História Hell -- Second Season - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber, Ryan Newman
Personagens Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais, Ryan Newman
Tags Criminal, Vingança
Visualizações 374
Palavras 2.570
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


PODEM ME MATAR EU DEIXO KKKKKKKK
E ai meus lindos, tudo bom? Eu não quero encher vocês porque eu sei que tem gente ansiosa pra ler, sem mais delongas...

Boa leitura ;)

Capítulo 5 - Rainha do pole


Fanfic / Fanfiction Hell -- Second Season - Capítulo 5 - Rainha do pole



(....) 


— Eu não posso esperar aqui. — insisto. Waby vai para outra cidade tentar contanto com Jazzy. — Waby, e-e se aconteceu alguma coisa?  

— Calma, vai dar tudo certo. — ele me abraça. — Jazzy é inteligente não deixaria nada acontecer com as meninas. 


— Por favor volta logo. — imploro. Ele acente saindo do quarto. — Céus. 


A duas horas eu recebi uma ligação de Jazzy. Arianne havia descoberto sobre o paradeiro de Chuck e por isso ela invadiu o apartamento. A única coisa que Jazzy não contou foi se Arianne descobriu sobre ela e as meninas. A ligação estava ruim, tudo que ela dizia é que estava tentando sair com as meninas. 


Por favor. — peço a Deus com toda fé e força que me restam. Eu não posso perder elas, não posso deixar isso acontecer outra vez. — que elas estejam bem. 




Do outro lado do mundo

Pov's autora. 


— Chuck Bass. — diz a loira com falso apreço. Ela deixa sua taça de champanhe de lado e cruza as mãos sobre a coxa. — Quanto tempo não? 

— De fato, a que devo a honra da sua invasão? — ele pergunta tentando manter a calma. 

— Invasão? 

— Sim, invasão. A forma que você entrou em meu apartamento durante as minhas férias sem ser convidada no meu ponto de vista é invasão. — Ele sorri de modo afrontoso. 

— Tive que recorrer ao que você chama de invasão já que você fugiu de mim por todos esses anos como um covarde. — Rebate ela óbvia. — vou ser rápida e clara,  você tem chances de sair vivo daqui  dependendo do motivo e da sua resposta. 

— Vou encarar isso como uma ameaça. — Ele responde sem esboçar medo algum. — pois bem, faça sua pergunta. 

—  Sei que foi você quem ajudou minha filha a fugir do país. — ela se aproxima. — por que fez isso? Qual o tipo de relação que vocês dois tem? Como esperado se você não responder ... — ela sinaliza com a mão e cinco do seus homens apontam suas armas para mim. 

— Saiba que eu não estou nenhum pouco intimidado. — Ele ri sincero. — ela me pediu um jatinho e dinheiro com uma viagem para Londres, eu dei a ela e em troca nós transamos. — Ele diz simples. Chuck nunca mentiu tão bem em sua vida. Arianne sabia que sua filha tinha um poder como aquele, poder tão grande que fez um homen como Chuck Bass fazer tudo isso em prol do seu corpo. 

— Não manteve contato com ela depois disso? — Ela pergunta sugestiva. 

— Nada mais que sexo, mas só tive contato com o corpo dela antes que a mesma saísse de Atlanta. — Chuck encara a mulher que acredita em sua mentira. 

— Última pergunta, por que fugiu de mim se não tinha nada a esconder? 

— Fugi de você? — ele ri descaradamente. — Me desculpe Arianne mas eu nunca soube o que exatamente você queria comigo, pensei que fosse se tratar de negócios e como todos sabem eu estou de férias voltarei em muito breve. Imaginei que era por esse motivo que você estivesse me procurando. — Ela se levanta frustada em não obter nenhuma informação que queria. 

— Desculpe pelo incômodo, obrigado por sua sinceridade. — A mulher acompanhada de muitos homens sai do apartamento. 



Jazzy, você precisam ir agora. — ele diz no rádio. — Ache Ariel. 




(....) 


Pov's Ariel



— Ariel? Ou, será que dá pra você prestar atenção aqui? — Christian pedia pela décima vez. — vocês está distraída hoje, o que foi? Isso é porque se instrutor não tem o mesmo porte físico que o Ryan? — ele zomba fazendo eu acertar um soco de seu braço. 

