História Heirs - Capítulo 19


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Casamentoarranjado, Naruto, Sasusaku
Visualizações 235
Palavras 2.456
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Enjoy ❤ cap não betado, amanhã sai insane

Capítulo 19 - Flores e corações


Acordei no meio da noite graças aos treinamentos precisos para se trabalhar na area da segurança, quando ouvi um barulho.

Olhei para o lado e Sakura não estava, bufei quando a encontrei saindo escondida do quarto pelo visto não pretendia sair de casa ja que estava de camisola. 

Esperei que ela saísse do quarto para segui-la e sorri quando a encontrei na cozinha com a cabeça dentro da geladeira. Ela não tinha mesmo jeito.

  - Você não pode sair do quarto parecendo um ladrão. -Ela deu um gritinho e bateu a cabeça na grade e eu me xinguei por isso. Corri até ela e a ajudei.

  - Qual é. -Ela disse se sentando com um pedaço de torta nas mãos. -Assaltar a geladeira não é crime, Estou morrendo de fome. E eu Estou bem, não precisa surtar.

  - Amor so estou dizendo que tenho instintos, se você sair na pontinha dos pés vou achar que pode ser alguém invadindo nossa casa. Claro que você deve comer, está comendo por três agora e eu quero os três saudáveis.

  - Então senta comigo e come também agora que acordou. -Ela me olhou e pegou um prato para mim. -Saí devagar por que eu não queria te acordar. -Ela fez um biquinho.

  - Tudo bem, mas se tiver um marido barrigudo no futuro ja saberá o porquê. -Ela riu.

  - Nada disso, você é bonito demais para ser barrigudo.

  - Então quer dizer que vai me achar feio se eu engordar?

  - Não estou dizendo que sempre existira lipoaspiração. -Ela disse rindo e eu neguei com a cabeça.

  - Você é inacreditável. - Beijei sua cabeça.

  - Ah amor nos dois sabemos que você e narcisista demais para se deixar engordar. -Arqueei uma sobrancelha.

  - Narcisista? -Ela concordou. -Você é uma vibora, uma naja e eu não te julgo te amo mesmo assim então creio que você não deva se importar muito. -Ela cerrou os olhos e veio em minha direção e eu a beijei antes de apanhar. -Mas é a vibora mais linda do mundo.

  - Seu ridiculo. -Ela cruzou os braços e fez uma carinha fofa exatamente como no ensino médio.

  - Você agora me lembrou da Sakura dos dezasseis anos. -Ela me olhou enquanto eu colocava os pratos que usamos na lava louças. -Com essa carinha fofa me chamando de ridículo.

  - Você era insuportável, não se importava com ninguém. -Ela acusou.

  - Insuportável eu? Você que empatava qualquer chance que eu tinha com uma garota e ainda me dava advertências as mais sem sentido do mundo.

  - Lógico seu imbecil eu estava morrendo de ciúmes. -Ela arregalou os olhos como se tivesse dito algo errado e eu sorri.

  - Então você tinha ciúmes? -Ela negou. -Vamos amor somos adultos agora, quase casados.

  - Deixa de ser egocêntrico Sasuke. -Ela cruzou os braços. -Todo mundo tem coisas de que não se orgulha na vida.

  - Mas se gostava de mim e eu não vejo motivo para se ter ciúmes sem gostar porquê nao falou comigo? 

  - Para ser rechaçada como tantas outras? -Então ela confessou que sim gostava de mim. Que droga quanto tempo eu perdi sem ela? Se eu soubesse que seria tão bom tinha me casado a muito tempo.

  - Eu não me imagino fazendo nada desse tipo com você. Antes de todas as nossas brigas eu te achava parecida a uma daquelas bonecas de porcelana daquelas bem delicadas, provavelmente eu não saberia o que fazer, mas mesmo que eu não ficasse com você teria te respeitado, você era boa demais para mim meu amor. 

  - Quero esquecer tudo isso.

  - Eu também, principalmente o fim do terceiro ano quando você começou a namorar aquele idiota que não quero nem ouvir o nome.

  - Ele era bacana. -Rosnei.

  - Ele queria viver com a lingua na sua boca. -Acusei e ela riu.

  - Sejamos sincera, suas ficantes ou sei lá como se fala,  faziam muito mais que enfiar a língua na sua boca e isso me deixa possessa.

  - Eu também te amo meu amor. -Puxei-a para mim. -Sabe acho que deveríamos reunir toda aquela nossa turma do ensino médio.

  - Para que? -Ela me olhou confusa.

  - Para que eu possa exibir você, principalmente se aquele filho da puta estiver presente. 

  - Você e inacreditável. 

  - Sou um homem apaixonado é diferente. Tenho que admitir que sinto pena do sujeito. -Ela me olhou. -Ja experimentei perder você e falo com propriedade quando eu digo que foi um inferno, não consegui viver.

  - Foi terrível para mim também. -Ela me olhou. -Imagina você se declara para seu amor de infância que o destino fez com que ficassem juntos e ele não diz nada.

