1. Spirit Fanfics >
  2. Heart of Ocean - TaeKook >
  3. Pesadelos

História Heart of Ocean - TaeKook - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Eaí people!
Yep, eu não morri, digamos que apenas estava procurando algo que realmente acendesse minha paixão pela escrita, e assim nasceu Heart of Ocean.
A Água, como alguns leitores da Kiera Cass devem saber, veio do livro A Sereia (que eu aliás adorei).
Resolvi explorar mais essa personagem com um ponto de vista diferente, e espero que vocês gostem.
Ademais, desejo do fundo do meu coração que curtam esse meu novo projeto.
Boa leitura!

Capítulo 1 - Pesadelos


Fanfic / Fanfiction Heart of Ocean - TaeKook - Capítulo 1 - Pesadelos

É comum eu ter pesadelos toda madrugada. Eu estou em um penhasco na beira do mar em uma tarde sombria proporcionada pelas nuvens carregadas no céu. Clarões vindo dos raios iluminam a lateral do corpo de uma mulher à minha frente enquanto ela observa um jovem garoto na borda da formação. As mechas de seu cabelo negro esvoaçam para leste com a força do vento e seu rosto está coberto de lágrimas. 

Ele percebe que estou ali e abre um sorriso forçadamente feliz. Porém, consigo ver a dor que carrega. Se era para me tranquilizar, não funcionou. 

Corro na direção dele e sou barrado pela mulher que agarra meu corpo com força, me prendendo em seus braços enquanto me debato desesperado tentando alcançar ele, gritando para não fazer aquilo que estava prestes a fazer. 

Eu sabia que meus gritos eram em vão, ele já havia tomado uma decisão, e não iria voltar atrás mesmo que eu implorasse. 

Começa a cair gotas de chuva que salpicam meu rosto já encharcado de lágrimas. Ele odeia me ver triste assim, mas seus pés continuam cravados no mesmo lugar. 

A tempestade começou a ficar violenta acima do mar atrás dele. 

O garoto continuou com seu sorriso dolorido e seus lábios se moveram para formar uma palavra. Eu não ouvi o que disse, mas sei o que era. 

Ele pediu desculpas, e pulou para sua morte. 

Eu me solto a tempo de ver seu corpo pendendo sobre uma rocha pontuda banhada com seu sangue. Sua coluna se quebrou ao meio com o impacto. Ondas batem contra seu rosto furiosamente. 

Quando desço para a praia rezando para alguma divindade para que salvasse a vida dele, seu corpo não está mais lá. O mar levou ele para longe de mim.  

Abro os olhos na esperança de ser tudo uma ilusão, um truque da minha mente, mas não adianta. Posso procurar em todo lugar do mundo que não irei achar um vestígio da existência daquele garoto além de uma pequena foto antiga embaixo do meu travesseiro. A única prova ao meu alcance que prova que Jeon Jungkook existiu. A única coisa que me lembra que ele não é uma ilusão. 

Essa mesma foto me recorda do ódio profundo que sinto do mar e de como ele levou tudo de um menino precioso. Primeiro foram seus pais e depois sua própria vida. Sinto nojo por isso, nojo e revolta. Era pra ter sido eu no lugar dele, eu que deveria morrer. 

Jungkook era a última pessoa do mundo que merecia tal sofrimento. Sua vida deveria ter sido pacífica e boa como ele próprio era. Mas, ao invés disso, ele morreu com o corpo quebrado ao meio. Nenhuma pessoa por pior que seja merecia uma morte cruel assim. 

Me pergunto o porquê de eu ter rezado naquele dia após sua queda, não faz sentido. Foi uma divindade que matou ele, e com certeza ela não devolveria uma alma tão valiosa. Tanto que levou até o corpo junto. 

A Água destruiu a vida de um pobre garoto aos poucos, e dói saber que tenho uma participação nisso, mesmo que seja ínfima. Nunca quis que ele acabasse assim. 

Esqueci de mencionar até o momento, mas a minha mãe é uma sereia, assim como nos contos de fadas, com a pequena diferença que ela infelizmente é real e que convenceu meu melhor amigo a se matar. 

Eu não sei quem das duas eu odeio mais, é uma disputa bastante acirrada. De um lado temos uma entidade maluca que sente sede de sangue humano; do outro, temos uma criação assassina da entidade maluca que fez um acordo com condições bem específicas com ela apenas para ficar com um homem que achou bonito e que abandonou ela mais rápido que um piscar de olhos quando soube que estava grávida. 

Por mais absurdo que seja, sim, minha mãe apostou a vida de um de seus filhos para poder ficar com meu pai na forma humana, mas ele a abandonou antes que pudesse ter mais crias para pagar o trato. Sendo assim, desde que nasci eu estava destinado a morrer e sabendo disso, minha mãe fez uma proposta de dar a vida de alguém próximo a mim para a Água.  

Ela poderia ter se matado? Sim, mas ela preferiu convencer um garoto de 14 anos a morrer no seu lugar porque, segundo ela, não queria deixar seu filho órfão. 

O mais engraçado de tudo é que eu realmente me tornei o que ela temia. Aquela mulher está morta para mim e não a vejo há vários anos. Qualquer amor que eu sentisse por ela morreu com Jungkook ou foi substituído por uma intensa amargura. 

Várias vezes fugi de casa depois daquele dia traumático. Ela sabia como eu estava quebrado mentalmente e mesmo assim continuava a dizer que fez tudo aquilo pelo meu bem.  

Eu a abandonei quando me tornei maior idade, tal como meu pai fez. Odiei ele a vida toda, mas passei a entender seus motivos. Minha mãe é completamente maluca. 

Após fugir aluguei uma espelunca qualquer na cidade e passei a trabalhar para pagar minha faculdade de artes. Não era meu plano inicial seguir esse caminho, mas a arte passou ser a única coisa que permitia que eu expressasse meus sentimentos sem revelar os segredos envolvendo a Água. 

As pessoas passaram a notar os quadros que eu pintava e com a ajuda do meu professor passei a ser reconhecido e minha arte foi para as exposições e galerias. Eu deveria ter ficado muito feliz com isso na época, mas não senti nada. 

Ser feliz após tanta dor era impossível pra mim. Essa era uma ferida que nunca irá cicatrizar, não importa o que eu faça. 

Não gosto de pessoas nisso, mas eu estou vivo apenas para que o sacrifício de Jeon não tenha sida em vão. Ele deu sua vida para mim porque me amava, então me esforço para fazer cada respiração minha uma prova de amor para ele. 

Inspiro e expiro diariamente pensando nisso. Pensando nele, e em como poderia ser nossas vidas se ainda estivesse aqui. 


Notas Finais


Digam o que acharam nos comentários, eu realmente amo ler e responder eles.
Então, é isso. Estou desenvolvendo o segundo capítulo e em breve vocês serão agraciados com ele.
Tchauzinho e obrigada por ler até aqui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...