História Heaven - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Boate, Hentai, Liberdade, Narusaku, Naruto, One-shot, Pole Dance, Romance, Sakura
Visualizações 60
Palavras 1.878
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Literatura Feminina, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


#AVISO

◇ CAPÍTULO SEM REVISÃO;
◇ DESTINADO PARA MAIORES DE 18 ANOS OU PESSOAS QUE SÃO FORA DA LEI E GOSTA DE PERVERSÃO;
◇ RESPONSABILIDADE SUA EM LER ESSA FANFIC;

Olá pessual!
Eu estava aqui em casa meio sem "fazer nada" (Com muitos trabalhos pra entregar kkkkk)
Mas, eu fiquei pensando em algo um pouco diferente pra escrever e mostrar pra vocês.
Essa Fanfic será dividida em duas partes ou três dependendo de como for o progresso da minha mente kkkkk
Eu já tenho o começo da segunda parte, então não desistam de mim, ok?
Eu já estou a todo vapor tentando terminar isso para que vocês fiquem muuuuuitoooo Happy!

Então não se esqueçam de comentar, ok?
Só porque o capitulo não tem aquela leve e perigosa sacanagem, não significa que precise de algum retorno, flw?
Os comentários de vocês são essenciais para que isso dê certo.
Obrigada por estaremos me acompanhando por toda essa caminhada, viu?
Beijos para todos.

BOA LEITURA!!!

Capítulo 1 - When I found the sky


.

 

WHEN I FOUND THE SKY

 

| Recomendação: Wicked Games - The Weenknd | 
| Link nas notas finais |

 

Respirei fundo.

Quando eu olhei para frente, percebi que não era mais eu...

Continuei meus movimentos com mais intensidade.

Wicked games começou a tocar e a voz de The Weeknd soou pelo o local.

Os olhares se focaram em mim, enquanto as luzes escureciam e outras vinham ao meu encontro.

A máscara no meu rosto deixava tudo mais interessante.

Minhas mãos encontraram o pole dance e eu deixei me levar pela a letra da música

 

 

[ Let me see that ass, look at all this cash
And I've emptied out my cards too
Now I'm fucking leaning on that.
]

 

 | Deixe ver essa bunda, olhe para toda essa grana
E eu estourei meus cartões também
Agora eu me apoio nessa porra. |

 

Sussurro a última parte de costas, rebolando no pole dance.

Deixo o refrão iniciar para começar a realizar o meu primeiro truque no poste de metal.

Eu flutuo.

Permito essa sensação intensa da música me levar.

Essa não sou eu...

Mas, faz parte do que eles querem que eu seja.

Meus cabelos caem algumas vezes sobre meus olhos, porém isso não importa.

Movimento-me lentamente, como uma pena, seguindo o ritmo que a voz masculina dá para mim.

Isso.

Eros se torna o próximo movimento, sendo combinado posteriormente com o Marley.

[ Let me see you dance
I love to watch you dance
Take you down another level

Get you dancing with the devil. ]

 

| Deixe-me ver você dançar
Eu amo assistir você dançar
Te levo para outro nível
Pego você dançando com o diabo. |

 

Flutuo novamente e deixou meu corpo tomar conta de minha mente por inteiro

Entrego-me na sensação de ser poderosa e intensa.

Permito-me ter a liberdade de poder dançar.

Aquele era o meu show.

Meu momento.

Meu lugar.

(...)

- Uhh, Heaven? Parece que hoje alguém está no seu dia de sorte. – falou Hinata, quer dizer, Twilight nas noites de pura “festa” no The Reed’s.

- Preparada para a sua primeira Heaven, Angel? – escutei Scar, que na verdade se chamava Tenten, falar com um pouco mais de descontração. A chinesa sorriu tentando me confortar.

Talvez, uma notícia como aquela poderia ser bastante atraente para elas.

- Acho que alguém será realmente capaz de encontrar os céus hoje – escutei mais alguém falar, mas já não importava mais...

- O que acha que dá esse pedido para mim, Mammy? – tentou negociar a loira ao meu lado, sentindo meu desconforto visível. Ino – ou Sunshine – era dotada de atitudes muito nobres por mais que soubesse que em um ambiente como aquela nobreza nunca seria sinônimo de sobrevivência. – Eu já estou acostumada com pedidos desses, mas...

- O cliente exigiu que fosse a Angel, Sunshine - falou a loira mais velha, retirando algo do seu sutiã preto que aparecia um pouco devido ao decote agressivo que o vestido que usava obtinha. – Esse é o primeiro Heaven da nossa dançarina, mas ela precisa se acostumar que mais pedidos como estes se tornaram frequentes, assim como foram os outros não é mesmo, Angel?

Suspiro pesado e concordo com a cabeça sem muita escolha.

