História Help me doctor, please - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2NE1, Bangtan Boys (BTS), Big Bang
Personagens Cl, G-Dragon, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook
Visualizações 126
Palavras 1.263
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLHA QUEM VOLTOU NA CARA DURA DEPOIS DE MUITO TEMPO!!!
É pois é, eu sei que demorei muito tempo pra atualizar.
Eu não esqueçi a fic no churrasco, ok? Demorei porque eu gosto de estudar para escrever, ouço músicas que me ajudam, assisto filmes... Assim eu tenho mais inspiração.
Fiquem com esse capítulo xuxus 💕

Capítulo 11 - Ten


"As vezes sua aproximação me assusta, a forma como sorri me assusta, o calor que sinto quando me toca me assusta, me assusta te amar mais do que a mim mesmo"

Autor desconhecido


Ele me conduziu até entrarmos em um prédio, comprimentou o porteiro com um aceno este que foi retribuído. Tomou frente e foi em direção ao elevador, o segui em silêncio enquanto eu observava tudo a minha volta. Gosto de saber características de cada pessoa, fazer um perfil delas. Comecei com esse hobby depois de me tornar só, observar faz com que eu mantenha uma certa distância das pessoas, não é ruim mas também não é satisfatório. 


De alguma forma me sinto protegido o fazendo. Adentramos o elevador e o vi apertar o décimo sexto andar. Olhei de soslaio para o espelho presente ali e pude avistar sua feição tranquila mas atenta. Suas sobrancelhas levemente juntas indicavam a seriedade de seus pensamentos. O que está pensando agora Jungkook? Em quem pensa? É bom? 


Se me perguntasse no que eu penso agora a resposta seria óbvia, estou pensando em você, em como me vê. Você me vê como os outros? Pensa em mim? Se preocupa com o que eu penso o mesmo tanto em que me preocupo com o que você pensa? Porque sim, eu o deixei entrar em minha vida, mesmo com a minha incessavel negação. Hoje você é uma das únicas pessoas em que me preocupo em deixar, o único que quis entender o que eu sou, mesmo que a dor que eu sinto em explicar seja imensa, eu tento o dizer para você. 


Acho que me tornei um masoquista por isso, pois quanto mais você pergunta sem se importar com o peso de suas questões mais eu quero lhe dizer.


O elevador parou e suas portas abriram, o segui até o apartamento 161. É engraçado como até os dígitos são parecidos com ele, tudo que o envolve se torna marcado. Abriu a porta e me deu passagem. Era tudo impecávelmente arrumado, tudo no seu devido lugar, almofadas alinhadas, tapete limpo o que me fez questionar se ele usava o tapete. 


Sei que nem todos os homens são bagunceiros mas tudo estava em perfeita ordem. Será que havia alguém que deixava tudo assim para ele? Uma namorada? 


Porque convenhamos, Jungkook não é qualquer um. Inteligente, simpático, doce, cativante e bonito; muito bonito. 


Tomei a liberdade de me sentar no sofá o ouvir rir e sorri por isso. Se sentou ao meu lado e eu sabia muito bem o que ele queria e eu não iria o negar, nunca neguei.


JK- Jimin - sua voz saiu suave, cuidadosa e doce. Não fale assim com que faça eu querer lhe dar tudo de mim. Não abra portas que você sabe que não vai poder fechar. Mas ele continuou como um furacão destruindo tudo, furacão Jungkook.- Vamos começar novamente, quantas vezes algo parecido com o que aconteceu hoje aconteceram com você? 


O olhei nos seus olhos castanhos escuros, profundos, eu poderia me perder neles. Guardei meu orgulho a sete chaves em meu peito, tentei apenas responder mas antes que dissesse algo memoriais de Kwan se fizeram presentes. Meu coração se apertou, fechei os punhos levemente e me preparei.


- Várias, todos os dias, no mesmo horário, com as mesmas pessoas, sempre. 


JK- Sabe que pode procurar ajuda, certo?- sorri negando, eu não podia, não mais - me diga nomes, é um assunto sério. Se... - me olhou sério- As marcas também? - O olhei e ele já tinha sua resposta- Batem em você? Jimin!- se alterou- Não podemos deixar isso assim, nós temos que tomar providências. 


