História Heart Rescue - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe, Ultear Milkovich
Tags Família, Nalu, Policial, Romance
Visualizações 108
Palavras 974
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoal!
Bom, eu estou conseguindo voltar a dormir e me toquei de que esqueci de contar o motivo, que no caso, foi por causa do cachorro que ganhei, no caso, filhote, então…
Enfim, aos poucos vou ir postando! Enfim, boa leitura!😉

Capítulo 15 - Descobrindo


[Pov's Juvia]

- E essa é a minha história… - a Lucy diz, abaixando a cabeça.

Ela me contou que se mudou para Magnólia a fim de estudar, me contou sobre o estupro e as coisas que sofreu lá, mas apesar de tudo, a mesma se formou, contudo, ela não conseguia emprego na área e para não ter de voltar a casa dos pais, embora super amáveis, a Lucy decidiu se manter trabalhando como garçonete, até que conheceu Sting, seus ex-namorado, e se apaixonou, bom, pelo menos era o que ela achava, até conhecer o meu irmão.

Ela não citou o nome dele, sempre se referindo a ele como "o cara" ou algo do tipo, mas eu sei que é dele que ela está falando, já que abre o maior sorriso enquanto fala dele e por sinal, é o mesmo sorriso que ele mostra quando fala dela. Porém, preciso ter certeza antes de comunicar o meu irmão, quer dizer, não quero lhe dar falsas esperanças em relação a ela, por isso que preciso descobrir o nome do "cara", ao qual ela se refere:

- Nossa Lucy! Isso sim é uma história e tanto! - falo, a fazendo rir - mas me conta, qual é o nome desse "cara" misterioso? - pergunto.

- Ah, bem… é que eu não sei se… - não a deixo terminar.

- Se deve me contar? - falo, a vendo confirmar, realmente, é como o meu irmão disse, ela é super honesta - olha, se não quiser falar, não fale! Mas acredite que eu quero e muito, me dar bem com você! - digo, lhe dando um pouco de confiança.

- Tá bom! - ela sorri - o nome dele é Natsu… - fala, de cabeça baixa.

Bingo! Eu sabia! Abro então um sorriso, dizendo que era um nome lindo, fazendo a mesma concordar; depois disso, ficamos mais um tempo conversando antes dela ir embora. Pego meu celular, ligando para o meu irmão, que por sinal, demora duas horas para atender! Vê se pode? Até que ele resuscita e atende:

- Alô? - o ouço falar com a maior voz de sono.

- Acorda logo seu palerma! Não acredito que estava dormindo até agora! - digo, o fazendo bufar.

- Desculpa, maninha! Mas é que eu não estou dormindo durante a semana então… - diz, meio irritado - fala logo o que você quer!

- Tá bom! Vai me tratar com grosseria? Tá legal, eu ia te contar aonde a Lucy está, mas como você está com sono, eu ligo outra hora! - falo, já pensando em desligar o celular.

- NÃO, NÃO, NÃO! ESPERA! - grita no telefone, quase me deixando surda, mas assumo, adoro provocar o meu irmão.

- Hum, não sei não… - digo, o irritando - acho melhor deixar para você saber amanhã, quando tiver tomado café e com o humor melhor.

- Fala logo, porra! - grita, é, acho melhor eu falar logo, quer dizer, quando ele começa a falar palavrão, a coisa fica feia.

- Tá bom, tá bom! - digo, tentando acalma-lo - é o seguinte, você se lembra que o Gray foi transferido, certo? - pergunto.

- Sim, mas o que isso tem haver com a Luce? - pergunta.

- Deixa de ser apressado! Pois bem, por um acaso, ou destino, a Lucy está morando em Hargeon… - falo, enquanto meu irmão, volta a me cortar.

- Aonde? Como? Ela tá bem? - pergunta, desesperado e juro que posso ouvi-lo correndo e colocando a roupa, enquanto fala comigo.

- Calma! Mas que porra! - respiro fundo, voltando a ficar calma, odeio que me interrompam - ela está bem! Ela veio para cá de avião, o motivo você terá de descobrir por si só!

- Mas aonde ela mora? - pergunta, mais calmo.

- Por coincidência, ela é minha vizinha! - digo, abrindo um sorriso.

- Ótimo!

- Você vai vir vê-la, certo? - pergunto, prevendo a resposta.

- É claro! Preciso dizer a ela o que sinto e descobrir porque foi embora, sendo assim, tchau mana! Eu te amo! - diz, desligando.

- É claro que ama! Mas só porque te contei aonde ela estava, se não você ia era me odiar! - falo, sentindo braços me rodearem a cintura e alguém beijar minha nuca, me fazendo sorrir - oi meu amor!

- Oi Juvis! - o Gray fala, me virando de frente e me beijando.

Senhor! Deus sabe o que passei para conquistar esse homem! Mas no final, posso ter o prazer de dizer que tudo valeu a pena!

[Pov's Natsu]

Nem acredito no que a Juvia acabou de me contar! Sério! Tô tão feliz que só falto pular e subir pelas paredes! Mas apesar de estar feliz com isso, há uma pergunta que não sai da minha cabeça, por que ela foi embora? Bom, acho que logo vou saber a resposta.

Aguenta só mais um pouco Luce! Penso, acelerando o carro para ir logo até o aeroporto.

[Pov's Lucy]

Depois de passar o resto da tarde conversando com a Juvia, percebi como fiquei mais leve, lhe contando sobre meus medos e inseguranças, mas também, sobre as partes boas, é claro. Assim que voltei para casa, tirei as botas, colocando uma meia bem quentinha e as minhas amadas pantufas, me deitei na cama, lendo um livro, até que adormeci.

Acabei porém, acordando algumas horas depois, com a campainha tocando, eu torcia para a pessoa ir embora, percebendo que ninguém iria atendê-la, mas parece que meu desejo não se realizou, pois quem quer que seja, continuou tocando.

Joguei as cobertas para o lado, bufando e olhando no relógio, eram 2:30 da manhã! Qual é! Cadê o cimancol!? Me levanto, pondo as pantufas e descendo as escadas, super irritada, pois como meus pais haviam ido comemorar o aniversário de casamento, eu estava sozinha, não tendo quem atendesse a porta.

Eu podia esperar tudo, algum desavisado, alguém precisando de ajuda, não sei, mas quando abri a porta, não pude evitar deixar meu queixo cair e os olhos arregalarem:

- Sting? 


Notas Finais


Troleeeeeii! Rsrs
Desculpa desde já! 😊😅


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...