História Heaven Beside You...Hell Within. - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alice In Chains, Audioslave, Pearl Jam
Personagens Chris Cornell, Eddie Vedder, Jeff Ament, Jerry Cantrell, Layne Staley, Matt Cameron, Mike McCready, Mike Starr, Personagens Originais, Sean Kinney, Stone Gossard
Visualizações 17
Palavras 1.563
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ooooi,gente.
o capítulo de hoje tá grandezinho kkkmm.
espero que gostem.

Capítulo 13 - Ways. Cap13.


Fanfic / Fanfiction Heaven Beside You...Hell Within. - Capítulo 13 - Ways. Cap13.

01 de novembro. Segunda-feira.

Pov Jerry.

As 6 da manhã acordei com um telefonema de Maria. Ela estava na casa de Vick,e de lá iria para a faculdade. Depois ela iria em casa e viria direto para cá,como o prometido. Eu estava muito feliz em saber que dormiria a semana toda juntinho com ela.

Dormi de novo,e depois acordei de vez. Levantei e fui passando pelos cômodos da casa. Meu apartamento não era o melhor,mas era mais bonito e espaçoso se comparado ao de Maria,Chris e Eddie.

Ele tinha uma varanda bem de frente para a rua,e quando a lua ficava cheia,tinha uma ótima visão dela.

Conforme fui passando pelos cômodos vi que tudo estava uma bagunça,e eu teria que arrumar. 
Prendi os cabelos,comi e comecei a faxina.

Eu não tinha muito jeito para isso,mas conseguia fazer o necessário. Fiquei o dia inteiro arrumando tudo e quando olhei para o relógio,fui tomar banho,pois sabia que Maria poderia estar chegando.

Eu estava no chuveiro,quando ouvi o barulho da campainha. Meu coração acelerou,e eu rapidamente,peguei uma toalha e a amarrei em meu corpo. 
Quando abri a porta,Maria estava lá. Ela me olhou de cima a baixo,e nem sequer disfarçou a cara de safada que fez.

-Nossa,pode ficar de toalha todas as vezes que eu vier aqui,vou adorar. -Ela entrou.

-Você nem disfarçou. -Ri achando graça. -Se você quiser,eu tiro tudo da próxima.

-Me avise antes se não eu vou me assustar com o menino aí -Ela apontou para minha parte e eu ri.-Esse cheirinho de sabonete é muito bom. -Ela me abraçou e começou a me cheirar,o que me deu um pouco de cócegas.

-Ai,baixinha. Isso faz cócegas.

-Ai,Jerry. Eu tô apaixonada demais. Por que você faz isso comigo? -Ela fez biquinho.

-Eu estou muito mais. Você é maravilhosa,não tem noção do que faz comigo. -Peguei em sua mão e a levei para a sofá. Comecei a beija-la,queria aproveitar cada momento com ela. Ficamos deitados por um bom tempo,abraçados,olho nos olhos e com muitos carinhos.

-Ma,você me faz parecer um adolescente bobo,sabia?

-Isso é bom ou ruim? -Ela levantou a cabeça para olhar em meus olhos.

-Isso é ótimo,eu achava que depois da primeira paixão,essa chama se apagava um pouco. Mas quando você veio,me mostrou que eu estava errado.

-Jerry...eu te amo tanto que isso não cabe dentro de mim.

-O que você disse? -Levantei do sofá com um sorriso enorme no rosto e o coração batendo a mil.

-Eu disse que te amo. -Ela deu um sorriso meigo.

-Eu te amo muito mais,garota. -Deitei em cima dela e apoiei minha cabeça em seu peito,como sempre fazia.

-Isso é um pedido de cafuné?

-Se você tiver disposta a fazer,é sim. -E então ela começou a mexer em meus cabelos me fazendo relaxar. A cada dia que passava,eu via o quanto ela era única,especial e via também como tinha sorte em tê-la. Não via a hora de fazer o pedido de namoro.

                              (...)

