História Herdeiros da Magia - Capítulo 51


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Demonios, Escola De Magia, Magia, Magos
Visualizações 102
Palavras 6.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Magia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Após a pausa por motivos de saúde eu voltei com mais um capitulo de Herdeiros!
Começa o 4ª dia dos jogos mágicos, após a noite turbulenta (melhor pra uns do que pra outros) é hora de continuar com os eventos, enquanto isso algumas forças ocultas movem-se para estragar tudo.

Capítulo 51 - Capitulo 51 O 4 Dia dos Jogos Mágicos.


Fanfic / Fanfiction Herdeiros da Magia - Capítulo 51 - Capitulo 51 O 4 Dia dos Jogos Mágicos.

Capitulo 51 – O 4ª Dia dos Jogos Mágicos.

 

 

- Então Dasugard está morto, eu não esperava por essa – comentou Pallas.

- Sorte a minha que eu tinha saído para fazer compras – dizia Praisia – senão eu tinha sido levada nessa também.

 

Os dois estavam se encontrando no porão de um prédio, poucas horas após a equipe de supressão se livrar do terrível Dasugard Praisia que apenas viu a pousada desaparecer procurou outro lugar para se esconder, já Pallas usou seus métodos sombrios para localiza-la e agora estava aqui discutindo o assunto com ela.

 

- Lamento por sua perda, tenho certeza que você deve estar de luto agora – disse Pallas com um tom sarcástico.

- Me poupe, a única coisa que lamento foi não ter assistido – respondeu ela – mas já que ele morreu significa que estou livre agora.

- E por falar nisso, tem planos de carreira ou algo assim? Você parece ser muito talentosa – continuou ele – posso lhe oferecer um emprego, tenho algumas vagas sobrando na minha equipe.

- Estou curiosa sobre isso, o que sua organização faz? – perguntou ela – não me diga que são apenas encrenqueiros querendo destruir o reinado.

- Longe disso, a destruição do reinado é só um passo para algo maior, meus planos incluem também a soberania dos magos negros e demônios – explicou ele – quando a próxima grande invasão chegar seremos vitoriosos, e então dominaremos o mundo.

- hahahahahah é verdade, loucos como você sempre surgem nesta época – disse ela rindo – cultos aos demônios brotam em toda parte perto da grande invasão, eu já devia ter imaginado!

- Não somos cultistas, temos um proposito bem maior, eu pelo menos – respondeu ele – de qualquer jeito você não tem muitas opções, se os seguidores do Henzimal descobrirem que você tá viva vão vir atrás de você, minha organização pode acoberta-la.

 

Praisia não gostava dessa situação, olhando por esse ângulo ela só estaria trocando de mestre, mas se manter longe dos seguidores do Henzimal era realmente importante, se ela pudesse ficar pelo menos 5 anos longe da vista deles provavelmente esqueceriam sua existência e ficaria tudo bem, além disso ser paga pelo trabalho em vez de apenas ser escrava era um jeito de se dizer que subiu na vida.

 

- Muito bem, eu vou dar uma chance pra sua turma, mas eu quero garantias – avisou ela – se for uma furada eu quero que me deixe ir, eu sumo e você não precisa se preocupar com seus segredos.

- Parece justo pra mim, você sabe magia dracônica não é? Vai ser muito útil pra mim – disse ele oferecendo a mão para ela.

 

Eles apertaram as mãos e depois Pallas explicou que já tinha um trabalho para ela, ele tinha um plano para por em pratica hoje e sua magia dracônica seria a chave para garantir o resultado, Praisia ficou interessada em saber que plano era esse.

 

- Vamos só derrubar toda a estrutura do reinado, começando por matar aquela princesa – respondeu ele confiante – e na frente de todos os nobres do reinado bem como do seu pai e imperador.

 

****************************

 

- Então foi isso o que aconteceu – terminou Ryna.

 

Ryna terminava de contar para Varatane o que aconteceu na noite passada, a meio-elfa ouvia como sua amiga que jurara sair do seu caminho tinha seduzido e transado com o alvo do seu amor, por um tempo ela apenas ficou perplexa, mas depois um misto de sentimentos foi passando por ela alternando o tempo todo.

 

- Eu tinha dito que não ficaria entre vocês dois, mas naquela noite eu simplesmente não consegui aguentar – dizia Ryna – eu precisava daquilo e fiquei feliz por ter conseguido, por isso eu sei que não foi um deslize ou falha, eu realmente traí sua confiança.

- Enquanto que comigo precisou ficar bêbado – dizia ela apertando o punho – isso significa que não tenho chances? Que é de você que ele gosta?

- O Darch não me ama, pelo menos não mais do que a você – disse Ryna – enquanto ele não se livrar do peso em suas costas não vai dar seu amor a ninguém, é isso o que ele acredita.

- Então por que você!? – perguntou Varatane gritando.

