História Heartbreaker - Capítulo 7


Escrita por: e _Soonie

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Comedia, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Romance, Yaoi
Visualizações 273
Palavras 2.049
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


@TheEvil_Queen: Chegamos \o/ Esse capítulo tá triste, já vou avisando kkkkk, mas mesmo assim espero muitíssimo que vocês gostem ♥♥

@_Soonie: Eu não tenho nada a dizer, apenas que eu tô chorando o Rio Tietê inteirinho aqui. Tia Fabi tem uma mira precisa que só, partiu meu coração todinho.
Amas espero que gostem desse capítulo que tá marafabuloso❤

Capítulo 7 - Tentativa 6: Separação


Confesso que estava me sentindo triste como há muito tempo eu não sentia. Sohye não parecia estar muito preocupada com o fato de que eu poderia sim, muito bem, sair magoado com aquela vingança toda dela – aquela que eu já estava começando a me cansar e achar de total falta de necessidade. E eu, como melhor amigo dela, estava começando a me incomodar com isso, com toda a situação, e também com o descaso dela.

Apenas sei que quando a ouvi dizer aquilo eu me afastei sem deixá-la dizer mais nada e fui na direção da sala em que eu e Jimin ensaiávamos, porque por algum motivo ele gostava de ficar lá nas horas livres, algumas vezes estudando, fazendo exercícios, ou lendo também. Ele até que era bem estudioso para alguém tão popular. Sim, eu falei sobre um estereotipo mal julgado, não me odeiem.

Não é que eu ache que só os nerds – como eu sempre fui – precisam ir bem no colégio ou sejam, de fato, os únicos inteligentes. É só que eu não estou acostumado com boas notas vindas dos meus colegas mais populares. Jimin é definitivamente uma grande exceção dentro dessa escola

E foi por isso que eu decidi ir atrás dele, porque eu não queria pensar em Sohye ou discutir com ela, queria apenas me distrair e tenho certeza de que Jimin poderia fazer isso por mim. Ele poderia muito bem conversar sobre qualquer assunto comigo, até o mais idiota, que pelo menos uma risada eu daria, e isso certamente me faria bem.

A companhia dele me faria bem.

Quando cheguei eu estava ofegante, devido ao fato de ter corrido sem ao menos perceber que havia feito isso. E lá estava Park Jimin, exalando sua doçura até mesmo na forma que respirava, me deixando tonto por sua presença – e o perfume forte mesmo que doce que eu sentia de longe.

Ele não me notou em um primeiro instante, estava concentrado lendo um livro – que não me dei o trabalho de tentar entender sobre o que falava – e sua feição era serena, porém concentrada. Ele tinha até um leve biquinho nos lábios, e nossa... por que Jimin é tão lindo? Eu não sei nem o que iria dizer, ele apenas é muito lindo.

Me aproximei cautelosamente e larguei a mochila sobre uma classe, sentando na cadeira que estava ao lado dele e simplesmente me inclinando sobre suas pernas, literalmente me deitando. Jimin pareceu se assustar, já que estava tão concentrado em seu livro que nem mesmo viu que eu estava tão perto assim dele.

Mas assim que me notou, marcou a página em que parou de ler e largou o exemplar em suas mãos em cima de outra classe, logo direcionando aquelas abençoadas mãozinhas aos meus cabelos, me fazendo um carinho totalmente delicioso, quase de fazer uma pessoa – no caso eu – ronronar feito um gatinho manhoso.

– Você está com uma carinha muito triste. Aconteceu algo? – Soltou ele, e aquele tom de voz tão doce me fazia ver estrelas.

Certo, era óbvio o que estava acontecendo, eu apenas tentava com todas as forças confessar para mim mesmo que eu estava sim gostando dele, que provavelmente já estava completamente apaixonado. Eu não queria cair por ele, cair no seu joguinho, mas era vê-lo daquela forma que eu o achava incapaz de ter magoado Sohye, ou qualquer outra pessoa.

Era normal na nossa escola o quanto inventavam histórias sobre os alunos mais populares, principalmente quem tinha inveja da popularidade deles. Vai que fizeram o mesmo com Jimin? Vai que todos tentaram envenenar sua “fama” dentro do colégio apenas para derrubá-lo? Mas... Sohye não faria isso, faria? Ela parecia tão chateada. Não era apenas um teatrinho dela, era?

