História Heartbeat - Jeon Jungkook e SN - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, I.O.I
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jeon So-mi, Jisoo, Jung Chae-yeon, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Imagine Jeon Jungkook, Jungkook, Você
Visualizações 20
Palavras 1.368
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu prometo pelo meu lanche que essa história não vai ser excluída 👍

Capítulo 1 - Heartbeat - 1


Fanfic / Fanfiction Heartbeat - Jeon Jungkook e SN - Capítulo 1 - Heartbeat - 1

"Se eu estivesse sozinho
Se eu não te conhecesse
Talvez eu teria desistido
Perdido no meio do mar


Mas meu coração ainda está em chamas
Com um desejo ardente
Vou te ganhar de volta, é nosso destino"

-- Heartbeat

           
          (.....)

    Queria saber onde eu estava. Acordei confusa. Olhei em volta e não tinha ninguém. Tentei levantar, mas não tinha forças. Notei que tinha um saco de soro pendurado no meu lado, com um fio que o levava até, aí, a minha mão. Morria de medo de injeção. Me sentei na cama, até então a porta a minha frente se abrir.

– Você acordou. - Disse um ruivo de avental, era um médico. Ele veio até mim e apertou o saco com o soro.


– Porquê eu estou em um hospital? - Perguntei sentindo o ardor do líquido indo a minha mão.


– Você sofreu um acidente. - Respondeu, e em seguida colocou o estetoscópio na minha blusa, pra ouvir meus batimentos.


   Tive a impressão de ter flashbacks. Na minha cabeça eu estava gritando "Mãe!" e conseguia escutar meu pai pedindo pra mim fugir.

– S/N, respire. - Disse ele me despertando.


– Meus pais.. Onde eles estão? - Perguntei fazendo o quê ele pediu.


– Você vai entender tudo depois. Se eu te disser agora vai se distrair. Por enquanto você vai ter que ficar de repouso. - Respondeu tirando o estetoscópio dos ouvidos e indo até uma mesa ao lado, e anotou algo em sua caderneta.


– Eu tenho que ficar presa aqui? - Perguntei coçando a mão.


– No seu quarto não. Agora você vai ter que sair pra tirarem esse soro. - Disse me ajudando a me levantar. 


   Sorri de felicidade, não iria ter que usar mais aquilo.

   O doutor me guiou de um corredor, até uma sala, tinha varias macas e crianças deitadas nelas.

 

– Fique aqui. - Pediu.


   Assenti com a cabeça. Não podia ir muito longe com aquele soro mesmo.

   Olhei em volta, ví algumas crianças conversando. Queria conversar com elas, acho que queria amigos. Fui desviada desse pensamento após escutar barulho de rodas vindo em minha direção. Era um garoto de cabelos castanhos. Ele parou, parecia confuso, me observava com um olhar estranho. O quê eu deveria fazer?

  Estendi a mão pro garoto. Queria fazer amizades e bom, ele parecia ser legal.  O moreno curvou a cabeça como um cachorrinho confuso. Balançei os dedos esperando uma resposta. O menino pegou minha mão. Sorri e ele fez o mesmo.

Depois do nosso encontro, eu e o meu novo amigo estavamos andando pelos corredores do hospital.

– Então seu nome é S/N? - Perguntou olhando pra frente.


– Isso. E o seu? - Perguntei.


– Jeon Jungkook. Mas como você é uma amiga, pode me chamar de Jungkook. - Respondeu entre pausas.


– É um prazer Kookie. - Inventei um apelido ao mesmo. Ele parece ter ficado envergonhado pois virou a cabeça, soltou um grunhido baixo e sorriu. Sorri também. Ele parecia ser extremamente tímido.


– Você é paraplégico? - Perguntei olhando pra sua cadeira de rodas.


– Não mais. Fiz uma cirurgia, e o médico disse que é melhor eu andar pra me acostumar mas, eu amo andar de cadeira de rodas. É um costume. - Explicou.


– Entendi. Mas porquê não se levanta? Quero te ver melhor. - Perguntei indo pra frente dele.


Ele ficou sem reação. Estendi a mão pra ajudá-lo a se levantar. Ele pegou minha mão e com minha ajuda se levantou. Olhou pro seus pés e depois pra mim. Kook era uns 5 centímetros mais alto do que eu. Ele encarou meus olhos e eu os dele, e sorriu.

– Bem melhor. - Comentei.


– Eu não gosto muito de ficar em pé mas.. Com você eu posso ficar assim o dia inteiro. - Disse em quanto continuamos a andar. Fiquei com vergonha ao escutar aquilo.


– Bom saber que te encorajei. - Respondi sorrindo.


– Quer ver uma coisa legal? - Perguntou.

– Claro. - Respondi curiosa. Ele pegou minha mão e me puxou.

– Aonde estamos indo? - Perguntei olhando pra cadeira de rodas que ele abandonará atrás da gente.

– Vamos ver os bebês. - Respondeu olhando pra frente.

