1. Spirit Fanfics >
  2. Heart Attack >
  3. Destino final

História Heart Attack - Capítulo 35


Escrita por:


Capítulo 35 - Destino final


Fanfic / Fanfiction Heart Attack - Capítulo 35 - Destino final

Heart Attack

Destino final

...

– Já estamos dentro desse cassino há mais de três horas...

– O que a Nami-San está apostando afinal...?

– Não sei... Só queria entender por que o capitão está fazendo tudo o que ela pede sem reclamar sobre nada.

– HEY VOCÊS!

Repentinamente uma voz intransigente interrompeu os cochichos de Penguin, Shachi e Bepo que se encontravam atrás de algumas máquinas dentro de um cassino no centro da cidade de uma ilha na Grandline.

– Diga, Nami-San...

– O que vocês estão fazendo parados!? As minhas compras chegaram, então vão agora pegá-las e leva-las para o submarino, antes que eu me irrite de verdade!

– S-Sim! Nami-San!!! – O terceto gritou em uníssono e automaticamente apanharam as dezenas e sacolas de modo atrapalhado.

Do outro lado do cassino, Law aguardava a ruiva com seus afazeres, afinal... Gastar mais de um bilhão de berries era algo quase impossível para ela...

O cassino estava lotado de pessoas e o moreno se encontrava sentado em uma cadeira em frente a uma mesa qualquer.

Repentinamente uma mulher de longos cabelos louros e que trajava roupas luxuosas se aproximou rapidamente e então se sentou ao lado dele.

– Deixe-me adivinhar... O shichibukai Trafalgar Law gosta de apostas...? – Ela sussurrou de modo ousado, porém o cirurgião mal olhou para o seu rosto, continuando em silêncio.

Mesmo sabendo que estava sendo estupidamente ignorada, a tal mulher não desistiu.

– Hmmm... Então você faz mesmo o tipo difícil, como muitas já disseram por aí... – E então ela se aproximou, ficando a poucos centímetros dele.

Law finalmente resolveu encarar aquela mulher inconveniente com seu costumeiro olhar frio.

– Você precisa de alguma coisa...?

– Sim... Que você me faça companhia... – Ela sorriu audaciosa.

– Me desculpe, mas não posso... – Ele respondeu de modo pacífico e aquilo incitou ainda mais a tal mulher.

– Não tem importância... Decidi que você irá me acompanhar mesmo assim... – E então ela agarrou o braço dele e se aproximou ainda mais, encostando-se totalmente em seu ombro.

No mesmo momento, Nami cruzou o grande salão do cassino e deu de cara com aquela cena estranha.

Law e aquela estranha mulher totalmente próximos... Mas ela era um tanto familiar...

A ruiva atentou para aquilo de modo bizarro. E então automaticamente...

– Hey você é a dona desse cassino...?

– Sim... Como sabe...? – A mulher que ainda segurava o braço do shichibukai respondia com certo desprezo.

– Você... Gostou dele...? – Nami apontou para o cirurgião.

Law não entendeu, e prova disso foi a feição de perplexidade.

– Não é óbvio...? Afinal, ele faz o meu tipo... Mas por que está perguntando...?

A navegadora e aproximou lentamente da tal mulher e então passou a sussurrar coisas em seu ouvido.

.

– Gostaria de compra-lo por uma semana...?

.

...

– Quem é que gasta mais de cinco milhões de berries em menos de uma semana...?

– Eu também queria saber como ela conseguiu fazer isso...

– O submarino ficará cheio de sacolas se ela não parar...

– HEY VOCÊS!

E mais uma vez Nami estava ali, encarando o terceto de modo selvagem, quase os matando apenas com seu olhar.

– O que foi agora Nami-San...? – Shachi perguntava, tentando se esconder atrás de Bepo no meio do corredor estreito.

– É melhor darem um jeito no capitão de vocês... Ele está irritado e eu não estou com a mínima paciência pra aturar o mau humor dele... – E então a garota se dirigiu para o quarto onde estava hospedada.

Os três ficaram em silêncio por alguns segundos, com um ponto de interrogação estampado em suas faces.

– Alguém aí pode me dizer o que está acontecendo...?

...

– Você resolveu esquecer o plano de vingança...? Foi esse cara que te convenceu...?

– Claro que não... Eu passei por algumas situações nessas últimas semanas... Resolvi começar do zero, porém...

– Porém...?

Bonney mirou atentamente os olhos de Shanks. Ela havia se reencontrado com o Yonkou depois de muito tempo.

Drake se encontrava do outro lado do bar onde ela o ruivo conversavam.

– Porém não desisti de acabar com o Teach, mas... Estou pensando em métodos mais inteligentes... – Ela dizia enquanto comia um imenso pedaço de pizza.

– Mas era isso que eu estava te dizendo desde o começo... Por que preferiu passar por essas situações em vez de me ouvir...? – Uma gota escorria pela testa do ruivo. Não havia nenhuma novidade, afinal, ele sempre a aconselhou a agir cautelosamente com o seu maior inimigo.

– Eu estou traçando um novo plano e creio que se eu der esse passo, as coisas ficarão mais fáceis... – Bonney dizia enquanto mastigava de modo voraz. Sua fome descomunal estava presente em todos os momentos, ainda mais quando o assunto se tratava sobre exterminar seu pior inimigo.

– E o que você decidiu...? – O ruivo contestou preocupado.

Bonney largou o pedaço de pizza em cima do prato, e repentinamente...

.

– Eu decidi que vou me tornar uma shichibukai!

.

E após tal revelação, ela esbanjou um sorriso completamente divertido.

– Você o quê...? – Shanks perguntou um tanto surpreso e desconfiado.

– Não adianta dizer nada que me impeça! Eu já decidi!

– Ahahahahaha, mas quem disse que eu te impedirei!? Boa sorte! Você vai precisar pra ter que aturar aquele pulguento do Akainu te dando ordens!!! – Ele riu descontroladamente da cara da devoradora e isso resultou numa carranca sombria.

– Se aquele cão sarnento tentar algo, eu juro pela minha vida que farei ele usar fraldas de novo!

E antes que qualquer um deles pudesse notar, um bando de piratas adentrava ao bar.

– EU JURO QUE AINDA VOU MATAR ESSA MULHER!!!

E depois de todos ouvirem um grito quase ensurdecedor dentro do bar, todas as peças de metal do local passaram a tremer de modo violento.

Bonney atentou para o outro lado e então...

– O que esse babaca está fazendo aqui!? – Ela comentava desacreditava o fato de Eustass Kid aparecer repentinamente ali.

– Ooh, aquele é o novato mais temido da pior geração!? Nunca o vi pessoalmente... – O ruivo comentava empolgado, afinal, já havia ingerido altas doses de álcool, o que lhe fazia agir de modo animado, tratando até mesmo seus piores inimigos com muita cortesia.

Quando Kid olhou para as mesas ao redor, percebeu que Bonney o encarava indiscretamente.

Então o rosto dele queimou ainda mais em fúria, fazendo com que se dirigisse aonde ela estava.

