História Heartless - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Hana Inuzuka, Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Rock Lee, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Temari, TenTen Mitsashi
Visualizações 49
Palavras 4.141
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 31 - Hororo, Hinata, Hanabi


Hinata estava na lanchonete do Hospital, saiu de macinho para tomar um café quente na tentativa de processar tudo que estava acontecendo, enquanto sua mãe ainda estava sendo atendida pelo médico e Neji se ausentou por algum motivo que ela não sabia qual era, a xicara preenchida pelo liquido escuro e forte permanecia intocável perante seus singelos olhos perolados, era deprimente tão belos olhos estarem tão tristes encontravam-se encarando o próprio reflexo nas paredes de vidro temperado que davam vista para o jardim que era o refúgio daquele lugar, ela tentava aceitar o que estava vendo, uma humana cheia de defeitos, sabia que nunca podia ser perfeccionista deveria aceitar que como tudo no Mundo era falha e produzia erros, isto não era ridículo, ela realmente até que tentava entender a lógica da vida com o mais de esforço possível mas nada mudaria a realidade, nada mudaria sua família, o problema era que os Hyuugas não aceitam falhas, e até o seu nascimento fora uma falha, seus pais nunca quiseram uma herdeira, eles não a aceitaram desde antes de nascer.

De repente se sentiu de saco cheio, estava dias com noites mal dormidas, seu rosto suas vestias, sua postura extremamente exaustiva, nada estava do jeito que sua mãe determinava, nada nela estava perfeito mais uma vez, o que dava a Hemiko Hyuuga milhares de motivos de critica-la, talvez exigir uma conversa entre pais e filhos fora mais um item para sua coleção de erros, Hinata sempre dava razão para eles a colarem a abaixo.

Mas mais parecia que alguma força magnifica do universo ouvia os pensamento negativos as vezes e tentava melhorar as coisas, Naruto tão completamente divino puxou a cadeira ao lado da sua e sentou-se a mesa sem pronunciar uma única palavra, a surpreendeu jogando os belos fios louros para o lado, naquele jeito exclusivo que ele tinha, seus olhos azuis oceânicos a encararam o que deixou Hinata consideravelmente e mais uma vez inevitavelmente envergonhada, o que lhe arrancou um lindo sorriso sem dentes que era decorrência da presença do amado, impressionante era como Naruto e fazia se sentir bem não importava o quão triste estivesse, como se todo o chão que sustentava seus pés sumisse e ela pudesse flutuar apenas ao seu redor, apenas ao redor do amor que sentia por ele, Hinata nunca se sentiu defeituosa perto dele, pelo contrário, ele sempre só fez bem, tão bem que com certeza essa era a razão de sorrir tanto, depois de tantos tombos a vida retribui, ela te da motivos para sorrir.

— O que foi? – ela perguntou corada, e mal sabia ela o quanto ele amava ver aquela timidez tomar conta da sua face, pois tímida lá no fundo nenhum pouco era, era sim forte – achei que estava conversando com a sua mãe.

— Eu tenho todo tempo do mundo com ela, jamais irei abandona-la agora que finalmente a conheço – Naruto falou com um brilho emocionante nos olhos apesar da bagunça sentimental no fundo ele estava feliz e isto estava crescendo cada vez mais – mas preciso resolver um monte de coisas, todos esses problemas me impedem de seguir em frente, a Ordem, uma investigação criminal, tudo, eu não quero assusta-la mais do que já está, e nem me assustar então vou devagar.

— Como sempre nós dois estamos cercados pelo caos.

— Ela gostou de você – disse sem sair do assunto – acho que essa foi a primeira conversa de mãe e filho que eu tive. Não conversava sobre mulheres com Tsunade.

— Eu queria que fosse mais simples – ela disse comovida – imagino o tanto de coisas que você deve estar sentindo agora.

— Meu amor— e aquela foi a primeira vez que a chamou assim tão bonitosamente apaixonante – só você por perto, só a sua presença na minha vida, faz tudo ficar um pouco mais no seu devido lugar, eu não conseguiria sem você eu teria sido engolido pelo caos.

— Naruto...

— Hinata! – ela tinha algo importante a dizer, quando foi interrompida por Neji de repente, diante dos fatos, Hinata nem sequer sabia como deveria se comportar perto dele, a relação ficou estranha entre irmãos, e sua presença desconfortável.

