1. Spirit Fanfics >
  2. Heart in the Trap >
  3. Trap four

História Heart in the Trap - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Trap four


Heart in the Trap

 

- Wei-gongzi, está prestando atenção? – Lan Xichen chamava pela terceira vez a pessoa perdida em pensamentos enquanto andavam pela seita.

- A-ah, perdão – Sorriu se curvando levemente, na verdade, Wei estava apreciando o lugar pois não havia reparado bem no ambiente quando entrou. Diferente de todo o glamour e riqueza que o clã Jin fazia questão de expor, o clã Lan mantinha a elegância e classe com móveis e arquitetura menos extravagantes, por exemplo, ao invés de uma enorme mansão, como estava acostumado, o clã Lan era separado por seções. A estrutura obedecia ao estilo chinês antigo com vários detalhes simples e elegantes, um belo caminho coberto entre as seções e estrutura com um tom de madeira gentil, era um lugar mais harmônico e gracioso de se viver, apesar do presente silêncio.

Reparou que havia um enorme pilar, com várias regras destacadas, Jiang Cheng havia falado sobre isso. Sem gritar, sem correr, sem faltar com as obrigações, sem falar em refeições, obedecer aos horários, esse lugar era como uma prisão elegante. Suspirou enquanto continuava a reparar nos detalhes do local, de fato, era melhor do que a mansão em que viveu por um bom tempo.

 

- Wei-gongzi, espero que goste da sua cela – Sorriu olhando o mais novo, que encarou de volta levando um susto.

- Hã?

- Perdão, você não estava prestando atenção – Riu pela reação do outro – Me escute, sim? Não quero falar para os ventos novamente – Sorriu calorosamente.

- Ah, claro, me desculpe – Riu nervosamente – Só, não estou muito familiarizado com o lugar – Declarou suspirando.

- Está tudo bem, isso leva tempo. Vou explicar algumas coisas – Voltou ao assunto – Talvez tenha percebido, o nosso clã tem várias regras que devem ser estritamente obedecidas, e somos bem severos quanto a elas.

- Imagino, aquelas mais de três mil frases não devem estar ali por brincadeira – Se arrepiou encarando novamente o pilar.

- Exato. Como também deve saber, nossa seita, diferente das outras, é comandada por dois líderes, Wangji e eu – Explicou enquanto andavam – Nenhuma informação chega somente a um de nós, ambos decidimos o que é melhor para os membros e o futuro da seita. As aulas dos juniores funcionam pelas manhãs e, em alguns dias da semana, a tarde também. Wangji costuma tomar conta das crianças – Virou para o outro – O que significa que ele não deve ser interrompido nesses horários – Voltou a andar – Os garotos tem várias aulas, pelo bem deles, principalmente treinamentos com armas de sua escolha. Wangji também toma conta disso – Acrescentou sem se virar – Você também pode ter se quiser, mas, creio que não seja necessário, certo?

- Umrrum – Respondeu prestando atenção.

- Ótimo, nesses horários, pode fazer o que quiser – Virou para o outro – Desde que não infrinja nenhuma das regras, é claro – Continuou andando enquanto Wei soltou um leve bocejo – Ah, detalhe importante, Wangji declarou que você irá ficar com ele no Jingshi.

- Hã? Não seria melhor me deixar com os outros? – Questionou com dúvidas.

- Que outros? Não existem outros – Respondeu calmamente.

- Os líderes ainda não acharam nenhuma esposa? Que péssimo – Deu uma risadinha – Quem irá herdar a posição de líder então?

- No futuro, não saberemos – Respondeu – Mas, se algo acontecer a mim ou Wangji, Sizhui herdará as responsabilidades.

- Sizhui?

- O conhecerá depois – Respondeu sem rodeios – Wei-gongzi, chegamos ao Jingshi – Respondeu em frente ao aposento – Pode entrar e descansar, nos vemos depois – Com um leve curvar, deu as costas ao mais novo. Wei Wuxian olhou a enorme porta de madeira e a empurrou para o lado, encontrando um cômodo impecável, não parecia ser o lar de alguém. Poucas mobílias, porém, clássicas e confortáveis, ocupavam o ambiente, não havia muitos traços de personalidade, muito menos parecia o quarto de um líder, felizmente, o ambiente trouxe várias boas recordações, como a estrutura similar ao seu quarto no píer Lótus.

