História Helpless Rabbit - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Dimitry, Kentin, Leigh, Lysandre, Nathaniel, Personagens Originais, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya
Tags Amor, Beijos, Castiel, Comedia, Drama, Professora, Romance
Visualizações 65
Palavras 941
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá galerinha, espero que estejam ansiosos por este inédito capítulo.
Espero que as pessoas cardíacas estejam preparadas.
Sem mais delongas, boa leitura.

Capítulo 12 - Thanks Alícia.


Fanfic / Fanfiction Helpless Rabbit - Capítulo 12 - Thanks Alícia.

- Chegamos! - Castiel disse enquanto desligava o motor da moto.

Lentamente fui abrindo meus olhos, já que passei a viagem toda, com eles fechados. Sentindo apenas a emoção do momento .

A moto estava parada em bar night da cidade, e não no apartamento que ele havia me fala que me levaria .

-Isso não é minha casa. - Eu disse, enquanto tentava chamar sua atenção.

- É óbvio que não é sua casa, vamos comer! Ande.- ele adentrou no local me deixando para trás.

Então apenas o segui.

O local era totalmente armador, mais passava uma sensação de conforto e aconchego.

-Fala aí Castiel, quanto tempo cara!

Uns dos barmen , comprimentou o ruivo enquanto ele seguia, em direção a umas das mesas perto do palco e sentou esperando que eu o acompanhasse.

- Não vou me sentar com você. Passar bem.

Disse rudemente e caminhei de volta o caminho que eu havia adentrado.

Coloquei no celular o Google maps e percebi que não estava, tão distante do apartamento e então caminhei sentindo ao local.

(...)

Terminei o meu banho e coloquei meu pijama.

A chave do meu carro estava em cima da mesa. Junto com as compras que eu havia feito com Rosalya.

Porém a imagem de Castiel não queria escapar dos meus pensamentos. Porque ele havia me levado para aquele lugar? Será que ele ainda está lá?

O ponteiro do relógio indica que já passava das 3:00 da manhã. Minha única preocupação era a imagem de Castiel que não saia da minha mente.

Tomei coragem e fui tocar a campanha de sua casa, porém não obtive retorno.

A porta estava entre aberta, e então eu adentrei no local.

As luzes estavam todas apagadas, e seu apartamento era extremamente organizado e com uma ótima decoração.

Fiquei olhando o local até que encontrei um vão entre aberto, da porta de seu quarto. Minha curiosidade, bateu mais alto e então entrei em seu quarto.

Acendi a luz e então, pude ter um acesso melhor ao local.

-Curiosa você, dona Alícia.

A voz de Lys, me assustou e então olhei em direção a porta, onde o mesmo carregava Castiel, totalmente bêbado.

- O que aconteceu?

Perguntei, indo em sua direção e colocando um dos braços de Castiel sobre meus ombros.

- Nem eu mesmo sei, só sei que Stive me ligou, falando que Castiel havia brigado com alguma mulher e encheu a cara.

Juntamente com Lys, jogamos Castiel na cama, e o ruivo argumentou um "vai se ferrar" fazendo eu rir.

- Estou pensando em passar a noite aqui. fazia tempo que não via Castiel desta maneira.

O platinado me falo, indo em direção a poltrona em sua frente.

- Eu fico!

Minha resposta foi rápida e repentina, nem mesmo eu, consegui assimilar essa oferta minha.

- Você tem certeza? Eu não me importo de ficar aqui Alí, eu e esse mané somos amigos de infância praticamente.- Lys sorriu, e caminhou em minha direção.

-Absoluta, aliás somos vizinhos e não vejo problema nisso. Eu deveria me acostumar com a presença dele. -Brinquei.

- Nesse caso, eu me preocuparia. -Lys disfarçou seu olhar, e seu rosto automática ficou corado.

- Não á o que se preocupar, já sou bem crescida e sou mais velha que você! Deveria ser ao contrário não é mesmo?

Disse, enquanto o acompanhava ate a porta

- Eu quero cuidar de você Alí, não aceito a forma de como te trataram no passado. Foi horrível. Eu admiro você, meu irmão sempre falava de você e ...eu quero cuidar de ti.

Suas palavras soaram muito sinceras, e seu rosto super sério, me transmitia segurança.

- Não precisamos disso, sou automáticamente sua coordenadora.

Lus, saiu pela porta e seu olhar mostrava muito mistério.

- Se aquele babaca, tentar algo com você, não hesite em me ligar. Qualquer coisa me ligue.- ele se despediu de mim com um beijo no rosto e foi embora.

Adentrei novamente no recinto, daquele lobo maldito e fui em direção ao seu quarto, onde o mesmo estava jogado.

Seu rosto estava totalmente em paz com aquela compostura bad boy dele.

- Você realmente só me deixa trabalho ruivinho.

O celular de Castiel, começou a tocar loucamente fazendo eu procurar da onde vinha o som.

Estava na blusa de sua jaqueta, e o número desconhecido insistiam em tocar.

Então peguei e atendi.

- Alô?

-Gatinho?

Aquela palavra eu conhecia de cor e salteado, era a piranha da Debrah.

-No momento ele não se encontra querida, mais com o maior prazer deixo seu recado!-soltei a frase sem mesmo antes prensar.

-Quer está na linha? Cadê o meu gatinho?

-Olha meu anjo, estamos muito ocupados, quem sabe quando estivermos disponível ele entra em contato, agradecida e tenha uma ótima madrugada.

Desliguei o celular. E automáticamente minha mão tremia, não acredito no que acabei de fazer.

- Obrigado.

A palavra quase inaudível surgiu entre os lábios de Castiel.

Fiquei o fitando mas o mesmo já estava longe, um sorriso brotou em meus lábios, é uma sensação boa começou a me percorrer.

Mesmo após a ligação, parecia que aquilo não era nada enquanto Castiel estivesse ali comigo.

(...)

Já estava amanhecendo e pela janela do quarto dele podia enxerga aquele sol se formando e surgindo entre a meia escuridão.

Passei a noite lendo um livro. Enquanto observava o Sr.Lobo desgraçado dormir tranquilamente.

- Quer dor de cabeça.

A voz de Castiel surgiu naquele quarto, fazendo eu retirar os olhos do livro.

- Finalmente. Bom dia, bela adormecida! -brinquei enquanto fechava o livro é o lançava em alguma parte do quarto dele. Já que foi dali que retirei.

- Cala boca Alícia.

Ele soltou com seu mal humor de sempre, fazendo eu rir com sua atitude.

- Coloquei o remédio do lado da sua cama.Vejo que já está bem, então posso ir.

Levantei indo em direção ao meu apartamento, e com um pulo da cama, o ruivo me segurou pelo braço.

- Te devo essa.

Ele disse, e logo em seguida me puxou para grudar nossos lábios.


Notas Finais


Então pessoas, o que vocês acharam deste capitulo?
Favor me informem o que vocês sentiram nesse capítulo, estou ansiosa para ver as reações de vocês.
Não esqueçam de favoritar lá em cima e comentar aqui em baixo.
Beijinhos de luz para todos, e até o próximo capítulo meus anjos👼.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...