História Hella Blue - Capítulo 35


Escrita por:

Postado
Categorias Life Is Strange
Personagens Chloe Price, Frank Bowers, Kate Marsh, Mark Jefferson, Maxine Caulfield, Nathan Prescott, Personagens Originais, Rachel Amber, Ray Wells, Victoria Chase, Warren Graham
Tags Chloeprice, Gay, Katemarsh, Lgbt, Life Is Strange, Love, Maxinecaufield, Nathanprescott, Rachelamber, Victoriachase, Warrengraham
Visualizações 56
Palavras 1.115
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bem gente, eu até gosto dos mimimi de relacionamento mas eu gosto do bicho pegando mesmo asdjkakljs
espero que gostem.
sei que as vezes os cap n saem maravilhosos, mas n desistam de mim.
Com amor, Lupin.

Capítulo 35 - Disgusting.


Fanfic / Fanfiction Hella Blue - Capítulo 35 - Disgusting.

 P.O.V Maxine Caufield

Chloe saiu rapidamente dos dormitórios e desapareceu por entre as árvores. Victória ainda estava envergonhada pela cena que tinha presenciado. Eu gostava quando ela e Kate faziam-me companhia porquê, às vezes, elas passavam a noite no meu quarto conversando.

- Eu não esperava isso de você, Caufield. – Victória estava com uma das mãos no rosto rindo ironicamente – Tão preservada, que esquece a porta aberta! – deitei-me na cama, sorrindo e soltando uns suspiros.

- Eu duvido que você lembraria da porta, Chase! – a garota deitou ao meu lado e soltou uma risada e chamou a Kate para se juntar a nós. – Quem diria, a princesa visitando a plebe! – Kate abraçava a mim e a Victória. – Espera, deixa só eu mandar uma mensagem aqui, eu já volto para o abraço comunitário! – Eu sempre pedia para que a Chloe me mandasse uma mensagem quando chegasse em casa, dessa vez não foi diferente, peguei meu celular na cômoda.

[13/03 22:00] Maxine: Quando chegar em casa me avisa! ;)

[13/03 22:01] Capitã Chloe: Nem saí do campus ainda, mas aviso sim!

PS: SEM EMOJI!

Eu voltei correndo para o abraço das meninas. Passamos a noite assistindo um filme de terror nada convencional, de péssima qualidade, e acabamos rindo bastante. Chequei o meu celular e já havia passado da meia noite. Até então, nenhuma mensagem da Chloe.

- Que estranho... – eu enviei outra mensagem para ela e não obtive nenhuma resposta – Meninas, qual a probabilidade da Chloe estar em um bar essa noite? – Victória gargalhou, então me olhou com uma expressão sarcástica, eu deixei o celular em cima da cômoda e me virei para elas.

Eu acho que era coisa da minha cabeça, a Chloe sempre fazia tudo sem avisar a ninguém. Não tinha com o que eu me preocupar.

- Você está bem Max? – a pergunta foi sincronizada com a vibração do meu celular, quando eu fui verificar, não era a Chloe.

[14/03 01:00] Joyce: Boa noite Max! A Chloe vai passar a noite com você?

Ela esquece que a mãe dela se preocupa também.

[14/03 01:02] Maxine: Boa Noite Joyce! Na realidade ela saiu daqui umas 21:00, me respondeu e depois não falou mais nada.

Vou tentar ligar para ela! Já mando notícias.

Disquei umas 8 vezes para o número da Chloe e não fui atendida, eu agora estava realmente preocupada.

- A Chloe não foi para casa ainda, nem atende as ligações – As garotas ergueram as sobrancelhas de forma semelhante e logo pegaram os aparelhos e tentaram discar para o número da Chloe incessantemente.

– Eu estou preocupada, será que ela está com a Rachel? – Chase se levantou e discou um número, depositou o celular na orelha e aguardou alguns segundos.

- Se ela estiver, eu vou dar uma só na cara dela! – ela cruzou os braços e a chamada foi atendida.