Andou vagarosamente com os pés, já sem os tênis, encostando na madeira fria e lisa, poucas coisas pessoais eram observadas, como alguns quadros em uma estante. Um total de três quadros e um papel apoiado entre os livros, parecia um desenho infantil, não seria algo feito por Lan Wangji. Reparou nos traços borrados e fofos que preenchiam o papel formando vários coelhos coloridos em algo como uma floresta, não entendia, mas uma nostalgia ocupou seu peito, passando a observar os quadros, notou as poucas fotos presentes. No primeiro quadro, haviam dois meninos com as vestes do clã Lan, pelo contraste de expressões entre um sorridente e outro inexpressivo, deveriam ser os irmãos Lan quando menores, Wei Wuxian achou engraçado como Lan Wangji já tinha sua personalidade estranha desde jovem, mas não deixando de ser adorável. Ao lado, um quadro com Wangji e uma criança parecida com o jovem em que esbarrou mais cedo na cidade, seria esse Sizhui? Suas feições de fato eram muito parecidas com a de seu primo, pareciam se divertir em meio aos coelhos da foto. Suspirou lembrando de coisas que passou anos evitando e voltou o olhar para o último quadro, inesperadamente, encontrou uma mulher muito elegante com um pequeno sorriso, sua pele pálida contrastava com as roupas claras do clã e com a neve do ambiente.

- Minha mãe – Wei se assustou com a voz e deu um mini pulo, olhando rapidamente para trás encontrando Wangji parado o encarando, como não o ouviu entrar?

- Vocês são muito parecidos – Sorriu abraçando levemente o próprio corpo, voltando o olhar para a foto – Ela é muito bonita – Concluiu e o encarou.

- Estou indiretamente sendo elogiado também? – Questionou com um leve sorriso de lado, assustando Wuxian, que deu um risinho logo depois.

- Talvez, a genética não pecou com vocês – Respondeu, parou de olhar os quadros e voltou a contemplar o quarto, pousando seus olhos sobre um objeto – Uma Guqin! – Exclamou admirado – Esse instrumento é tão refinado, o som é muito bonito – Se aproximou do  objeto de forma animada – Uma pena eu não ter escolhido aprender – Suspirou emburrado, fazendo um biquinho deveras fofo na visão de Wangji – Você toca mais alguma coisa? – Questionou curiosamente.

- Não tive tanto tempo disponível, a arte do Guqin é especial para o nosso clã e, apesar disso, poucos aqui tocam – Respondeu de forma leve, se aproximando do outro – E você?

- Eu tive bastante tempo – Deu uma risadinha sem graça – Então acabei usando esse tempo para aprender várias coisas, inclusive instrumentos como piano, violão, violoncelo, guitarra, você já jogou guitar hero? Eu era incrível nisso – Deu uma risadinha ao ver Wangji negar com a cabeça – Ah, mas o meu instrumento favorito sempre foi a flauta de bambu! – Bateu palminhas – Também com ... a minha tia, foi mais fácil aprender – Pausou a fala aos poucos se lembrando de mais situações do passado. Suspirou. Wangji se entristeceu por ver todo o entusiasmo e alegria do outro ir embora subitamente apenas com lembranças, não sabia muito bem pelo que Wei Wuxian havia passado, mas desejava entender – Lan Zhan, toca pra mim? – Pediu com os olhos brilhando. 

Após alguns segundos sem reação, Wangji se moveu lentamente até sentar-se atrás do instrumento, dando um suspiro enquanto se preparava para tocar. Com o início da música, Wuxian achou melhor encontrar um canto confortável para apreciar em silêncio, pulando rapidamente para a enorme cama de casal que se encontrava mais ao lado e deitando com a cabeça apoiada no braço. As notas limpas e melódicas soavam e ressoavam pelo jingshi, trazendo calma e tranquilidade para a alma de Wei, era belo e harmônico. Apesar de ter ouvido GuangYao tocar algumas vezes, nada se comparava com os sentimentos do momento presente, era relaxante e acolhedor, como se a música quisesse passar algo para o jovem, que não entendia, apenas sentia de olhos fechados.

Wangji tocava com os olhos cerrados, a música havia sido composta para purificar a alma e acalmar o espírito, o principal sentimento que queria transmitir para o mais novo era o que veio pensando desde a conversa que teve mais cedo.

 

Está tudo bem, você está seguro aqui.

 

Ainda tinha várias dúvidas sobre o outro, havia mentido? Ajudar era seu real objetivo vindo a Gusu? O que realmente deseja? Eram algumas das perguntas que ressoavam em sua mente, mas eram prontamente rebatidas com algo em seu interior que dizia para esquecer, ele não mentiu, muito menos o quer fazer mal. Se contentou com a própria resposta quando percebeu o rosto adormecido do jovem, tocou mais algumas notas antes de cessar e levantar do chão, se dirigindo até onde Wei Wuxian dormia serenamente. Pegou algo quente para o cobrir e, em seguida, sentou no chão ao seu lado, onde passou a olhar fixamente para o rosto alheio.