Já havia me acostumado com aquilo. Já fazia quantos anos mesmo? Cinco... Seis anos? Não importava. No final as coisas continuavam sendo as mesmas. Uma dança, muito dinheiro, muitas bebidas e eu seria vendida para algum político corrupto ou chefe de alguma gangue em troca de dinheiro ou acordos de proteção. Na verdade, não era somente eu que estava sujeita a isso.

Mammy estende o envelope vermelho na minha direção e, mesmo após eu segurá-lo, ela não me entrega de primeira. Sustentando um olhar sério, como se me passasse uma imagem implícita apenas com aquele gesto no meio do grupo que se formava ali, ela parece me confortar um pouco. Talvez, o mundo tenha sido muito mais agressivo com ela do que eu poderia imaginar...

Tento sorrir para ela e pego o envelope, antes de ser puxada por Sunshine para longe dali. A loira puxa a minha mão e caminhamos para dentro, para o banheiro. Ela abre a bolsinha rosa com purpurina e tira um batom vermelho de lá. Estávamos há anos aprisionadas naquele lugar. O truque? Geralmente era o mesmo: tornar-se uma modelo mundialmente famosa, começando pelos os Estados Unidos. Bem, tinha algumas exceções como é o caso de Ino.

Abandonada no altar e grávida, ela foi simplesmente crucificada por todos ao seu redor. Nem mesmo a família queria prestar alguma ajuda e com o desespero ao ficar dias sem alimento e totalmente sem abrigo, a loira acabou encontrando a nossa gerente e foi acolhida sem pensar duas vezes. As condições não eram as melhores. Ela estava tendo um aborto espontâneo devido a briga que teve com os pais. Se não fosse o quase, Ino já não estaria aqui...

Porém, por mais que a situação atual seja péssima, a ajuda que ela recebeu foi quase que milagrosa.

- Vai dá tudo certo, Ok? É só não ficar muito nervosa. Sexo sem camisinha é algo normal, só porque é a sua primeira vez, não significa que algo irá dar errado. – Ela me olha um pouco nervosa e tenta sorrir para me deixar mais confortável. Segurando meus ombros e tentando parecer calma no meio dos enormes conflitos que se criam no meu interior, ela garante: - Dê o seu melhor e você ganhará muito por esse pedido, Saky. Qualquer coisa, eu to aqui por você.

Quase tenho vontade de chorar com aquilo, mas lembro que prometi a mim mesma que não me sujeitaria a ser fraca naquele lugar imundo. Já havia derramado lágrimas demais. Como disse Mammy: preciso me acostumar a fazer coisas do tipo. Minha vida dependia disso.  

Puxando-me para frente do espelho, ela começa a me maquiar. Máscara para os cílios, blush e batom são o suficiente para que eu pudesse parecer “apresentável”. A verdade mesmo era que eu odiava tudo isso. Sentia-me nojenta de infinitas formas. Odeio está sujeita a isto. Odeio o cheiro. Odeio as roupas. Odeio a sensação.

Era constante o sentimento sufocante de está sendo usada, de está sendo presa. Eu precisava me libertar. Eu precisava comprar a minha liberdade. E para isso se tornar concreto, a contradição imperava. Precisava me vender ao máximo que eu pudesse para quitar todas as dívidas que eu possuía com juros e conseguir dinheiro o suficiente pra conseguir me manter depois. Era uma missão impossível, mas eu a concretizaria com toda a certeza do mundo e com todas as forças que o meu corpo poderia emanar.

Ino iria comigo e se dependesse ainda mais de mim, Mammy também se ajuntaria a toda essa saga, junto com as outras meninas. Só precisava da cooperação de todas, ou pelo menos que eu pudesse sair para garantir a “compra” de cada uma depois. Nessa selva de crueldade e perversão que se mantinha no limbo do mundo, todos tentavam arranjar um meio para sobreviver e o meu... Bem...

 - Sunshine, Angel – a voz da Mammy soou nos corredores e nos apressamos para encontrá-la.

Eu deveria ser novamente o que eles queriam que eu fosse.

(...)

Entrei no quarto “vermelho”.

Pode parecer clichê, mas aquele era um dos quartos mais bem arrumados e caros de toda a “casa”. Ali havia regalias diversas para agradar os gostos mais refinados que a alta sociedade poderia ter. Bem, era isso que as fofocas que rolavam entre o nosso meio dizia. Era a minha primeira vez que eu havia colocado meus pés ali dentro e bem... Era muito impressionante. Não que eu estivesse feliz por estar ali. Mas, era muito diferente dos quartos minúsculos e cheios de infiltração que havia no resto do corredor e que éramos obrigadas a limpar nos dias da semana.  