— O que você quer Hyuuga? – Naruto se levantou em defesa, mas Hinata ainda lembra-se que considerava Neji seu irmão, sim ele ainda era seu irmão, e rezou para aquela ser mais uma das vezes que ele não brigaria ou faria exigências, apanhou a mão do loiro e o puxou para que senta-se novamente.

— Tá tudo bem – ela afirmou sorridente, o sorriso que tranquilizava o Uzumaki, Neji sentou-se a mesa junto deles e o I Pad Apple nas mãos trazia algo que queria mostrar – o que foi? Mamãe já terminou?

— Ainda não – ele respondeu estendendo a tela digital com a imagem de uma bela mulher, era um retrato muito antigo que apesar de velho não deixava de mostrar a beleza da figura que nele existia, uma mulher maravilhosamente linda com longos cabelos ondulados e belos olhos que não eram perolados como de todo em qualquer outro Hyuuga que tinha, seus lábios finos e sobrancelhas alongadas lhe davam uma pose confortável de mostrar que era bem mais gentil do que a seriedade das cores preto e branco da foto, nunca a viu, mas sabia que deveria uma Hyuuga diferente de todos os outros, diferente como ela era.

— Quem é?

— Outro dia eu achei a foto dela no livro histórico da família – Neji explicou – é Hororo Hyuuga, primeira líder e fundadora do império Hyuuga.

— Uma mulher? – viu os olhos tanto de Naruto quanto do irmão se arregalarem em surpresa, sim havia sido uma mulher.

— Hororo era uma feirante que causou-se com um fazendeiro Unke Hyuuga, ela caiu dentro de um poço quando achou os primeiros vestígios de diamantes nas terras – Neji respirou fundo e seus olhos brilharam o que fez a irmã sorrir imaginando o seu propósito – quando os negócios começaram a crescer Unke ficou possuído pela luxuria e riqueza, ele batia na esposa e nos filhos e virou um verdadeiro mostro que só pensava em prostitutas e jogatinas, Hororo era uma esposa refém que só permaneceu ao seu lado numa vida infernal por causa do filhos, fiquei fascinado pela história dela e pesquisei a fundo.

— Não sabia que houve uma líder mulher.

— Eu pesquisei mais por quê queria te contar – ele contou a encarando – Unke morreu quando sua carruagem caiu de um penhasco, Hina, Hororo Hyuuga assumiu o lugar do marido nos negócios, o mundo não acreditava, ela viajava de navio sozinha com vários homens para fechar negócios em outros países, trabalhou para fortalecer as minas de diamantes de as vendas assim conquistou outras matérias primas como ouro, cobre, ferro em menos de 20 anos ela fez isso sozinha, uma mulher na época que era uma coisa absurda ser a líder de uma empresa, de uma família... Ela foi uma das primeiras grandes mulheres empresarias, a empresa da família Hyuuga é tudo que é hoje por causa do suor e lagrimas dessa mulher, que viajou, lutou, brigou, batalhou e foi pulso firme, deu conta da Firma e dos filhos sozinha, a Firma que virou Empresa, a Empresa que encontrou para o mercado internacional e conquistou milhares de pontos no mundo, os Hyuugas se tornaram extremamente poderosos.

— É lindo – Hinata disse sem palavras – por que nunca ficamos sabendo disso?

— Eu não sei – Neji agora mudou a página da matéria no seu I Pad, a fotos de três joias lindíssimas estavam bem diante dos olhos de Hinata, mais uma foto que nunca viu na vida, e de pedras preciosas entendia – essa mulher Hina não era uma Hyuuga, e mesmo o marido que era o legitimo Hyuuga a destruindo todos os dias ela permaneceu como Hyuuga, em homenagem a ele.

— Por que está me contando isso?

— Na velhice Hororo Hyuuga desenhou e criou sua própria linha de colares, três colares laminados em nox negro que foram esculpidos por verdadeiros mestres de espadas cada colar tinha cinco diamantes do mais brilhantes e cristalinos que o mundo já viu, e ela lhes deu os nomes de Dragão Negro, Pérola Negra e o Cisne Negro, os 3 Irmãos da Escuridão – viu ele suspirar pesado o que a preocupou pois nunca viu tais joias – os Hyuugas protegeram esses colares por anos, e eles foram roubados do museu da empresa a 30 anos e valem cerva de 874 milhões em dólares.

