História Herdeiro Uchiha - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Karin, Mikoto Uchiha, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Tsunade Senju
Visualizações 165
Palavras 1.529
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu mudei algumas coisas, nos outros capítulos. Mas nada que interfira o capítulo atual.
Boa leitura.

Capítulo 9 - Capítulo 8


A mão de Sasuke estava em seu cotovelo enquanto eles saíam do restaurante, guiando-a em direção ao saguão.

— Suba comigo - sussurrou ele perto de sua orelha.

Sakura lhe lançou um olhar tão incrédulo que ele teve que rir de sua reação.

— Isso não é uma proposta - ele assegurou, então arqueou as sobrancelhas numa tentativa de flerte.— Embora eu não vejo mau algum em ter um pouco de sedução após o jantar.

No saguão, ele a virou para a esquerda, para longe da entrada principal do hotel, e para o elevador que levavam aos quartos de hóspedes.

— Tenho uma coisa para lhe mostrar? Continuou ele, enquanto eles entravam no elevador.

— Agora, isso parece uma proposta ou um flerte de mau gosto?

Sasuke sorriu, tirando a chave do quarto de seu bolso.

— Você me conhece melhor que isso. Não precisei de flerte de mau gosto da primeira vez, e não precisarei agora.

Ele realmente não precisava. Sasuke havia sido muito charmoso para flertar com ela, como os outros homens faziam na época. O que o tornará ainda mais atraente, fazendo se destacar dos demais.

Quando chegaram à porta dele, Sasuke abriu-a e deu um passo atrás para que ela entrasse, fechando a porta e removeu o paletó e colocou-o sobre uma poltrona que encontrou indo em direção para uma escrivaninha de canto. Enquanto ele ligava o notebook, Sakura apreciou a vista. 

Queria dizer que o divórcio foi uma benção, e que não sentia nada por ele. Ser ex-esposa de Sasuke, não impedia de ser uma mulher com sangue nas veias, todavia. Uma mulher que apreciava a vista de um homem bem viril e charmoso. Os ombros e costas largas esticavam o tecido da sua camisa branca quando ele se movia. A calça azul - marinho marcavam os quadris estreitos, e o traseiro era arredondado e perfeito, parecendo não ter mudado desde a última vez que eles tinham estado juntos.

Sakura fechou os olhos e censurou-se silenciosamente por ser tão fraca na presença dele. Estava louca? Ou seus hormônios alterados por sua gravidez?Abrindo os olhos ela soube perfeitamente qual era o seu problema. Sabia o que havia por baixo da camisa, conhecia a força dos músculos dele, a textura de sua pele. Sabia como Sasuke se movia o cheiro que tinha, e qual era a sensação daquele corpo poderoso pressionado contra o seu. Seus hormônios estavam descontrolados, mas não por causa da gravidez.

Eles sempre ficavam descontrolados na presença de Sasuke. 

Considerando quanto tempo os dois não ficavam juntos. - E o fato que ela não teve ninguém depois dele, além de ser mãe e empresária. - Não era de se admirar que seus pensamentos estavam tomando aquela direção. Sakura observou-o abrir os dois primeiros botões da camisa e afrouxar o colarinho. Ele costumava fazer isso todas as noites quando chegava, em casa depois do trabalho. No geral passava algumas horas no escritório de casa, mas sem gravata e paletó, com as mangas da camisa enroladas até os cotovelos. 

Sasuke pegou o notebook e atravessando o quarto, ele sentou-se na beira da cama, colocou o notebook de lado, então deu um tapinha na cama.

— Sente aqui por um minuto - convidou Sasuke. — Eu quero lhe mostrar uma coisa.

Sakura arqueou uma sobrancelha.

— É sério. Agora, venha aqui preciso lhe mostrar alguns planos que fiz para Amor aos Pedaços.

Sakura se sentou na cama, puxando a saia do vestido para baixo. 

Ele apertou algumas teclas no notebook, então virou a tela, de modo que ela visse melhor.

— Você disse que quer expandir no salão ao lado, Certo? Usá-lo como uma possível divisão para vendas.

— Sim. - disse ela, sentindo o cheiro inebriante dele.

— Bem, fiz um gráfico rápido antes do jantar, para o que imagino que ira custar para renovar o espaço... Quais seriam suas despesas em geral etc. E claro muitos aspectos precisará ser ajustado . mas isso te dar o calculo aproximado, e uma idéia por onde começar.

Ele se levantou por um segundo e fui até a escrivaninha, pegando um grande bloco branco, antes de voltar para cama.

— E este é um esboço de um possível layout para a expansão. Balcões, estantes e coisas do tipo.

Sakura estudou o desenho, visualizado como ficaria o salão vizinho a Amor aos Pedaços. O esboço era bom e a idéia de uma coisa tão simples pudesse tornar realidade.

Levantando a cabeça, ela encontrou o olhar de Sasuke. Era tão bom ter alguém compartilhando seu entusiasmo sobre expadir a padaria e apoiando suas ideias.

— Por que você fez tudo isso? - murmurou ela suavemente, entregando-lhe o bloco de desenho.

