História Heirs of War ( Taekook - Vkook ) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Hmmm
Boa leitura hehe

Capítulo 5 - Inimizade


Fanfic / Fanfiction Heirs of War ( Taekook - Vkook ) - Capítulo 5 - Inimizade

KIM TAEHYUNG 


O mais velho nós levou até o nosso devido lugar, era uma mata cheia, dava para ouvir o silêncio dela, - se ignorasse os passarinhos, é claro - ao que parecia tinha um limite de ultrapassagem e a cada distância fitas do tom branco em algumas árvores. Seokjin era o mais animado entre nós, enquanto Yoongi observava a mata, Bogum não mostrava interesse algum assim como Hoseok que fixava no sol por trás das folhas. 


— Taehyung, é o seguinte, — ouvi Jin dizer — Feche os olhos e se concentre, pode demorar tempo mas você consegue. 

— O que? — falei confuso.

— Apenas faça — Terminou.


Fechei os olhos realizando o pedido, tentei me concentrar ao meu redor e nada além do que já sentia quando aberto. Fiquei no mínimo cinco minutos parado no mesmo lugar, tentando encontrar o que Jin queria que eu achasse ou sentisse, e nada.


— Eles estão soltos  — ouvi Yoongi dizer.

— Perfeito — Bogum disse.


Abri um dos olhos apenas para ver o que eles iam fazer e me assustei com o Park subindo os galhos da árvore com facilidade, olhei ladino para Hoseok e jurei ver seus olhos mudarem de cor por milésimos de segundos.


— Taehyung, se concentra! — Seokjin falou, me pegando de surpresa.


Voltei a fechar, suspirando fundo apenas para agradar o mais velho.


— Deveríamos testar isso ao anoitecer, sabe que atena tem uma ligação especial com os animais noturnos — Ouvi hoseok dizer.


Estranhamente sua voz estava distante mas mesmo assim eu a ouvi com clareza. Animais noturnos certo?, isso me lembrava da coruja que a deusa tinha segundos os mitos, astuta e esperta, uma grande companheira.


— Como esperado, Hoseok proteja a bandeira, Bogum consegue ver a do time inverno? — Seokjin disse, recebendo uma resposta negativa.


Por algum motivo minha mente parecia se embaralhar, como se eu ouvisse meu subconsciente junto a outras vozes ao meu redor. Me concentrei em focar em algo simples, e foi naquele momento em que uma onda elétrica passou pelo meu corpo, e mesmo com os olhos fechados eu podia ver tudo ao meu redor, como se tivesse fotografado e guardado em minha mente, mas a mudança ali era; eu podia sentir as auras de outras pessoas e principalmente onde elas estavam


— Jin..— Falei

— Taehyung, olhe para mim, — falou e eu abri meus olhos — Quando eu disser três, quero que busque a bandeira do time verão.

— O que?, sozinho?.

— Jimin sabe identificar nossa posição quando entramos em seu território, ele não conhece seu lado divino, vai o confundir — continuou.

— Mas- Mas e se-

— Você só precisa se concentrar, aceite seu outro lado que vai ver coisas que nunca achou que conseguiria fazer.


Engoli em seco e concordei com o mais velho, o mesmo apenas apontou para o local que eu devia ir, Yoongi já não estava mais lá e Bogum continuava a pular de árvore em árvore.


— As filhas de Deméter são espertas, será a parte mais difícil para os dois times masculino, como sempre. — Hoseok comentou.

— Pronto? — Jin falou.


Concordei com o mais velho que começou a contar, baixo e devagar. E quando ele disse três, segui caminho adentro da mata sem olhar para atrás. Mesmo estando ali pela primeira vez eu sentia que podia ir voltar sem problema nenhum sem me perder, como se eu estivesse com um mapa só que em vez de minhas mãos, estava em minha mente. E eu sabia que esse dom vinha novamente de Atena, a deusa tem intelectualidade afiada, sua mente é poderosa e única, não à toa a deusa da sabedoria.


