História Herdeiros Celestiais - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Acção, Adolescentes, Aventura, Drama, Ficção, Magia, Romance, Signos
Visualizações 18
Palavras 1.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olaaaaa fantasminhas ❤

Boa leitura.

Obs: A foto da capa é a mãe de criação do Kelvin.

Capítulo 20 - Maldição evidente


Fanfic / Fanfiction Herdeiros Celestiais - Capítulo 20 - Maldição evidente

Ja eram 12 horas da tarde quando Davi e Ariele chegaram no hospital para levar Sofia.

- Você demorou em. - disse Sofia referindo-se à Davi.

- Eu avisei que demoraria um pouco. - disse Davi.

- Sofia, a gente decidiu que é melhor você se recuperar lá no depósito. Aqui não é seguro para você. - disse Ariele.

- Tudo bem. Pelo menos lá eu não ficarei entediada, eu já não aguento ficar aqui. - disse Sofia.

Após preparar Sofia para a saida do hospital, eles pegaram um taxi e foram a caminho do depósito.

Enquanto isso, Kelvin estava junto com Otávio andando de skate na mesma praça de sempre. Kelvin parecia se sentir livre e muito mais alegre e confiante, enquanto Otávio parecia desolado e melancólico.

Kelvin fazia manobras radicais com o skate, enquanto Otávio descia uma rampa, e dessa vez ele não caiu e nem sentiu medo. Isso chamou a atenção de uma garota, a mesma que ajudou Otávio quando ele caiu de skate.

Após gastarem energia andando de skate, eles deram uma pausa e foram descansar em um banco. A garota se aproximou deles, como que não queria nada, em sequência, sentou no mesmo banco onde estavam, bem ao lado de Otávio.

- Oi. - disse a garota olhando para Otávio.

Kelvin a olhou com estranheza.

- Oi. - respondeu Otávio secamente.

- Quem é você? - perguntou Kelvin à ela.

- Ah! me desculpem. Meu nome é Isabelle, mas podem me chamar de Iza. - disse Iza.

- Isabelle, é um nome bonito. - disse Otávio elogiando o nome dela.

- Obrigado. Como é o de vocês? - perguntou ela.

- Me chamo Otávio. - respondeu ele.

- Por que quer sabe? - perguntou Kelvin grosseiramente.

- É que o seu amigo Otávio caiu de skate quando foi descer uma rampa, e fui eu quem o ajudou a se levantar. Queria saber se ele esta melhor. - disse Iza.

- Eu cai de uma rampa? - perguntou Otávio confuso sem lembra desse dia.

- Caiu. - confirmou ela. - como você não lembra daquele tombo? Todos que viram riram de você, menos eu. - disse Iza.

- Eu não me lembro, aliás eu não me lembro de nada, nem da queda e nem de você. - disse Otávio olhando para Iza.

Iza ficou incrédula e disse:

- Você ta zoando comigo né Otávio?Olha seus joelhos então. - disse ela.

Otávio estava de calças, não dava para ver se os joelhos machucados, então ele passou as mãos para sentir, e sentiu uma leve dor nos joelhos.

- Meus joelhos estão machucados. - confirmou Otávio surpreso por não te percebido que estava machucado.

- Mas é claro que estão! você caiu de skate. - disse Iza com o rosto franzido, achando Otávio completamente estranho.

Kelvin nesse momento ficou perturbado e disse:

- Esta na hora da gente ir embora Otávio, ainda não almocei e estou com muita fome. - Disse ele inventando essa desculpa para ir embora.

- Mas já? - perguntou Iza.

- Já! Vamos Otávio. - disse Kelvin.

- Tchau pra vocês também. - disse Iza enquanto eles se retiravam dali sem ao menos olhar ou se despedir dela.

Ao chegarem em casa, Kelvin puxou Otávio pelo braço e disse:

- Por que você disse que não se lembrava de nada? Eu te disse que era pra agir naturalmente! - disse ele muito irritado.

- Mas eu realmente não me lembrava de nada do que ela estava falando. - disse Otávio tranquilamente enquanto Kelvin apertava seu braço.

