História Hemlock Groove - Bennoda - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Avenged Sevenfold, Good Charlotte, Linkin Park, Rammstein, Supernatural
Personagens Benji Madden, Billy Martin, Bobby Singer, Brad Delson, Castiel, Chester Bennington, Christian "Flake" Lorenz, Christoph "Doom" Schneider, Crowley, Dave Farrell, Dean Winchester, Joe Hahn, Joel Madden, Johnny Christ, M. Shadows, Mike Shinoda, Oliver "Ollie" Riedel, Paul Landers, Paul Thomas, Personagens Originais, Richard Z. Kruspe, Rob Bourdon, Rowena MacLeod, Sam Winchester, Synyster Gates, The Rev, Till Lindemann, Zacky Vengeance
Tags A7x, Avenged Sevenfold, Bennoda, Good Charlotte
Visualizações 15
Palavras 3.798
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, LGBT, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ola meus amores depois de tempos sem postar capitulo dessa fic, cá estou eu de novo postando e hoje lhes trago personagens novos. Espero que gostem e boa leitura a todos. 🤗

Capítulo 17 - Anjo e Caçador Perdidos


Fanfic / Fanfiction Hemlock Groove - Bennoda - Capítulo 17 - Anjo e Caçador Perdidos

KLEUDA P.O.V

Era um dia ensolarado e eu penteava os cabelos de Chester que ainda se encontrava em coma. Ele estava dormindo profundamente e eu penteava seus lindos cabelos negros. Eu o olhei com cara de mãe coruja enquanto ele não podia ver que sim eu me importava e o amava muito. Ajeito o travesseiro em sua cabeça e depois arrumo as meias em seus pés. Sei que devido a nossa natureza ele não sentia frio mais devido ao costume eu sempre fazia isso.

-Flores são para funerais – digo arrancando umas flores que Talinda havia trazido e jogo no lixo. Pego o presente que Mike trouxe e levo ate Chester. Sei que esse presente seria algo bom e poderia trazer meu amado filho de volta dos sonhos. – Isso é do Mike Chester, ele trouxe para você. Eu não preciso de amigos e mesmo assim diante das dificuldades, grandes queixas se tornam tão...pequenas.

Me aproximo de sua cama se sentando na ponta e pego em suas mãos quase frias e as acaricio devagar enquanto ele ainda não me vê mais acho que consegue me ouvir. Começo a cantar uma canção de ninar para ele e com a ajuda de uma esponja e agua começo a lavar seu corpo, afinal Chester sempre gostou muito de estar sempre limpo e cheiroso.

Consigo sentir a tristeza de Dheia que estava sentada na escada me ouvindo cantar ao seu irmão e sei que ela também sofre com essa situação. Depois que acabo de lavar o corpo de Chester eu me sento numa poltrona ali em frente e pego um livro para ler.

 

 

MIKE P.O.V

- Me conta uma historia sobre ser cigano – Talinda dizia deitada no meu sofá já que agora ela não saia mais do meu trailer e Hyna minha mãe se incomodava com aquilo. Ela não queria provocar a ira de Chester quando este acordasse do coma e sinceramente eu também não, mais não havia nada que eu pudesse fazer agora.

-Vocês sabem que eu sou meio japonês, não é? – pergunto deitado no outro sofá enquanto coçava meus olhos.

-Nós sabemos, mais ninguém liga pra isso Mike – Talinda responde e no fundo me sinto ofendido pois quem ama de verdade que nem ela dizia me amar se importa de onde a pessoa amada vem. Somente Chester se importava se onde eu tinha vindo.

-Uma vez Muto pegou um anjo – falo para ela tentando explicar.

- O que quer dizer com um anjo? – Nossa essa garota é mesmo muito burra.

-Quis dizer um anjo de verdade o que mais poderia ser? – falo olhando como se ela fosse idiota. – Eu estava na casa dele uma noite, era verão então estava um calor do crlo. Devia ser umas 8 ou 9 horas da noite e ele disse “Você quer ver uma coisa?” Então ele desligou todas as luzes e me deu um pote de vidro muito bonito com uma luzinha dentro e muito brilhante e branca. Eu disse para ele “Muto isso é só um vagalume” foi então que Castiel o anjo gritou de lá de dentro do pote.