– Desentendimentos, talvez. – Dei de ombros, incerto, porque eu não tinha tido um desentendimento com ela.

Eu só... a deixei lá com Jin e saí correndo. Mas eu não iria falar em voz alta que tinha recorrido a ele assim, do nada, para me distrair – ou me encantar ainda mais – porque ele poderia interpretar errado. E eu ainda precisava me fazer de difícil. 

Ser difícil para Jimin era mais complicado do que fazer prova final do trimestre de matemática! 

– Que bom que nos horários livres eu fico aqui. – Soltou uma risadinha, uma daquelas que me deixava entorpecido em pura admiração que sentia por ele. – Eu já disse isso, mas é bom dizer de novo... você é muito bonito, Kookie.

– Você também. – As palavras saíram sem que eu pudesse controlar, e me senti com as bochechas pegando fogo por ter admitido em voz alta aquilo que eu só conseguia confessar para meu subconsciente. Céus, eu estava no chão por causa de Jimin.

Ele sorriu, e dessa vez eu o vi com aqueles olhinhos fechados por causa de seu sorriso e quase me desmanchei, derreti, me desmontei... sei lá, definam como preferir. Eu só me senti extremamente bem, e com o coração mais acelerado que carro de corrida, e as mãos trêmulas como se um terremoto acontecesse dentro de mim. E ainda tinha aquela sensação das famosas borboletas no estômago, eu quase podia sentir elas dentro de mim.

Mas não era uma sensação ruim, lógico que não, apenas completamente diferente do que eu estava habituado a sentir antes de começar a conviver com ele. E agora eu me sentia estranho porque eu parecia estar verdadeiramente me envolvendo com ele e estava permitindo que meus sentimentos aflorassem mais, que eu me entregasse mais, que eu o desejasse mais.

E talvez eu não devesse fazer isso, mas talvez já fosse muito tarde para voltar atrás.

Porque, ao que parece, eu já estava mais que caidinho por ele.

Porque, ao que parece, eu já estava apaixonado por ele.

E isso me assustou quando a ficha finalmente caiu, por conta disso durante alguns instantes eu desejei sair correndo mais uma vez, mas se eu fosse acabaria voltando, porque queria o conforto dele, queria o carinho dele, queria ele. 

Soltei um audível suspiro e vi Jimin me encarar. Mais uma vez me perdi nele, e eu, sendo bem honesto, não queria mais me encontrar. Fiquei o olhando e sendo retribuído, tentei ao máximo evitar de descer meu olhar até sua boca e por bons minutos isso até que deu certo.

Exceto que eu levantei com tudo e em um impulso quase o beijei. QUASE, porque achei que não seria certo. Não ainda. Não desse jeito. Poderia parecer drama, afinal para muitos isso seria apenas um beijo, mas para mim era diferente, era algo um pouco mais sentimental que apenas uma troca louca de saliva. Eu queria que fosse significativo, e que fosse em um momento melhor do que um onde nos meus pensamentos estou apenas falando sobre como Jimin é lindo e como estou cansado dessa vingança da minha melhor amiga.

– Pode me beijar, Kookie. – Declarou Jimin, segurando meu rosto com uma delicadeza que até me impressionou. – Você pode seguir seus desejos sem pensar nos outros. Sem pensar nela...

Nela? Sohye, será? 

Aquilo me fez ficar petrificado. E se Jimin sabe que tudo isso é um plano dela? E se descobriu que eu me aproximei para me vingar no nome dela? E se ele passar a me odiar por eu ter feito isso? E se me acusar de usá-lo? Eu estou ferrado se ele descobriu.

Porque mesmo que eu tenha me aproximado de forma errada, eu não quero mais me afastar.

Eu não quero perder Jimin.

– Faça isso, ninguém irá te impedir. – Abriu um sorriso o qual fez minhas pernas ficarem bambas como gelatina. Eu poderia, ali mesmo, ter caído sobre o chão e simplesmente apagado se não fosse Jimin me segurando. – Não deixe que impeçam sua felicidade.

Não é como se eu tivesse algum tipo de freio e pudesse parar, mas quando eu finalmente recuperei o raciocínio nossos lábios já estavam colados um ao outro. Eu sequer tive a ousadia de mover meu rosto, permaneci com aquele leve selar tomando conta do restante do meu corpo. Nenhum de nós sequer se moveu, apenas permanecemos com o beijo que durou muito menos que um minuto. Eu tive de me afastar e passar os dedos sobre meus lábios, arrancando uma risada de Jimin.