– Sua desgraçada! Por sua culpa ela foi embora!

– O quê...? Tá falando da ruiva...? Aah por favor! Não venha resmungar no meu ouvido por que levou um pé na bunda! Se quiser descontar sua raiva em alguém, desconte no Apoo! Ele é que me fez sair daquela ilha, por que a Grandline é muito pequena para nós dois!

– É muito fácil jogar a culpa nos outros não é Bonney!? Confesse que você só queria sair de lua de mel com o seu amante! – Apoo respondia as provocações da devoradora enquanto sentia o olhar letal de Drake bem atrás de si.

– Mais respeito comigo seu babuíno esquizofrênico!

– Ahahahaha, nunca vi tantos novatos reunidos numa só festa!!! Que saudades de quando era jovem! – O Yonkou ria desvairadamente da cena que julgava um tanto engraçada, e isso resultou na cara de perplexidade de todos os novatos que se encontravam ali.

– Mas o que você quer aqui...? Não me diga que veio atrás de mim pra se vingar!? Já vou dizendo que o Shanks está aqui, então pode tirar seu cavalinho da chuva!

– Eu não vim atrás de você sua idiota... Aquela desgraçada me enganou, dizendo que a Nami estaria nessa ilha... Mas depois de chegar aqui, ela teve a coragem de dizer que estava mentindo...

– ‘Aquela desgraçada’? De quem você está falando...? – Bonney arqueou uma sobrancelha, curiosa.

– A irmã da Nami... Eu vou agora para o East Blue fazê-la em pedaços! – O capitão bradava extremamente irritado.

– Ahahahahahaha bem feito! Elas duas te transformaram no maior bocó da Grandline! – A rosada ria junto com Shanks, que aquela altura já estava quase caindo embriagado no chão.

– Dessa vez eu preciso concordar com esse extraterrestre! Você foi feito de idiota pelas duas!!! – Apoo também ajudava a dupla a rir da cara do ruivo.

Totalmente inconformado com tantos risos, inclusive o bar inteiro já estava rindo da situação esdrúxula ao qual ele mesmo fez questão de espalhar, o capitão rapidamente caminhou para fora dali e procurou por um lugar silencioso para fazer uma ligação.

Quem aquela garota pensava que era...? Desde que chegara naquela ilha minúscula no East Blue, ela havia lhe tratado com uma pessoa normal... Alguém que não pudesse ser temido... Justo ele...? O novato mais atroz de todos...?

Por que Nojiko era tão diferente de Nami...? Ele se recordava de quanto havia capturado a ruiva. Apenas de olhá-lo, ele podia sentir que suas pernas tremiam... Sua postura cautelosa mostrava o quanto a ruiva sentia medo...

Todos sentiam medo...

Até mesmo as mulheres que o admiravam...

O que havia de errado afinal...? Por que Nojiko era a exceção...?

Ele segurava seu Den Den Mushi, esperando que a pessoa do outro lado da linha atendesse sua ligação.

Os olhos do pequeno caracol abriram, mostrando que a pessoa havia atendido.

– O que você quer agora...? Espere! Não diga! Me deixe adivinhar! Você finalmente a encontrou e agora vai me deixar em paz!?

– Pare de brincar sua maldita! Por que me enganou!?

– Sabe... Eu estou impressionada comigo mesma... Como consegui enganar um temido pirata com uma recompensa tão grande!? Eu pensei que você fosse mais inteligente...

Após tais palavras, Kid sentiu ainda mais vontade de trucida-la da pior forma possível, porém estava extremamente incitado em ganhar ao menos uma vez uma discussão com Nojiko...

Ele a odiava mais que qualquer pessoa no mundo... Talvez até mais que Trafalgar Law... Quando se recordava do modo atrevido como ela o olhava... Seus gestos tranquilos e concisos... O olhar desinteressado... As palavras diretas... O sorriso debochado... Ela era uma mulher audaciosa... A mais audaciosa que conhecera em toda a sua vida...

– Ria enquanto pode... Por que estes serão seus últimos dias de alegria... Faço questão de mata-la pessoalmente para aprender a nunca mais a brincar com fogo... – Ele dizia enquanto sorria maldosamente, acreditando fielmente que naquele momento ela imploraria por sua vida, e então...

– Aah, então você irá me matar...? Com tantas responsabilidades na posição perigosa em que está, tantos inimigos fortes para enfrentar, tantas ilhas para conquistar, tantos tesouros para roubar, e você quer matar uma reles civil numa pequena ilha dentro do East Blue...? Imagino o que os jornais diriam quando soubessem de algo tão deprimente a seu respeito... Sério, eu tenho pena de você...

– O-O quê!? Você por acaso está louca!? Estou dizendo que seus dias estão contados! Que você irá morrer da forma mais cruel que existe e é só isso que tem pra me dizer!?

Ele contestava completamente irritado. O que havia de errado com aquela mulher...?

– Se quiser me matar, pode vir... Sei que não terei chance, mas ao menos lutarei com dignidade, afinal, eu me esforcei a vida toda por algo e não será agora que me darei por vencida. Mas se você me der licença, estou com muito pedidos para entregar e não tenho tempo para discutir com você... 

Os olhos do ruivo arregalaram... Ele estava surpreso... Abismado... Confuso...

– Então aproveite e prepare o seu caixão! Estou indo agora mesmo para o East Blue! – Ele replicou irado, sem saber exatamente o que dizer.

– Tá, tá... Eu já tenho um plano funerário pago que é pelo convênio da cultivação de laranjas, então não se preocupe com esses pequenos detalhes... Já está tudo pronto... Quando quiser me matar, estarei esperando... Só ligue antes para avisar, por que estamos com muitos clientes e preciso entregar toda a mercadoria no prazo... Agora se você não tem mais o que fazer, eu preciso trabalhar... Boa noite Eustass...

*CATCHA*

E então Nojiko desligou o Den Den Mushi sem que o ruivo pudesse lhe dar outra resposta.

Ele continuou encarando o caracol em sua mão...

Aquela mulher era louca... Completamente louca...

E pensar que a morte não parecia assustá-la, causava uma espécie de medo no capitão...

Uma garota que não teme a morte...? Ela realmente existia...??

– Kid, você já decidiu o que fará...?

Killer, que acabava de chegar ao local e observava a face totalmente estranha do capitão, perguntava um tanto preocupado sobre o destino da tripulação naquele momento. Eles havia viajado para longe, perdido tempo e dinheiro. Todos os planos tinham sido adiados...

Pelo que exatamente todos estavam atrás...?

Kid ficou em silêncio por alguns segundos.

– Vamos continuar de onde paramos...

Killer não havia entendido muito bem as palavras do capitão.

– Teremos que voltar para ao East Blue...?

O ruivo olhou de forma enigmática para o companheiro e sorriu de canto...

– Não. Infelizmente tenho planos muito piores para aquela mulher...

...

– Aquele idiota foi mesmo embora...? Pensei que ele mataria todo mundo primeiro...

– Você não devia provoca-lo dessa forma...