— Babaca. 

— Agora sim, vou começar a insultar a sua "loirinha" pra vê se você presta mais atenção. 


— Não é nada disso, e ela não é "minha loirinha" eu e Ryan não temos absolutamente nada.  — digo brava tirando as luvas de boxe.

— Okay, desculpe. — ele levanta as mãos em sinal de rendição. — você me parece preocupada. 

— Nada, eu só acordei em um dia ruim. 

— Isso foi porque o Justin tentou avançar o sinal ontem a noite? — Olho pra ele com os olhos arregalados. Como ele sabia ? 

— Não me olhe desse jeito, eu e os meninos somos os melhores amigos de Justin, ele nos conta tudo. — Chris sorri. — acredite ou não, ele se sentiu mal sereia, nunca pensou que pra transar com você ele teria que força-la, bom, nem eu. 

— E-eu... Não quero falar sobre isso, eu vou só esquecer okay? 

— É o melhor a se fazer. 

— Podemos para por aqui? Eu realmente estou péssima. — peço fazendo biquinho. —por favor. 


 Okay. — bufo revirando os olhos. — eu devo ser o pior instrutor do mundo. 

— Não é nada disso, juro que estarei melhor amanhã. — sorrio mas ele nega. —o que ?

— Eu vou para as Bahamas hoje a noite, vai ter uma festa incrível lá e a senhorita Arielle vai ser a estrela da noite meu trabalho é escolta-la. Então amanhã vai vir outro em meu lugar, eu não sei quem. 

Se vim um desconhecido a moleza pra mim vai acabar. Céus, que venha alguém conhecido. 

— Então até semana que vem? 

— Até Sereia. — ele se despede sorrindo. — juízo sua maluca. 



Ando desanidamente pelo corredor enquanto minhas caretas denunciavam que meu corpo está realmente quebrado. 

Olho pra frente e meus olhos se deparam com ela. Jazzy

Corro até a mesma sem nem pensar duas vezes. Mesmo se mamãe ou as câmeras ver eu não ligo, tudo que eu mais quero saber e se está tudo bem  com elas e as meninas e claro com meu irmão. 

Ariel aqui não, está tudo bem te explico hoje a noite. — ela sussurra em meu ouvido.

Me afasto devagar depois dela não corresponder meu abraço propositalmente. Ela me olha com felicidade e lágrimas. 

Senti saudades. — sussurro e ela concorda me abraçando dessa vez. — obrigada. 

— Obrigada pelo que ? 

— Por está bem. 

— Só você mesmo sereia. — ela volta a me analisar só que dessa vez por inteiro. —vi que elas pegaram pesado. 

— E como. — reclamo. — mas já foi. 

— E-ele fez alguma coisa? — Jazzy me olha com medo. 

Sei que "ele" quer dizer "Justin" 

Eu apenas nego com a cabeça fazendo ela suspirar tranquila. 

— Não mas as soldadas da Arianne sim. — digo fazendo uma careta de dor. — Estou feliz em ver você. 

— Eu também. Não se esqueça hoje na Luxy. — Ela relembra. — Eu tenho que ir.

Pelo visto Waby não vai mais precisar me contar nada. Pela expressão de Jazzy tudo correu bem, graças a Deus. Ando contente até meu quarto onde tomo um demorado banho. 




(....) 

Arianne


— Malcom Agepê. — Ryan diz lendo a ficha. Ele entrega a pasta em minhas mãos fazendo com que, automaticamente, meus olhos pairassem sobre aquela foto. Aquela maldita foto. — Ele quer falar com a senhora. 

— E-eu não me lembro desse nome. —minto. Chaz me olha de canto fazendo eu engolir seco. — Ele não tem muito dinheiro e nenhuma garantia, não irei a essa  a reunião.  

— Bom ele disse que tem assuntos sérios e... 

Ryan para de falar. Eu olho para ele mas o mesmo abaixa a cabeça. 

— E? — insentivo ele a dar continuidade. — Fala logo Ryan. 

Se preza por sua reputação e as pessoas que ama, deve me encontrar na sexta - feira anoite. — Ryan lê o que ele escreveu. 

