1. Spirit Fanfics >
  2. He'll be mine - Taekookmin (Reescrita) >
  3. Capítulo XIII - Our last mission

História He'll be mine - Taekookmin (Reescrita) - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meus shadow baby! Sejam bem vindos ao penúltimo capítulo desta minha filhinha que tanto amo.

Pra quem não reparou consegui recuperar o banner... Tô feliz gente... 😂

Espero que gostem 😊

Capítulo 14 - Capítulo XIII - Our last mission


Fanfic / Fanfiction He'll be mine - Taekookmin (Reescrita) - Capítulo 14 - Capítulo XIII - Our last mission

*POV. Taehyung

Já está. 

Estão feitos. 

A nossa última missão acabou. 

Eles rodearam a base, centenas deles, e começaram a entrar por todos os lados, portas, janelas, todas foram deitadas a baixo, os que já cá estavam dentro tentam escapar mas são barrados ou até mesmo atingidos por balas perdidas que muitos outros disparam.

Eu e Jungkook estamos no meio de toda a confusão, em risco de vida, mas sem medo, pois já houveram tantas outras que tiramos com as nossas próprias mãos, estamos a pagar por elas.

Mortos no chão, sangue por todo lado... o dedo do gatilho chega a coçar com a vontade de começar a disparar também, mas tenho de me controlar. Jungkook ao perceber o que estava a acontecer, pega na minha mão e ajuda-me a ir até um dos cantos da sala, mas em vez disso, passámos por um dos polícias encarregues da emboscada que ao perceber a minha situação disse para que me ajudasse a sair dali o mais rápido possível. 

Todos ali conheciam a minha situação, todos sabiam que estava a ter apoio psicológico para suprimir os meus instintos assassinos, mas foi assim que fui criado, então é difícil não fazer aquilo que fui ensinado a fazer desde bem novo, então ver aquele sangue todo em meu redor, ouvir o som dos disparos, pessoas a morrer... Eu quero lutar também mas sei que não posso, tanto eu como Jungkook estamos proibidos de usar as nossas armas a menos que seja para auto-defesa. 

Mas é à medida que chegamos mais perto da saída mais próxima um mau pressentimento apoderar-se de mim. 

- Jungkook! - rapidamente levantei a cabeça que antes estava apoiada no seu ombro e abri os olhos na mesma velocidade mas não fui a tempo. 

Misturado ao som dos disparos, um deles chamou mais a minha atenção, uma arma apontada a nós, tentei desviar-nos, mas não fui a tempo e Jungkook foi atingindo na perna e com um grunhido sofrego caiu no chão. 

O meu sangue fervilhou, peguei a arma em minha cintura e disparei na direção de um homem de azul que se destacava no meio de todo aquele preto e vermelho, este que ainda apontava a sua arma na mesma direção, mas assim que precionei o gatilho o outro fez o mesmo, só tive tempo de me baixar, mas não fui rápido o suficiente, pois ainda consegui sentir um ardor agonizante no meu ombro esquerdo para onde olhei e vi sangue a escorrer, mas nada de bala, foi só de raspão. 

Voltei a olhar em frente e o homem estava caído no chão. Eu ainda tinha a arma na mão e a minha adrenalina estava no topo, então apontei em outra direção, mas uma mão alcançou o meu braço e fez me parar, olhe para o lado e Jungkook já estáva em pé, com alguma dificuldade mas estáva. 

- Vamos Tae, vamos para o carro, não podemos ficar aqui! - pediu calmo, apoiando-se em mim para não voltar a cair. 

- ok, vamos! - afirmei voltando a guardar a arma e envolvendo a sua cintura com o braço não atingido para lhe dar algum suporte. 

Conseguimos sair da casa sem mais problemas e assim entramos num dos carros onde estava um dos polícias que tinha ficado do lado de fora, este que quando nos olhou arregalou os olhos em espanto, mas sem mais palavras ligou o carro e deu partida no mesmo, através do interfone avisou que nos ia levar para o hospital mais próximo, nesse entre tempo pode ver alguns polícias a sair da casa com homens e mulheres algemados. 

Com um sentimento de missão cumprida, voltei a olhar para Jungkook, que só agora reparei estar com a t-shirt que usava, rasgada e a parte que rasgou envolvia a perna que foi atingida... Aposto que nem a bala está mais dentro da carne. 

Abracei a sua cintura, puxei-o mais para mim e deixei um selar carinhoso no seu ombro, o mesmo olhou-me nos olhos e sorriu com uma expressão de dor, mas o sorriso foi sincero. 

*POV Jimin

Não sei como eles estão... Será que estão bem? Será que estão vivos? Será que está a correr tudo bem? 

Já passaram três horas desde que eles saíram de casa para aquela maldita "ultima missão" como decidiram chamar-lhe. 

Estou preparado, muito preocupado, o medo de perder um dos dois ou até mesmo ambos, é grande... Enorme...