– Adoro bebês. - Respondi.

– Quem não adora? - Respondeu rindo.

Ele parou na frente de uma janela, e ficou observando os bebês.

– São tão fofos. - Comentei com vontade de apertar a bochecha de um que me olhava sorrindo.

– Um dia, eu pretendo ter um chamado Jeongsan. - Disse me encarando.

– É um nome lindo. - Comentei. – Também queria um menino. - Eu disse olhando denovo pros bebês.

– Com licença, crianças. - Disse uma enfermeira. – Vão ter que ir, está na hora dos bebes dormirem. - Explicou.

– Tudo bem. - Respondeu Jungkook.

– Corrida até nossos quartos? - Perguntei o desafiando.

– Só se for agora. - Respondeu sorrindo.

Saímos correndo até nossos quartos.

– Cheguei primeiro! - Disse me gabando.

– Assim não vale! Você sabe como usar as pernas. - Disse com as mãos nos joelhos.

– Não diga isso. - Disse o encorajando.

– Bom, vou voltar pro meu quarto. - Disse ele estendendo a mão. Ao invés de pegar sua mão eu o abraçei. O moreno me abraçou devolta.

– Até mais, S/N.

–  Até, Kookie.

  
Acordei cheia de vontade de ver o Kookie. Comi o mais rápido que pude e saí do quarto. Por sorte dei de cara com Jungkook vindo em minha direção.

– Bom dia! - Disse sorrindo.

– Bom dia, Kookie! Sem a cadeira de rodas, hein. - Disse olhando pra suas pernas.

– Não preciso mais delas. Quero andar com você agora.  - Disse pegando minha mão.

Andamos pelo hospital, denovo. Olhei em volta e ví alguns cartazes sobre Depressão.

– Nossa. - Disse olhando pros cartazes.

– A Depressão é como uma flor. - Comentei.

– Porquê? - Perguntei sem entender.

– Elas brotam dentro de você. E se você não cuidar delas..

– Elas murcham. - Dissemos em uníssono.

– Acertou. - Disse ele.

– Onde estão seus pais? - Perguntei.

– Não estão aqui. Eles vem me visitar de vez em quando. E os seus?

Mudei de expressão quando ele perguntou dos meus pais. Eu não tinha mais pais.

– Disse algo errado? - Perguntou preocupado.

– Não. - Neguei com a cabeça. – Meus pais morreram em um acidente. Eu não sei direito. Não me lembro.

– Ah.. - Ele colocou a mão no meu rosto e o acariciou com o polegar. – Sinto muito. - Disse sorrindo fechado.

– Não precisa se lamentar. - Disse segurando sua mão.

Sorrimos e nos encaramos por um tempo.

– Você é diferente, S/N. - Disse quebrando o silêncio.

– Sou? - Perguntei.

– Você me dá confiança. - Explicou.

– Você me dá força. - Eu disse.

– Promete nunca me deixar? - Perguntou juntando nossas mãos.

Sorri e assenti com a cabeça.

– Prometo.


  Era de noite. Estava deitada pensando em Jungkook. Ele é legal. Me sentia completa com ele. Escutei batidas na porta.

– S/N!? - Entrou uma moça chorando. A reconheci, era minha tia.

– Tia? - Perguntei me levantando. Ela me abraçou.

– Te procurei por tanto tempo. Eu não sabia onde você estava. E quando descobri que seus pais.. - Ela me observou.  – Que bom que você tá bem. - Disse segurando meu rosto.

– Agora você vai poder ir pra casa. - Disse meu tio, que reconheci também.

– Pra casa!? - Perguntei. O fato de eu ir embora não era bom pra mim. Eu iria ficar longe do Jungkook.

– Sim, meu amor. - Disse sorrindo. – algum problema? - Perguntou.

– Quero me despedir do meu amigo. - Respondi saindo da cama, e correndo pra fora.

– S/N! - Gritou minha tia.

Corri pelo hospital a procura de Jungkook. Ele estava parado, e se virou pra trás. Assim que me viu fui correndo até ele e o abraçei chorando.

– S/N, o quê foi? - Perguntou preocupado.

– Eu vou embora. Não queria ir mas tenho que ir. Me desculpa. - Disse soluçando.

Ele não respondeu nada. Tirou minha cabeça de seu ombro e olhou nos meus olhos.

– S/N! - Disse minha tia vindo em minha direção.

– Eu te amo. - Disse antes de sair dos seus braços.

– Eu também te amo, muito. - Disse me soltando.

Minha tia puxou minha mão. Eu ainda olhava pro Jungkook. Estava triste e me encarava enquanto eu me afastava.

– EU TE AMO, JUNGKOOK! - Gritei. E essas foram as últimas palavras que consegui dizer.







Notas Finais


Esse primeiro capítulo conta a história de como o Jeon e a S/N se conheceram quando "crianças".

Nos proximos caps a S/N já sera adulta, e assim continuará a história deles. Espero que tenha gostado. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...