- Alô, Rachel? – Agora ela havia ligado o viva voz para que pudéssemos escutar também – Price está com você? – eu estava andando de um lado para o outro do quarto, Kate estava segurando as duas mãos aguardando a resposta da Rach.

- Não, eu não a vi o dia todo! – Não era o que queríamos ouvir, eu preferia que ela estivesse com a Rachel, do que não saber onde poderia estar.  – Já tentaram ligar para ela? – Eu concordei e a Victória desligou o telefone, dizendo que avisaria se soubesse de algo.

Eu estava ficando angustiada com a falta de informação, eu tentei insistentemente ligar outras vezes para a Chloe, mas agora seu celular caía direto na caixa postal.

P.O.V Chloe Price

Eu estava frustrada com o que havia acontecido, a noite estava fria e eu caminhava pelo campus de Blackwell em direção ao meu carro. No caminho eu encontrei com o Justin, ele me deu um cigarro e nos sentamos de frente para a fonte.

- Tudo bem, punk? – eu traguei o cigarro e balancei a cabeça, me mantendo em silêncio – Não parece estar muito feliz! – senti um soco no meu braço esquerdo e soltei um sorriso.

— Você já sentiu uma angústia terrível, como um pressentimento, de que algo ruim fosse acontecer? – Como era de se esperar, Justin negou com a cabeça e olhou para o céu – Pois é, eu estou sentindo isso. – Meu celular vibrou no bolso da jaqueta, eu desbloqueei a tela e era uma mensagem da Max, me pedindo para avisá-la quando eu chegasse em casa, eu respondi e guardei o celular de volta no bolso.

- Bem, eu vou indo! Até amanhã Justin! – Joguei o que restava do cigarro no chão e apertei com a ponta do pé, voltei a caminhar pelo campus e cortei caminho pela lateral esquerda. O cheiro de terra molhada pairando no ar e o tempo sereno eram agradáveis. Ouvi alguns barulhos por entre as árvores e, instantes depois, senti um baque contra a minha cabeça. Caí no chão e recebi outra pancada no mesmo local. Minha visão foi escurecendo-se e passei a não sentir mais nada

P.O.V Rachel Amber

- Tudo bem, me avisem se souberem de algo, eu vou tentar contato com ela também! – desliguei o celular e tentei discar para o número da Chloe, sem sucesso. – Vamos, atende! – tentei outras inúmeras vezes, mas o celular dela parecia estar desligado.

- Aconteceu algo Rachel? – Frank aproximou-se e colocou suas mãos nos meus ombros. Eu estava com as mãos no meu rosto, e meu coração batia de maneira acelerada por conta da minha tensão — Acalme-se, esse nervosismo não irá ajudá-la. Me conte, o que aconteceu? – Agora ele havia sentado na minha frente e me encarava.

— As garotas, amigas da Chloe, ligaram dizendo-me que ela sumiu. – Bowers respirou fundo e disse algo que eu não consegui ouvir com clareza – Eu tentei telefonar, mas aparentemente o celular está desligado. – Eu empurrei meu celular para frente e permaneci encarando-o.

- Acho que temos um problema, Amber – eu não entendi exatamente o que o Frank queria dizer, mas eu estava preocupada com a sua expressão — Se ela realmente desapareceu assim, do nada, eu iria me preocupar. Afinal ela estava jurada de morte pelos Prescott, não estava? – minhas mãos se fecharam com força e eu levantei da cadeira abruptamente.

 - Temos que encontrá-la Frank! – ele me segurou pelo braço e me fez retornar – O que foi?

- Você não sabe nem por onde começar Rachel! – minha respiração pausou e então eu abaixei o olhar para o meu celular novamente. – Eles não iriam fazer o trabalho sujo, eles contratariam alguém para isso, como fizeram comigo! Se acalme.

- Vou ligar para as garotas, acho que iremos precisar delas – ele concordou, o que significava que realmente seria melhor se estivéssemos em maior número. Eu tomei meu celular e liguei para elas. – Victória? 


Notas Finais


Bem é isto.
Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...