História Helô e Stênio Para Sempre 8 - Capítulo 123


Escrita por:


Capítulo 123 - Capítulo 123


Fanfic / Fanfiction Helô e Stênio Para Sempre 8 - Capítulo 123 - Capítulo 123

Depois de um dia cansativo, Helô decide dedicar um tempo a dar todo seu amor e carinho ao marido. Quando Miguel faz birra para dormir com Creusa, ela não insiste e não briga com o pequeno, concorda e acaba deixando. Enquanto Stênio parece distraído com o jornal na TV, ela vai para banho e quando sai, capricha na escolha da camisola, hidrata e perfuma o corpo antes de engatinha por cima dele na cama.
– Que cheirosa. – ele a elogia.
– Usei aquela loção que você me deu, meu querido.
– Fica ainda mais gostosa na sua pele.
– Você acha mesmo, Stênio? – pergunta, encarando-o no fundo dos olhos.
– Acho sim. – ele confirma de forma tão segura e natural.
Helô sorrir, esperançosa que todo e qualquer trauma já houvesse ido embora. Mas, a delegada lembra das palavras da amiga ao afirma que a mente confusa dele aparecia e desaparecia na mesma velocidade.
– Que foi, amor? Você ficou pensativa de repente.
– Estava pensando em como você foi forte e incrível na coletiva hoje. Mesmo com todos aqueles repórteres disparando flashs e perguntas, tudo ao mesmo tempo.
– Foi cansativo. – o advogado admite.
– Quer uma massagem para compensar, meu queridinho?
– Na verdade, estava pensando em outra coisa.
– Fala, fala no que você estava pensando? – a chefe de polícia o questiona com um sorriso no rosto.
– É que... estou com sono, Helô. A Creusa me deu o remédio de dormir e agora estou sentindo a cabeça pesar.
– Claro, você quer dormir. Tudo bem... Vamos dormir sim, o dia foi de feijoada. – ela diz, desanimada.
– Amanhã prometi levar o Miguel na piscina lá na casa da Drica.
–Stênio, você fica prometendo tudo para o Miguel. Amanhã eu não posso.
– Eu sei que amanhã você precisa ir para a PF, mas posso ir sozinho com nosso filho.
– Tem razão. Vocês vão sozinhos. – ela confirma escondendo o incômodo.
– Posso apagar a luz?
– Claro que sim, Stênio. Boa noite!
– Helô, não esquece que te amo.
– Também te amo. – ela fala, fica em silêncio por alguns instantes e depois gira na cama e chama o marido que estava de costas – Stênio?
– Oi amor.
– Stênio, eu te amo de verdade. Sou capaz de qualquer coisa pra te ver feliz.
– Eu sei que sim, Helô.
– Sabe mesmo?
– Sei! Sei e sou muito grato por você existir na minha vida, Doutora. Eu amo você de verdade.
– Posso pedir uma coisa?
– Helô, você pode pedir o que você quiser.
– Me abraça, me abraça forte. – esgotada emocionalmente por não conseguir encontrar o marido de antes no homem a sua frente, a chefe de polícia acaba desabando em um choro triste.
– Helô, que foi? Amor... não chora não, está tudo bem.
– Stênio, volta pra mim.
– Estou aqui, Helô. Não fica assim, eu não preciso voltar porque continuo aqui amor... o que você está sentindo? Por que está chorando? – O advogado preocupa-se, confuso com aquele choro da esposa. Apertando a amada em seus braços, ele a conforta por longos minutos.
– Eu tenho medo, Stênio. Eu tenho tanto medo. Medo de te perder... Medo que você... Você nunca mais me ame como antes.


Notas Finais


Nenhum dos dois está bem, pegarei dos comentários como resolver esse dilema. Façam suas sugestões 😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...