Eram umas 21 horas,e estávamos no sofá,com roupas de frio,cobertores e muitas besteiras para comer. Eu e Maria estávamos beijando,e o beijo estava cada vez mais quente,me deixando com calor.

-Nossa,você me deixa louco. Estou até com calor. -Me separei dela para retirar o casaco.

-Ah,faz parte do meu charme. Mas agora que você parou,podia ia fazer uma pipoca né? -Ela me deu um selinho .

-Tá bom. Já volto. -Me levantei e fui para a cozinha.

Pov Maria.

Eu estava o dia inteiro com Jerry e estava amando. Ele era muito carinhoso e fofo,e eu amava isso.

Ele estava fazendo pipoca na cozinha. Caminhei até lá em silêncio,e quando cheguei na porta,parei para admira-lo. Ele era alto,e eu amava isso. Ele estava em frente ao fogão,sem blusa e com os cabelos soltos que caiam por suas costas. Seu rostinho era de bebê e aquilo me deixava com vontade de cuidar dele.

-O que foi,amor? -Ele perguntou rindo. -Ficou hipnotizada foi?

-Claro,um homem lindo assim...mexe com qualquer uma. -Cheguei perto dele e o abracei.

-Olha,que eu posso te deixar louco de vária maneiras. -Jerry colocou as mãos em minha cintura e me puxou para perto mordendo os lábios. O que ele tinha de fofo tinha de safado.

-Olha que eu vou perder o controle,Senhor Cantrell.

-Você vai perder tudo,inclusive a roupa.

Jerry me beijou com vontade. Uma de suas mãos que estavam em minha cintura,passou pelo meu corpo até chegarem em minha nuca,onde ele deu um leve puxão de cabelo. Minhas mãos passeavam em suas costas. Comecei a tirar a blusa e as mãos de Jerry rapidamente começaram a apertar meu peito. Quando tudo estava ficando bom,Mike começou a bater e a gritar na porta.

-Ô princesa,abri aqui.

-Ai,eu vou matar aquele filha da puta. -Jerry se separou de mim furioso. -Ma,vista a blusa.

-O que o Mike está fazendo aqui?! -Revirei os olhos  -Ah...Jerry,acho que...a pipoca queimou.

-Fala,Mike. -Jerry abriu a porta com muito mau humor.

-Nossa,cara? O que houve? -Mike perguntou ingenuamente,mas assim que eu apareci na porta arrumando os cabelos,ele entendeu o que tinha acontecido. -Ah,foi mal. Não sabia que ela estava aqui.

-Pois é,atrapalhou. Agora me diz o que você quer. -Jerry estava mesmo irritado.

-Me da aí um pouco de açúcar. Eu e Sean queremos fazer pipoca doce. 

-Não acredito que você empatou uma foda por causa disso. -Jerry bufou e foi em direção a cozinha.

                                (...)

03 de novembro,quarta.

Já tinham dois dias que eu estava dormindo com Jerry. Foram noites ótimas. Mas na quarta a tarde,eu fiquei chateada com ele. 
Estávamos conversando e um assunto foi levando a outro,até que perguntei como tinha sido a primeira vez de Jerry.

-Ah,não foi legal. -Ele riu. -Foi com uma menina que eu tinha conhecido em uma festa,foi tudo muito rápido e a menina ainda sangrou muito,o que me deixou muito assustado.

-Nossa,que tenso. -Ri imaginando a cena.

-E como você espera que seja a sua?

-Ah,Jerry,como eu disse,quero que seja com um carinha especial. -Olhei para ele sorrindo.

-Entendi,você está certa. Espero que você encontre esse cara.

-Mas eu já encontrei,bobinho. É você!

-Ohh,eu sei disso,só quis fazer um drama. Mas falando sério,eu quero muito fazer isso com você. Não pelo prazer,mas sim porque você é maravilhosa,e eu te amo muito. Experimentar isso com você,com certeza,vai ser a melhor experiência que eu vou ter. E eu não vou te forçar a nada. Vai ser tudo em seu tempo. -Jerry apertava minhas mãos enquanto falava.