 “Não sou um vagalume, seu idiota eu sou um anjo do senhor” Eu me assustei e quase joguei o pote longe. Muto respondeu “Não, Mike olhe mais de perto” e falando sério, tinha uma pessoa pequena dentro do pote mais Muto me disse que aquela não era a forma correta do anjo Castiel e ele procurava seu amante humano Dean e o irmão dele Sammy que era caçadores. Na época eu não dei muita importância para isso e achava que era brincadeira mais não era. Castiel era menor do que uma unha do polegar e suas asas eram meio brancas e meio negras como se ele tivesse caído do céu na terra por algum pecado cometido. Eu falei para Muto “Caramba onde você encontrou ele”. E tudo o que ele disse foi. “Ele estava voando na varanda a procura de Dean Winchester”

- Ele deve ter se perdido – disse Talinda e nisso eu tive que concordar com ela.

-É deve ser isso, primeiro Muto tentou pegar Castiel com as mãos, mais acho que ele mordeu Muto, por que o anjo ficava gritando que somente Dean seu amor humano poderia toca-lo.

-Anjos mordem, achava que eles eram bondosos – Talinda diz seria.

-Ah você não faz ideia, eles são mais malvados do que aparentam hehe – digo rindo.

-E o que vocês fizeram com ele?

- Ficamos com ele um tempo, mais ele logo achou o caçador Sammy irmão de Dean e foi embora ao encontro dele.

-O que ele comia? – Serio mesmo que essa garota quer saber disso? Mais enfim vamos lá.

-Ele comia comidas humanas, já que sua casca Jimmy Novak era totalmente humana – digo mais ela não pareceu se importar muito com isso.

-Anjos que são do senhor não deveriam comer comidas mundanas – Talinda responde como se soubesse de alguma coisa e isso me intriga. Logo percebo que era somente uma dedução dela.

 

BYANCA P.O.V

Eu lavava meu rosto com a agua da torneira da cozinha enquanto fazia meu café da manhã. Eram exatamente 8:45 da manhã e eu já estava atrasada como sempre. Lavo o rosto e termino o café e fico ali olhando a agua caindo da torneira como se aquilo fosse a minha vida passando de diante de mim em câmera lenta demais. Olho atrás de mim na parede imagens de Mike Shinoda e Chester Bennington, eles faziam um casal bonito se não houvesse nada de errado com eles.

pessoas mortas sempre os cercavam e eu não sabia mais o que fazer para evitar que mais pessoas morressem. Dou um tapa no meu rosto saindo de meus devaneios e sigo ate o quarto colocando minha habitual roupa de trabalho. Camisa escura e calças jeans pretas e meu coturno feminino preto. Pego meu material e fico ali ainda a observar as imagens.

Vou ate a sala e escuto o casal pervertido do andar de cima a fazer sexo e eu conseguia escutar tudo com perfeição. Eles transavam que nem animais e aquilo me incomodava por que fazia tempos que eu não transava. Pego a arma que tinha na minha cabeceira de cama e senta na mesma olhando o teto do hotel onde eu estava hospedada.

-Esvazie a mente – eu dizia para mim mesma enquanto pegava debaixo da cama uma maleta com balas de revolver. Aliso a cama e abro o estojo com as balas – Faça o que Rob disse, esvazie a mente, esvazie a mente.

Meu celular toca e eu a todo custo o tiro debaixo do travesseiro e atendo a chamada e logo vejo que era Sammy um dos caçadores responsáveis pela missão que eu tinha ali em Agoura Hills.

-Mais que saco essa sintonia entre caçadores, que SACO – Grito tirando a bateria e a tampa do celular e logo o jogando de lado. Não estava afim de ouvir de novo sobre a perda de tempo que era a procura por Dean que Sammy queria achar a todo custo junto de Castiel nosso supervisor e anjo.