– Ohh, lá vem o senhor certinho e seus conselhos adultos... Olha só Drake, muito obrigada por me trazer até aqui, mas agora você já pode ir... Eu farei contato com os meus homens e colocarei meu plano em ação... Então xô! Pode ir! Não preciso mais de você! – A devoradora dizia enquanto acenava o típico ‘Adeus’.

O capitão sorriu ternamente em resposta.

– Se pretende se tornar uma shichibukai, preciso te alertar sobre algumas coisas em relação a esse sistema...

– Hmmm... Será que é só isso mesmo ou será que na verdade você não quer que eu vá...? – A rosada sorria de modo debochado e o olhar sério do capitão lhe congelou certeiramente por dentro.

– Há apenas uma maneira de saber se isso realmente é verdade...

– E qual seria...? – Ela arqueou uma sobrancelha.

– Venha comigo...

A devoradora arregalou os olhos.

– O-o quê!?

– Você não deve me enxergar como um antigo marinheiro... Sou um pirata... E piratas correm atrás de tesouros...

– M-mas o que você quer dizer com isso...? – A rosada contestava enquanto sentia seu rosto arder como um pimentão.

– Que quando estamos diante de uma joia preciosa...

Ainda próximo, ele se agachou e rapidamente segurou a mão dela, completando a frase logo em seguida.

– Temos de roubá-la...

A essa altura, Bonney já havia sentido seu rosto derreter de tamanho acanhamento. Ela não sabia como agir na frente de Drake. Ele era um homem misterioso e extremamente forte... Era maduro e completamente pacífico na maior parte do tempo... Nas situações mais engraçadas, ele agia de modo inesperado e ela se sentia num imenso labirinto...

Mas de certa forma ele havia cuidado dela todo aquele tempo... Isso era inegável...

A rosada não pensou muito, talvez por que a resposta já estivesse clara desde o princípio.

– Eu aceito ir com você... Mas só se tiver pizza todos os dias no café da manhã... – Ela fez um imenso bico após o término da frase e ele obviamente respondeu o que ela queria ouvir...

– Todos os dias e o que mais você quiser...

E então ele sorriu, enquanto os olhos azuis colidiam com os olhos lilás.

Ela correspondeu ao sorriso dele, totalmente satisfeita. Bonney começaria uma nova jornada ali. E ela estava esperançosa sobre suas novas aventuras, mas dessa vez ao lado de alguém muito mais experiente.

...

– O TRAO E NAMI VOLTARAM!!!

– Mas já!!?

– É sério!!?

– SAIAM DA FRENTE SEUS CRETINOS!!! NAMI-SWAAAAAAAAAN!!! – E então o cozinheiro correu na velocidade da luz para onde a ruiva estava.

Ela mal havia saído do submarino na costa quando viu que Sanji se jogaria em cima dela para abraça-la, porém...

Alguém havia rapidamente entrado na frente...

– Há quanto tempo Perna Negra-Ya... Não vai me cumprimentar também...?

Law sorriu cinicamente para o loiro, porém era nítido uma aura de morte pairando ao redor do shichibukai.

– Saia da frente... Preciso me certificar se a Nami-San está bem... – O loiro dizia enquanto a mesma aura negra tomava conta de si.

– Você já não está vendo...? Ela está ótima... – Law respondeu de modo letífico, mas foi interrompido com uma bofetada na cabeça.

– Francamente! Eu não preciso que você fique me protegendo o tempo todo! Sanji-Kun é meu companheiro e mesmo se ele tentasse qualquer gracinha, eu sei exatamente como me defender! – A ruiva protestava aos berros com o cirurgião, enquanto o mesmo segurava o galo na cabeça de forma perplexa.

Nami estava mostrando reações inéditas que ele jamais podia sonhar... E tudo por que eles finalmente haviam se acertado...

– Não estou entendo suas agressões... Quem deveria estar com raiva sou eu, que quase fui vendido para uma mulher que nunca vi na vida... – Ele desabafou irritado.

– Ora, negócios são negócios... Entenda isso de uma vez, Traffy-Kun... – E então ela piscou cinicamente para ele.

Uma carranca horrível germinou no rosto do cirurgião.

– Namiiiiiiii – Chopper e Usopp também chegaram ao local, imensamente felizes por revê-la.

– Chopper!!! Usopp!!! – E então a navegadora correu na direção da rena e do atirador e os abraçou.

Law atentou para a cena absurda em sua frente... Ela estava mesmo abraçando seus companheiros com tanto carinho!? E quanto à ele!? Por que desde o dia seguinte onde ambos haviam aprofundado a relação, a navegadora passou a trata-lo de modo indiferente.

Robin e Franky chegaram em seguida.

– Vejo que vocês estão suuuuuuuuuper bem!

– Vocês estão com um aspecto ótimo! O que aconteceu!? – Robin perguntava de forma direta, por que desconfiava exatamente o que havia acontecido entre os dois.

Law e Nami esquivaram o rosto no mesmo instante, tentando esconder os rostos enrubescidos, na tentativa frustrada de escapar do embaraço da pergunta da morena.

– Nem precisam dizer... Nós já entendemos... – Franky soltava mais uma indireta enquanto olhava maliciosamente para Robin.

– Malditos... – A ruiva resmungava baixinho.

– Do que vocês estão falando!? O que aconteceu!? – Usopp interrompia a cena estranha sem entender nada do que estava acontecendo... A rena também estava com um ponto de interrogação em cima da cabeça.

– Vamos deixar as perguntas para depois! Eu tenho uma surpresa para cada um de vocês! – Nami anunciava de modo animado.

– Nami!!! Trao!!! – Dessa vez era Luffy quem chegava ao local, totalmente sorridente.

Os demais vieram logo atrás.

– Luffy... – Nami replicou um tanto desconcertada depois de tudo... Ele estava mesmo disposto a aceita-la de volta...?

– Seja bem vinda... Nós estamos felizes que nossa navegadora voltou, não é pessoal!?

– SIIIIIIIIIIIIIIIIIIM!!!

– Pessoal... – Ela respondeu num sorriso totalmente emocionado e compassivo.

– Mas qual é a surpresa que você tem pra gente!!? Estou curioso!!! – Chopper perguntava alegremente.

– Bem... O Traffy-Kun havia me prometido um bela quantia em dinheiro algum tempo atrás e... Eu comprei muitas coisas novas para o navio e pra todos vocês! – A navegadora revelava divertidamente, porém...

Todos olharam assombrados para ela... O cenário de repente havia ficado negro... Extremamente negro...

– Nami, você comprou presentes pra todos nós!? – O capitão perguntava desconfiado.

– Sim! – Ela respondeu com um sorriso imenso.

– Aah já sei! Você pegou aquela mesma doença quando estávamos indo pra Alabasta não é!? Está com muita febre e delirando!!? – E então o garoto borracha colocou a mão na testa da ruiva, tentando medir sua temperatura.

– Claro que não seu idiota! Eu estou perfeitamente bem!

– Você não está bêbada, está...? – Dessa vez era Zoro quem perguntava desconfiado.