Mas então ouço o meu telemóvel tocar sobre a mesa de centro da sala da casa deles, onde me encontro à espera de notícias sobre os mesmos. Apresso-me a pegar no objeto, um número desconhecido aparece na tela, mas já pensando que fossem notícias sobre eles, atendi rápidamente. 

- sim, boa noite!? - exclamei assim que atendi. 

- boa noite, estou a falar com o senhor Park Jimin? - uma voz feminina questionou num tom calmo. 

- sim, qual o motivo da chamada? - questionei cada vez mais impaciente e a bater o pé com cada vez mais força e velocidade. 

- é o seguinte, os Senhores Kim Taehyung é Jeon Jungkook estão nas emergências do hospital central e pediram-me que lhe ligasse a confirmar  que estão bem, o senhor Jungkook está a meio de uma operação, mas nada que se deva preocupar, quanto a Kim Taehyung, acabou de sair agora do consultório, deseja falar com ele? - a mulher falou sem parar, também não quis interrompê-la, pois sabia que me ia dar todas as informações que queria. 

- sim, por favor, se não for incomodo gostaria de falar com ele - confirmei quase como numa súplica. 

- Chim? - ouvi a voz de Taehyung, ele parecia feliz então um ligeiro sorriso apareceu no meu rosto. 

- Tae! Estás bem? - questionei voltando a sentar-me no sofá. 

- estou ótimo, Chim. Só levei com uma bala de raspão - respondeu com uma leve risada no final da sua fala. 

- e estás a rir? Taehyung eu juro que te vou bater! - voltei a ouvir o seu riso - aish! E o jungkook como ele está? - voltei a ficar sério. 

- não te preocupes, ele vai ficar bem, é só uma operação de extração de bala, ele levou um tiro na perna - disse sem muitos remedeios, ele sabe que prefiro que sejam diretos a contar-me algo - vamos ter de cuidar bem do nosso Kookie de muletas - afirmou rindo

- ainda bem que estão bem... Achas que posso ir até ai? 

- não, fica em casa, devemos ir para casa assim que a operação acabar, ele só levou anestesia local, então pode ir para casa - explicou para me deixar mais aliviado - enquanto isso encomenda uma pizza - pediu risonho. 

- está bem, eu peço, só não prometo que não a vou comer sozinho - desta vez fui eu quem riu. 

- então encomenda umas três - respondeu despreocupado - agora tenho de desligar, a sargento já está a ficar chateada com a demora - riu e consegui ouvir a voz da mulher de à pouco, mas não consegui perceber o que disse - até já Chim! 

- até já! - respondi e ele encerrou a chamada. 

Mais aliviado, decidi encomendar as três pizzas como o Tae pediu e esperei que elas chegasse, juntamente com os outros dois por quem também aguardando. 

Não demorou muito para que a pizza chegasse, quanto aos rapazes, só chegaram perto da uma da manhã. Eu já estava a dormir no sofá sem sequer ter comido, quando senti a almofada do sofá afundar a meu lado. 

Abri os olhos lentamente e ainda com sono, então a meu lado avistei Jungkook e as suas muletas. Com pressa, sentei-me direito e cheguei mais perto dele para o abraçar e deixar um selar na sua bochecha e quando o fiz ele sorriu, virou-se para mim e abraçou-me com força, beijando a minha testa. Quando nos separamos, vi Taehyung em pé a nosso lado, o meu sorriso ficou ainda maior, levantei-me do sofá e abracei-o com força, pousando a minha cabeça no seu ombro, ele afagou os meus cabelos e beijou a minha cabeça, com os seus braços a envolver a minha cintura, mas então senti um cheiro de álcool vindo do mesmo ombro em que me apoiei. 

- Tae!? É o ombro magoado, porque não me disseste!? - perguntei afastando-me. 

- também levei anestesia, tive de levar uns pontos... Não dói ainda - afirmou dando batidinhas sobre o ombro, olhei-o desconfiado mas não disse mais nada. 

- encomendei as pizzas, já devem estar frias mas posso aquecê-las - falei indo até a mesa da cozinha, onde deixei as caixas de pizza. 

- deixa, comemos frio mesmo - foi Jungkook quem respondeu e Taehyung concordou. 

Levei as caixas de pizza para a sala e abri as três sobre a mesa de centro, sentámo-nos no sofá, lado a lado e comemos as nossas pizzas. 

Quando terminamos, decidimos ver um filme, mesmo que já fosse tarde e foi no sofá, os três abraçados e entre beijos e carícias, que adormecemos naquela noite. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado deste capítulo, que não demorou tanto como eu pensei que ia demorar, tenho andado bem criativa nestes últimos dias, então é provável que o próximo (e último) também não demore.

Os meus leitores do wattpad tiveram uma surpresinha, lá eu mostrei umas imagenzinhas de como eu imagino o apartamento dos taekook, infelizmente aqui não dá pra vos mostrar 😢

Como sempre (e já sabendo que ninguém vai dizer nada 🥺) digam o que acharam 😊

Até o próximo capítulo,
Bye, bye e kissus 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...