- Talvez ele apenas se deixou levar pela situação – disse Ryna – não desista dele agora, você sempre gostou dele.

- E quanto a você? Antes disse que não tinha esses sentimentos – reclamou Varatane – e agora está seduzindo ele!

- O que eu sinto por ele é que ele seria alguém que eu poderia amar – respondeu Ryna – mas assim como ele também tenho algo que preciso fazer, então não sou dona de mim mesma para escolher quem amo.

 

Varatane se sentia uma idiota agora, desde o primeiro ano da academia que ela sentia atração pelo Darch, esse sentimento foi crescendo até se tornar em amor, quando transaram pela primeira vez foi algo induzido por drogas pesadas, mas o sentimento só aumentou de lá pra cá.

Mesmo assim Darch se recusava a aceitar seu amor, ele continuava tratando-a muito bem e sempre se preocupava com ela ou cuidava de suas vontades, então por que ele aceitou a Ryna tão facilmente? Ela tinha lago que lhe faltava?

 

- Eu não me importaria se você me desse um soco aqui e agora – dizia Ryna – eu sei que você está com raiva de mim, mas eu gostaria de continuar sendo sua amiga.

- Apenas me dê um tempo, eu preciso digerir isso – disse Varatane se afastando – e ainda temos os jogos hoje, eu tenho que pensar.

 

Varatane foi arrumar suas coisas para os jogos de hoje, Ryna suspirou derrotada e saiu para seu próprio quarto, lá ela também arrumou suas coisas e foi se juntar aos outros no saguão, ela notou que Ardof parecia muito sonolento, mas quem estava em pior estado era Mastela que tinha olheiras e parecia um zumbi.

 

- O que aconteceu? Não conseguiu dormir? – perguntou ela estranhando.

- Isso é que é estranho, eu não acordei a noite inteira, e mesmo assim meu corpo está todo acabado – dizia ela – parece até que fiquei correndo a noite toda!

 

Emadora deu uma risada mas logo se segurou, um efeito colateral da magia que recebeu era o stress físico, sem a parte consciente para controlar o corpo o indivíduo sonambulo gastava horrores do próprio Mana para se mover.

 

- Talvez você tenha dormido de mau jeito ou algo assim – comentou Darch – nós dois trocamos o dia pela noite, então voltar a dormir de noite pode fazer isso.

 

Ryna olhou pro Darch mas logo desviou o olhar, após se acalmar e pensar bem em tudo ela ficava constrangida e envergonhada, ela reparou que o Darch parecia agir normalmente mas até ele estava envergonhado, não era normal transar com uma amiga e conviver com ela como se nada tivesse acontecido.

 

- A Mastela parece um zumbi, a Tane está toda sentimental, a dupla preta e branca age de maneira estranha... – dizia Emadora avaliando todo mundo – e por que a nossa guerreira está toda emburrada?

 

Ela dizia isso olhando pra Reina, ela estava fazendo um bico e parecia frustrada com alguma coisa, estava assim desde que voltou ontem, e agora estava mais evidente que alguma coisa aconteceu.

 

- Deixa eu adivinhar, você andou se divertindo também não é? – perguntou Emadora.

- Se quiser viver para ver o final destes jogos não diga nenhuma gracinha – avisou Reina com uma voz tenebrosa.

- Você pegou ela de novo não foi? – perguntou Darch bem baixinho.

- Eu disse que ela gosta – respondeu Emílio no mesmo tom.

- Eu espero que todos vocês estejam prontos, pois já chegou a hora de irmos – avisou Ardof – continuem com o excelente desempenho e vamos vencer hoje também!

 

Alguns não estavam tão animados assim, mesmo assim todos se prepararam para partir, Ardof abriu o portal e com isso todos eles chegaram ao estádio, ainda não era a hora propriamente dita, mas ver todo o estádio lotado esperando por eles dava novas forças, o time então decidiu por os problemas de lado e seguir em frente.

 

**********************************

 

- A Reina estragou tudo!? – perguntava Reirena perplexa – o que quer dizer com isso!?

- Ela apareceu no restaurante com alguns amigos, e depois de desmanchar todo o cenário que construímos ajudou a Ryna – explicava Karl – quando eu percebi ela já tinha fugido e não sei onde ela foi parar!

 

O guarda que vigiava Ryna não mencionou que havia a perdido de vista por algumas horas, em seu relatório constava apenas que ela saiu pela cidade com um amigo e depois voltou para o hotel.

 

- Escutou isso irmão? Você precisa por sua filha na linha! – reclamou Reirena – eu tive tanto trabalho para preparar esse encontro e ela foi lá e estragou tudo!

- Certamente eu vou ter uma conversa com ela, mas há um outro ponto a se discutir – disse ele – Reina nunca faria nada para prejudicar a Ryna, logo era isso o que a Ryna queria.

- O que está dizendo? – perguntou sua irmã confusa.