— Isso me pareceu uma ameaça, se você quiser eu e minha equipe podemos dar um jeito nele. — Ryan se oferece mas eu nego.

— Obrigada, Ryan. Você foi muito útil em descobrir quem de fato é esse homem, já pode ir.— Ele acente e sai do escritório me deixando sozinha com Chaz. 

— Preocupada ? 

— Eu diria furiosa. —viro o copo com JackDaniel's — esse verme maldito voltou do quinto dos infernos para me tirar a paz. 

— Acho que você deve ir a essa reunião, afinal nunca se sabe o que ele pode fazer. 

— É eu também acho. — concordo. — você vai comigo? 

— Sempre. — ele sorri. — o que será, que ele quer ? 

— Vamos descobrir Charles. 



(....)


Pov's Ariel


— Olá Ariel, está adiantanda hoje. — Finalmente Beth se acostumou comigo, de início não nos demos muito bem. — Hoje você cuida do pole dance.

— O que? —arrega-lo os olhos. — N-não da eu não ensaiei para isso. 

— Ora que isso? Você é a sereia de Atlanta não precisa de ensaio coisa nenhuma. — ela sorri revirando os olhos. — faça sua costumeira dança, se me lembro bem esse era o seu número de mais valor e sucesso. 

— Okay, não posso dançar com essa roupa, tem algo mais leve que dê pra eu me movimentar melhor? — pergunto e ela acente. — okay. 

— Ótimo. — ela sorri feliz batendo palmas. — você sobe ao palco em meia hora. 


  (...) 


— Você é bem curvilínea. — uma garota de cabelos rosa diz. — esse não vai servir teremos que colocar outro. 

— Não temos outro, vai esse mesmo. — Beth se esforçava para que o body de couro entrasse em mim. — Você tem uma bunda grande. 

— Não fala essas coisas. — fecho os olhos com vergonha. 

— Isso foi um elogio meu anjo, quem me dera ter essa abundância toda. — Elas brincam fazendo eu ri. 

— Pronta ? 

— Não. — digo suspirando pesadamente. — Vamos lá. 

— Boa sorte sereia. — Beth diz sorrindo. 

— Arrasa. — grita algumas meninas. 

Pov's autora



As luzes se apagam deixando só alguns feiches roxos que iluminavam o chão. Aos poucos fumaça ia dominando o palco e lá estava Ariel Winter, sereia de Atlanta, fazendo o que ela faz de melhor. A música survivor começa a tocar. 


— Será que ela consegue? Depois de todo esse tempo sem praticar. — Josh pergunta esperançoso. 

— Tá brincando? Aquilo é como o sexto sentido dela, não tem como ela errar. — Jazzy diz se juntando aos meninos. 

— Pode até ser, mas acho que ela deve estar travada. — Ariella diz fazendo pouco caso. 

— O que tem de mais em um simples pole dance ? — Puma pergunta sem entender. 

— Não é só uma dança, é a dança. — Christian chega do nada. 

— Chris? Pensei que estivesse em uma missão. — Justin olha para o mais novo sem entender. 

— Sim eu vou, mas só as 3 da manhã. E aí ? Acham que ela consegue descer girando até o chão sem cair?

— Moleza, aposto que ela faz tudo igual antigamente. — Justin se pronuncia pela primeira vez. 

— Vamos só assistir o show. — Jazzy diz. 



— Ariel aqui está o óleo. — Uma das meninas vem até ela com um pequeno pote. 

— Pra que? Eu não uso hack. 

— Vai dançar sem óleo? — a garota olha pra ela Impressionada. — uau. 

— Já pode ir, Obrigada.


E agora com vocês senhoras e senhores, a nossa sereia de volta no pole dance. 


Ariel começou devagar, ela usava a barra de ferro apenas como apoio enquanto dançava sensualmente para sua enorme plateia. Em poucos segundos ela estava no topo da barra, descendo rapidamente enquanto girava até o chão; antes que ela caísse, sua perna direita agarra o ferro fazendo ela subir em uma velocidade impressionante. Novamente ela está em pé, seus saltos batiam no chão no ritmo da batida enquanto seus quadris os acompanhavam. Agora vinha a parte mais difícil, ela estava de cabeça para baixo, seu corpo estava sendo segurado pela sua perna esquerda que estava enrolada no ferro, deslizando de costas sem ver ela teria que saber a hora certa de parar se não iria cair estatelada no chão. Antes que seu corpo colidisse com o chão, ela usou a outra perna dando um giro ficando em pé. 