Meus sentidos se aguçaram em certo ponto no caminho, estava atento a cada movimento próprio e a audição estava ótima. Demorou pouco tempo até um passar para o lado inimigo, soube quando noite as fitas vermelhos em algumas árvores próximas. Prestando atenção nos sons, pude analisar a ideia de Seokjin ao me usar como arma secreta, ninguém conhecia meu lado divino ainda mas as chances do mais velho conseguir sair bem  naquilo eram quase nulas. A não ser que Hoseok e Yoongi pudessem lidar com a abordagem direta, frente a frente, já que ambos eram o que tinham uma dominação poderosa.


Me esquivei entre as árvores e só notei estar próximo do local quando Baekhyun passou a alguns metros de mim, correndo em direção a onde antes eu estava. Talvez meus sentidos fossem rápidos demais já que notei o mesmo se aproximando e passando reto. Prendi minha respiração quando Jimin proferiu palavras em grego em seguida tomou o mesmo rumo do Byun, eles estavam atacando ao invés de guardar território, valeriam pela autodefesa. 


Bastou mais alguns passos em silêncio para que eu pudesse ver uma parte aberta no meio da floresta e lá a bandeira do time, havia o símbolo do sol nela e aquilo me lembrou os desenhos que amava fazer quando era menor, minha memória nunca falhava. Nem namjoon e nem o filho de ares estava no local, coisa que estranhei já que parecia estar fácil demais, já havia "brincado" de caça bandeira na escola em aulas práticas de educação física. 


Mas nunca joguei em pleno a mata com semideuses com poderes nas mangas.


Tentei captar todo o arredor mas nada, Seokjin deve ter previsto isso, já que ele parecia treinar como defensor enquanto os outros dois times atacavam. Mas todo plano tinha uma brecha certo?, eles não deixariam algo tão fácil daquela forma sabendo que não conheciam meus poderes e nem presença.


Mas por que tudo parece se encaixar na minha mente?, como se estivesse preparado para aquilo a tempos?.


Resolvi desafiar a probabilidade, e sai da  "camuflagem" entre os arbustos e árvores para ir pegar o item. Foi muito fácil chegar até a bandeira mas antes de encostá-la, senti como se uma flecha passasse pelo meu peito, engoli em seco a sensação, vendo meu corpo parar de se mover.


— Não é assim que se joga, filho de Atena — ouvi a voz soar atrás de mim.


Olhei para trás de onde tinha vindo a voz, vendo  Jeon Jungkook com as sobrancelhas arqueadas e as mãos nos bolsos da calça. Como ele conseguiu me fazer parar sem ao menos me encostar?.


— Eu imaginei — murmurei, se virando de vez para ele.

— Sabe o que acontece quando você invade território inimigo, sem aviso? — falou.


O olhei simples, vendo que ele parecia querer testar minha paciência ou analisar meus atos.


— Depende.

— Em uma guerra a essa hora você já estaria morto — sorriu ladino.

— Ó, por quem? , por você? — arquei uma das sobrancelhas.

— Provavelmente.


Ele andava frente a mim, lentamente dando voltas em círculos em um pequeno espaço. Analisei que ele contia seus movimentos, podia sentir sua aura forte e irritada, acho que eu era uma péssima companhia para ele.


— Um ataque surpresa pode ser a chave para a Vitória, — falei simples — mas você sabe disso, não é?.


Silêncio, ele me encarou como se não esperasse ouvir aquilo vindo de mim, até mesmo eu não esperava já que tal frase devia vir dele. Foi como se eu devesse estudar minhas próprias palavras.


— Vamos acabar logo com isso — Falou.


Não soube o que viria depois e quando o moreno tentou me fazer afastar da bandeira e eu apenas me movi para o lado e escapei de seu pé que quase tentou me derrubar, ele sorriu antes de tentar usar um golpe para me derrubar porém foi falho novamente, já que me mexi rapidamente. Me assustei com meus próprios movimentos os que nem sabia que podia fazer-los, era como se meu corpo estivesse escapando de se machucar. 