— Papai nunca contou isso.

— Eu achei uma entrevista dos anos de 1800 feita para bibliografia de Hororo que na verdade nunca foi publicada pois seu filho impediu – Neji riu falso, Hyuugas estupidos – perguntaram a ela sobre os títulos de sua obra mais valiosa, e achei bonito Hina, de verdade, Hororo explicou que o nome Dragão Negro era em homenagem ao seu marido, um homem tão bom que foi possuído pela ganancia do mundo, mas que na visão dela permaneceria como um grande homem forte, poderoso e nunca desistiu de tornar a sua família grande e bem de vida, o que os Hyuugas eram hoje e por isso ela permaneceu como Hyuuga quando ele morreu, pois o homem que conheceu celestial merecia; Perola Negra é em homenagem aos Hyuugas, pois como uma pérola que demora muito para de grão de areia se tornar a mais bela joia os Hyuugas tiveram que passar por muitas fases e ainda havia muito que fazer para amadurecer, os Hyuugas vem do amadurecimento da joia perolada e por isso talvez seus olhos fossem perolados, ela tinha inveja por não ter esses olhos... Ela disse “minha família é uma perfeita joia perolada” – o moreno engoliu o seco a essa altura Naruto e Hinata estavam fissurados na história que ele contava, por fim seus olhos brilharam emocionados, Hinata nunca viu o irmão se emocionar –  então finalmente, ela disse que passou a vida apanhando do marido, por que fazia tudo errado, por que era uma mulher desastrada uma esposa imperfeita, a escolha errada da vida dele, que construir o império dos Hyuugas fora algo que exigiu uma extrema dedicação e uma experiência que ela não tinha, falhou infinitas vezes voltou para casa recebendo ódio e decepção várias vezes, mas isso nunca a fez desistir, a fez aprender com os erros, ao criar o Cisne Negro Hororo pensou em si mesma, o patinho feio dos Hyuugas que não se encaixava na perfeição dos seus membros e que amadureceu e se tornou um belo Cisne, desde então ninguém estava a cima da pessoa, foi uma mulher que criou o império da Família Hyuuga julgada imperfeita e inapropriada, Hororo a primeira líder matriarca e eleita uma das mais poderosas empresarias até hoje.

Hinata não respondeu, até por quê qualquer palavra que viesse a sua mente travaria no mesmo momento que tentasse dizer, seus olhos estavam fixos e esbugalhados encarando o irmão, cheios de lagrimas de emoção que começaram a escorrer vagarosamente. Ela não sabia o que dizer, simplesmente ela não tinha a menor ideia do que dizer e havia, tanto, mas tanto que queria falar.

— Essa é a visão que eu tenho de você hoje – o Hyuuga tornou a dizer – você é muito mais forte e muito mais Hyuuga do que todos nós imaginamos, e vai ser uma grande Líder, você vai ser uma Líder como Hororo.

— E você? – a voz vinda de trás de Hinata surpreendeu o casal, mas Neji viu os pais se aproximarem sorrateiramente assim que começou a contar a história, não falou nada de proposito, queria mesmo que eles ouvissem, e tanto Hemiko quanto Hiashi estavam petrificados com tal declaração.

— Mãe...

— Vai ficar vendendo frutas na feira com sua noiva? – Hemiko murmurou em tom amargo e gélido – vocês estão perdendo o controle, a partir de hoje não quero mais ouvir absurdos nessa família.

— Eu não sou seu filho... – ele iria dizer que iria se casar mesmo, mas o único passo de Hemiko como uma grande leoa fora mais rápida que suas ousadas palavras, o tapa da cara de Neji foi tão forte que chegou a desembaraçar seus belos cabelos lisos chocolate.

— Nunca mais diga isso! – ela controlou o tom para manter a classe e evitar a atenção – Nunca mais!!!

— Vamos sentar junto dos nossos filhos querida – Hiashi a conduziu puxando sua cadeira, e nenhum momento a mãe tirou os olhos furiosos do seu casal de filhos, Hemiko era muito mais que a mulher elegante e clássica que tinha a pose de uma matriarca e esposa de um líder honrado, ela era muito mais que a mulher perfeccionista que tanto autoamava, Hemiko Hyuuga era mãe e determinada, sabia se transformar de duquesa a furacão categoria 5 se necessário.