Gisele estava descendo as escadas quando viu aquela cena em que Kelvin estava segurando Otávio fortemente.

- Kelvin! O que é isso? Solte Otávio agora mesmo! - ordenou ela bravamente.

Kelvin tomou um susto e soltou o braço dele.

- O que esta acontecendo aqui? - perguntou Gisele ao se aproxima deles.

- Nada mãe. - disse Kelvin.

- como assim nada? Eu vi o que você estava fazendo, claro que aconteceu alguma coisa. - disse Gisele ainda brava.

- É que Otávio disse que queira ir embora, mas eu estava implorando para ele não ir. - mentiu Kelvin descaradamente.

Gisele ficou surpresa quando ouviu aquilo e ao memso tempo ficou triste  por achar que Otávio queria ir embora.

- Você que ir embora Otávio? Por que quer fazer isso meu garoto? - perguntou ela olhando para ele tristemente.

Kelvin deu um sinal discretamente com a cabeça para ele mentir também.

- Sim. Eu estou querendo ir embora, acho que estou dando muito trabalho para vocês. - mentiu Otávio.

- Otávio você não esta dando nenhum trabalho pra gente, eu gosto muito de você. Não quero que você vá embora. - disse Gisele pegando nas mãos dele.

Gisele ao pega nas mãos dele, sentiu algo estranho e anormal dentro dele. Otávio estava usando uma camiseta de mangas comprida para cobrir as feridas nos pulsos causadas por Kelvin no dia em que "morreu".

Gisele olhou para as mãos dele e foi dobrando as mangas até ver as marcas dos cortes nos pulsos dele. Kelvin ficou de olhos regalados olhando para Gisele, ficando completamente nervoso.

- Kelvin o que foi isso nos pulso dele? - perguntou ela enquanto olhava lentamente para ele.

Kelvin ficou tão nervoso que não falou nada.

- KELVIN! você fez algum tipo de ritual com esse garoto!? - perguntou Gisele totalmente enfurecida. Ela sabia que aqueles cortes nos pulsos do Otávio significavam que ele sofreu algum tipo de ritual. Além do mais, Otávio estava completamente estranho, o que deixava mais evidente ainda.

- NÃO,NÃO! eu não fiz nada! Além do mais, eu nem sei fazer nenhum ritual como vocês. - Mentiu Kelvin bastante nervoso.

- Será? - perguntou ela sarcasticamente.

Gisele voltou-se para Otávio e o olhou severamente, analisando ele de cima pra baixo.

Gisele era uma ótima feiticeira, depois que entregou Kelvin para os demônios quando ele era uma criança, ela ganhou em troca muito poder, ela agora era muito forte e tinha habilidades bastante úteis.

Seus olhos penetraram a pele de Otávio e ela pôde ver que dentro dele havia alguma maldição e que o sangue que corriam em suas veias não pertencia a ele.

Gisele olhou severamente para Kelvin e disse:

- Você fez um ritual de transferência para passar a sua maldição para ele, não foi? - perguntou ela completamente pasmada e incrédula.

Kelvin sabia que não adiantaria mentir para ela, entao ele contou a verdade.

- SIM! EU PASSEI A MINHA MALDIÇÃO PARA ELE, OU VOCÊ ACHA QUE EU PASSARIA MINHA VIDA INTEIRA SERVINDO AOS DEMÔNIOS? PARA DEPOIS QUE ELES TIVEREM TODOS OS HERDEIROS CELESTIAIS ELES ME MATAREM TAMBÉM- disse Kelvin muito desvairado (fora de sí).

- Mas como ele sobreviveu ao seu sangue? Ele é um humano e você é um herdeiro celestial. O seu sangue celestial mataria ele na hora. - disse Gisele confusa.

- Acontece que Otávio também é um herdeiro celestial. - revelou Kelvin.

Gisele ficou mais chocada ainda com essa notícia, ela não imaginava que Otávio também fosse um dos herdeiros celestiais e que Kelvin estava tramando tudo isso para se livra da maldição.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...