– Não! Eu não me embriaguei nos últimos dias! Mas que ofensa!

– Será que ela comeu alguma comida estragada...? – Chopper comentava com Usopp.

– Hey, eu estou ouvindo!!!

– Nami-San, você por acaso sofreu algum acidente enquanto esteve fora!? Pode ter batido a cabeça em algum lugar e depois que acordou não se lembrava de nada... – Dessa vez era Brook quem perguntava de modo cortês à ruiva sobre algum tipo de acidente que danificaria seu cérebro.

– Não! Eu não bati a cabeça!

– Nami... Será que você não ficou adepta à esses entorpecentes que vendem ilegalmente na periferia das ilhas!? – Dessa vez era Franky quem insinuava coisas.

– Eu não estou drogada! O que está acontecendo com vocês!? Não estão acreditando que eu realmente comprei presentes pra todos!?

– Talvez se você não fosse tão mesquinha e gananciosa... Eles acreditariam... – Law respondeu friamente a pergunta da ruiva.

– Eu não me lembro de ter te chamado na conversa... – Ela respondeu mal educada e o cirurgião suspirou impaciente.

– Entregue logo tudo para eles... Meu submarino está abarrotado de sacolas... – O cirurgião exigiu, depois de ver o quanto seus companheiros se encontravam cansados de tanto peso carregado.

Todos subiram no Sunny e então Nami começou a distribuir os presentes.

– O primeiro presente vai para o capitão!

– Uooooooow, o que eu vou ganhar!!?

– Está preparado!?

– Siiiiiiiiiiiiim – Os olhos do garoto brilhavam.

A navegadora arrastou uma rede imensa com um peixe grandioso dentro.

– O que é isso!?

– Essa... É a carne mais gostosa de uma ilha tradicional em peixes e frutos do mar! – Ela respondeu orgulhosa.

– Incríveeeeeeeeeeel!!! Sanjiiiiiiiii quero comer agoraaaaaaa!!! – De repente, Luffy começou a babar feito louco ao redor da carne.

– Agora não! Vamos esperar a Nami-San terminar.

Todos olharam a cena estranha enquanto uma gota escorria por suas testas. Luffy estava babando rios.

– O segundo presente é para o Zoro.

– Até pra mim...? – Zoro arqueou uma sobrancelha, desacreditado.

– Eu não disse que era para todos, seu idiota!?

– Heh... Eu duvido que você tenha achado algo que eu goste, então acho que foi perda de temp-

– Embora você não precise... Essa é uma espada especial feita com o melhor tipo de metal encontrado.

– Isso é verdade...?

– Sim...

Quando Zoro apanhou o objeto e desembainhou a espada, seus olhos brilharam.

– Devo admitir que dessa vez você acertou, sua bruxa! Só espero que não me cobre um centavo por aceitar o presente.

– Se é um presente não tem por que cobrar, seu idiota... – Retorquiu debochada.

– E para o Usopp... Alguns itens estranhos de artilharia!

– Uau!!! Isso parece ter sido bem caro! É um material perigoso e de primeira!!!

– Para o Sanji-Kun, panelas da melhor marca que existe!

– Nami-Saaaaaaaaaaaaaaaan, você sabia que eu sonhava ter um conjunto desses!? Isso deve ter sido muito caro!!!!

– Para o Chopper, uma máquina de algodão doce!

– Namiiiiiiiiiiiiiii, eu te amo!!! – Os olhos da rena não paravam de brilhar.

– Para a Robin, uma coleção de livros sobre todas as ilhas do Novo Mundo!

– Obrigada Nami. Isso será muito útil para minhas pesquisas! – A arqueóloga respondeu com um sorriso confino.

– Para o Franky, uma caixa de ferramentas de uma marca extinta!

– Nossa!!! Você conseguiu uma verdadeira relíquia! Isso vai ajudar muito na manutenção do Sunny!

– Para o Brook, um trompete de ouro!

– Yohohohohohohoho, obrigada Nami-San! Esse é o primeiro instrumento todo feito de ouro que ganho! Deve ter custado uma fortuna!

Enquanto a ruiva observava todos os seus companheiros felizes e satisfeitos pelos presentes, ela se sentia feliz por finalmente estar de volta. Estar com eles era tudo o que ela mais queria...

Ela estava tão entretida em observá-los, que sequer havia percebido sua mão sendo agarrada repentinamente.

Pelo Cirurgião da Morte.

– Hey, o que você está fazendo!? Não é hora de-

– Você acha que pode compra-los apenas com presentes...? Eles querem ouvir sua explicação por ter ido embora...

– Mas eu...

– Você vai mesmo voltar atrás Nami-Ya...? Não prometemos que enfrentaríamos isso juntos...? Que estaríamos juntos depois de tudo o que aconteceu...?

Nami exibiu um olhar assustado... Não estava pronta mentalmente para aquele passo tão ousado ao lado do shichibukai. Não seria fácil, mas ela já havia tomado sua decisão...

– Ok... Vamos fazer isso... Juntos... – Ela respondeu com convicção, mesmo estando mortalmente com medo.

Law sorriu após as palavras da ruiva... No final, ela precisaria honrar com sua palavra...

E o pacto que fizeram em Alabasta era a maior prova que jamais desistiriam... 

– Prestem atenção todos vocês... Nós temos algo a dizer... – Law havia assumido a frente. Nami ficou ao lado dele, mesmo morrendo de medo da reação de seus companheiros.

Todos os Chapéus de Palha se aproximaram e pararam para ouvir o que o cirurgião e a navegadora diriam.

– Serei breve... Então peço que ouçam atentamente e não façam perguntas idiotas...

– Então diga logo, sem enrolações... – Sanji redarguia enquanto acendia um cigarro.

– A Nami-Ya fugiu por minha causa... E muitos conflitos aconteceram até nos entendermos como dois adultos...

– E...? – Usopp indagava.

– Todos os acontecimentos estranhos que envolveram a nós dois, foram acertados... E então finalmente tomamos a decisão de anunciar a vocês que nós dois...-

.

– ESTÃO JUNTOS...? - Luffy completou a lacuna da última frase.

.

Um...

Dois...

Três... Segundos para cair a ficha do casal...

Law e Nami se espantaram de modo assombroso...

– O quê!? C-como você sabe!?? – Nami perguntava extremamente perplexa pela reação do garoto...

E de todos eles...

– Isso não é nenhuma novidade pra ninguém Nami... Todos já sabiam... – Usopp deu alguns passos na frente dos companheiros enquanto cruzava os braços, fechava os olhos e esbanjava um sorriso de uma pessoa extremamente inteligente e sagaz.

– Vocês... Realmente sabiam...? – Dessa vez era o cirurgião da morte, em estado de alerta que perguntava.

– Mas é claro que sabíamos! Tudo ficou muito claro há algum tempo... – Dessa vez era Chopper quem posava de entendedor de assuntos amorosos, colocando um óculos escuros no rosto, apenas para manter a pose.

– Mas... Isso é impossível... – Nami ainda insistia no contrário. Eles esperavam a reação abismada dos companheiros, mas na verdade quem estava chocados eram os dois.