– Eu beijo tão mal assim? – Perguntou em meio a risos ao ver minha feição assustada e surpresa, eu já nem sabia como estava, só queria gritar e sair correndo. 

– Não é isso, você beija muito bem, mas é que... – Fiquei levemente bravo ao vê-lo rir das minhas bochechas que agora queimavam de tanta vergonha misturada com minha timidez. – I-Isso realmente não vem ao caso!

Eu estava verdadeiramente confuso, sentindo meu coração acelerado e meus olhos desfocados de tudo. Eu não deveria ter o beijado, mesmo que só um selinho. Não deveria… mas eu sou burro! Muito burro!

– Isso não deveria ter acontecido. – Levantei de vez da cadeira, ficando em pé e andando de um lado para o outro em volta dele. 

– E por que não? – Jimin também levantou, e eu até me senti vacilar ao encontrar seu olhar tão sério mirando o meu. – O que eu fiz para você ter tanta desconfiança de mim? Fiz algo errado? Por que não acredita que eu gosto de verdade de você?

– Porque você magoou a minha melhor amiga. – Eu não deveria ter trazido Sohye para o assunto, ainda mais porque isso poderia levantar suspeitas e também porque não sabia se eu estava de bem com ela. – E magoar meus amigos é imperdoável para mim.

– E quem foi que disse que eu a magoei? – Apenas o encarei como se fosse óbvio. – Você não acreditaria em mim mesmo se eu contasse a você, não é? Porra, Jungkook, eu faço todos os dias tudo que é possível para te arrancar um mísero sorriso, para te convencer de que sou diferente do que os outros dizem, para tentar mostrar quem eu verdadeiramente sou, e você me retribui com essa desconfiança ridícula? Eu não acredito nisso!

Eu também não acreditava. Mas ouvir a versão de Jimin da história poderia ser quase fatal para mim. Eu me entregaria de vez aos meus sentimentos e perderia a minha amiga. Não era esse o plano, e eu já nem queria seguir plano algum.

– Se tem tanta certeza de que a magoei, por que você continua ao meu lado? – Jimin tinha seus olhos marejados e apenas por isso eu vacilei de vez.

Não, eu não queria mais aquele plano, eu não queria mais arriscar perdê-lo e cheguei a pensar que poderia até me afastar de vez da Sohye. Porque… porque ver Jimin daquele jeito era doloroso e horrível e eu não gostei nada. Imagina se eu fosse até o fim com essa vingança?

Precisava me afastar e falar com Sohye. Ficaria longe dele para não arriscar que ele sofresse com aquela vingança provavelmente sem sentido. Me machucaria ficar longe, mas seria ainda mais doloroso caso fosse até o fim com tudo isso. 

Eu estava decidido!

– Porque eu gosto de você. – Confessei aquela verdade que me apunhalava nas costas com força todos os dias. – Eu gosto de verdade de você.

– Então tente me ouvir e me entender. – Havia muita súplica em seu olhar. Eu não queria, não podia. – Por favor, Kookie.

– É melhor eu me afastar de você. – Era mesmo o melhor, mas meu coração estava doendo tanto. – Porque eu não posso magoar ela. Ela… ela também gosta de você, me desculpa, eu não posso.

Só percebi que estava chorando quando tentei sair da sala e Jimin me segurou pelo braço, me olhando mais uma vez com aqueles olhinhos bonitinhos que agora estavam inundados em lágrimas. Eu não queria deixá-lo ali sozinho, não queria ir embora ou me afastar, mas para o bem dele era o que eu deveria fazer.

Não estava mais pensando no que era melhor para mim ou para Sohye, apenas no melhor para Jimin.

– Ela não gosta de mim, Kookie. – Um soluço lhe escapou, eu só queria me aproximar para o abraçar. – Mas você gosta. E eu também gosto de você… Não, eu não gosto… eu te a…

– Me perdoa. – Me machucou ter o interrompido quando era óbvio que ele diria que me ama… ou ao menos que me adora.

E eu apenas saí com pressa dali, correndo mais uma vez. Mas eu não iria para aula alguma, eu iria para casa.

Eu só queria chorar em paz.


Notas Finais


@TheEvil_Queen: Vou apenas fugir enquanto dá. Beijinhos ♥
@_Soonie: ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...