- Eu espero que esteja sendo sincero, se assim for, não hesitarei em ajudar – Falou baixo o suficiente apenas para si mesmo.

 

 

 

Ϫ 10 anos atrás Ϫ

 

 

 

- GUANGYAO ME ESCUTE – Wei estava nervoso – POR QUE FAZ ISSO?

- Você sabe muito bem que o meu dever é acabar com todos os que vão contra a nossa seita – Sorriu para o amante.

- É A MINHA FAMÍLIA – Gritou com ódio.

- Wei Wuxian, os Jin são a sua família, não esses traidores – Tocou levemente o queixo do mais novo, sorrindo maldosamente – Não deveria estar se preocupando tanto com eles, amor – Apertou o queixo e puxou mais pra perto – Ou você discorda de algo?

O temor nos olhos do jovem era completamente visível, e isso divertia Jin GuangYao, divertia tanto ao ponto de fazer propositalmente. Wei Wuxian sabia que, independente do que falasse, nada iria parar aquele homem, sua resposta só o faria sofrer mais ou menos, precisava proteger sua família, mas sabia que Jin Ling estava em casa, seu sobrinho tinha apenas cinco anos, não poderia arriscar desobedecendo GuangYao. Abaixou a cabeça e negou, trazendo assim o sorriso psicótico ao rosto do mais velho.

- Sendo assim, nos vemos mais tarde amor – Puxou o menor para um beijo já inicialmente profundo, não poderia rejeitar, tinha medo do pior – Quando eu voltar nós vamos comemorar mais uma vitória, por Lanling – Sorriu, depois de alguns segundos de silêncio, Wuxian respondeu.

- ... Por Lanling.

 

 

 

 

 

Em meio ao caos que se encontrava o clã Wen, Wei Wuxian corria desesperadamente vestido com roupas que o cobrissem completamente, não poderia arriscar ser visto. Olhava ao redor com agonia, não enxergava nada além de fogo e homens lutando, a visão era idêntica ao desastre no píer Lótus, sim, também feito pelo mesmo Jin dessa vez, só alguns meses atrás. Não foi capaz de salvar seus pais adotivos, assim como não seria capaz de salvar sua família dessa vez novamente.

Entrou nos cômodos procurando alguma pessoa, qualquer um, com vida.

- Tia? – Questionava arrombando as portas – A-Ning, A-Qing – Chamava evitando forçar muito a voz, não poderia ser descoberto – A-YUAN – Chamou desesperadamente, sem se importar com a voz dessa vez – A-YUAN, WEN YUAN – Gritava cada vez mais alto, por sorte, ninguém prestou atenção em si, apenas focando na luta. Não achava seus tios, primos, o pequeno Yuan, mas não queria desistir ainda.

O cheiro de carne queimada era forte, o suficiente para enjoar Wei Wuxian, o fazendo cobrir o rosto com parte da camisa.

- ... Xian – Ouviu uma voz chamando em um tom muito baixo, quase impossível de entender – A-Xian, Xian-gege.

- YUAN? – Correu seguindo a voz, desejando que ficasse mais alto à medida que se aproximava. Para a sua sorte, encontrou o pequeno de seis anos um pouco mais perto da floresta, onde o fogo não havia chego – Yuan, você tá bem? – Questionou preocupado pegando a criança no colo.

- Xian – Com a voz chorosa, se abraçou ao corpo do mais velho – A-Yuan tá com medo – Chorava copiosamente, sem se importar com o que acontecia ao redor.

- Calma meu amor, vai ficar tudo bem – Abraçou a criança mais forte – Droga, DROGA – Repetia enquanto olhava ao redor, mesmo desejando muito encontrar alguém, não saberia o que fazer depois. Não poderia ser visto naquele lugar, muito menos com um sobrevivente do clã – E-eu

- Tem alguém aí? – Ouviram uma voz grossa chegando perto de onde estavam. O medo se fez presente nos dois corpos, fazendo Yuan se encolher mais e Wuxian abraçar mais o corpo pequeno, para logo se revelar um Lan Wangji  preocupado – Olá.

- Hanguang-Jun? Wangji? – Chamou o maior, assustado por encontrar o outro em tal situação – Lan Zhan!

- Wei Ying? – Se aproximou – O-o que faz aqui?