 

BYANCA FLASHBACK ON  

Sou jogada numa cela para mulheres do exercito por guardas e ali eu permaneço sozinha ate que vejo uma mulher gravida sentada no banquinho que tinha dentro da cela. Seu nome era Rowena e ela estava de 5 meses. Logo percebo que ela era uma bruxa e minha missão era matá-la.

-Deus não quer que a gente seja feliz, ele quer que a gente seja forte – Rowena fala dentro da cela e eu chego mais peto dela.

Depois me lembro de mim com uma barra de ferro nas mais atacando Rowena para mata-la enquanto ela gritava desesperada e morria aos poucos. Eu a esfaqueava com a barra de ferro enquanto seu sangue espirrava na minha cara e nas minhas roupas. Tiro seu cordão do pescoço que continha a imagem de nossa senhora e coloco no meu próprio.

-Bem-vinda a ordem do dragão Dra. Byanca – eu ouço a voz de Rob que era comandado pelos caçadores Dean e Sammy.

FLASHBACK OFF

Fico ali a alisar a correntinha de Rowena depois de 15 anos e fico a apensar no absurdo e crueldade que eu havia cometido com aquela bruxa. Mais na verdade ela não era tão santa assim já que havia matado mais da metade dos caçadores daquela organização.

Me levanto da ama com uma garrafa de Jack Daniels na mão e vou ate o painel de fotos e coloco minhas mãos na parede onde continha uma imagem de Mike Shinoda sorrindo para Chester.

-É você, tenho certeza de que é você Mike – digo olhando a foto e a arranco da parede olhando mais de perto.

 

FLASHBACK ON

- Espera suas mãos – disse Castiel o líder da organização depois de finalmente aparecer ali. Ele as olha por um tempo e logo me ajuda a mergulha-las em agua benta. Eu lavo minhas mãos ali e ele me olhava orgulhoso de seu trabalho. Ele fez uma oração em henoquiano língua dos anjos e eu o olhava intrigada mais logo ele sorri para mim.

 

Depois disso eu me vejo na casa de Mike conversando com ele e sua mãe Hyna...

-Você por acaso anda na pele de um logo Mike – Eu pergunto a ele que depois de um pigarro alto responde.

-Não senhora, não sei do que está falando – Mike responde aflito mais pareceu estar escondendo algo. Ignoro isso e vou embora dali o mais rápido possível. Eu sabia que Mike Shinoda era um lobo, mais decidi que o deixaria viver por puro capricho meu.

-Ah besta é o diabo na terra em forma de um ser celestial – informava Castiel ao lado de Dean seu amante humano e caçador e de seu irmão Sammy. – Ele vai adiante dizendo ser Deus. Mais você Byanca deve destruí-lo.

 

FLASHBACK OFF

Eu bebia quase uma garrafa inteira de Jack Daniels ajoelhada no chão da sala daquele hotel barato onde eu estava hospedada.

-Permita que Deus seja o seu guia – eu me lembrava das palavras de Rob depois daquela cerimonia absurda da qual eu fui submetida. – A partir desse dia permita que ele seja o único que você respeita. Que você derrote os inimigos de Deus e os arranque da terra em seu nome – Rob dizia e eu me agarrava a corrente de Rowena enquanto lembrava daquelas coisas.

-Tem que ser ele, então por que eu não acredito – falo olhando todas as imagens na minha mesa de trabalho. Todos aqueles corpos...ate que vejo uma foto de Mike com sua prima – Quem é você, o que você é Mike Shinoda.

 

 

ANNA P.O.V

Eu acordo assustada depois de um sonho bizarro e quando abro os olhos vejo Jimmy ou Rev como queiram o chamar. Ele estava em pé na minha cama me olhando com olhos de superioridade.

-Você vai perder sua alma – dizia ele sorrindo com a cabeça tombada para um dos lados.

-AHHHHHHHHHHHH – eu acordo em pânico no manicômio e vejo que eu me encontrava sozinha ali.

-Vista legal sua doidinha – entram no quarto Lila e Lily filhas de Vitor. – Você esta bem Anna?