– Deixe de drama, bruxa... Acha mesmo que somos tão burros para não perceber o que estava tão na cara...?

– Tão na cara!? Vocês só podem estar loucos! Não tinha nada na cara! – A ruiva contestava totalmente atônita,

– Estava sim Nami... – Franky reforçava.

– Vocês dois não sabiam, mas vocês dois são muito transparentes! – Dessa vez era Robin quem mais uma vez os deixava sem graça.

– Parabéns aos dois! Então vamos todos cantar para comemorar a ocasião! – Brook quebrava o clima congratulando de forma engraçada, como se aquilo fosse um evento muito importante.

O cirurgião e a navegadora olharam para a reação estranha de todos que ainda os observavam de modo engraçado.

Os dois se olharam, totalmente constrangidos, mas... Uma voz interrompeu tudo repentinamente...

– Esperem...

Todos ficaram em silêncio e passaram a observar o dono da voz...

– É fato que todos sabiam do caso amoroso deles dois, mas o que vocês se esqueceram... – A fumaça do cigarro foi arremessada para fora de seus pulmões de modo violento, até que ele completasse a frase.

.

– VOCÊS ESQUECERAM DE CONTAR PRA MIM!!!!!!!!!!

.

Sanji gritou tão alto, mas tão alto, que os companheiros do cirurgião ouviram e saíram correndo na direção do Sunny, achando que algo ruim tinha acontecido.

– Aah...? Sanji-Kun...? Você não sabia...!?

– NÃO NAMI-SAAAAAAAAAAAAN!!! POR QUÊ!!!!!!!!!?????

O cozinheiro começou a chorar sem parar.

– Hey Sanji, pare com isso ou você vai afundar o navio! E nem estamos dentro do mar pra morrermos num naufrágio! – Usopp protestava alarmado.

– Pare de chorar seu cozinheiro mulherengo! Aceite de uma vez que os dois estão juntos e deixe-os em paz!

– Como posso aceitar que a Nami-San seja tocada por outro homem!? Isso é inaceitável pra mim, seu espadachim de merda! – O loiro logo foi dizendo em forma de ameaça, levantado uma de suas pernas, pronto para desferir um chute.

– Pois saiba que se você se rastejar aos pés dessa bruxa, só mostra o quão verme você é! – O esverdeado replicou furioso, desembainhando uma de suas espadas para acertá-lo.

– Cala a boca marimo! Você não sabe nada sobre o amor!!!

– Nem você, seu imprestável!!!

– Hey pessoal, vamos fazer uma festa de comemoração pela volta da Nami e pelo anúncio oficial dos dois!!! – Usopp sugeria.

– FESTAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!! - Luffy gritava feito um louco enquanto Sanji e Zoro se pegavam na paulada.

Estava armada a confusão.

Os companheiros de Law também subiram no navio e entraram na bagunça.

Law e Nami ficaram ainda mais chocados ao perceberem que os piratas do coração também já sabiam...

Com exceção de Bepo, Shachi e Penguin, que odiaram a ideia de virarem carregadores de sacolas.

Os dois olharam atentamente o tumulto que estava prestes a se tornar uma festa... Totalmente desacreditados...

Eles se olharam, um tanto confusos, assimilando direito o que havia acontecido...

– Você realmente achou que seria dessa forma...? – Nami indagou.

– Não tinha ideia... Mas o importante... – O moreno pegou novamente na mão da ruiva, mas de forma sutil, e terminou de dizer...

– É que agora não precisamos mais esconder... E nem fugir... – Ele percorreu lentamente os olhos até contemplar o rosto dela com um leve tom avermelhado.

– Você tem razão... – Ela respondeu amenamente, exibindo um lindo sorriso satisfeito.

...

Alguns meses se passaram e a aliança de ambas as tripulações se manteve forte e intacta. Talvez por longos anos... Talvez até mesmo para sempre, já que Luffy estimava o cirurgião como um verdadeiro companheiro e também pelo mesmo estar junto de sua navegadora.

As duas tripulações tinham uma missão difícil pela frente, mas seguiriam sem temer o maior de todos os perigos, afinal... Dois novatos da pior geração planejavam ir contra os mais poderosos do Novo Mundo.

Nami se encontrava observando a rota naquele fim de tarde. Ela estava no deck do Sunny, aproveitando a brisa que soprava amenamente.

Mas quando ela fixou os olhos do outro lado do oceano, percebeu que um navio muito conhecido estava próximo do Sunny.

– Como não percebi antes...?

Ela se perguntou alarmada e no exato instante que pensou em avisar seus companheiros, percebeu que aquele navio pertencia à...

Eustass Kid...

Embora não soubesse o porquê, ela não conseguiu reagir da forma certa... Ficou paralisada... Sem reação... Apenas olhando para o navio do novato de braço metálico...

Mas o que ela não imaginava era que Eustass Kid se encontrava na frente do convés e de longe...

Era possível vê-la...

Os dois navios se cruzaram... E de lados opostos...

Mesmo longe, Nami conseguia ver nitidamente que o capitão lhe observava... E embora não soubesse o que ele poderia fazer, ou mesmo o que estava pensando, ela...

Sorriu esperançosa...

Esperançosa de que talvez tenha conseguido cumprir sua missão de alguma forma... Aquilo podia ser facilmente visto enquanto o observava dali...

Kid apenas conseguiu sentir que ela sorria para ele... E de certa forma aquilo lhe acalmou...

Ele se virou, ficando de costas na parte da frente do convés... E...

Sorriu de volta...

Depois de tudo que havia vivido com a ruiva, era engraçado enxergar o passado de modo mais racional... Mas em meio às desventuras que viveu junto dela, foi possível conhecer algo que ele jamais sonharia...

Preciosas virtudes femininas que nenhuma mulher havia lhe mostrado...

Ele se encontrava com o Den Den Mushi em mãos e então resolveu fazer algo ao qual já estava acostumado todos os dias...

Importunar Nojiko que se encontrava extremamente atarefada com a cultivação de laranjas aquela hora...

*CATCHA*

– Céus, eu já te disse que estou ocupada, não disse!? Não se cansa de ligar todos os dias...? Quando é que você vai enjoar...?

– Finalmente encontrei sua irmã... Quer que eu mande um recado...? – Ele revelou debochado e mesmo dali era possível sentir a risada de ironia da garota.

– Há-há-há! Engraçadinho! Acha mesmo que vou acreditar nessa mentira!? Se você visse a Nami na sua frente agora mesmo, provavelmente já teria ido arrastá-la com você... Então conte outra...

– Eu não teria tanta certeza disso, afinal, a única mulher que tem tirado as minhas noites de sono é você...

– Nossa! Mas que profundo! Você vai se declarar!? Olha, preciso te dizer que já tenho alguns pretendentes e você está descartado. Não quero envolvimento com piratas!

– O quê!? Deixe de ser convencida! Eu quis dizer que te odeio tanto que você me deixa com insônia!

– Aah, menos mal! Não preciso me preocupar com nenhum pirata apaixonado invadindo minha cerimônia de casamento na hora em que o padre perguntar se tem alguém que é contra o matrimônio!