Foi mais algumas tentativas falhas até ele se irritar de verdade comigo, sua paciência se esgotou e eu senti isso quando ele acertou meu corpo com um chute.


Ato que quase me fez voar longe, fiquei desatordoado com o golpe pois foi duro e forte, me sentei no chão sentindo meu corpo doer demais com o impacto. Olhei para o filho de ares, e seus olhos estavam vermelhos, não tinha dúvida que aquele era seu lado divino, ele demonstrava ódio apenas com aquela expressão suavizada. Me mexi para trás quando ele passou a dar passos firmes em minha direção, sentia que o mesmo podia me matar e não precisava palavras para isso. 

Fechei os olhos em um pedido de desistência, eu ainda não estava pronto para lutar de verdade com alguém, eu ao menos sabia quais eram meus domínios interior.


O Jeon só me puxou do chão para fica em pé, frente a ele. Ainda de olhos fechados eu pude sentir que o garoto estava alterado, sua presença divina era insana e me causava incômodo demais. Esperei por um golpe e nada veio.


— Saia daqui, — ouvi ele falar — você ainda é fraco, não devia fazer parte desse treino. Na verdade nem deveria estar nesse lugar.


Abri os olhos  e ele me olhava firme, procurando algo  em mim, um motivo para me machucar talvez.


— Não vamos se dar bem mesmo — Falei, tocando em meu corpo, que já parecia se recuperar da dor.

— Espero que não.


Jeon Jungkook tinha um rosto sereno agora, ele me encarava esperando minha reação, mas ele não teria. Assim me desviei de seu corpo, trombando levemente com seu ombro, parei ao ver Yoongi sorrir e subir rapidamente em uma árvore, já com a bandeira em mãos. O filho de ares tentou o parar fazendo algo com a mão, como se jogasse flechas na direção do mesmo mas foi em vão já que o meu amigo sumiu rapidamente de nossa visão.


O olhar mortal do Jeon a mim era como se ele fosse me matar literalmente, mas antes que fizesse algo, minha visão embaçou e meu corpo foi segurado por ele.


— Qual é — ouvi a voz de Jungkook.


Apaguei completamente em seguida, como se tivessem me posto para dormir.


[⚔]


Acordei em meu quarto, diferente do esperado. Procurei ao redor algo ou alguém mas nada além de mim, a cama e a decoração pelo lugar. Me sentei no colchão, se lembrando de tudo o que aconteceu antes de desmaiar. Demorou tempo até que me levantasse da cama, buscando equilíbrio quando pisei no chão. Me senti chateado por ter apagado frente a aquele idiota do filho de ares. 


Se ele achava que iria ficar assim.. ele estava certo, não vou retrucar. Alguém aqui tem que ser o adulto, não é?.


Havia várias formas de suportar uma convivência, no caso do moreno acho que ignorá-lo seria a melhor opção, não queria briga.


Daria um jeito de resolver essa situação.


Desci as escadas da casa com cuidado, percebi ainda estar de dia e quando vi o relógio na sala,  marcavam quatro horas da tarde. Bem, fiquei apagado por duas horas apenas. Bufei, seguindo para a saída, queria ver como estavam as coisas e como fui parar naquele lugar, andei pelo caminho observando as outras pessoas ocupadas e por fim avistei um rosto que não queria ver tão cedo.


O moreno estava próximo a entrada do refeitório, e quando me viu abriu um sorriso debochado, não sei como ele conseguia tirar me paciência apenas sorrindo.


— Acordou, — ele disse — ao menos está vivo mesmo.

— O que houve para mim...desmaiar? — falei, procurando os outros.

— Hmm..Não sei, acho que você prendeu seu lado divino, seu corpo está em pane — ele falou, desviando o olhar de mim.

— Onde estão os outros?.

— Sua turminha está ali — apontou para o outro lado do local.


Em seguida ele deu de ombros e saiu da minha frente, o acompanhei com os olhos, vendo ele ir até Jimin e Namjoon que entravam ali no mesmo momento. Desisti de observar e fui até os meninos que pareciam falar entre eles, como animação.