-Ah,Jerry,você é maravilhoso. Mas vai demorar...você nem sequer me pediu em namoro ainda. -Confesso que não queria dizer isso,mas eu já estava estranhando a demora de Jerry.

-Ah...é...ahn...

-Sabe,eu não quero te forçar a nada,nem te pressionar. Mas já estamos um tempo ficando e você nem falou nada sobre namoro. Parece que está me enrolando.

-Não,Maria. Não é isso,eu quero te namorar,quero um compromisso sério...mas agora não dá.

-Como assim? Agora não dá? -Eu não acreditei que ele tinha dito aquilo.

-Bom...é só que... - Jerry estava cada vez mais enrolado e sem saber o que dizer.

-Ai,Jerry,eu vou embora. -Levantei aborrecida e peguei minha bolsa.

Saí de lá e fui para minha casa. Assim que entrei no apartamento fui em direção a casa de Eddie,eu precisava falar com alguém. 
Bati na porta e torci para ele estar em casa.

-Oi,baixinha. Tá tudo bem? -Ele me abraçou.

-Oi,Eddie. Não está. Você não sabe o que aconteceu. -Disse enquanto entrava.

-O que houve? Foi algo com Jerry?

-Sim. -E então eu expliquei tudo para ele. Contei o início da conversa até o final dela para ele.

-Ele disse isso? -Eddie arqueou as sobrancelhas.

-Sim,Eddie. Eu estou mal com isso. Eu achei que ele estava mesmo apaixonado...e ele me vem com essa. Acho que ele não quer nada sério mas também não quer me dispensar.

-Ah,Maria,para com isso. Ele é totalmente apaixonado por você! É claro que ele quer um relacionamento sério,só que o problema é que ele está nervoso com a turnê. Espere um pouco e eu tenho certeza que ele vai pedir você em namoro. -Eddie parecia meio enrolado.

-Não sei não,ele parece estar totalmente de boa com a turnê. -Falei aflita.

-Ahn...ele está...nervoso...vai por mim.

-Ah,Eddie...vou indo agora. Obrigada por me ouvir. -Dei um abraço nele e fui para casa pois sabia que Eddie estava mentindo.

Pov Jerry.

-Eu fui um idiota! -Pensei dando um tapa em minha própria testa.

Além de ter falado merda para a Maria eu a deixei chateada. Agora ela acha que eu não quero ela como minha namorada. Não posso perder essa garota,tenho que tomar uma atitude.

O telefone tocou e eu fui atender com a esperança de que fosse ela.

-Alô?!

-Tu come merda ou o que? -Eddie falou gritando no telefone.

-Ah,oi Eddie. Maria te contou não é? -Falei desanimado.

-Sim,ela contou. Porra,cara,tu deveria ter dado uma desculpa melhor. Agora ela acha que você só quer dar uns pegas nela e nada mais.

-Ela acha?! -Gritei no telefone. Meu coração quase saiu pela boca,eu não acreditava que ela achava isso.

-Sim,ela acha.

Por um instante, eu parei para pensar e decidi que não iria esperar a turnê passar para pedi-la em namoro. Iria pedir essa semana mesmo.

-Eddie,preciso de sua ajuda. -Falei sério. -Eu ia pedir a Maria em namoro depois da turnê,mas como tudo deu errado,quero fazer o pedido amanhã,e você vai me ajudar nisso.

-Até que enfim você pensou na solução certa! Bom,vamos pedir ajuda a Vick,ela vai saber o que fazer.

-Tá bom,liga para ela e venham os dois para cá. -Desliguei o telefone.

2 horas se passaram e eles bateram em minha porta.

-Jerry,você é muito idiota. -Vick já entrou me fazendo elogios.

-Boa noite para você,Vitória. Tudo bem? -Falei irônico e ela apenas revirou os olhos.

-Então,Vick,como você tem ótimos planos,precisa nos ajudar. -Eddie falou sentando no sofá.

-Eu já tenho um plano. E vamos precisar da ajuda de Mike. -Ela deu aquele sorriso vitorioso que só ela tinha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...