-Sim estou, estou bem sim não se preocupem – digo abraçando meus joelhos na cama. – Acabei de acordar.

-É ta bom, nos trouxemos alguns DVDS para você assistir – Lila diz colocando uma sacola em cima da minha cama. – Ou pode fazer o que quiser.

-É você não gosta de palavras cruzadas, eu posso colocar o aplicativo no seu telefone – elas me olham com medo e logo Lili tem quase um ataque de pânico estando comigo ali.

-Ah você está vendo alguma coisa – Lila diz olhando a tv desligada para onde eu olhava fixamente.

-Não eu não to vendo nada – digo e elas me olham assustadas. – É, o que vocês quiserem fazer eu faço.

-Lili não chora por favor – Lila fala olhando a gêmea chorando por minha causa.

-Me desculpe – Lili fala olhando agora para mim – Me desculpa. Você sabe que é nossa melhor amiga, não é?

-Eu vou ficar bem-digo mais realmente não sabia que se aquilo era mesmo verdade ou não. – Vou ficar bem não se preocupem comigo.

Lili me abraça apertando enquanto Lila vem do outro lado e me abraça também. Eu não sabia o que estava acontecendo comigo mais o apoio e a compreensão delas era tudo o que eu precisava naquele momento.

 

VITOR P.O.V

Tiro a foto do namorado de Anna da pasta criminal e fico ali a olhar o que Anna fez com aquele garoto.

-Jesus – digo olhando o rosto do garoto todo mutilado pelas unhas grandes de Anna.

Logo vejo minhas filhas Lila e Lili virem do quarto de Anna e as abraço apertado.

-Oi, como ela está? – digo sendo sincero já que me preocupava com Anna.

-Eu odeio esse lugar pai – Lila diz sendo meio seca e Lili concorda. – É a Anna odeia também. Ela disse que estava se sentindo melhor. E realmente quer ficar com a gente pai.

-Ela realmente disse isso? – Pergunto meio desconfiado mais ignoro.

-Ela não precisou falar pai, sentimos no olhar dela isso. – Lila diz.

-Sim amigas sempre sabem o que outras amigas estão pensando – Lili Diz.

-Ela passou por muita coisa ultimamente. Sei que hospitais não são divertidos mais o doutor Bennington acha que ela tem que ficar mais um pouco e eu tenho que confiar nele. Ela sabe que vocês duas amam muito ela como uma irmã. É disso que ela precisa agora, esta bom? – digo para as gemas que me olham com magoa mais não posso fazer nada agora. – Ok vamos para casa.

Saímos do hospício e fomos direto para nossa casa descansar daquele dia cheio de emoções. 

 

 

KLEUDA P.O.V

-Eu estava com Synyster no meio de minhas pernas enquanto ele me chupava gostoso. Minha buceta se enchia de liquido toda a vez que ele chegava perto de mim ou me fazia caricias mais ousadas. Estávamos na frente da lareira acessa enquanto ele me acariciava entre as pernas e nos dois gemíamos descontrolados pela tarde inteira. Eu colocava as mãos na testa enquanto ele beijava minhas coxas as acariciando com malicia.

-Você ainda é tão bonita quanto no dia em que te conheci – Synyster fala galanteador e cheio de desejos.

-Aí provavelmente você tem que ir para casa – digo já me vestindo depois de gozar em sua boca. – Não tem que ir para casa?

-É claro que tenho Kleuda – Synyster fala meio frio e termina de colocar sua gravata e logo terminando de se arrumar.

-Deixa eu te ajudar querido – falo terminando de colocar o blazer em Synyster – Pronto bem melhor assim.

Ele me beija ferozmente e eu logo correspondo com urgência e esse beijo evolui para pegadas e amassos quentes, mais nada que tenhamos que retirar nossas roupas de novo.

 

 

DHEIA P.O.V

Eu estava na sala quando a campainha toca e logo corro para atender e vejo Isadora a atendente da lojinha importada onde minha mãe gosta de ir as vezes. 

-Oi – Isadora diz quando eu abro a porta e logo dou passagem para ela entrar ali. – Espero que não seja uma hora ruim.