— Olha só, o principezinho acordou, — Jin disse — parabéns pelo seu desempenho na caçada.

— Eu achei que seria mais fácil.

— Você foi bem, ninguém chega tão perto da bandeira do time verão e ainda por cima sai ileso das mãos do Jungkook — Hoseok disse, rindo no final.

— Ele me machucou.

— A então eu sinto muito, porém nenhum osso foi quebrado. Tudo certo — sorriu.


Mesmo não querendo rir com os outros acabei caindo na graça. Meu corpo não estava tão dolorido mas aquilo ficaria na minha mente por um tempo, me lembraria disso mais tarde.


— Então.. quem ganhou? — perguntei.

— Houve empate, — Yoongi disse — pegamos a do verão e eles a do inverno. 

— Mas e a nossa?.

— O tempo acabou, e precisávamos das três para ganhar — suspirou.


Concordei, entendendo mais o jogo que não foi muito bem explicado para mim. Não quis perguntar sobre o fato de ter apagado repentinamente, talvez Jungkook estivesse certo e eu apenas não estava suportando tanto poder. Ficamos naquela mesa por um longo tempo, conversando e planejando - segundo Seokjin - o próximo jogo. Esse o qual eu ficaria na proteção, sem ataque dessa vez, queria continuar com meus ossos firmes no mesmo lugar.


Quando me sentia perdido no assunto da roda, desviava minha atenção da mesa e ficava olhando ao redor, tentando me familiarizar com o rosto do resto da turma no refeitório. Peguei diversas vezes de surpresa o Jeon olhando para a mesa, especificamente para mim, e sempre que eu o encarava ele desviava o olhar, tentando transmitir raiva e falhando miseravelmente.


(...)


Mais tarde, após as aulas de artesanato e arte tentei voltar para a casa, fazia pouco tempo que estava ali mas já me acostumei com o clima, era sempre repentino, mas bom o ar que passava em meu rosto no final da tarde. 


Encontrei Baekhyun sentando em um balanço enfeitado a flores na frente de sua casa, - a qual dividia com Jin - ele sorriu e acenou, me chamando para ir até ele, e assim fui. Ri para o acastanhado quando ele me puxou para se sentar ao lado dele, sempre tão simpático e acolhedor.


— E aí, como está as coisas?, Jungkook disse que você desmaiou , ele te machucou?.

— Sim, mas não é algo para deixar alguém surpreso. Eu já esperava que isso fosse acontecer — sorri fraco.

— Jeon é alguém bom quando você o conhece melhor, não se deixe enganar pela aura esmagadora — Baekhyun riu, passando a mãos em meus fios.


Ele ficou em silêncio, alisando os meus cabelos, achei estranho esse carinho todo. Mas devia vir dele, um costume entre todos ali.


— Sabe Taehyung...— começou  — sua presença é importante para nós, mas também perigosa, quando soubemos que você viria para cá todos ficaram surpresos, menos nós, filhos de um dos doze.

— Por que?.

— Muitos acharam que você já estava morto, a muito tempo. O comum é ser abrigado aqui a partir dos doze ou quinze anos, você demorou muito para vir.

— Isso é… estranho — suspirei — por que todos parecem esperar algo?, vocês sabem algo que eu não devo saber, não é?.

— Kim..— ele riu.


Baekhyun desviou os olhos de mim, encarou o chão parecendo pensar muito . Sua expressão mudou, era de medo ou preocupação, apenas não sabia dizer.


— Diga Baekhyun...por favor — pedi em súplica, queria saber o que dizia a respeito de mim.

— Você é caçado desde que você nasceu Taehyung, Had-, aquele homem, — se corrigiu — prometeu vingança a sua mãe desde que Atena matou os filhos dele.


O olhei surpreso, o deus do submundo tinha filhos?. E por que minha mãe havia matado os mesmos?.