- Não, não temos, "nós" não vamos fazer nada. É assim porque sou diferente, um fato, sem mais.


JK- Diferente? - me olhou e eu em momento algum deixei de olhar em seus olhos- No que você é diferente? 


- Eu? Jungkook... - Estava me expondo a uma pessoa, e fazer isso para pessoas que você conhece é doloroso. - Não pergunte... Por favor. - senti minha garganta se fechar e minha voz falhar, quanto mais eu iria aguentar sem desabar e me mostrar fraco? 


JK- ele segurou minha mão e a apertou, senti uma batida cardíaca passar por mim, de quem é esse coração? O seu está batendo tão rápido como o meu agora? O que está sentindo? Porque sempre sou eu que digo? Você sabe coisas demais sobre mim mas o que eu sei sobre você doutor?- Me desculpe mas vou insistir, me diz como se sente Jimin- e lá estava o estopim.


- Dói, você sabe que dói, dói muito, todo momento. Me sinto sujo por todas as partes que eles tocaram. Essa sujeira não sai, por mais do que eu esfregue ela continua ali me lembrando o quanto sou corrompido por eles. Eu queria ser como antes - mordi os lábios e apertei mais sua mão- Aquele Park Jimin idiota que achava que aqueles eram seus amigos, que não estavam comigo por interesse. Queria não ter ido aquela festa - senti lágrimas caírem- Queria não ter me tornado um motivo de chacota. Como faz pra isso parar de arder, de doer a todo momento? - supliquei a ele que apenas me respondeu com um olhar de pena, eu não quero seu dó Jungkook, eu quero uma solução. Mas eu tinha uma, essa de que sempre fujo por ser fraco. - Mas - limpei as lágrimas- Todos nós sabemos o melhor pra mim - sorri com meu sorriso de porcelana, do qual eu tanto treinei- Está tudo bem. 


JK- Jimin não está. - sua voz estava amargurada.


- Está sim, está tudo bem. Não se preocupe comigo. É tudo bobagem minha, eu vou ficar bem. - Era também um auto convencimento. Queria fielmente acreditar nisso. Sua feição ficou séria. 


JK- Nunca mais diga coisas assim! Não minta pra si mesmo! Não use frases feitas que ninguém realmente acredita! Você não está bem! - Sim! Você sabe Jungkook, sabe a verdade sobre mim, eu nunca estou realmente bem. Mas e daí? Todos no fundo sabem, mas ninguém quer mudar isso pois tem seus próprios problemas. - Você vai melhorar, vou ajudá-lo nisso, juntos você- o cortei.


- O quanto do que está dizendo realmente acredita? - me olhou assustado- Melhora? Eu não acredito nela. - ele ficou em silêncio por vários minutos. Aquele silêncio que machuca mais do que palavras.


JK- Acredito no que eu disse e acredito também que você vai ficar realmente bem, alegre e vai poder seguir sua vida.- Eu queria acreditar nele, estaria certo quanto a isso? 


Por um tempo nenhum de nós dois disse nada, apenas mantivemos nossos olhos uns no do outro, nos encarando. Eu procurava a verdade nos dele e ele procurava falhas nos meus. Nós dois agarrados em uma esperança que talvez seja falha por ela mesma.


Depois de um tempo insisti para que o mesmo me levasse para casa. Ele negou afirmando não haver ninguém lá, eu não ligava para ninguém lá. O vazio se tornou meu amigo.  


E bem, aqui estou eu no meu quarto encarando a caixinha branca que me ajudou por muito tempo. Eu estou confiando em seus argumentos sem fundamento Jungkook, por favor não volte atrás pois o caminho que eu escolhi não há volta. E assim eu guardei a caixa na parte superior do meu guarda-roupa querendo nunca mais precisar delas. 


Mas a razão ainda batia a minha porta, eu iria precisar delas quando Jungkook falhasse ou me abandona-se. E ela também dizia que talvez eu não voltasse a me levantar dessa queda. 


Te suplico em silêncio, me ajude doutor, por favor.






Continua...


Notas Finais


Quem também quer que o nosso Mochi melhore?
Jungkook não vacila por favor
Capítulo bem bosta mas necessário 😐
É isso aí xuxus até o próximo capítulo 🌈💞💖😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...