- Ele esta lá em cima – pego o aparelho que me ajudava a me comunicar com as pessoas e logo a voz sai pelo aparelho em minhas mãos. 

-Ah não, eu não estou aqui para ver o Chester, quer dizer eu rezo por ele mais eu vim por que você precisa de uma amiga nesse momento Dheia. Acho que isso não tem sido fácil para você...posso te dar um abraço?

Eu balanço a cabeça que sim e logo Isadora se ergue nas pontas dos pés para me abraçar e eu retribuo o abraço apertado dela.

 

 

LIGIA P.O.V

- Então você me encontrou pelo meu site – Digo enquanto Byanca a agente responsável pelo caso dos assassinatos, tirava seu casaco. Estamos sentadas na minha mesa de adivinhação e ela me parece uma mulher muito sexy e bonita.

-Pois é poucas pessoas fazem o que você faz Ligia – Byanca queria fala ficando mais à-vontade e eu estava gostando muito disso.

-Sem ofensas mais você não me parece ser o tipo de pessoa que vem ver uma pessoa como eu – falo olhando seu jeito educado de se comportar. – Bom é que há certos eventos que trazem clientes na minha porta. Uma morte na família, mãe, pai, ou o tio preferido. Infidelidade é outro grande motivo por mais que te parece clichê. Então tem pessoas que acordam de manha e lembram que foram molestadas mais você é diferente e seu problema não se encaixa em nenhuma dessas categorias. O seu problema esta me parecendo muito mais ...INTERNO.

-Como é que sabe? – Byanca responde bebendo um gole do copo de agua que eu havia trago para ela.

-Primeiro eu senti no seu hálito logo que você entrou aqui – digo e ela me olha assustada. – Calma eu não julgo ninguém e você pode conversar comigo sobre qualquer coisa.

-Eu quero conversar com você sobre família – Finalmente Byanca estava chegando onde eu queria que cegasse.

-Eu sinto que na verdade você não tem uma – digo e ela olha fundo nos meus olhos.

-SUA FAMILIA, na verdade seu primo Mike se eu não me engano – Byanca diz e eu abaixo a cabeça já sabendo o caminho daquela conversa.

-Sei o que acha que esta procurando mais você está errada Byanca.

-Então por que eu estou aqui? – ela fala seria e eu sorrio divertida.

-Para encontrar o que está procurando – Falo e ela continua com sua seriedade. – Como eu disse não há julgamentos aqui. Pode falar comigo Byanca.

-Eu ainda não tenho certeza se eu posso confiar em mim mesma – Byanca baixa a cabeça ao falar e eu percebo certo conflito interno dentro dela. – Eu to com medo de ter perdido meu caminho para Deus.

-Quando diz Deus, você quer dizer...?

-Quero dizer Deus mesmo Ligia.

-Certo eu sinto muito, eu não ouço muito a palavra Deus por aqui – falo sendo sincera com ela.  – E quando eu ouço a pessoa esta curtindo meu outro serviço – falo indicando a cama de casal no meu quarto.

- No entanto é interessante que como mulher de fé você tenha tantos problemas no controle – digo ainda sendo sincera com Byanca. – Deixa eu ver duas mãos – falo pegando nas mãos dela que logo larga o copo de agua em cima da mesa. – É muito importante que eu veja. Olha você veio aqui por um motivo e eu te deixei entrar por um motivo então vamos deixar nossas merdas de lado e confiar uma na outra por alguns segundos pode ser?

Levanto Byanca da mesa e a coloca de frente para mim pegando em suas mãos e olhando as veias que continham ali em sua palma. Logo que o toco sinto uma sensação muito estranha vindo do futuro de Byanca e a olho assustada.

-Esta em todas as partes do seu corpo, você não esta mentindo. Você tem procurado uma resposta.

-Vai me dizer o que você viu? – Byanca fala mais perto de mim. Nossas bocas quase se colavam e percebo que ela queria tanto quanto eu. – O que sentiu por favor me conta tudo.