— Uau vocês são mesmo horripilantes – pronunciou Naruto com ousadia irônica em seguida de um sorriso.

— Não pai! – ponderou Hinata assim que viu o olhar de Hiashi – ele vai ficar aqui mesmo, e pronto.

— Onde estamos indo parar? – murmurou sozinho o Líder astuto.

...

O tempo, o ar, os olhares, tudo naquele lugar ficou vazio e desconfiado, Hemiko estava com os nervos visivelmente abalados, era possível dizer que ela estava a beira de uma explosão, e Hiashi como sempre uma estátua mortífera de ausência de expressões, Neji, Hinata réus do Tribunal de seus pais estavam aterrorizados enquanto Naruto custeou apenas assistir por Hinata.

— Não foi certo – Hiashi disse olhando a esposa se cobrir com echarpe egípcia azul celeste como o céu do mais lindo dia – não vou encher a cabeça de vocês de caraminholas... Hizashi Hyuuga meu irmão era um homem brilhante, de todos os Hyuugas que conheço e de todos os empresários com quem já fiz negócios ele tinha mais visão que todos juntos, nunca falhou em qualquer investimento e por ventura fosse 4 minutos mais velho e teria seria sido um líder extraordinário, seu erro fora se aventurar demais, ele trabalhava com um cientista lunático que causou o desmoronamento da Mina na Sibéria, a maior produção de diamantes e os corpos de mais 185 operários incluindo meu irmão gêmeo e minha cunhada soterrados, não foi fácil.

— Soterrar a história foi fácil?

— Cala a boca – Hemiko deu um peteleco em Neji, de saco cheio das suas respostas ordinárias.

— Eu não queria que meu irmão morresse para que eu tivesse um filho homem – Hiashi respondeu – mas a morte dele e a saudades me castiga até hoje, fora um prejuízo incalculável e milhares de dólares para jogar tudo isso em baixo do tapete, a perfeição dos Hyuugas não seria prejudicada por um criminoso que nunca foi encontrado, e então você foi levado a nossa casa, tão pequeno e tão frágil completamente desde pequeno muito parecido com Hizashi – o pai respirou fundo e virou seu olhar para filha Hinata – eu estava contente que teria uma princesa, você sempre foi minha preciosidade Hinata, mas o Conselho da família questionou sobre seu gênero e deram a solução de tirarmos uma vantagem da situação, de criar Neji como filho.

— Você – Hemiko começou então – pode pensar o que quiser, seu pai fez todo trabalho sujo e finalmente quando você veio para casa eu te peguei o colo... Ah naquele dia eu esqueci toda a sujeira toda a situação esqueci o mundo esqueci tudo, eu te ninei e coloquei no berço e decidi que você era meu filho— por pouco não conseguiu conter as lagrimas de fazer Hemiko Hyuuga chorar era extremamente raro – não foi por nada, eu me apaixonei incondicionalmente assim que descobri que era sua mãe, nunca ouse dizer que não é meu filho! Você é! Para mim você sempre vai ser! Eu não ligo para mais nada e por essa razão você é meu herdeiro.

— Você acha isso certo? – ele perguntou calmamente – deixar de amar sua filha.

— O que? – Hinata engoliu o seco – você acha que não amo sua irmã, Neji o fato de fazer tudo que fizemos não mudou nada para nós, por que para nós te amávamos tanto que nunca foi errado...

— Erros...

— Não comece Hinata! Não tente jogar sua culpa para transforma-la em um ódio que não existe, eu nunca te odiaria, jamais! E olhe que eu tentei, eu tentei muito! – os olhos de fúria da mãe encontraram os tristes da filha, que a fizeram pensar no que estava dizendo, Hina nem sempre era a filha petulante e naquele dia ela só estava buscando respostas – eu nunca te odiaria Hinata, eu posso ter feito tudo que fiz mas eu nunca nesse mundo te odiaria por que você é minha primeira filha, é quem fez nascer o amor de mãe dentro de mim e por fazer nascer todas essas sensações maternas eu adotei Neji.

Hinata não respondeu.

