História Herança de Criatura - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Harry Potter, Severo Snape
Tags Snape!bottom, Snarry
Visualizações 262
Palavras 1.137
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Seis


PDV Severus




Sentia um maravilhoso cheiro de terra molhada e grama recém-cortada quando minha consciência retornou. Eu não fazia idéia de onde esse cheiro vinha, mas ele era tão bom que eu queria poder levá-lo comigo para onde quer que fosse.

Então havia o calor. Eu estava aquecido e feliz, meus músculos antes tensos agora relaxados, a sensação de proteção rodeava todo meu ser, me trazendo um contentamento sem igual.

Lentamente, eu abri os olhos.

Não estava no meu quarto, foi a primeira coisa que reparei. Era natural demais, com todas essas plantas estranhas que pareciam balançar suavemente à brisa de um vento inexistente. Elas pareciam cantar uma melodia suave que só elas podiam entender a letra. E então, quando ergui a cabeça, dei de cara com um tecido duro que parecia seda, mas não podia ser. Passando a mão por cima daquilo, eu gostei da sensação - o calor subia pela palma da minha mão e ia diretamente para meu coração, aquecendo-o.

Um gemido satisfeito me fez erguer o olhar rapidamente, dando de cara com o ser mais bonito do universo, com sua pele morena, cheia de músculos e bronzeada, o maxilar quadrado e bem marcado, o nariz perfeito, os cílios longos e escuros, e então os cabelos muito negros e espetados para todos os lados, numa rebeldia extremamente familiar.

Potter.

Então, as lembranças daquela noite me atingiram. A perseguição, as palavras e... Os toques.

Ah, os toques... Tão carinhosos, tão gentis e quentes. Recuperar minhas memórias sobre meu parceiro só trouxeram mais prazer ainda, pois eu sempre ansiava, desde quando ele nasceu, por seus toques suaves, mas só agora eu consegui a devida atenção que precisava do meu parceiro.

Meu parceiro...

Meu coração disparou loucamente quando olhei para o garoto em corpo de homem ao meu lado - e que corpo! Era estranho pensar que eu o havia tratado como um pária desde seu primeiro ano, mas aquilo - a atenção por causa de um ato acidental em sua infância - me irritava. Eu queria quebrar Harry Potter, fazê-lo descer do alto pedestal que o mundo bruxo o havia colocado, fazê-lo o mais humano e mortal possível.

Fazê-lo comum.

Se eu não podia ser seu e enaltecer sua beleza, seus costumes e sua personalidade, eu seria seu arqui-inimigo, tentando desesperadamente fazê-lo o mais comum possível. Fazê-lo parar de ser Harry Potter para ser simplesmente o Harry - o meu Harry.

Não havia percebido que meu corpo inconscientemente se aconchegava ao seu procurando calor, mas quando meus pensamentos eram meus novamente, e meus sentidos estavam despertos, vi que meus braços haviam passado ao redor de sua cintura, e minha cabeça estava suavemente repousada sobre seu peito forte. Arregalei os olhos, ouvindo uma risadinha baixa e rouca que fez os pêlos das minhas costas se arrepiarem, e eu olhei pra cima, encontrando as belas esmeraldas me olhando com diversão.

— Bom dia, Sev.

Ah, sua voz... Baixa, rouca pelo sono, sussurrando meu apelido dessa maneira tão sensual... Droga, Potter! Eu vou enlouquecer!

— Bom dia, Hazz.

Corei e olhei para qualquer canto menos pra ele. Era constrangedor porque eu me lembrei dos toques, e eu queria mais, precisava urgentemente sentir seus lábios grossos dominando minha boca num beijo ardente. Desesperado, me ergui da cama macia e aconchegante, procurando minhas roupas com o rosto em chamas. Era melhor eu me acalmar antes que algo mais sério aconteça.

— Sev, Sweetie, volta pra cama.

Maldito Potter! Maldita voz tão sedutora e maldita mente Ômega! Voltei para a cama envergonhado e me sentei na ponta da mesma, pronto para sair correndo a qualquer momento. Porém, como Potter adora acabar com minha sanidade, ele fez algo inesperado.

Se sentando na cama, o maldito pegou minha mão e me puxou para si com força, surpreendentemente me colocando sobre seu colo, uma perna de cada lado de seu corpo gostoso e meus braços ao redor de seu pescoço. Ele ficou muito próximo, eu podia sentir seu hálito que, mesmo tendo acabado de acordar, era refrescante e fez meu corpo tremer.

Lentamente, ele percorreu uma de suas mãos pela minha coluna, acariciando gentilmente enquanto sua outra mão fazia um carinho gostoso na minha coxa esquerda.

— Você é tão lindo, Severus... — ele sussurrou dentro do meu ouvido, me arrepiando novamente. Fechei os olhos com força, me concentrando somente naquele momento perfeito. —... Tão gostoso... Alguém como você deveria ser proibido de existir, é um pecado por si só.

Ele se afastou, e eu abri os olhos, encarando fixamente aquelas esmeraldas dilatadas de desejo.

— Se bem que... — ele mordeu o lábio inferior de maneira sexy, sorrindo maldosamente logo após. — ... Não existe alguém como você, já que você é único. Então, você pode existir sim, desde que você seja só meu. — ele me olhou, analisando cada centímetro do meu corpo, ainda encoberto pelos tecidos do pijama. — Desde sua mente voraz até seu corpo magnífico.

Como para mostrar o que achava, assisti Harry deslizar a mão por meu peito lentamente, enquanto eu observava, arfando, cada movimento de seu corpo bronzeado.

— Me diga, futuro Lord Potter, como um ser tão inteligente como você, sempre tão esperto, habilidoso, pode ser reduzido a alguém completamente insano pelo prazer?

— Eu não estou insano! — discordei.

— A não? — um sorriso pra lá de malicioso surgiu em seus lábios rosados, e ele se inclinou pra frente, enfiando os dedos grossos por entre meus cabelos, puxando, me fazendo inclinar a cabeça para trás. Tendo seu alvo totalmente exposto, ele começou a dar fortes mordidas, beijos molhados e chupões pelo meu pescoço, que era bastante sensível, me fazendo gemer, inconscientemente começando a rebolar sobre seu colo.

— Puta merda! — juntos, nosso gemido saiu como um. Minha voz se perdeu quanto ele, em um ato inesperado, passou a beliscar meus mamilos. Céus! Esse maldito sabe mesmo como me reduzir a uma cadela no cio!

Rindo, Potter segurou meus quadris, pressionando-os pra baixo, diretamente em cima de sua ereção.

Gemi novamente, como uma vadia, enquanto via e sentia Harry morder os lábios com força e me pressionar contra si outra vez.

Ele me olhou, inesperadamente, os olhos quase negros.

— Eu quero você, Sweetie. — sua voz saiu rouca e cheia de desejo, me fazendo ofegar.

— Então me tenha. Estou bem aqui. — lhe garanti entre um gemido e outro.

Eu não sei se é uma decisão sábia eu me entregar de bandeja pra ele, afinal, eu agora havia passado - de novo - pela minha Herança de Criatura, já que recuperei minhas memórias, e agora poderia realmente engravidar extremamente rápido, mas o desejo me queimava vivo, e eu sabia que não resistiria ao pedaço de mal caminho que era meu companheiro.

Com um beijo em seus lábios agridoces, eu me entreguei completamente àquele maldito homem quente pra caralho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...