- Você é Lan Wangji, certo? Mas é claro – Concluiu nervoso – Lan Zhan, preciso que faça algo por mim – Falou, deixando o maior com dúvida. Wei Wuxian teve a sorte de os membros de outras seitas aparecerem para ajudar os Wen, do contrário, não teria outra saída – Hanguang-Jun, preciso que cuide de Wen Yuan.

- Como assim? – Questionou surpreso.

- Vamos, você entende a situação – Continuava falando rápido – Proteja A-Yuan, ele tem seis anos, leve-o daqui.

- Wei Ying, se acalme.

- COMO VOCÊ QUER QUE EU ME ACALME? – Gritou já sem conseguir controlar as próprias emoções, Yuan chorava baixinho em seu colo – P-por favor Hanguang-Jun, mantenha Yuan seguro – Pegou o menor e afastou de seu corpo, Wangji assentiu com a cabeça - Essa criança é muito importante para mim, tenho certeza que sabe disso – Se referiu as conversas por cartas, quando falava várias vezes de seu primo, o considerando um pequeno filho por sempre cuidar dele na ausência do pai.

- Tudo bem – Respondeu tentando manter a calma e olhando o pequeno.

- A-Yuan, você precisa ser forte, tudo bem? – Encarou o pequeno de olhos marejados – Você tem que ir com Lan Zhan, ele irá cuidar de você, certo?

- A-Xian, Yuan quer ficar com A-Xian – A criança voltou a chorar.

- Você não pode, é muito perigoso – Abraçou o corpo do menor, enquanto ambos choravam. Wangji olhava a cena com um nó na garganta, não poderia fazer nada além de levar a criança que era tão importante para Wei Ying – Lan Zhan, proteja meu Yuan – Sorriu ainda chorando, enquanto o mais velho assentia.

- Vamos? – Pegou as mãos do pequeno.

- A-Xian – Soluçou – Você promete voltar pra ver o A-Yuan? – Perguntou se agarrando em suas pernas.

- Eu prometo – Sorriu bagunçando seus cabelos – Hanguang-Jun, você precisa ir – Empurrou o pequeno para perto do outro – Não pode ser visto comigo, saia desse lugar imediatamente – Colocou de volta o capuz que havia caído, ao se virar, falou uma última vez antes de partir – Lan Zhan, eu estou confiando a você uma das coisas mais preciosas da minha vida – O olhou de soslaio – Se cuidem.

 

 

 

 

 

 

 

- Hah, hahahah - Começou a rir - HAHAHAHHAHAHAHAHHAH - Jin GuangYao gargalhou enquanto encarava o cofre aberto e notava a falta do outro - Eu te adoro, mas você da trabalho, sabia boneca? - Falou consigo mesmo, colocou as roupas e desceu rapidamente as escadas da mansão, chegando ao primeiro andar e encontrando muitos membros reunidos, inclusive sua esposa.

- O que aconteceu, líder Jin? - Zixun questionou se aproximando ao perceber o rosto contorcido de GuangYao.

- Wei Wuxian - Parou para respirar profundamente - Wei Wuxian se foi... - Encarou todos - Como... COMO NINGUÉM O VIU SAIR? - Gritou empurrando os enfeites caros de porcelana da mesa, os fazendo quebrar ao cair - COMO PODEM SER TÃO INÚTEIS?

- S-senhor - Um dos criados se atreveu a falar - Não o vimos, e-ele deve ter saído muito cedo.

- VOCÊS JÁ DEVERIAM ESTAR DE PÉ, ACORDADOS, TRABALHANDO - Continuou gritando com todos enquanto levava as próprias mãos aos cabelos.

- Querido, se acalme - Qin Su se aproximou, obviamente viu a situação como uma chance de se reaproximar do marido e ter seu status de volta, ocupando o lugar tomado - Nós vamos resolv- O som de tapa alto ecoou por todo o salão, assustando os criados e membros da seita. Qin Su olhava incrédula para o chão e depois para os olhos do marido.

- Cale a sua boca - Respondeu com ódio fluindo através do olhar, o que deixou a mulher assustada, já havia presenciado alguns surtos de raiva mas esse, de longe era o pior - Eu quero todos, TODOS PROCURANDO POR QUALQUER VESTÍGIO DELE - Começou a rir com ódio - A minha boneca vai se arrepender de ter pisado fora dessa mansão - Falou e voltou em direção ao quarto - ZIXUN.

- S-sim?

- Mande algumas mulheres para o meu quarto - Respondeu sem virar para trás.

- S-sim - Se prontificou para ir ao salão com as concubinas do líder.

- Traga Qin Su também - Acrescentou, fazendo a esposa arregalar os olhos. Nada de bom sairia de um GuangYao com ódio e várias mulheres no quarto.

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...