— O "H", — fez a aspas, se referindo a Hades  — teve dois filhos quando pode ter  a oportunidade de sair do submundo.

— Espera, mas ele não foi aprisionado lá? — o interrompi.

— Não diretamente, assim como sua mulher pode ver a Mãe, ele pode sair quando quiser também, só que seus poderes não são fortes em terra — Explicou. 


Concordei, pensando em sua resposta, me lembrei sobre a mulher do mesmo, Perséfone era filha de Deméter e foi capturada pelo próprio tio, a deusa teve o azar de ser condenada a viver com o mesmo para sempre, e recebia pouca visita de sua mãe, ou de deuses alheios. Isso era o que  estava escrito em livros.


— Mas… por que Atena matou..eles? — sai dos pensamentos.

— Não há uma explicação, ela apenas fez. Eles não poderiam conviver aqui também, talvez ela só cortou o mal antes que crescesse. O "H", condenou a ação, e prometeu vingança a ela. Dizem que esse ódio todo resultou em diversas brigas, mas sua mãe sempre saia por cima. Até que...você nasceu, o oráculo previu seu nascimento, e aquele homem só queria a vingança.

— O oráculo previu…

— "...Um herdeiro da guerra, com a paz consigo trará, um perigo para o ódio, um salvação para o amor..." — engrossou a voz para dizer.

— O que é um herdeiro da guerra afinal?.

— A guerra que nossos pais criaram, temos o sangue divino de alguém que já causou o caos.


Ao dizer isso, Baekhyun passou o dedo sobre o braço, e algo ali brilhou, notando bem era suas veias e elas pareciam reluzir sobre a pele do mesmo.


— Como- 

— Efeitos de ser um semideus do amor — riu.


Olhei novamente para o local e já não brilhava mais, suspirei fundo, por fim pensando nas palavras do mais velho.


— Não tenha medo, — falou — ele sente quando você está com medo dele.

— Baek…....por que ele  teme?.


O mais velho me olhou, sorriu ladino e encarou o céu por fim.


— Por que um de nós o matará por amor.


Meu coração disparou, a guerra…se acontecesse...seria contra hades?. 


Olhei para o chão, juntando as peças. Faltava alguma?, isso era muita bagunça para uma pessoa só. Alguém morreria, ou alguém escaparia da morte, perguntas que não tinham respostas.


— Você fica bonito pensando desse jeito — fui desconcentrado.

— O que? — o Olhei, ainda me sentindo confuso.

— Que você fica bonito pensando.


Fiquei  mais confuso ainda,  não entendi qual era o motivo do elogio.


— Por que está me dizendo isso?.

— Nada, apenas comentando, — sorriu — Você ainda é de menor, não posso falar mais do que devo com você — me senti intimidado.

— Não fale essa coisas — sorri sem graça.

— Não fique pensando sobre o que te falei, sério, vai trazer muitas preocupações para você — fez carinho em meu cabelo.

— Ok...— concordei simples, talvez exausto daquilo.


O mais velho sorriu, e se levantou do balanço quando ouviu Seokjin o chamar dentro da casa, sorriu para mim novamente e voltou a dizer.


— Espera só quando você completar a idade certa — sorriu ladino antes de dar as costas e entrar para dentro.


Me senti envergonhado com o que ele disse, se estivesse se referindo ao que eu pensava, sabia que estava ferrado na mão do mais velho. Ri sem motivos, suspirei pensando em tudo, não me afundaria naquilo por muito tempo, Byun tinha razão. 


Devia me concentrar em outra coisa agora.


Me levantei do banco, olhando para direção onde devia ir, meus olhos trombaram com o de Jungkook, esse que estava encostado na porta de sua casa, olhando em minha direção, ignorei o fato e segui caminho, o vendo pelo cantos dos olhos fechar o semblante e adentrar sua casa em seguida.


Esse cara vai me dar muito trabalho.





Notas Finais


Opaaa, quanta info hauau
Espero que estejam gostando!
Até a próxima bjins

Meu twitter @Singularkthjjk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...