– V-Você vai se casar!? Por que não me disse nada!? – Sem perceber, ele havia gaguejado, nervoso o suficiente para acreditar nas palavras da garota.

– Ahahahaha, mas é claro que não vou me casar! Não estou interessada no momento...

– Nossa... Você me deu um susto... – Sem perceber, o ruivo havia suspirado aliviado... E mesmo sem admitir oficialmente para ninguém, era obviamente óbvio...

Que ele havia se interessado pela irmã de sua amada de um jeito totalmente estranho...

– Por quê!? Você sempre cai nas minhas piadas! Ainda não acredito que você é tão temido como dizem... Mas sabe de uma coisa...? Descobri que você só tem tamanho! Seu cérebro não funciona direito por causa da sua habilidade não é...? Coitadinho...

Antes que Nojiko pudesse entender, Kid já estava bufando de raiva mais uma vez. Durante todos aqueles meses ele não havia ganhado sequer uma discussão contra ela.

Ela já havia passado dos limites com ele.

– Escute aqui sua idiota, ainda não desisti de mata-la!!! Perdi a sua irmã para sempre por sua causa, então é bom se preparar para encarar toda a minha ira!

– Tá, tá... Eu já sei... Olha só, o meu caixão já está mofando há meses... Quando é que você vai mesmo vir aqui me matar...? Sei que não devo acreditar em promessa de piratas, mas uma sentença de morte não pode ser ignorada não é mesmo...?

Depois de ouvir mais uma das piadas de Nojiko, ele sorriu da mesma forma que sorria durante todos os dias quando falava com ela...

– Isso mesmo... Apenas espere por mim... Você não escapará ilesa...

– Estarei esperando por você... Capitão...

Não era como se tivesse traído Nami ou algo do tipo... Mas ele estava certo para onde a bússola de sua alma apontava naquele momento...

E a direção era o Leste...

...

O navio de Eustass finalmente havia se afastado o suficiente para vê-lo quase cruzando o horizonte...

Nami suspirou aliviada depois de tudo... No fim tudo havia saído melhor do que poderia imaginar...

Mas os passos de alguém que rumava para o deck tirou sua concentração...

Ele veio na direção do pôr do sol...

– Então era aqui que você estava, senhorita escondida...? – Law se aproximou da ruiva lentamente e ficou há poucos centímetros da mesma. Ele trajava apenas uma calça jeans e sapatos... E estava perfeitamente sem camisa...

– Hmmm... Você não consegue ficar longe de mim nem por um minuto, não é...? – A navegadora exibiu uma feição imperiosa enquanto jogava uma de suas mechas majestosamente para trás.

Nami trajava a parte de cima de um biquíni preto, calça jeans e sandálias.

– Você se acha tão boa assim, Nami-Ya...?

– Se não fosse, talvez você não tivesse se apaixonado por mim, não é...? – Ela sorriu maliciosamente e ele amou aquele gesto tão ousado.

Depois do que enfrentaram juntos... Não parecia real depois de tudo...

Era muito melhor do que um sonho...

– Parando para pensar... A vida pode mudar depois de um segundo ou dois...

– Por quê...? – Ela perguntou curiosa.

– Por que foi assim que me senti quando te conheci... 

A feição de Nami se desfez em choque. Ela não estava esperando por aquela revelação.

– O que quer dizer...?

– Você se lembra quando te chamei para me ajudar a bloquear o túnel em Punk Hazard...?

– Sim...

– Tudo começou ali... Quando você esbarrou em mim... Mesmo sem saber exatamente o porquê, algo em você me chamou atenção...

Ele a observou atentamente desde lá... Nami era uma pessoa extremamente aberta e seria uma missão fácil, mas totalmente interessante...

– Hmm... – Aquilo foi tudo o que ela conseguiu dizer depois de tudo. Estava totalmente envergonhada, mas ainda assim...

– Me diga... Quando foi que você realmente se apaixonou por mim...? –Arriscou... Havia muitas coisas que ainda não sabia...

Law demorou um pouco para responder, apenas para se deliciar ao apreciar as feições encabuladas da navegadora.

– Só me dei conta quando pensei que estava prestes a te perder... Na mansão do Tenryuubito... Quando te acertei com minha espada...

– Então antes disso... O que era...? – Ela teimou. Queria arrancar todos os detalhes.

E ele obviamente percebeu.

– Admiração... Curiosidade... Talvez... – Ele se virou e se aproximou, apenas para sussurrar a última palavra em seu ouvido.

– Tentação...

Nami estremeceu diante da última palavra...

– Desculpe, mas você realmente me convenceu que gostava mais de cadáveres e velhas...

– Você estava enganada... – Ele completou enquanto sorria debochado.

Nami amava aquela expressão.

A ruiva sentia que aquele amor valia a pena a cada hora de sua vida...

Ela se aproximou e então...

O abraçou de modo afetuoso...

Ele correspondeu ao abraço, sentindo-a se achegar ainda mais contra seu peito... 

Nami segurava cada memória desde a primeira vez que seus olhares se cruzaram naquele imenso portão em Punk Hazard...

Todo aquele ar de mistério era sombrio, mas totalmente sedutor...

A navegadora sentia o coração dele bater contra o lado direito de seu rosto...

– Você sabia... Que agora... É você quem move meus céus e terra...? – Ela sussurrou tão, tão afetuosamente, enquanto contornava os músculos do braço dele com a ponta dos dedos.

– Isso é ótimo... – Ele respondeu compassivo.

– Eu quero ser a única pra quem você conta seus segredos... – Os olhos da ruiva haviam se fechado naturalmente... Sentindo-o tão próximo a si...

– Você quer que eu te conte um segredo agora mesmo...? – Law instigou.

– Sim... – Ela sorriu docemente como uma criança...

– Meu coração é um lugar maior, agora que você está dentro dele...

Depois de tantos dias juntos, aquela havia sido a declaração mais linda que ouvira...

E a voz do cirurgião era calma e muito serena... Sem deixar o ar de sensualidade, mas dócil... E extremamente mansa...

Ele havia encontrado o que procurava... A dor e o riso lhe deixaram de joelhos... Mas o sol havia lhe libertado e agora ele viveria livre...

A cada riso que Nami ouvira... Lhe fazia ter a extrema vontade de chorar...

De alegria...

Tendo a ruiva ali, consigo, ele não se cansava de pensar...

O quanto aquela beleza era incomparável... E o quanto ele era hipnotizado a todos os instantes por ela...

Os longos cabelos flamejantes... A pele de marfim... Os olhos castanhos âmbar... O sorriso lindo como sopro de primavera... A voz dela... Tão macia como uma fina chuva de verão...

Um amor tão deslumbrante... Flores e pérolas... E olhares especiais...

Eles eram amantes... Divinamente entrelaçados... Sem barreiras ou limites...

Cada cadeado e senha foram quebrados... E agora Nami tinha livre acesso ao coração e à mente dele... Tudo o que ele sentia e pensava... E da mesma forma ela...

