite mal dormida.

"Ah. Sim, sim." Ellie resmungou enquanto bebia água.

"Que tal nós almoçarmos no Seth mais tarde? Mas antes preciso de um cochilo." Joel tentaria desvendar o que tinha acontecido com a garota mas seu corpo precisava de uma pequena pausa antes.

"É. Até daqui a pouco." Ellie disse e saiu pela porta. Ela precisava tirar Dina de sua mente o mais rápido possível e a única forma de fazer isso seria confrontando a menina mais baixa. Ao chegar em sua porta, Ellie respirou fundo antes de criar coragem para bater porém,  antes mesmo que ela fizesse algum movimento, a porta se abriu e ela deu de cara com uma Dina mal humorada.

"Ah, você." Dina fecha a porta e sai andando.

"Hey, espera." Ellie anda atrás dela, que simplesmente a ignora. "Dina, precisamos conversar!" Ellie a segura pelo braço e Dina se vira completamente frustada.

"Agora não Williams." Usando seu sobrenome? Dina deveria estar realmente irritada com ela. "Tenho que ajudar Maria na divisão de mantimentos. Outra hora." Dina afastou sua mão no mesmo momento e virou suas costas.

  Ellie bufou enquanto via sua silhueta se afastar. Dina era extremamente chata e difícil de lidar mas Ellie sabia que gostava dela mesmo assim.
  Enquanto fazia o seu caminho de volta para casa, ela se lembrou de que Joel queria almoçar com ela e percorreu em direção até a lanchonete.
  Ao já encontrar com Joel, que prestava atenção em um livro desgastado em sua mão, Ellie se surpreendeu.

"Achei que fosse dormir." Ela comentou enquanto se sentava nas cadeiras de madeira.

"Não consegui. Preciso terminar de ler esse livro logo." Joel resmungou sem tirar os olhos das páginas do livro.

"E sobre o que é?" Ellie perguntou curiosa, dificilmente alguma coisa prendia a atenção de Joel assim.

‌"Ah, algum romance clichê da minha juventude." Ele olhou para Ellie como se sugerisse alguma coisa."Você acredita que as pessoas antigamente costumavam resolver os seus problemas  amorosos com um violão?" Joel continuava a encara-la como se soubesse de seus pensamentos e Ellie não duvidaria disso. Ele notou a menina estreitar os olhos, interessada no assunto.

"Como assim? Explique." Ella quase ordenou e Joel riu. Ele entendeu que as olheiras eram causadas por alguma morena chamada Dina.

"Bem, vejamos. Quando alguém, comumente um homem, fazia alguma coisa errada ou brigava com sua amada, ele planejava uma serenata de amor." Joel tentava explicar.

"Serenata de amor?" Ellie ponderou, lembrando-se vagamente de um dos poucos filmes que ela havia visto

"Sim. Se baseava em jogar uma pedra na janela de sua amada e declarar uma canção de amor em frente a sua casa." Joel tentava coagir Ellie, que se encantou com a idéia.

"Dava certo?" Ela perguntou e não via o por que não tentar.

"Algumas vezes sim. Em outras, provavelmente você tomaria um banho de água gelada." Joel preferia que Ellie soubesse de suas possibilidades. Ela fez um careta. "Mas se arriscar tinha seus benefícios. Ou você conquistava sua amada ou continuariam brigados, é uma faca de dois gumes." Ele sabia que Ellie não tinha medo de tomar um banho, mas que isso seria vergonhoso, seria.

   Depois de almoçarem e conversarem sobre as patrulhas, Ellie correu de volta para casa, deixando Joel conversando com Tommy.
  Ela queria agradar e conquistar sua amada. Sabia que faria um papel de trouxa mas queria acreditar nas palavras de Jesse, afinal ele não mentiria sobre um assunto tão sério. Além disso, ela sabia o quanto Dina gostava de ouvi-la cantar e não faria mal nenhum tentar.
     Quando o dia começava a se encerrar, Ellie pensou que seria hora de ir para casa de Dina, era melhor que fizesse isso de noite pois a maioria dos moradores já estariam casa.

Ao bater em sua porta, Dina abriu para em seguida bate-la em sua cara.

"Vá se ferrar Ellie!" Ellie não evitou um riso com o terrível gênio da garota."Ou melhor, vá atrás de Cat."

"Você é maluca? Porra!" Aquela situação já estava estressando Ellie. Ela sempre soube que Dina não gostava de Cat mas não acreditava que era por ciúmes.

   Ao não obter uma resposta, Ellie pensou em virar as costas e voltar para casa. Entretanto, Joel havia dito algo sobre jogar uma pedra na janela. E foi isso que ela fez. Dina a ouviria sim, nem que tivesse que quebrar aquela janela. Assim que Dina apareceu, Ellie não deu nenhuma chance para que ela começasse a falar.

"Você é uma idiota sabia. Acho que comunicação na verdade nunca foi nosso forte." Ellie se frustou ao ver Dina desaparecer, deixando somente seu gesto obsceno pela janela. Aquela mulher ainda seria a causa de sua morte.