- Que a Ryna quis fugir desse encontro – explicou o líder dos guardiões – lamento dizer isso Karl, mas parece que ela não gosta de você.

 

Karl fez uma cara de espanto e até Reirena ficou decepcionada, o imperador sentado em seu lugar apenas tentava evitar ficar de fora disso, a jovem empregada Suvia apenas queria parar de se envolver nestes assuntos pesados.

 

- Você é a Suvia não é? Trabalhou para a Ryna por um tempo – dizia Karl – sabe de alguma coisa para que eu possa me aproximar dela?

- t-ta-tal-talvez descobrir do que ela gosta... – dizia a garota toda assustada.

- Pode tentar de novo após os jogos mágicos, de qualquer jeito eu não quero que o desempenho dela seja afetado – pediu Eldair – até lá pode pensar em maneiras de não entedia-la.

 

O show de abertura começou com uma apresentação teatral épica sobre um evento do passado, mais especificamente a batalha que ocorreu em um dos portões da muralha 200 anos atrás, magos especializados em ilusões simulavam a horda demoníaca que atacava o portão, enquanto que atores e magos faziam o papel dos bravos guerreiros que o defenderam, naquela ocasião mil homens contiveram a horda demoníaca até que os reforços chegaram, todos eles morreram mas seu ato heroico é lembrado até hoje.

 

- Vamos então anunciar o primeiro jogo de hoje – falava o narrador – a comissão organizadora já fez o sorteio, e a prova escolhida foi time vs time!!

 

Essa era uma das provas mais esperada, finalmente haveria um confronto total entre dois times na arena, de acordo com as regras os times seriam escolhidos aleatoriamente, haveria um limite de tempo máximo de meia-hora e as condições para a vitória era derrotar todos os integrantes de um time ou permanecer com o máximo de integrantes até o fim do tempo, cada integrante derrotado vale 2 pontos, sair com seu time inteiro renderia 5 pontos extras.

 

- É uma prova simples e ao mesmo tempo importante – dizia Emadora – não precisamos de grandes estratégias, basta se adaptar ao que estiver acontecendo e cobrirmos uns aos outros.

- Vocês ouviram pessoal, vamos tentar manter o foco e dar o máximo lá – dizia Ryna tentando elevar a moral do time.

 

Os primeiros times foram escolhidos, para iniciar os jogos de hoje a Ordem da Luz enfrentaria a escola Crater, quando os nomes foram anunciados os dois times começaram a se dirigir para o centro da arena.

 

- Parece que eles não falaram nada sobre ontem – comentava Jean enquanto seguiam para a arena.

- Foi uma pena não pegarmos eles agora, mas vamos ter nossa chance – dizia Alex – vamos ganhar bastante pontos agora e continuar subindo, assim vamos enfrenta-los cedo ou tarde.

 

Os dois times se posicionaram no centro da arena, uma vez lá o juiz começou a distribuir broches para todos os participantes, tratava-se de um item magico descartável que gerava uma barreira em volta do corpo, isso impediria que danos fatais matassem um participante, mas se a barreira fosse quebrada o participante estaria fora do jogo, além disso uma magia extremamente destrutiva ainda poderia atravessar toda a proteção, o que significava que ferimentos graves ou mesmo a morte não eram impossíveis.

Com todos os detalhes explicados a primeira batalha começaria, os dois times foram teletransportados para a outra dimensão e chegaram ao campo de batalha, era praticamente o mesmo da batalha onde tiveram que destruir os cristais, o que significava que havia possibilidades para estratégias e usar o terreno ao seu favor, além disso os times começaram 200m distantes um do outro, daria tempo pra todo mundo se preparar antes de iniciarem o verdadeiro confronto.

O juiz deu o sinal para que a batalha começasse e a escola Crater não perdeu tempo, três dos seus integrantes eram magos dimensionais e eles começaram a invocar tudo que podiam com seu Mana, os 2 magos de combate foram fortalecidos pelas magias dos outros e avançaram com uma pequena horda de extraplanares dando cobertura.

Os paladinos da Ordem da Luz eram excelentes guerreiros, mas não eram tão versáteis, mesmo que o outro lado só tivesse dois para a linha de frente os seres invocados fizeram a diferença, e com o apoio dos outros logo atrás atacando com magia eles arrastaram a luta até o fim do tempo limite, no final a escola Crater ganhou a disputa perdendo 3 dos seus enquanto os paladinos perderam 5.

 

- Com isso a escola Crater ganha 10 pontos, enquanto a Ordem da Luz ganha 6 – explicava o narrador para todos – dentro de 5 minutos vamos sortear os próximos times a entrarem na arena.

 

A próxima luta foi decidida, seria a Ministes do nordeste contra a Focland do sudeste, já o pessoal da academia arcana torcia pela pequena escola enquanto esta se dirigia para o centro da arena, com a empolgação gerada pela luta anterior ambas as escolas de magia queriam fazer bonito.