O pôr-do-sol se encontrava exuberante e em uma de suas melhores formas... O céu estava dividido em cores quentes... Tons vermelhos tão veementes e luminosamente alaranjados... O mar quebrava os tons tépidos em tons frios... Frios como o azul celeste e o verde lívido.

A brisa que meneava os cachos ondulados, realçando ainda mais a beleza ardente da navegadora desencadeou a imensa vontade de beijá-la...

E foi o que o cirurgião passou a fazer...

Ele enterrou a mão direita pelos cabelos longos até chegar à nuca, puxando seu pescoço e trazendo o rosto dela para perto do seu...

Automaticamente a ruiva fechou os olhos, ansiosa com o que ele estava prestes a fazer...

Nami sentiu seu lábio inferior sendo pressionado levemente... E ainda o tocando, ele curvou os lábios num sorriso ardiloso...

A navegadora estava viciada em seu beijo... Ele sabia o que fazer pra deixá-la ainda mais com vontade... Incitá-la através de carinhos que amava...

Sentindo suas emoções fluindo como uma cachoeira...

E tão instigante quanto seu beijo, era o seu sorriso...

Nami velejava naquele sorriso... Aquilo era inebriante... Mais encantador que o esplendor do céu e do mar ao redor de si...

Os cabelos negros que o vento fazia questão de soprar, embaralhava seus sentidos, lhe fazendo ter a imensa vontade de acariciá-los...

E sua mão não se conteve... Seus dedos se entrelaçaram entre os fios negros num doce e meigo carinho, regado de apego, zelo e amor...

Nami suspirava docemente... Fazendo-o se achegar à ela... Fazendo-o sentir o ardor de sua imensa paixão...

Flocos do perfume... Deslizando pelo ar...

Penetrando seus olhos... As linhas pálidas que compõem seu rosto... Arrancando pouco a pouco sua maior defesa através de finas cortinas... A cada expressão derramada... Na estrada do seu olhar... Perdida pelo horizonte...

O calor daquele clima umedecia as regiões do corpo dele... Que imploravam pelo toque do corpo dela... Um vento quente sussurrou, lhe dizendo que precisava se refrescar... Sufocando toda ansiedade reprimida... Por deseja-la todos os dias...

Ele acariciava sua pele como um suspiro que invadia a atmosfera... Seus pensamentos ondulavam-se facilmente toda vez que a tocava... Andando perdido em meio aquelas areias douradas... Cintiladas com os raios de sol... Ele faria dos braços dela seu porto seguro... O seu lar... Aonde se achegaria para sempre... Numa fusão de uma louca paixão com a vivacidade do seu profundo amor...

Nami lhe fazia sonhar totalmente despertado... Ele desejava se esconder na sombra dela... Protegê-la com seus carinhos... Guiá-la até onde almejasse e ser guiado...

Querendo seu delicioso sorriso... E fazendo com que seus olhos ansiassem apenas o reflexo dele enquanto via-se resplandecida, Nami desejava fazê-lo feliz todos os dias... E quanto tempo isso demoraria...?

Talvez uma vida inteira...

– Preciso te dizer algo...

Law franziu o cenho. O que ela poderia lhe dizer naquele momento tão agradável...?

– Estou ouvindo...

– Sobre o que você me propôs meses atrás... Quando tivemos nossa primeira noite...

O olhar dele se estreitou. Os raios solares se intensificaram e o rosto dela se tonou ainda mais iluminado... Seus olhos clarearam e esbanjaram um brilho confino...

.

– Eu aceito... Me casar com você...

.

Law não soube o que dizer. Estava em choque. Ele não esperava por aquela resposta tão cedo...

– Você... Está falando sério...?

– Sim... Mas isso pode demorar um tempo, afinal, preciso fazer com que o Luffy se torne o Rei dos Piratas... – E então ela sorriu convicta.

Aquilo havia sido repentino, imprevisto e engraçado...

– Nami-Ya... O que faz pensar que não sou um candidato à altura do chapéu de palha para se tornar Rei dos Piratas...? – Uma veia pipocou na testa dele.

– Isso não tem importância, por que de qualquer forma... Quero viver a vida toda com você... – O rosto dela estava muito mais iluminado... Céus, ela parecia um anjo...

O cirurgião desejava tê-la para sempre... Ansiando perder-se em versos, sons, cores e sabores... Sentindo ser resgatado de qualquer resquício de tristeza, com seu sublime dom...

Nami era como uma suave brisa... Mas também um furacão...

E diante da resposta dela... Ele a envolveu num abraço ainda mais apertado... Não era como se conseguisse se desprender da imensa necessidade de senti-la a todo o tempo...

E o que ela mais amava era saber que todos os dias seu carinho se renovava... A capacidade de ser tão frágil a ponto de sentir derreter por cada abraço...

– Eu te farei a mulher mais feliz desse mundo... – Ele sussurrou no ouvido dela, para logo depois seus lábios esquivarem para o pescoço feminino e depositarem beijos cálidos.

– Quer me fazer ainda mais feliz...? – A ruiva arriscava em meio às carícias.

– É o meu maior desejo... – Replicava enquanto continuava beijando a pele perfumada.

– Me beije... – Ela exigiu quando ergueu o rosto na direção dele.

.

– Com todo o prazer... Minha noiva...

.

Nami não teve como rir... Ele a calou com mais um beijo...

O mundo apenas girava em torno deles dois... Era como se mais nada fizesse mais sentido ou tivesse importância... Tudo podia simplesmente parar... Aquilo não os afetaria...

Naquele fim de tarde, na aurora de todas as estações... Emergidos nas profundezas daquela forte e delirante paixão... Cada dia mais louca... Cada dia mais deliciosa...

A ruiva desejava se perder todas vezes que o encontrava em sua frente... Pronto para recebe-la com os braços abertos...

Pronto para presenteá-la com seu amor e carinho...

E ela se entregava ainda mais ao seu estímulo... Sentindo o sabor agridoce através do escaldante e insaciável beijo... Mergulhando profundamente em seus lábios... Se afogando... Se queimando... Se perdendo loucamente... Viajando para lugares jamais vistos... Percorrendo a atmosfera tão versátil... Escorregando... Diluindo e derretendo... Entrando e saindo para outra dimensão... Por pequenos e suaves fragmentos... Se deliciando... E aproveitando cada fração de segundo... O contato... Tempo e espaço...

Nami vinha como raios por trás das nuvens... Submergindo linhas de chuva... Fazendo-o evaporar... Fazendo-o subir ao mais alto do céu... Lhe transformando num véu de névoa... Mas quando seus corpos colidem... As gotas de chuva finalmente caem... E tudo é absorvido... Pelo mais íntimo de suas entranhas...

O coração dele vibrava de modo desenfreado... Se sentia extasiado e fortemente narcotizado... Ela era o seu mundo... O seu maior sonho se realizando... O anjo que lhe ensinou a verdadeira essência da vida...

Ela era tudo o que ele precisava e queria para sempre...