"Querida, você me deixou doente
Eu não sei o que eu fiz
Preciso fazer uma pausa e descobrir isso
A sua voz está na minha cabeça dizendo: Vamos ser apenas amigos
Não posso acreditar que as palavras saíram de sua boca"

    Era exatamente assim que Ellie se sentia. As coisas pareciam cada vez mais confusas nos últimos dias. O término de seus amigos, Jesse lhe dizendo que Dina gostava dela, Cat voltando a ser sua amiga. Eram tantas coisas que deixavam Ellie completamente fora da realidade.

"Eu estou tentando ficar bem
Mas ver você com ele
Só não parece certo"

Era verdade. Quantas vezes Ellie não se questionou sobre como poderia fazer Dina mais feliz quando precisava enxugar suas lágrimas causadas por mais uma discussão. Como seu coração se partia cada vez que presenciava seus amigos se tocarem, se beijarem. Era realmente terrível.

"Eu estou surpreso, nunca pensei que fosse doer tanto superar você, e
Você está me dando um ataque cardíaco
Aparecendo assim
Porque você é tudo que eu sempre quis"

Se Dina não entendesse suas confissões agora, jamais entenderia. Ela tentava cantar com toda emoção de seu coração, apesar de sua voz não ser uma das melhores.

"Querida, agora que você se foi
Eu não suporto mais ouvir canções de amor bobas
Sinto sua falta, é tudo que eu estou pensando"

As únicas músicas que ela havia escutado na última noite foram canções bobas de amor. E ela já poderia confessar o quão diabética estava se sentindo.

"Todo mundo está me dizendo
Eu estou muito cego pra ver
Como você me estragou e que estou melhor agora"

Não é como se Cat não tivesse alertado a ela sobre isso. Ela sabia que doeria e partiria seu coração estar assim tão próxima a garota que amava. Mas preferiu se arriscar, era melhor ser infeliz e estar perto de Dina do que sofrer e ter que vê-la apenas de longe sem poder compartilhar risadas e ou toques. Sem estar ao lado da garota que antes de tudo era sua amiga.

  Ellie repetiu novamente o refrão e encerrou a música. Ela ainda ficou mais alguns segundos plantada em frente a janela mas não havia nenhum sinal de Dina. Provavelmente ela não tinha entendido nenhum pouco dos sentimentos de sua amiga.
  Quando decidiu que seria deplorável continuar ali, Ellie virou as costas, decidida a voltar para casa e chorar a noite toda.
Todavia, o plot twist aconteceu quando Ellie sentiu dois braços em volta de sua cintura e um peso em suas costas. E Ellie sabia de quem era exatamente aquelas mãos.

"Desculpe. Eu exagerei no meu ciúmes." Dina confessou e Ellie não pode evitar de sorrir.

"Joel estava certo." Ellie sussurrou alegre.

"Sobre o quê?" Ela pode ouvir Dina perguntar.

"Nada." Ellie se virou e passou seus braços ao redor da menina mais baixa.

"Comunicação nunca foi nosso forte." Dina repetiu as palavras das quais Ellie havia dito há pouco tempo atrás.

"Nunca." Ellie sussurrou ao depositar um beijo na testa de Dina.

"Eu sei." Dina se apertou ainda mais na mais alta. "Eu gosto de você, sempre gostei. Só me desculpe por não ter tido coragem mais cedo." Dina agora colocava uma mecha do cabelo ruivo atrás da orelha de Ellie.

"A culpa não foi só sua. Eu também não confessei antes. Tinha medo de estragar minha amizade com você e com Jesse." Ellie corou e Dina gargalhou.

"Nossa amizade só tende a melhorar garota." Dina sussurrou lentamente antes de puxar a mais alta para um beijo caloroso.

Ellie por um momento acreditou que provavelmente ela deveria estar em coma ou que algo tinha dado errado em sua última patrulha. Era tão surreal que uma coisa que ela sempre desejou estivesse realmente acontecendo. Mas como todo sonho tem um fim, esse também teria.

"Porra até que enfim. Não aguentava mais essa baitolagem!" Ellie se assustou e se afastou de Dina no mesmo momento em que ouviu a voz de Jesse. Ao se virar, deu de cara com o mesmo, Cat e Lucca.

"Puta que pariu Jesse. Eu te odeio." Dina resmungava e Jesse riu. "O que caralhos vocês estão fazendo aqui? Nos espionando?" Dina arqueou as sombrancelhas ao encarar Cat.

"Óbvio que não. Acontece que sua princesa nos deve uma cerveja e eu precisava cobrar. Agora, por favor, movam a bunda murcha de vocês para o bar." Jesse disse e se virou com Lucca lhe dando um tapa em sua nuca.

"Você tem uma boca imunda seu fudido."  Lucca revirou os olhos e seguiu seu amigo.

Cat, movida pela vontade de provocar Dina, puxou Ellie e a enganchou seu braço ao dela.

"Tira a mão da minha namorada." Dina disse enquanto agarrava Ellie pelo braço  e Cat gargalhava.

  "Ah, como será divertido provocar as duas." Cat pensava.

   Ela só não sabia que Dina era capaz de qualquer coisa por Ellie e a partir de agora, não exitaria em fazer de tudo para proteger e manter a sua ruiva feliz.
Ellie, por sua vez, desejava nunca mais acordar daquele doce sonho em que estava vivendo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...