 

***********************************

 

- Então você não sabia por onde andava o seu filho não é? – perguntava Aestyrondala.

- De forma alguma, eu não tenho coleira neles – respondeu Henzimal – quando eles querem passear são livres pra ir e vir.

- Entendo, então ele era responsável por si mesmo – dizia Aesty – o que significa que a lei sobre retratação não se aplica aqui.

 

Os dragões eram vingativos e muito pouco tolerantes, mas eles tinham leis sobre saírem por aí causando caos, morte e destruição, uma delas diz que dragões desgarrados são responsáveis por si mesmos, e que se forem mortos enquanto causavam confusão era problema exclusivamente deles.

Dragões realizando alguma missão para seu reino deveriam ser vingados caso fossem mortos, mas Henzimal teria que explicar que missão era essa caso exigisse o cumprimento da lei, como ele não poderia explicar e nem ligava pro seu filho morto o assunto foi encerrado.

 

- Mas que raro você entrar em contato comigo, o Dasugard estava lhe causando tanta preocupação assim? – perguntou o senhor dos dragões negros.

- Preocupações? De forma alguma – respondeu o dragão iluminado – só quis avisar que ele morreu e vai ser dissecado pelos humanos.

- Assim como seu antecessor – provocou o outro – e falando nele, não recuperou nem um pedaço do seu querido Findaral?

 

Aesty percebeu que era difícil demais conversar com seu compatriota, aquele dragão negro tinha um senso de humor doentio e era mestre na provocação, além disso ele também era especialista em maquinações, provavelmente ele já esperava que seu filho morresse, e se isso fazia parte dos seus planos então algo ruim ainda poderia acontecer neste reino.

 

- Você está se divertindo por aí não é? Acho que nenhum ancião ficou tanto tempo parado em um lugar só – comentou Henzimal.

- De fato, os jogos mágicos humanos são interessantes, estou trabalhando para que tenhamos algo parecido em nosso reino – respondeu Aesty.

- Você vai ver ficar bem mais interessante hoje – disse Henzimal.

- O que? O que isso quer dizer? – perguntou o outro.

 

Henzimal não respondeu, apenas esboçou um sorriso (dentro do possível para ele) e desfez a conexão magica, Aesty que até então estava de bom-humor agora estava frustrado, para mudar isso ele pediu uma rodada de todas as bebidas humanas que pudessem oferecer.

Enquanto isso no porão de um prédio um portal se abria, por ele atravessavam todos os membros da organização comandada por Pallas, os magos negros acompanhados de alguns mortos-vivos chegaram ao local e viram o seu líder junto com uma garota nova.

 

- Esta é a Praisia, ela vai ocupar uma das vagas deixadas pelos outros – avisou Pallas.

- Olá pessoal, vamos nos dar bem ok? – disse ela.

- Nem perguntou por que tinha vagas abertas? – brincou Duron.

- Chega de graça, hoje vamos realizar o atentado mais ousado da história – anunciava Pallas – então espero que vocês estejam bem focados nisso.

- Depois de hoje o reinado vai nos caçar mais do que aos arquidemônios – avisou Bantrade.

- Depois de hoje mostraremos que eles não são intocáveis – respondeu Pallas – e vamos deixar essa mensagem com sangue!

 

Nenhum dos seus capangas tinha aspirações grandiosas como ele, esse plano seria só mais um passo em algo que eles já vinham fazendo, alguns poucos entre eles tinham razoes pessoais que os motivava, outros queriam apenas o desafio, e alguns apenas o lucro, qualquer que fosse a razão para Pallas ousar tanto só podia ser pessoal, era o que os outros concordavam.

 

- Agora é com você Melidas, leve-os até o nosso objetivo – ordenou Pallas.

 

O elfo maligno sorriu satisfeito e abriu um portal para seus companheiros passarem, do outro lado do portal estava o reino das sombras, uma dimensão que poderia ser descrita como igual a nossa, mas com tudo feito de sombras, presenças ameaçadoras iam e vinham, mas nada que pudesse ameaçar aquele grupo, assim Pallas e seus seguidores se dirigiram para o estádio onde os jogos mágicos aconteciam.

 

*******************************

 

- Estou absolutamente nervosa – dizia Varatane.

 

Ela tinha boas razões para estar, o time da academia arcana foi o último a ser escolhido para a primeira prova do dia, e pra piorar o seu adversário era a ordem de Dranares, a melhor escola em termos de poder de combate a participar.

Agora já na arena dimensional eles aguardavam o pouco tempo que faltava para a partida começar, seus adversários distantes 200m já pareciam prontos para uma guerra.

 

- Demos azar com o adversário, mas vamos manter o plano – dizia Emadora – Jinshu e Reina vão ser a linha de frente junto com o golem do Karias, nós dois ficaremos na retaguarda enquanto eu passo instruções por telepatia.

- Varatane e eu daremos apoio aéreo – dizia Ryna – enquanto Arik e Kuzoha vão ficar entre a vanguarda e a retaguarda dando apoio.

