História Herdeira do Fogo - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Espadachins, Luta, Mortes, Romance
Visualizações 7
Palavras 1.493
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Como estarão os sentimentos de Vastí, Haizashi e Taijim?
hmmmm...
Não se pode perder o foco....

Capítulo 11 - Sentimentos incompreendidos


Fanfic / Fanfiction Herdeira do Fogo - Capítulo 11 - Sentimentos incompreendidos

No jantar, só se falava do treino da tarde. Todos muito orgulhosos da desenvoltura de Taijim, que venceu Takahashi com a destreza de um exímio espadachim.

Ao ser mencionado que Vastí passearia no dia seguinte enquanto Haizashi e Kotobawa resolveriam algumas coisas, Safira se colocou para fazer companhia à moça enquanto eles resolviam o que tinham para resolver. Haizashi ficou feliz com a proposta de Safira.

Ao concluírem suas refeições, se despediram e encaminharam-se cada um para seus respectivos quartos.

Taijim se trocou e pulou na cama sem dar uma palavra. Parecia ansiosa.

- O que há dessa vez?

- Eu quem pergunto. Por que tá me olhando desse jeito?

Seinen parecia desapontada.

- Você quer conversar um pouco antes de dormir?

Taijim suspeitou daquela proposta. Ela ia afirmar o que tinha dito antes do almoço...

- Pode ser. Bom, o que achou da minha luta?

- Foi maravilhosa. Fiquei tão feliz que deu uma lição naquele Takahashi.

- Eu também. Hihihi

- A Vastí ficou em estase. Te olhava com muita admiração.

- Sério? Acabei me esquecendo de que ela estava presente no momento. Que bom que lutei bem.

- Lutou sim! Mas... e aí, como se sente sobre amanhã?

- Eu não sinto nada.

- Tá. Vou te dar um conselho: pense no seu sentimento esta noite. Decifre-o. você precisa saber se o que sente é mesmo só admiração ou algo mais... não quero que se magoe depois ou que se frustre. Só pensa e depois conversamos, tá? Pense nele e no que acontece quando pensa.

A moça suspirou.

- Tá... vou pensar.

Quando Seinen saiu e apagou a luz, a claridade da janela da sua sala particular iluminava o lugar. Ela se levantou e foi para a porta que dava acesso ao jardim. A lua estava tão bonita. Seu reflexo no lago no centro do jardim deixou o ambiente lindo.

Ela saiu e se sentou num banco próximo de uma estatua de um anjo, de frente para o rio.

Se sentou e começou a pensar.

“Haizashi”, “o que ele significa para mim?”.

- É quente e aconchegante... me dá uma sensação de conforto... é como se eu não quisesse sair de perto dele...

Quando se deu conta estava com um aperto no coração...

- Boba! Ele vai se casar, abandone esses sentimentos. Pra você só restou o caminho samurai, sozinha.

Falou para si mesma. Não entendia aquele sentimento... não sabia o que significava... mas o aperto... era quase como o que sentiu quando perdeu sua família... seria a sensação de ficar sozinha novamente?

- Taijim? O que faz aqui fora.

Quando olhou para trás era ele, Haizashi.

- Mestre!

Disse pulando do banco completamente desconfortável e envergonhada... estava pensando nele e de repente o próprio aparece...

- E-Eu estava... é... vendo a lua... não está linda?

- Sim, realmente está. Posso me sentar aí com você?

- S-Sim!

Eles se sentaram e ficaram em silêncio por alguns segundos. O coração de Taijim quase saia pela boca. Batia tão rápido que se fosse dia daria para ver seu corpo tremulo.

- Perdoe-me a ausência. [suspirou] Estou um pouco ocupado com questões militares... preciso me ausentar quase todos os dias para apreciar alguns relatórios... [silêncio breve] faz tempo que não conversamos. Como se sente?

- Não pre-precisa se explicar... eu entendo perfeitamente... bom, eu estou bem... e-e... você?

- Um pouco cansado... minha mãe é muito perigosa... achei que ela tinha desistido dessa história de casamento... depois de tanto tempo ela me aparece com essa surpresa... pff... sendo único filho homem sou refém dessas obrigações de família...

- Tenho certeza que será muito feliz. A senhorita Vastí é uma boa pessoa. Certamente será uma excelente esposa.

O que estava fazendo? Por que estava tecendo elogios para Vastí? Burra, burra, burra...

- Sim, não tenho duvidas... mas...

“mas...” será que... [ pensamento de Taijim]

- Não sinto nenhum sentimento amoroso por ela. E acho que ela se sente da mesma maneira. Estamos apenas cumprindo com obrigações atribuídas por nossas famílias.

- É cedo de mais para dizer isso... vocês ainda tem alguns dias para se aproximarem... o sentimento pode surgir a qualquer momento.

- É... você pode ter razão...  mas como sabe?

- B-Bom... o sentimento não nasce da noite para o dia...

- Entendo...

Eles ficaram observando a lua por um tempo quando Haizashi quebrou o silêncio fazendo uma pergunta.