Quer dizer, esse quarto nem ficava no corredor que eu sempre “usava”. Ficava no último andar, para ser mais exata. Isso evidenciava a hierarquização que vigorava ali. Eu tinha alcançar, no máximo, o 6º andar e isso eu sendo considerada como uma das VIP’s daquele... e-eh... “estabelecimento”? Bem, não importava.

Aquele ambiente era totalmente diferente do que eu havia imaginado. O ar frio do ar-condicionado invadia um pouco do roupão de seda que eu usava uma das muitas regalias que havia dentro daquele grande quarto. A Tv quase panorâmica tomava conta de quase uma parede inteira e juntamente com ela, um pequeno armário com apenas bebidas escolhidas a dedo se mantinham ali, envidraçados e expostos com elegância. Não muito longe dali e depois de alguns pequenos degraus, existia uma banheira de hidromassagem já cheia e com pétalas de rosas vermelhas postas ali.

Em contra partida, no outro lado do quarto residia uma mesa intima e magnífica. Pratos, talheres e algumas taças constavam ali adornados no seu alto por um brilhante e caríssimo lustre. Parecia coisa de filme. Algo que ficava entre 50 tons de cinza e algum filme sobre alguma família real de um país qualquer.

Quando meus olhos finalmente encontraram com as costas largas e másculas do homem que estava sentado na cama de casal adornada com tecidos, a realidade veio à tona como um soco no meu estômago. Respirei fundo e caminhei até ele. Ele estava completamente de preto, mas vestindo social. O paletó descansava no sofá não muito longe dali, juntamente com uma gravata. Ele realmente é muito rico para conseguir acessar a um lugar como esse.

Não me atrevi a falar nada. Quando antes acabasse, mais cedo eu estaria me lavando dele...

Toquei em seu ombro e o sentir enrijecer por um momento. Porém isso não me parou. Desci minhas mãos por ele para encontrar seu peitoral e isso foi o suficiente para que ele entendesse que o seu pedido estava entregue. Não podia negar, ele estava em dia com a academia. Meu rosto desceu e alcançou seus cabelos loiros e eu respirei fundo, acabando por tragar um pouco do cheiro do seu shampoo.

Yeah, eu tinha que ser quem eles queriam que eu fosse...

- Desculpe o atraso... – sussurrei ainda tentando acalmar meu coração.

Sentir a quentura da sua pele quando, ao pegar a minha mão e levou-a aos lábios em um movimento calmo e terno. Não esperava por essa. Geralmente, nós éramos sujeitas a todo o tipo de violência que se poderia imaginar... Afastei minhas mente de tais pensamentos e voltei a me focar no homem estranho que estava diante de mim. Levei meus dedos até o encontro dos botões de sua camisa, mas logo as minhas mãos foram paradas.

- Não tenha pressa. – ele pediu.

Oi?

Retirando minhas mãos dele, o loiro de ergue e se vira para me encarar. Mais jovem do que eu previa, dono de uma beleza extraordinária e com um olhar marcante, ele sorriu na minha direção e tocou no meu rosto, erguendo-o um pouco para que eu pudesse alcançar o brilho intenso e vívido dos seus olhos azuis. Perdi por alguns segundos o ar, enquanto sentia seu polegar acariciar meu lábio inferior.

- Está com fome?

- E-Eu...

- Tomarei isso como um sim. – ele riu baixo e entrelaçou minha mão na sua – Venha, junte-se a mim.

Eu não sabia quem era aquele homem, mas uma coisa era certa, ele não era como os outros.


Notas Finais


Wicked Games - The Weeknd: https://www.youtube.com/watch?v=D0jAtFnoH9U

Inspiração para a Dança: https://www.youtube.com/watch?v=ZRL8GF7CEec

Inspirações do Quarto: https://i.pinimg.com/564x/6d/39/3f/6d393f6cef9bbbc283758ae614a1c39a.jpg
https://i.pinimg.com/564x/03/f4/48/03f4484eb874a640a686d30c044b05c7.jpg
https://i.pinimg.com/564x/27/af/38/27af38f93af12085b83b0630ecb1b06a.jpg

X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X

HELLO, PEOPLES!

Nas minhas outras fanfics eu não busquei cenário e coisa e tal, maaaass...
Atualmente eu tentarei me esforçar para deixar o ambiente um pouco mais real para vocês.
Para aqueles que querem deixar a sua imaginação ser responsável pela a imagem, por favor sintam-se a vontade.
Fazemos parte do mesmo clubinho de leitores.
Porém, gostaria de mostrar um pouco também da construção que eu faço durante o processo de escrita.
Então, para deixar vocês mais pertinho de mim, eu pensei em colocar um pouco mais de realidade ou de "pistas" reais para ajudar vocês.
Espero que gostem dessa aventura.

Não se esqueçam de me dá um pequeno retorno viu?
Beijão para todos!

"Quando você menos esperar, eu estarei de volta!"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...