- Então sobrou pra nós dois o trabalho mais difícil – disse Darch olhando pro Emílio.

- Trabalho furtivo não faz o meu estilo, mas pode ser que com isso viremos o jogo – respondeu Emílio.

 

O juiz autorizou o início da batalha, como foi planejado Reina e Jinshu avançaram correndo pelo campo de batalha, Karias invocou um golem humanoide para ajuda-los, ele não era grande e poderoso como os golens da Focland mas era muito bem trabalhado e ágil, além disso carregava uma espada e escudo para combater de acordo com os comandos que recebesse.

Enquanto Karias e Emadora procuravam um lugar alto Ryna e Varatane conjuravam suas magias, Varatane invocou um grande pássaro de plumagem verde enquanto Ryna conjurou sua popular magia de asas angelicais, com as duas subindo aos céus Kuzoha e Arik tomavam o meio do campo de batalha.

Já Darch e Emílio tomaram o caminho lateral para se esconderem no bosque que havia ali, enquanto eles corriam para ficar entre as árvores três membros da Dranares iam no encalço deles, o fato de que todos daquela escola eram guerreiros implicava que todos eles podiam ir para a linha de frente esmagando qualquer oposição com vantagem numérica.

Varatane e Ryna tomaram a dianteira e pelo céu contornaram o campo de batalha para flanquear os oponentes, enquanto 4 dos Dranares avançavam pra lutar contra Reina e Jinshu 3 deles tomavam o caminho para a batalha aérea também, o líder do time permaneceu no centro da formação instruindo a todos.

 

- Vou usar as flechas expansivas – avisou Varatane.

- Ok, eu vou lhe dar cobertura – respondeu Ryna.

 

De certa forma Ryna estava feliz por poder lutar ao lado dela, desde cedo que o clima estava pesado entre as duas, mas assim que as batalhas começaram elas tiveram que deixar os assuntos pessoais de lado, com determinação elas estavam focadas unicamente em vencer.

Quando os três vieram voando na direção delas Varatane disparou duas flechas simultaneamente, a primeira se dividiu em outras 20 flechas ampliando a área de ataque, já a segunda transformou-se em fogo e misturou-se com as outras criando assim uma chuva de fogo direcionado, Ryna conjurava um relâmpago e o manteve concentrado no dedo para disparar no momento mais oportuno, que foi justamente quando os três inimigos desviaram das flechas, ela escolheu aquele que parecia ter tido mais dificuldade e disparou nele o relâmpago certeiro que o jogou contra o chão na mesma hora.

 

- Eu vou finalizar – disse Varatane disparando uma flecha carregada contra o alvo no chão.

 

A flecha o atingiu em cheio explodindo em seguida, com a proteção do amuleto todo o dano foi neutralizado mas o aluno derrotado foi mandado de volta, nesse meio tempo os outros dois voando dispararam simultaneamente uma poderosa bola de fogo que voou na direção das duas, Ryna rapidamente subiu de lá para escapar da explosão, mas o pássaro no qual Varatane estava montado por algum motivo ficou imóvel, as duas bolas de fogo a atingiram explodindo e fazendo chover fogo do céu.

 

- Droga, pegaram a Tane! – disse Reina em combate contra dois alunos.

- Você tem mais o que se preocupar – disse um dos dois que a atacava.

 

Reina estava tendo dificuldades em enfrentar dois ao mesmo tempo, foi quando o golem do Karias chegou para ajudá-la, enquanto isso Jinshu estava em seu modo dragão enfrentando dois também, podia-se dizer que a linha de frente estava empatada agora, o líder do time Dranares observava a luta e também o bosque para onde seus três companheiros foram interceptar Darch e Emílio, ele sabia que os dois intencionalmente os atraíram para uma armadilha, mas eliminar o mago negro do time valia o risco.

 

- E enquanto isso aqueles dois cuidam da Ryna – disse ele olhando pro alto e vendo os dois perseguir a maga branca – acho que está na hora de fazer alguma coisa também.

 

Ele invocou um elemental do fogo em forma de lagarto gigante, o elemental após ser invocado atravessou o campo de batalha na direção da Kuzoha e Arik, este pulou na frente da garota para protege-la, mas Kuzoha começou a conjurar algo em sua língua nativa.

 

- Água apaga o fogo – disse ela fazendo movimentos com as mãos.

 

Kuzoha fez surgir um turbilhão d’água que caiu sobre o elemental do fogo, com um grito que se transformou em chiado o elemental desapareceu quando a água escorreu pela terra, depois disso ela fez uma nova conjuração que invocou uma lança de aço do chão.

 

- Água filtra o metal – disse ela em sua língua falando sobre a relação entre os elementos – está lança agora tem o dobro do poder.