- Já gostou de alguém Taijim?

- Só dos meus livros e da espada!

Disse com um tom risonho e desesperado. Seu coração batia tanto que se tivesse de pé certamente cairia no chão. Ele riu.

- Você tem sorte. Vou indo. Amanhã será um grande dia. Boa noite Taijim, durma bem.

- O-Obrigada, você também.

Respirou fundo e soltou o ar de vagar. Desapontada consigo mesma pensou,... [não há duvidas Seinen, você tinha razão, estou apaixonada por ele... o que eu faço?]

Ela ficou ali por um tempo, pensando no que poderia fazer para tirar aqueles pensamentos da mente, deveria se dedicar mais seriamente ao treinamento. Treinar a noite após o jantar... sim isso seria melhor. Ajudar Seinen na arrumação do seu espaço de uso... sim certamente ajudaria e por ultimo evitar ver os encontros dos dois...

- Certo! Farei isso!

Disse confiante do exito se encaminhou para seu quarto. Precisava dormir. Logo levantaria para seus treinos matinais.

Ao se deitar dormiu com facilidade. Com um sono profundo acabou sonhando com Haizashi. Ele estava no altar aguardando Vastí chegar para então se casarem. Eles pareciam tão felizes...

Mas em um dado momento, Haizashi avistou Taijim em meio às pessoas e foi em sua direção.

“- Taijim eu não posso me casar com ela... eu não a amo...”

“- Eu amo você!” disse a moça em seus sonhos.

“- Sempre quis te dizer... mas nunca tive coragem”

Ele a tomou em seus braços e fez um movimento para beija-la, mas antes disso um abismo se abriu no chão e a garota caiu nele...

Taijim se assustou e acordou banhada de suor e ofegante... “que pesadelo”. Levantou-se, tomou água e voltou a deitar. Precisava estar descansada para o treino logo mais, mas infelizmente havia perdido o sono... não parava de pensar... o sonho foi tão real... a sensação de cair num abismo... do abraço dele... ela sabia o que era estar em seus braços... mas não naquelas condições... afinal foi ele quem esteve ao seu lado durante o assassinato dos seus pais. A quem mais suplicaria um abraço?

Passaram-se as horas e chegou o momento do treino matinal. A adrenalina era tanta que a moça nem se sentia cansada. Estava elétrica. Após o treino decidiu que treinaria mais no dojo depois do café.

Não demorou muito e Seinen chegou.

- Bom dia Taijim, dormiu bem? Parece radiante.

- Que nada. Tive um pesadelo... acabei minha noite em claros.

- É mesmo? E o que sonhou?

- Como o casamento do... do mestre e a Vastí...

- Puxa vida... isso tá ficando sério...

- Na verdade eu estava esperando você chegar para te perguntar algumas coisas.

- Pode perguntar. Sou toda ouvidos.

- Como você sabe que gosta de alguém? Como é essa tal sensação...?

- Você ta falando sério? Realmente não as conhece?

- ...

- Bom... É quente... confortável... você quer ficar ali para sempre. Quando você pensa na pessoa seu coração não para de acelerar... parece que vai sair do corpo.

- Éh... sabe... ontem, depois que você saiu, eu conversei com o senhor Haizashi. Na verdade ele me encontrou no jardim, de frente ao lago.

- O QUE? ME CONTA TUDO!

- Bom, conversamos um pouco... meu coração parecia que ia saltar da boca. Não tinha percebido isso... na verdade acho que isso nunca aconteceu antes. Quando ele me perguntou se eu gostava de alguém... eu travei... mas na minha mente vinha a imagem dele... então é isso que é gostar de alguém?

Seinen olhou com ternura para a amiga.

- Se isso não for gostar eu realmente não sei o que é... e o que disse a ele? Se confessou?

- Não... de jeito nenhum... me esquivei da pergunta, desconversei e ainda fiz inúmeros elogios para a Vastí... sou horrível né?

- Ai meu Deus... como você é bobinha... me diz, o que mais ele falou..?

- Que não tem sentimento nenhum pela Vastí e que acha que ela se sente da mesma maneira que ele...

- Ora, ora. Isso é importante. Você ainda tem chance de conquista-lo!

- Desista dessa ideia agora. Não vim aqui para arranjar casamento. Estou aqui por um único motivo. Não faço a menor questão de relacionamentos amorosos, na verdade acho que me atrapalhariam...

- Nossa, isso foi rude... não se feche amiga... isso não será bom pra você. Viva cada momento em sua vida.. Se for o caso, viva esse momento...

- Vamos acabar com essa conversa e ir tomar o café da manhã.

Seinen deu de ombros e assentiu.


Notas Finais


aaaaaaaaaaai
Consegui sentir o peso desse sentimento ouvindo still loving you do scorpions...
eu shippo o-o hsuahsuahsuahsuahsuahsuahsuahsuahs
Quando esses dois se pegarem eu espero que seja BUUUURRRRRNNN in FLAAAAAAAAME *------*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...