História Heat - Kim Taehyung (Incesto) - Capítulo 6


Escrita por: e Fuckup

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, V
Tags Bts, Crime, Dramasofredora, Incesto, Sayke, Sexo
Visualizações 250
Palavras 829
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tenham uma boa leitura, anjos <3

Capítulo 6 - 05


Fanfic / Fanfiction Heat - Kim Taehyung (Incesto) - Capítulo 6 - 05

First Day

Point of view Eun Bi

Já estava de manhã, e meu pai havia me obrigado a ir levar a cobra loira — Lizz — na porta, pois ela já ia para casa.

— Tchau, Lizz — Falei o mais seca possível, mostrando meu total estado de preguiça por estar levantada às 07:00 da manhã. Infelizmente a vadia é pontual.

Meu pai tinha chamado um táxi para ela, e ele já estava na porta de casa. Quando todas as bolsas de Lizz estavam dentro do carro, meu pai e Lizz se beijaram, enquanto eu fazia minha melhor cara de nojo encostada na porta da casa.

— Ugh, que nojo. Beijar piranha deve ser foda. — Murmurei

Meu pai e eu fomos para dentro de casa assim que o carro em que Lizz estava desapareceu de nossas vistas quando virou a esquina.

— Querida, gostou da Lizz? — Meu pai perguntou enquanto se sentava no sofá.

— Tome cuidado com ela — Suspirei — Ela não é quem você pensa que é

— Ah, e como você sabe?

— Ela estava no seu escritório ontem a noite.

— Você só está enciumada, querida. Deve ter sido coisa da sua cabeça, a Lizz é um amor

— Oi? Repete. — Falei enquanto tirava o celular do bolso e coloquei no gravador

— Lizz é um amor e não vai me decepcionar. — Falou enquanto eu gargalhava

— Veremos. Depois não diga que não avisei. — Falei enquanto subia as escadas

•••

— Choa, ele namora agora… — Falei enquanto andava pelo corredor da escola

— Ele quem?

— Meu pai, otária. Meu pai namora agora.

— Sério? Ela deve ser bem pé no saco, do jeito que seu pai gosta.

— E ela é. Tem cara de quem tá tramando, e eu vou rachar a cara dela no chão se estiver realmente querendo ferrar o meu pai.

Finalmente tínhamos chego a sala de aula. Atrasadas — Como sempre — todos nos olharam, Choa despreocupada e eu envergonhada. Após três tempos de aula, eu ja estava deprimida como sempre e escutando mais uma das músicas do Lil Peep, enquanto Choa conversava — dessa vez civilizadamente — com Kihyun. Mais uma vez o sinal tocou e fomos para a sala, e eu mais uma vez dormi na sala com a cabeça em cima da apostila de matemática.

•••

— Olá, meu amor — Meu pai estava em casa, e provavelmemte cheio de graça.

— Olá — Falei seca

— O que houve? Mal humor outra vez? Não aguento você todo dia assim.

— Então se mude, Junto com a sua puta loira — Sorri debochada enquanto ele ferveu de raiva

— Quem você acha que é?! — Num ato desesperado comecei a andar para trás, enquanto ele chegava cada vez mais perto — Você não pode falar assim comigo! Acha que é a autoridade? — Gargalhou alto e prendeu-me contra a parede — Você sabe que eu odeio isso, entao, não me desafie. — começou a socar a parede

— PARE! eu estou com medo! — Gritei enquanto as lágrimas rolavam por meus olhos

Por um momento, ele parou enquanto nos olhavamos fixamente, cada vez mais ele chegava seu rosto para perto do meu e minha cabeça dava um nó nervoso por dentro.

— Me desculpe — Falou enquanto separou-se do meu corpo — Vá para o seu quarto e não fale mais assim comigo. — Falou enquanto afrouxava sua gravata preta.

Durante todo o dia, passei dentro do quarto, e quando chegou a noite, levantei-me e fui devagar para a cozinha. Não queria ver ele, é provável que ele tenha saído.

— Até que enfim saiu do quarto. — Meu pai apareceu com um cinto nas mãos, ele olhava diretamente para a minha saia. E de algum jeito, seu peito desnudo atraiu-me, não deveria, pois tal peito é do meu pai. — Cheguei a conclusão de que você não foi castigada o suficiente. Vá para a sala.

Ele mandou e eu obedeci, não podia ficar pior.

— Abaixe suas costas — Falou autoritario, e eu novamente obedeci, abaixando minhas costas e deixando minha bunda para cima, ainda de pé.

E foi quando ele levantou minha saia, mostrando minha calcinha de renda branca, dando um tapa estalado, fazendo com que meus lábios deixassem fugir um alto gemido de dor. Logo após o primeiro tapa, veio mais um, e mais outro, outro, outro e outro.

— P-Pai, o que está fazendo? — Falei com dificuldade enquanto ele ainda me batia, dessa vez com o cinto

— Apenas te disciplinando, mocinha. — Falou enquanto acariciou meu traseiro após ver que já estava vermelho demais. — Espero que tenha aprendido a lição. — Deveria ser estranho dizer que tinha gostado de toda a dor da mão dele batendo em meu traseiro.

— Me desculpe, papai. — Falei baixo enquanto passava a mão por baixo da saia na tentativa super falha de aliviar a dor.

— Tenha uma boa noite, meu amor. — Falou enquanto dava um beijo em minha testa, após subindo as escadas com um sorriso satisfeito no rosto. Ele era o real pecado.


Notas Finais


O que acharam? KKKKKKKKKKK
Comentem ae e não esqueçam do voto ;)

Amo vocês e até a próxima att <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...