  - Eu estava em choque. -Deitei com ela e a trouxe para perto. -Nem em um milhão de anos imaginei que gostasse de mim. Achei que era brincadeira com a minha cara primeiro e depois vi que você não faria isso. Quando tentei falar alguma coisa você ja tinha ido dormir magoada comigo, fiquei desesperado liguei para minha mãe, magoa era pior que raiva era a única coisa que eu pensava. Trabalhei como um louco naquela madrugada tentando não pensar em como tinha estragado tudo. Ate que minha mãe retornou a ligação disse o que eu precisava fazer quando você acordasse.

  - Eu nunca dormi. -Ela me olhou. -So fingi, escutei cada palavra que disse aquela noite e quando voltou para a cama de madrugada e disse que eu deveria desistir por que você não era o cara certo eu vi que nunca me amaria, então esperei você dormir e me afastei de você. Eu tinha ficado a noite toda dizendo a mim mesma que não tinha problema que se você fosse ao menos receptivo e respeitoso comigo um dia isso viraria amor, mas aquilo que me disse antes de dormir era uma confirmação que você iria me trair que eu não seria suficiente e mais que eu iria sofrer.

  - Isso é a maior bobeira que eu ja ouvi na vida. -Percebi que se eu tivesse ficado calado não precisaríamos ter sofrido tanto. -Não sabe como me doeu dizer aquilo e nem foi no meu ego, mas aquilo era admitir em voz alta que eu não era o bastante para você. Que eu certamente decepcionaria você no dia seguinte, mas não dessa forma e eu falo serio quando digo que nunca me passou pela cabeça trair você, na verdade fiquei viciado em você. -Continuei visto que ela estava calada. -Acordei disposto a fazer você feliz, mas ja era tarde demais. Tinha pedido o café da manhã achando que estava no banho e escrevi em um bilhete tudo o que eu não seria capaz de dizer naquela época e quando você começou a demorar demais no banho eu fui atrás de você, não te achava em lugar algum quase morri. Liguei para Itachi e nada de você em Londres, tentei te ligar inúmeras vezes, coloquei minha equipe de investigação atrás de qualquer rastro seu, minha família veio ficar comigo.

  - Eu te vi entrando sozinho no evento e fiquei pensando com quem você sairia de la. -Revirei os olhos.

  - Eu não transei com mais ninguém Sakura depois que transei com você, nem quando não estávamos juntos.

  - Eu sei. -Ela me olhou. -E eu te amo por isso.

  - Bom vamos parar de falar nesses assuntos. 

  - Sim, vamos dormir que amanhã trabalhamos cedo. -Soltei um suspiro. Não queria que ela se estressasse, queria cuidar dela e das crianças, queria que ela parasse de trabalhar pelo menos por enquanto, queria que ela fizesse tantas coisas, mas no fim não disse nada, apenas a puxei para mim e inspirei fundo seu cheiro antes de dormir.

 

 

 

 

 

                         SAKURA

 

Como eu queria dormir depois de tudo isso eu não sei, por isso quando ele fechou os olhos eu fiquei olhando para ele velando seu sono. Eu sabia que ele era ocupado demais, tinha preocupações demais e dormia muito pouco.

Queria poder fazer mais por ele, se ele ao menos deixasse. 

Deitei-me de costas e fiquei pensando em tudo o que aconteceu hoje e em tudo o que ele me disse. Será que todo esse sofrimento poderia ter sido evitado? Deixei para lá e foquei em tentar dormir.

 

(Um mes e meio depois...)

 

Hoje faziam seis meses de gestação e eu me sentia imensa, e terrivelmente mal humorada por ser seguida o tempo todo, quando não era por Sasuke era por Miina e Chou as duas enfermeiras/baba que ele colocou na minha cola. 

Desci vestida para ir a empresa, ja que Sasuke fez o favor de não me acordar na hora. Ele pensa que eu não sei que ele fez de proposito para que eu fique em casa aquele controlador do inferno. E sem falar que precisaria passar na minha mãe para ver com ela e minha sogra todos os preparativos da saída de maternidade e do casamento no civil, ja que Sasuke não quer meu nome de solteira na certidão de nascimento das crianças. 

No início eu achei isso uma grande frescura, mas depois percebi que queria estar legalmente casada com ele.

Chou estava fazendo algo no fogão enquanto Miina colocava a mesa, eu me sentia confortável com as duas, claro elas tinham a idade da minha mãe e conselhos tão bons quanto e é claro me ajudavam demais principalmente a não surtar. O que eu não gostava era de ser seguida o tempo todo como se fosse me partir, mas isso não era culpa delas.

  - Bom dia senhora Uchiha. 

  - Bom dia meninas, que cheiro bom. -Sim eu estava faminta. -Vamos sair daqui a pouco tudo bem?

  - Claro o senhor Uchiha disse que iria querer falar com sua mãe e sua sogra. -Assenti.

  - Aqui meninas. -Entreguei as duas o convite do casamento. -Quero vocês presentes.

  - Obrigada. -Disse Miina e eu sorri. 

  - Preciso de ajuda. -Elas me olharam. -Quero mandar flores para Sasuke, hoje fazem seis meses que estou grávida e nove que estamos juntos, quero ir à Cartier e depois fazer uma surpresa para ele na empresa.