 Sasuke fechou o notebook e colocou-o sobre o criado-mudo com o bloco de desenho.

— Você precisa de um sócio para realizar o seu projeto, Sakura. Sabe disso, se não teria procurado o Shikamaru para pedir ajuda.

— Não quero o seu dinheiro.

O maxilar dele enrijeceu uma indicação clara que ele estava irritado e ia decretar a lei de acordo com Sasuke Uchiha. 

— Eu lhe disse Sakura que não vou a lugar algum. Não por um tempo, pelo menos.— Então, enquanto eu estiver por perto - continuou ele., podemos usar esse tempo sabiamente.

Sakura sempre detestava o fato que Sasuke geralmente estava certo, pelo menos no que dizia os negócios. Especialmente porque ele também sabia que era convencido por causa disso.

Levantando-se da cama, cruzou os braços à sua frente e começou a andar pelo quarto.

— Não quero ficar ligada à você.

Um silêncio tenso se estendeu.

— É um pouco tarde demais para isso, não acha?

Sakura parou, encontrou-lhe os olhos. Uma sobrancelha estava arqueada, os lábios dele curvados num sorriso irônico.

— Nós temos um filho juntos. Eu diria que isso nos liga mais fortemente do que qualquer sociedade profissional poderia fazer.

Ele estava certo e sendo presunçoso sobre isso novamente. Sakura sabia que para o bem ou para o mal, eles estavam unidos até o fim da vida através de Daisuke.

— Ficarei aqui conhecendo meu filho e compensando o tempo perdido por semanas. Você pode tirar vantagem disso... terá minha disposição para investir dinheiro em sua padaria.

Saindo da cama, ele foi para a frente dela, segurando-lhe os ombros, o toque de suas mãos sobre a pele de Sakura fazendo à se arrepiar.

Sasuke percebeu, que ela havia ficado arrepiada com o seu toque.

— Pense sobre isso, Rosada - sussurrou ele. Os olhos, ônix prenderam aos seus olhos verdes. — Use a cabeça aqui, em vez de seu orgulho teimoso. A mulher irritante que eu conheço, sabe que eu estou certo. Mesmo que tal oportunidade venha de seu ex-marido desprezível.

Ele falou em um tom auto depreciativo com uma piscadela e um sorriso nos lábios sexy.

Foi aquela piscadela, e o fato de Sasuke saber que ela não o queria por perto que fez Sakura parar para pensar, como ele pediu.

Pensar na oferta de Sasuke de maneira lógica e racional. Apesar da amargura envolvidas em ambas as partes do divórcio, Sasuke nunca foi cruel. Não tentaria machuca-la, não usaria sua influência poderosa ou a fortuna da família para destruí-lá.

Com o acordo pré-nupcial no qual o pai de Sasuke insistirá antes do casamento deles. Sakura saíra com praticamente nada do que tinha antes de se casar, mas tinha ciência que poderia ter sido pior. Muitas mulheres que se casavam com homens extremamente ricos e pediam o divórcio não saiam com nada. Sasuke não era esse tipo de homem. Possuía uma personalidade reservada, preferindo fúria silenciosa a ataques de ira. A resposta paras as brigas que eles tinham sempre era se fechar no escritório e trabalhar longas horas, o que os afastavam ainda mais.

Sasuke era o homem mas honesto que ela conhecia. Ele saberia separar o relacionamento atual deles com o relacionamento de pai e mãe. Sakura amava a padaria que foi construída com seu suor, lágrimas, e acima de tudo, de coração. Se alguma coisa acontecesse e ela precisasse, fechar as portas do estabelecimento uma parte dela morreria  junto.

Todavia, até mesmo mais importante que isso, e definitivamente o que possuía uma parte muito maior de seu coração e alma, era Daisuke. Ela faria qualquer coisa se isso significasse ter seu filho seguro e feliz.

Sasuke era o pai de Daisuke, uma parte de seu filho. Ele também era o único que estava disposto a colocar uma boa soma de dinheiro na padaria.

Ela tinha que deixar os seus sentimentos, despertados por ele de lado neste momento.

Depois de tanta reflexão, e de todos aqueles momentos de silêncio, Sakura não seguiu sua cabeça nem seu coração. Seguiu sua intuição.

— Tudo bem - ela falou para Sasuke, as palavras parecendo se rasgar em sua garganta. — Mas quero que seja um empréstimo. Se vamos fazer isso, então quero que faça um documento legal, dizendo que pagarei o empréstimo, ou qualquer coisa que normalmente é feita nesses casos.

— Certo. Eu ligarei para Shikamaru pela manhã e cuidarei disso. - disse Sasuke dando um sorriso.

Sakura assentiu ainda incerta. Intuição ou não, concordar em deixar Sasuke se tornar sócio da padaria dela e da tia. Deixava ela desconfortável.

— Bom, fim do assunto negócios. Cuidaremos dos detalhes depois - disse ele.

Então deslizou as mãos nos braços desnudos dela é sussurrou: — Agora, vamos a algo um pouco mais pessoal.


Notas Finais


Pessoal, me desculpem pela demora. Mas com a volta as aulas estava um pouco corrido, e me perdoe se não estiver muito bom o capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...