 

Com o Mana ela atirou a lança com uma enorme potência Dullan vendo que seria morto por ela no mesmo instante conjurou uma magia abrindo um portal na frente dele, a lança entrou pelo portal e saiu pelo outro que se abria no céu, e nesse ponto a lança voltou em direção à Kuzoha, Arik percebeu isso e rapidamente ergueu a barreira com seu escudo, mas a lança estava tão fortalecida que atravessou a barreira e o seu conjurador em seguida.

 

- Droga, perdemos o Arik – reclamou Emadora vendo-o desaparecer – Darch e Emílio, vocês vão dar conta desses três?

 

A resposta que eles deram foi ver tentáculos de trevas surgirem da escuridão do bosque, agarrando a maga da Dranares puxou a garota para dentro da mata, em seguia o aviso de mais um competidor desaparecendo foi ouvido.

 

- Tentáculos puxando a garota pra dentro das trevas, o quão sugestivo ele pode ser? – perguntou Emadora.

- Vou dizer isso de novo: sua magia é assustadora pra caralho – disse Emílio do lado dele.

- Você a fortaleceu com a sua, não reclame – respondeu Darch – o importante é que estamos mantendo o ritmo.

 

Os dois estavam dentro do bosque e não tinham a intenção de sair, os seus dois adversários ficaram do lado de fora e não ousavam entrar, foi então que começaram a destruir tudo, eles usavam magia de grande impacto para por tudo abaixo enquanto a dupla fugia para fora do alcance, no céu Ryna apenas fugia dos dois que não conseguiam alcança-la de jeito nenhum, Emadora lhe instruiu a tentar ganhar tempo, e se eles desistissem de persegui-la que focasse em ataca-los.

 

- O que eu devo fazer? – perguntou Kuzoha.

- Aquele cara é o líder do time Dranares, ataca-lo de longe não tem sentido se ele pode enviar os ataques de volta – explicou Emadora – você pode fazer aquele monstro de madeira de novo não pode? Vá confronta-lo diretamente.

 

Kuzoha suspirou e depois plantou uma semente no chão, recitando um mantra em sua língua ela fez um novo espirito arbóreo surgir para servi-la, ao mesmo tempo ela criou um shikigami em forma de pássaro para voar até a Ryna, com isso ela foi em direção ao líder da ordem de Dranares.

 

- Você pode me ouvir Karias? Você disse que seu golem tinha um truque não disse? – perguntou Reina.

- Sim, mas ele precisa de alguns segundos para usar – respondeu ele através da telepatia – por que a pergunta?

- Tá na hora de usar – respondeu ela apontando pra frente.

 

Ela se referia aos dois que ela estava enfrentando junto com o golem, um deles tinha recuado para usar magia enquanto o outro lutava na frente, agora que a conjuração estava terminada o que lutava recuou para sair da área de efeito.

A magia que o mago Dranares conjurou foi um enorme furacão que avançou horizontalmente na direção da Reina, o golem do Karias se pôs na frente e estendeu os braços pra frente criando uma barreira de Mana, mesmo com todo o cenário ao redor sendo varrido ele permaneceu firme enquanto Reina atrás dele conjurava uma magia também.

 

- Até parece que vamos deixar um boneco nos impedir! – disse o outro que conjurava uma magia também.

 

Ele criou uma esfera de energia vermelha e jogou na frente do furacão, ao entrar em contato com a magia de vento explodiu violentamente, a explosão que deveria ter se expandido na verdade foi toda direcionada para a frente pelo forte vento, e assim tanto o golem como Reina foram varridos do campo de batalha terminando assim a participação dela.

 

- heheheheh ela não era grande coisa – disse Dasa – agora vamos pegar o outro... o que é isso?

 

Ele olhou pro chão abaixo dos pés deles onde um círculo magico apareceu, os dois até tentaram sair da área de efeito mas foram pegos pelas inúmeras e variadas lâminas que brotaram do chão, com seus corpos atravessados os dois foram eliminados e voltaram para a arena no estádio.

 

- Até parece que eu ia cair sem levar pelo menos um de vocês comigo! – disse Reina ao lado dos seus companheiros.

- Desgraçada, isso não foi nem um pouco justo! – reclamou Clod.

- Fodam-se, isso é uma guerra – disse ela cruzando os braços altiva.

- Acho que isso é um evento esportivo – comentou Varatane do seu lado.

 

Reina eliminou os dois adversários antes de ser eliminada, com isso basicamente a situação continuava empatada mas com uma leve vantagem para a academia arcana, vendo que precisava assegurar a vantagem Jinshu decidiu lutar com tudo conjurando um relâmpago através da lança.

 

- Mas que droga ele está fazendo? – perguntou Aneta após saltar para desviar do relâmpago que explodiu o chão.

- Ele quis nos afastar dele, esse desgraçado pretende...