  - Oh, você é muito atenciosa senhora. -Suspirei.

  - Olhem eu me sinto tão velha sendo chamada de senhora e eu sequer casei ainda. -Elas soltaram risinhos.

 Cheguei a empresa pontualmente as onze com um enorme buquê de rosas brancas e uma caixinha na bolsa para não levantar suspeitas. Os seguranças como sempre correram para me ajudar e logo eu estava entrando no andar da presidência.

O lugar de Naomi estava vazio então segui diretamente para sala de Sasuke, bati duas vezes e peguei a caixinha entrando logo em seguida, o que claro não foi uma boa ideia.

Seis pares de olhos se viraram para mim e meu sorriso morreu, não, não estava rolando uma orgia ou coisa assim, mas uma reunião de negocios já que Gaara, Naruto e Sasuke conversavam profissionalmente com duas mulheres lindíssimas e Naomi estava em um canto anotando tudo em seu tablet.

Sasuke se levantou quando eu sorri e me virei para ir embora, eu devia tê-lo esperado em casa.

  - Ei espera. -Ele me alcançou. -Vai aonda?

  - Sentar ali e esperar sua reunião acabar. -Apontei para os sofás onde Miina e Chou estavam. Ele negou com a cabeça e me levou para dentro e me sentou na cadeira dele buscando uma para si e colocando ao meu lado.

  - Essa é Sakura minha esposa. -Anunciou às mulheres. -E formanda em direito e pode nos ajudar. -Vi Gaara prender uma risada e eu revirei os olhos, quem é que não me queria trabalhando?

  -Ajudar em que? -Ele apontou para o contrato e eu soltei um ruidinho de frustração e ele riu. -Você vai ficar me devendo uma das grandes. -Ele riu e concordou. -Segura e não estraga. -Passei para ele o buquê e escondi a caixinha.

Entrei no modo trabalho analisando cada termo daquele contrato astronomico pontuei algumas coisas que não eram tão favoráveis assim para meu marido e ele sorriu. Depois de longas uma hora e meia elas se despediram e Naomi as acompanhou até a porta.

  - Você estragou minha surpresa. -Acusei pegando as flores de volta. 

  - E o que eu fiz? -Naruto e Gaara pareciam entretidos..

  - Estava trabalhando. -Ele sorriu e andou até mim. 

  - Não pode me culpar por isso se estou no horario de trabalho.

  - Claro que posso passei duas horas escolhendo o... -Me calei.

  - Escolhendo o?

  - Nada. -Toma são para você. -Entreguei as rosas. -Feliz nove meses juntos. -Ele sorriu e me beijou.

  - Eu te amo. -Eu sorri e o beijei.

  - Devido as minhas condições eu não irei me ajoelhar. -Peguei a caixinha. -Eu percebi que você me pediu em casamento, mas eu não. -Você quer casar comigo? -Mostrei-lhe seu anel de noivado que quase tinha me falido e ele sorriu de orelha a orelha estendendo a mão para mim.

  - É claro que aceito meu amor. -Escutei o flash e virei para ver os dois que agora aplaudiam por um momento eu tinha me esquecido deles.

  - Beija, beija, beija. -Naruto gritava, dei de ombros e beijei meu noivo lindo. 

  - Deviam nos agradecer, agora vão poder mostrar esse momento aos filhos de vocês. -Eu sorri para Gaara.

  - Agora se não se importam eu vou me sentar, meus pés doem. -Eu deveria ter ficado de boca fechada já que os três correram para me ajudar e logo eu estava sentada com os pés para cima. -Gente eu não sou invalida. 

  - Não pode nos culpar somos padrinhos de casamento e dos seus filhos. -Eu sorri pelo auto convite. -Agora vamos deixar os pombinhos à sós. 

  - Você é incrível. -Ele disse vindo até mim. -Tão linda, inteligente e atenciosa.

  - Esqueceu apaixonada. -Falei enquanto era abraçada. -Amor aproveitando que já estou aqui que nome vamos colocar nos nossos filhos. Esse é um assunto recorrente com os casais que serão pais, mas não conosco.

  - Isso é verdade, eu pensei em colocar algo da nossa origem algo japonês.

  - Eu gosto da ideia, afinal aconteceu conosco e não sofremos nenhum trauma. -Ele concordou. -Poderíamos pesquisar alguns e ver os que mais nos agradam. -Ele concordou. -Agora vamos me leve para comer, estou faminta.

  - Tudo bem, chame Chou e Miina enquanto eu vejo com Naomi quanto tempo eu tenho.

  - Tudo bem. -Saímos com ele carregando minha bolsa. -Meninas vamos. -Elas se levantaram.

  - Esta tudo bem? 

  - Sim ela so quer almoçar. -Sasuke disse sorrindo.

  - Amor. -Ele me olhou. -Sabe o que eu queria?

  - hn.

  - Fazer um jantar lá em casa hoje, chamar nossos amigos...

  - Claro princesa o que você quiser. -Eu sorri estava extremamente feliz.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...