Tiro minhas roupas enquanto Byanca me olhava excitada demais para perguntar de novo o que eu tinha visto e no momento não era hora de contar a verdade a ela. Pego suas mãos de novo e as coloco sobre meus seios e logo ela passava as mãos no meu corpo. Começo a tirar suas roupas e a beijar sua boca. Byanca pede passagem com a língua e o beijo intenso se inicia. Logo estávamos as duas mais que cheias de desejo e sim na cama uma cariciando o corpo da outra.

-Eu vou te restaurar Byanca – digo beijando seus seios e descendo minha boca para sua barriga enquanto Byanca gemia sem pudor algum. Ela agarrava em meus cabelos enquanto minha boca estava agora sobre sua intimidade e minha língua a adentrava fundo. Byanca tinha um gosto maravilho de baunilha com menta e esse sabor me fazia mexer mais ainda minha língua dentro de sua intimidade úmida e excitada.

-Quer ouvir a voz de Deus de novo? – digo colocando um de meus dedos na boca dela enquanto ela chupava com vontade.

-Quero sim, muito -Byanca diz e logo eu tiro meu dedo de sua boca e enfio em sua abertura quente ajudando nos movimentos da minha língua e Byanca começa a gemer mais alto ainda...

 

KLEUDA P.O.V

Vou ate a oficina onde estava o carro de Chester ver como estava o concerto do automóvel e ali tinha vários homens me olhando com desejo já que modéstia a parte eu ainda tenho um corpo de dar inveja em muitas mulheres por aí devido ao que sou.

-Senhora Bennington, desculpe mais chamaram a senhora? – um dos mecânicos chefe aparece e me olha como se tivesse medo de mim e isso ao meu ver era muito bom.

-Não, não chamaram e já deveriam ter chamado. Por que o carro do meu filho ainda não esta pronto? – digo com a minha melhor cara intimidadora possível.

-Tivemos que trocar o arranque e algumas coisas partes elétricas. É difícil encontrar peças originais de carros antigos como esse do seu filho. – Ele diz e sinto o cheiro de medo em seu sangue e logo aquilo me dá fome, mais não poderia matar esse idiota aqui assim sem chamar atenção das pessoas.

-Eu quero esse carro em condições de dirigir e quero AGORA – digo e dou as costas a ele e antes de ir embora eu vejo Michelle a mulher de Synyster entrar na oficina. – Michelle, problemas com seu carro?

-Oi Kleuda, pois é eu acho que não é nada mais toda a vez que eu dirijo escuto um barulho – ela diz saindo do carro e colocando as mãos no sobretudo de veludo preto.

-É uma oficina é a melhor cura para um carro doente não é mesmo? – digo fingindo simpatia com ela.

-Como Chester esta Kleuda? – ela pergunta fingindo interesse também em meu filho.

-Nenhuma mudança ainda, ele continua na mesma – digo nervosa e olho para os lados querendo dar aquele assunto por encerrado. – Talinda tem passado sempre para vê-lo, uma menina muito adorável.

-Obrigada, Synyster também tem passado por sua casa? – ela pergunta desconfiada de algo mais eu faço minha cara de inocente e respondo sínica. 

-Sim ele é um grande apoio para mim nessas horas – falo não demonstrando que eu via Synyster quase todos os dias e que hoje mesmo a gente tinha transado loucamente no sofá da minha casa. – Olha foi um prazer te encontrar já faz tanto tempo não é verdade.

-É verdade já faz sim muitos meses em que não nos vemos Kleuda – ela fala simplória e quando eu passo por ela indo embora ela me faz voltar me chamando. – Kleuda, oramos pelo Chester e logo ela ficara bem.

-Boa sorte com o... barulho – falo indicando a oficina e saio dali sem mais falar nada. 


Notas Finais


Desculpem esse tempo que fiquei sumida amores é que eu entrei no mundo de SUPERNATURAL e só consegui terminar de assistir esses dias. Como podem ver novos personagens da serie supernatural entraram aqui na nossa historia e muitos outros virão aguardem. Espero que tenham gostado.
Deixem seus comentários que eu com prazer irei le-los.
Bjos e ate o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...