 

Jinshu usou o tempo que ganhou para conjurar a magia de invocação, com ela Jinshu trouxe o seu wyvern e rapidamente subiu em suas costas, os dois que o enfrentavam acharam que ele ia mudar para combate aéreo, mas quando já estavam se preparando para isso viram que ele na verdade deixou a batalha e foi em outra direção.

 

- Droga! Ele está indo na direção do Stephan e Kuchi! – disse ele ao perceber a direção.

- Aqueles dois são os melhores no combate aéreo, deixem que cuidem disso – avisou o líder Dullan – agora vão atrás daqueles dois lá atrás, se eles continuarem ilesos vamos perder a luta quando o tempo acabar.

 

Usando magia de aceleração eles rapidamente foram perseguir Karias e Emadora, ao vê-los chegando Karias invocou seu golem quadrupede e montou nele junto com Emadora, o objetivo sempre foi manter-se longe d batalha para assegurar a vantagem numérica.

 

- Malditos covardes! Voltem aqui! – gritou a garota em perseguição.

- Todos na ordem de Dranares são assim? – perguntou Karias assustado.

- Tudo bem, basta continuar correndo – disse Emadora – contanto que eles não nos peguem vamos vencer do mesmo jeito.

 

No céu Jinshu começou a perseguir os dois que perseguiam Ryna, uma vez que o wyvern era forte ele contava como um inimigo adicional, a fera dracônica soprou um relâmpago na direção dos dois que se dividiram, um deles deu a volta por baixo enquanto o outro dava a volta por cima, seus alvos eram os dois novos que chegaram para atrapalha-los.

 

- Precisa de ajuda? – perguntou Ryna.

- Não precisa, eu me viro com eles – respondeu Jinshu contra-atacando – vá ajudar aqueles dois, eles não vão conseguir correr por muito tempo.

 

Ryna concordou e foi na direção da Emadora e Karias, no meio do caminho ela pousou para renovar a duração da sua magia, enquanto isso Darch e Emílio entravam em combate contra os dois que os perseguiam.

 

- É a minha primeira vez com um mago negro, espero que você não me decepcione! – disse Steude trocando golpes com Darch.

- Nenhuma garota reclamou até hoje – respondeu Darch.

- Ainda tô tentando conseguir a minha vez – disse Emílio do lado dele.

- Será que dá pra parar com essa viadagem!? – reclamou Helvin atacando Emílio.

 

Os dois amigos riram e Emílio afastou-se de Darch, quando ele fez isso imediatamente a sombra do Darch transformou-se na serpente negra gigante que ele usou em sua primeira batalha, quando a serpente ergueu-se por trás do Steude para engoli-lo uma aura vermelha brilhante explodiu do corpo dele destruindo a sombra e jogando Darch pra trás.

 

- Her! Não pense que vai me pegar com esse truque! – desafiou Steude – sabemos muito bem que você teve tempo de sobra pra conjurar suas magias.

- E você veio me caçar justamente porque tinha contramedidas não é? – disse Darch meio atordoado no chão – mas tem uma coisa que você ainda não sabe sobre mim.

 

A gosma na qual a serpente negra se transformou mudou de forma desenhando um círculo magico no chão, depois disso uma explosão de chamas negras aconteceu embaixo dos pés do Steude que coberto por elas começou a gritar e rolar pelo chão, não demorou muito até ele ser enviado de volta para a arena apenas com queimaduras superficiais.

 

- Esse desgraçado! – disse Helvin.

- Não se distraia, é comigo que você está lutando! – disse Emílio passando a ponta da espada em seu rosto.

- Essa esgrima tosca não vai me derrotar – disse Helvin – pra começar o que diabos você é? Um mago da inspiração metido à linha de frente!?

- Estou criando um novo estilo, me avise se gostar dele – respondeu Emílio – alias, você não notou nada?

 

Os movimentos do Emílio não eram em vão, sem que Helvin notasse Emílio estava desenhando a conjuração com a espada a cada ataque deixando letras flutuantes no ar, quando ele terminou toda a conjuração recitou o nome da magia e as letras se juntaram formando a [Espada de Fogo] que materializou-se no ar e atacou Helvin por cima, este rapidamente bloqueou o ataque mas sentiu o sabre do Emílio furando-lhe a barriga.

 

- Até parece que eu vou perder pra esse viadinho! – gritou Helvin girando a espada.

 

Ele acertou Emílio no pescoço, sem a proteção do amuleto com certeza sua cabeça teria voado longe, mesmo assim quando a lâmina terminou de passar pelo seu pescoço Emílio se viu na arena, ele olhou pro lado e viu Reina encarando-o, ele acenou pra ela fazendo a garota suspirar.

 

- Pelo menos você podia ter levado um com você não é? – dizia ela.

- Fiquei sabendo que você levou dois, você continua implacável como sempre – disse ele.

 

Na arena Darch tinha assumido o controle da [Espada de Fogo] conjurada pelo Emílio, com ela atravessou a barriga do Helvin terminando de elimina-lo e fazendo-o voltar para a arena, Helvin estava praticamente espumando pela boca por ter sido derrotado por essa magia.