— Olha – Hemiko continuou – eu até achava que podia dar um filho homem para o seu pai, mas depois de Hanabi... – ela fungou o choro com dificuldade – depois de Hanabi eu descobri um cisto no útero e não posso desde então ter filhos, mas eu estava feliz, estava feliz com meus três grandes amores.

— Nunca contou isso.

— Oras filha... Nossa família não aceita imperfeições, como eu iria contar uma coisas dessas, nunca.

— Ficar doente não é um defeito mãe.

Hinata, tão absurdamente gentil e pura de quaisquer sentimentos ruins, ela era um vaso inquebrável de bondade e Hiashi admirava a filha imaginando a quem ela havia puxado.

— Se meu irmão não tivesse morrido Hinata estaria sendo treinada para ser a Líder agora – ponderou Hiashi – não havia problema nisso, mas as coisas mudaram.

— Os direitos dela não mudaram – rebateu Neji.

— Ela tem os mesmos direitos que você filho! Ela é sua irmã, só que nós te colocamos como líder pois você se tornou nosso filho e é mais velho do que ela.

— Ele está certo Neji – Hinata se pronunciou com elegância – você é meu irmão e sempre será, provavelmente a coisa mais errada que eles fizeram nessa vida no fim foi a mais certa, por quê você é meu irmão.

— Hina...

— Sempre vai ser! Olha tudo que nós vivemos, eu não posso acordar amanhã te chamar de primo e puff virar Líder, você é meu irmão, errado seria desconsiderar isso.

Hinata bateu na mesa como queria por um fim naquela discussão, ela não tinha o menor interesse na liderança, ela só tinha interesse no amor que tinha pelos seus irmãos, Hinata nasceu para ser muito mais que um objeto de controle dos Hyuugas.

— Você é boa – afirmou Hemiko para a filha – doce desde a primeira vez que respirou, não puxou nada de mim, nem de ninguém.

— Acho que é a primeira vez que recebo um elogio seu mãe.

— Hinata...

— Por que era tão difícil fazer isso que você fez agora? – ela perguntou revoltada – se você tivesse sido um pouco mais compreensiva e tolerante eu não teria entrado na droga daquele carro!!!

— Não tente...

— Não estou colocando a culpa em você, a culpa é minha toda minha!!! Eu só queria incansavelmente mostrar a você que era muito mais do que você imaginava, eu não sou uma boneca dentro de uma caixa mãe! Eu posso mais! Eu posso muito mais! Mas tudo que fazia ou falava era errado intolerável...

Hemiko não disse nada de primeiro momento, e talvez nenhuma palavra que pronunciasse convencesse a filha do contrário.

— Você minha filha amada, na mesma medida que seus irmãos, e se trato você diferente é por que você é diferente Hinata, eu queria que você fosse uma Hyuuga, mas você é mais— tal ficou esperando mais palavras, mas como já imagina a mãe rigorosa já estava fazendo um grande esforço para chegar onde estava – eu admiro você, mas nada muda o passado e as coisas que fez.

— É melhor para mãe – ela debochou – você pode estar com alguma doença contagiosa.

— Olha como fala comigo!

— Olhe você como me trata! – a encarou com exatidão agora – Neji não ser meu irmão nunca foi um problema, por que assim como você eu o considero, o problema é vocês agirem como se eu fosse uma falha e me excluírem da família, o problema e vocês agirem com tanta frieza e tanta ausência, pagaram para o homem se casar comigo...

— Hinata!!! – chamou Hiashi a segurando pelos ombros antes que se torturasse até o ponto de enfartar.

— Não pai...

— Hinata! – ele ordenou agora – os Hyuugas são rigorosos filha, sempre foram e eu duvido que isso um dia mude, falhas devem ser enterradas eu admito isso! Todos fazemos isso, mas nunca em nenhum momento pensamos que você deixaria de ser uma Hyuuga de ser nossa filha, nós amamos você e talvez tenha sido mais um erro querendo evitar erros mas... Mas os Hyuugas não vão mais ser desse jeito.

— Hiashi – sibilou Hemiko arregalando os olhos para o marido surpreendida.