Quando o cirurgião pensava que conseguiria dizer tudo aquilo à ruiva, era difícil... As palavras não eram suficientes... Todos os sinônimos não poderiam expressar tudo o que ele sentia por ela... E tudo o que ansiava loucamente em fazer com ela...

Faltavam palavras... Faltavam inspirações grandiosas...

Talvez o silêncio dissesse mais do que qualquer som... Talvez todos os seus gestos dissessem muito mais do que palavras... Talvez ela ouviria o sussurro mais profundo de sua alma... Que ele a amava mais do que tudo...

Gotas de sensações perigosas e significativas eram fortemente derramadas à medida que ela sentia tudo ser aprofundado... Aquele frenesi percorria seu corpo de modo eletrizante... Tudo transcendia sua compreensão... Ultrapassava sua razão... Desatinado... Incontido... Um ímpeto de combinações intensas... Uma tempestade... Um turbilhão... Uma explosão...

Tudo o que ela queria era estar próxima o suficiente para dizer tudo à ele... Mas mostrar seria ainda mais verdadeiro...

Seu coração estava cheio e prestes a transbordar...

Ela suspirou sensualmente, enquanto tentava materializar seus pensamentos e sentimentos em toques, gestos e expressões... E que ele pudesse vê-la daquela forma...

Sua doce fragrância... A maresia do oceano... Águas brilhantes...

As nuvens que pareciam esvoaçar como pétalas... O céu azul... podia ser enxergado como um imenso manto de cetim... Fios claros... O vasto oceano lhes cobria inteiramente...

Deslizando pelos sonhos de seus mais profundos desejos...

Docemente viciante...

Mas o ar estava se ausentando dos pulmões de ambos...

E eles desejavam morrer asfixiados envoltos daquele toque tão candente... Mas seus lábios se afastaram e tudo o que restou foram respirações ofegantes...

Nami sentia que apenas com o olhar ele conseguia despi-la... E por mais que tentasse esconder... Aquilo era um tanto constrangedor...

Ele enlaçou a cintura acentuada e um sorriso ousado escapou de seus lábios...

– Você me ama...? – Ele contestou de modo sensual... Sua voz... Seu timbre... Sua feição... Seu olhar... Tudo era penetrante e fortemente entorpecente...

– Por que está me perguntando isso...? – Ela indagou desconsertada.

– Por que não ouço há muito tempo...

Nami ficou em silêncio por um tempo considerável, como se não tivesse entendido o que ele havia lhe dito anteriormente.

Ele sorriu compassivo e então desfez o enlace...

Sem dizer absolutamente nada, ele se afastou...

Nami o observou de longe, quase saindo do deck, porém...

Ela correu rapidamente e pulou por cima das costas dele, lhe derrubando no chão no mesmo instante.

– Nami-Ya, o que você está fazendo!?

.

– Eu te amo...

.

O cirurgião se espantou com a confissão repentina e daquele modo...

Ela o obrigou a se virar e ficar por baixo dela...

– Por quê... Só agora e desse jeito...?

– Por que eu quero que todos os momentos em que lhe disser isso sejam especiais... – Revelou manhosa.

Um riso abafado escapou e ele não pôde deixar de achar aquilo extremamente infantil, porém...

Lindo...

– Você apenas consegue mostrar que me ama com tudo o que faz por mim... Não preciso que me prove dizendo...

– O quê!? Você me fez dizer isso de graça!? Então agora você está me devendo!

– Ótimo... Agora transformamos uma declaração numa dívida... – Uma gota escorreu pela testa dele.

– Isso mesmo! Você não sabe o quanto dizer isso custa caro!

– Certo... Quanto vai querer...? – Ele replicou com seu típico modo insensível.

– Eu não sei a quantia exata... Mas enquanto penso nisso, por que não deixamos os juros correrem...? – Ela sorriu petulantemente de canto e ele obviamente não gostou. No mínimo teria de procurar outra joia valiosa para quitar a dívida...

– Nami-Ya... Pare com isso... – Contestou desacreditado.

A navegadora se aproximou novamente e depositou um selinho nos lábios dele.

– Não se preocupe! Não será nada exorbitante que não possa pagar! – E então ela se levantou e começou a correr, no intuito de fugir imediatamente dele.

– Volte aqui! Não gosto quando você começa a cobrar por coisas que não possuem valor monetário! – E então o cirurgião passou a correr atrás dela.

– Agora é tarde! Você prometeu!

– Não me lembro de ter prometido nada!

– Hã!? O que você disse!? Desculpe, eu não posso te ouvir! – E enquanto corria, Nami tapou os ouvidos...

Os dois continuaram discutindo sobre a atual dívida, e por muitos momentos a navegadora e o cirurgião riram... Se divertiram... Sentiram-se totalmente contagiados por aquela magia estranhamente poderosa...

A magia do amor...

Naquele tempo, Law se condenava por nunca ter dado espaço para um sentimento tão lindo, puro e confortante...

Nami também não sabia o quanto tudo aquilo era maravilhoso... Amar e ser amado... Ser correspondido de formas distintas... Ser surpreendida... Se decepcionar... Se reconciliar... Chorar de dor e de tristeza, afinal, a vida como piratas era árdua e tortuosa... Mas nada lhes impediriam de estarem unidos e sentirem a mesma coisa...

O mesmo sentimento...

“E este foi o começo da minha longa jornada ao lado dele... Algo que resultou episódios dramáticos, felizes, inesperados, dolorosos, amorosos, engraçados, e recompensadores no final de tudo... E depois de alguns anos, tudo o que restou foram nossas promessas... Que foram cumpridas uma a uma... E os sonhos realizados sempre davam espaço para novos sonhos... Eu e ele compartilhávamos os mesmos sonhos desde que nos unimos... E assim permanecemos... Por que ele era tão sonhador quanto eu... Por que eu sempre serei uma sonhadora... Sempre procurando por mais do que eu posso ter... Sempre procurando fazê-lo feliz, por que tudo refletia diretamente em mim... Tudo por que somos um só... Hoje e para sempre...”

FIM...


Notas Finais


Acabooooooou finalmente!!!

Espero que vocês tenham gostado do final. Nami vendendo o Law pra dona do cassino, a tripulação que já sabia do romance dos dois (menos o Sanji), Shanks bêbado, Bonney vendo o Kid dar a louca na frente de todos por causa da Nojiko, o bar todo rindo da cara do Kid, Bonney aceitando viajar com o Drake, a Nojiko tirando a maior onda da cara do Kid, ele perdoando a Nami e o final bonito do casal principal. Eu tentei deixar tudo bem natural... não sei se consegui, mas tentei.

Pra quem quiser acompanhar, devo postar em breve uma fanfic universo alternativo de 4 capítulos do casal Law x Nami, e outra mais compridinha (também UA) em breve, deles dois. Ultimamente eu tenho me empenhado mais nas minhas fanfics da Marvel. Quem quiser dar uma olhada, está no meu perfil. E quem quiser continuar acompanhando as próximas fanfics do One Piece, é só ficar ligado no meu perfil, que devo postar em breve.

Obrigada por quem acompanhou até aqui o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...