O público foi a loucura, aplausos e gritos eram ouvidos por todo canto. 


— Eu disse. — Justin sorri convencido. 

— Agora eu sei porque Arianne acha ela tão valiosa. — Puma diz. — tenho que admitir, pra quem está fora a 4 anos, ela foi ótima. 

— Ela nunca decpciona. — Joshua sorri. — ARRASOU. ele grita pra ela que sorri acenando. 

— Eu vou lá falar com ela. — Jazzy se retira indo para o "camarim". 



Pov's Ariel


Eu nunca tive tanta sorte em minha vida. Por pouco eu não despenquei lá de cima. Respiro fundo bebendo um pouco de água. 

— Você foi incrível. — Jazzy chega de fininho me assustando. — vamos conversar? 

— S-sim. — digo trêmula. Eu precisava de notícias das meninas. 



Estávamos na área vip o mesmo lugar que eu estava com Justin naquela noite. Segundo Jazzy aqui não tem câmeras nem escutas então estamos "sozinhas". 

— E-então? Onde elas estão? Suponho que Arianne não tenha achado elas já que ela não falou comigo. 

— Foi por pouco. — ela suspira pesadamente. —  cinco minutos a mais dentro do apartamento do Chuck e nós teríamos sido descobertas. 

— Jazzy? — ela desvia o olhar. — onde elas estão? 

— A-aqui, E-eu não tinha outra alternativa eu estava lutando contra o tempo eu precisava voltar hoje não tive tempo de arrumar um lugar pra elas. — Jazzy diz rápido. — Elas estão com a vera em um apartamento no centro da cidade. 

— O QUE ? Não achei que Chuck tivesse falando sério, PUTA QUE PARIU, ELAS SÃO MINHAS FILHAS E VOCÊS TROUXERAM ELAS PRA ATLANTA?

— Calma Ariel, eu sinto muito mas não tive outra opção, eu vou dar tudo de mim pra proteger elas. 

— E-eu só não quero perder elas. — começo a chorar. Jazzy me abraça fazendo carinho em mim. — E-eu não posso perder elas, depois do Timothy e a Cassie eu não aguento perder mais ninguém. 

— Eu sei. — ela beija minha testa. — vai ficar tudo bem, iremos cuidar delas você vai poder visitá-las. 


Pov's Ariella



Justin estava beijando uma loira, ambos em cima da mesa. O problema não era Ariel, o problema era eu, sempre foi eu. Corro em direção às escadas, eu preciso ficar sozinha. 

Eu ia abrindo a porta quando escuto algo interessante. 

— O QUE ? Não achei que Chuck tivesse falando sério, PUTA QUE PARIU, ELAS SÃO MINHAS FILHAS E VOCÊS TROUXERAM ELAS PRA ATLANTA?

Filhas? Ela tem filhas? 


— Calma Ariel, eu sinto muito mas não tive outra opção, eu vou dar tudo de mim pra proteger elas. 

— E-eu só não quero perder elas. — começo a chorar. Jazzy me abraça fazendo carinho em mim. — E-eu não posso perder elas, depois do Timothy e a Cassie eu não aguento perder mais ninguém. 

Eu não estava acreditando nisso, ela é mãe, ela tem duas filhas. Ela escondeu isso dá mamãe, foi por isso que a mesma se entregou fácil, não fugiu. Ela precisava proteger as filhas. 

— Eu sei. — ela beija minha testa. — vai ficar tudo bem, iremos cuidar delas você vai poder visitá-las. 


— Então quer dizer que a sereia esconde duas joias? Hahaha bom saber. 


 







Notas Finais


EITAAAAA ARIELLA JÁ SABEEEE

Desculpem mesmo pela demora.

Beijos até o próximo <3

Link do trailer →https://youtu.be/nKl0Kkde9Y0

Leiam também ( é de uma colega, é muito boa <3 ) →https://www.spiritfanfiction.com/historia/ghost-of-seduction-9692266


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...