— Eu mandei destruírem o contrato – o pai explicou tal fato que nem seu filho sucessor e a esposa não sabiam – os Hyuugas sempre fizeram de tudo para proteger as tradições, até os maiores absurdos, a intenção aqui era que você ficasse longe de Hanabi que construísse uma vida independente não que deixasse de ser uma Hyuuga, eu queria que você apreendesse a verdade é que você sempre foi mais forte que todos nós e sempre se virou sozinha, o sobrenome Hyuuga foi retirado de você no contrato para evitar que o Japão ficasse perguntando a nós em relação a você e esquecesse o fato, mas você receberia como minha legitima filha todos os seus direitos merecidos.

— Hiashi!

— Um dia eu quase perdi duas das minhas maiores joias preciosas em um acidente de carro, nunca mais quero correr esse risco de novo – o patriarca respirou fundo emocionado, e aquela também era a primeira vez que o vinham tão vulnerável – ouvir que Hanabi estava paraplégica doeu, doeu muito, me massacrou como mil espadas atravessando o meu corpo, foi horrível Hinata foi monstruosamente horrível, mas dia após dia chegar no hospital e ouvir dos médicos que você ainda não tinha acordado, ah... Minha filha foi desesperador como cair eternamente em um abismo escuro, eu sei que estava bravo e sempre permaneci bravo, mas todos os anos eu agradeço por ter vocês duas, minhas lindas filhas vivas.

— Hiashi – ponderou Hemiko com seu perfeccionismo que nunca conseguia controlar – não se esqueça que Hanabi nunca vai recuperar...

— Hanabi já recuperou Hemiko! – elevou-se – ela foi a primeira a se recuperar, se ela não come, briga com os médicos, evita os empregados para andar na rua com os amigos é por que ela já se recuperou e está lutando contra a barreira infernal de piedade e solidão que você criou envolta dela, como se ela precisasse de infinitos serviçais e a eternidade dentro de casa para viver tranquila.

— Hanabi nunca faria isso – ela rebateu a discussão – ela sempre foi muito aberta, ela se fechou em depressão ela ficou destruída, por que caso contrário ela teria me dito...

— Ela disse! – Neji a cortou imediatamente – ela disse várias vezes mãe, mas você não quis ouvir, sua necessidade de protege-la está a matando, qualquer dia ela vai acordar mofando naquela casa com alergia da vida.

— Eu não estou mudando nenhuma situação aqui – determinou Hiashi novamente – mas temos que pensar mais nela e no quanto ela pode ser melhor.

— Ela é sempre melhor – comentou Hinata, mal sabendo que si própria era a maior das admirações da caçula – ela é boa em tudo que faz por que ela se inspira nos seus melhores heróis.

Hinata não aguentou o encher de lagrimas nos olhos, e como petulante Hyuuga que era que recusava a chorar na frente dos pais, ela se levantou com os ombros rígidos e de cabeça baixa, por que na verdade toda sua história com Hanabi era o seu maior ponto fraco, nunca poder pedir desculpas ou se redimir com a irmã era um vácuo dentro do seu coração, e nada no mundo podia preencher isso.

Não disse nenhuma palavra apenas girou os calcanhares e se retirou para nenhuma surpresas das pessoas ali, pois Hinata na guerra que travava com o pais no momento jamais deixaria transparecer tais fraquezas tão obvias e inocentes, Hanabi era sua vida, sua pequena assim como Neji também considerava as duas, viver sem ela todos os dias correndo pelo seu quarto como um brinquedo com baterias máximas deixava a vida sem graça e vazia.

— Sabe – pronunciou Naruto a vendo se afastar sem chama-lo – ela é surpreendente, eu não amaria nem aceitaria pais como vocês nem nas próximas vidas.

— O que? – irritou-se Hiashi.

— Meu padrinho era louco, mas fazia tudo nas minhas costas – explicou Naruto – mas vocês não se preocupam nenhum pouco com ela e mostram isso na cara dela, a tratam como se não fossem nada e Hinata senhores é bem mais do que vocês podem imaginar, por que ela é feita de amor e nunca vai odiá-los.

— Eu faço qualquer coisa pela minha filha...

— Qualquer coisa não é amor de pai pra filho Senhor Hiashi, você não dá a ela o seu verdadeiro valor.

Naruto se levantou também, quando em corrida do outro lado da lanchonete veio o advogado de terno e gravata e ainda muito apressado com um grande envelope laranja nos braços, estava lacrado de cima a baixo.

Era um problema.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...