 

- Isso é por ficar chamando-o de viadinho – disse Darch – agora vejamos, pra onde eu vou agora Emadora?

- Ah já terminou? Então talvez você possa se juntar à Kuzoha – pedia Emadora – o líder deste time é bem forte, um mago dimensional do combate.

- Igual ao Jinshu, tudo bem por mim – respondeu ele – estou indo agora mesmo.

 

Darch começou a andar mas subitamente parou de se mover, como se algo estivesse segurando-o ele sentiu o Mana dentro do seu corpo se agitar e uma presença aparecer atrás dele, era como se fosse um fantasma que estava agora se tornando visível e vermelho.

 

- Mas que porra de bicho é esse!? – perguntou Darch se debatendo com o ser que o segurava.

- É um ser astral, agora eu lembro que o pássaro invocado da Tane parou de se mover – explicou Emadora – parece que ele se liga ao Mana de que possui e passa a controlar seus movimentos, ah sim e ele agora tá corrompido pelo seu Mana.

 

A criatura que parecia um fantasma deu uma gargalhada maligna e passou a controlar o braço do Darch, sem hesitação nenhuma ele fez Darch apunhalar o próprio peito com a espada encerrando assim a participação dele, de volta a arena Darch foi se juntar aos amigos, com isso metade do time já tinha sido eliminado.

 

- Falta 5 minutos para a batalha acabar, acho que estamos iguais não é? – disse Varatane olhando pro outro lado.

- Não se preocupe, os que estão lá vão virar o jogo – disse Darch confiante.

 

Kuzoha estava tendo problemas com Dullan pois suas habilidades em combate e dimensões eram problemáticas, o ser astral que ele invocou bem no inicio da luta estava descontrolado mas escolheu ataca-la primeiro, mesmo sendo visível agora ela não teve muita chance, ao criar uma barreira para conte-lo abriu a guarda e foi cortada pelo Dullan, este ao ser atacado pelo seu próprio ser astral simplesmente desfez a magia que o mantinha neste mundo.

Com a derrota da Kuzoha o time da academia arcana estava perdendo, mas rapidamente Jinshu eliminou um adversário igualando o jogo, vendo que toda a batalha estava concentrada em um lugar ele deixou o seu wyvern lutando e se teletransportou para onde os outros estavam, ele chegou bem a tempo de ver Ryna usando sua magia ofensiva mais poderosa.

 

- [Destruição Sagrada] – conjurou ela.

 

Uma esfera de luz se formou em sua mão e cresceu, após atingir um certo tamanho foi arremessada onde os dois inimigos estavam, esta magia de propriedade sagrada não tinha tanto efeito assim em humanos, mas foi o suficiente pra derruba-los, com a abertura que isso causou Emadora jogou sobre os dois uma magia que fazia com que lutassem entre si.

 

- Meu wyvern foi derrotado – disse Jinshu sentindo a magia se desfazer – aquele cara é muito bom.

- Só falta um minuto, já vencemos essa – disse Ryna ao ver os dois lutando entre si saírem do jogo.

 

O que ela não esperava é que Dullan surgisse do nada ao lado da Ryna em pleno ar, ele na verdade tinha usado o mesmo método do Jinshu e se teleportado até lá, girando o corpo ele usou o machado que empunhava para cortar Ryna ao meio, felizmente o dano que teria sido mortal foi anulado pelo medalhão e Ryna voltou para a arena.

 

- Mas que droga! – praguejou ela frustrada.

 

O tempo acabou com Jinshu, Emadora e Karias ainda na outra dimensão, do lado da Ordem de Dranares restaram apenas dois, no fim das contas a academia arcana acabou vencendo por uma pessoa de diferença.

 

- Com isso a academia arcana ganhou 16 pontos, enquanto a ordem de Dranares faturou 14 pontos – explicava o narrador – assim encerra-se a primeira competição de hoje, como de costume iremos para o intervalo e na volta teremos mais uma grande disputa!

 

Todos os times já tinham lutado por hoje, por isso iriam descansar o máximo possível para o próximo evento, sendo a hora do almoço a ideia central era comer praticamente o dobro dos outros dias, por isso em sua sala o time da academia arcana almoçava vorazmente.

 

- Fiquei preocupado com vocês hoje – dizia Deriv – parecia que estavam fora de forma.

- Tivemos uns probleminhas noite passada – respondeu Ryna meio sem graça.

- Vai ficar tudo bem agora, estamos mais despertos – disse Darch – contanto que a próxima prova não seja pior que a anterior.

 

Enquanto todos almoçavam a próxima prova era escolhida, o comitê organizador já passava as instruções para todos os envolvidos e principalmente para Ardof que controlava o sistema da dimensão alternativa, os magos que controlavam o sistema de comunicação também estavam preparando o show para o próximo evento, um dos funcionários viu algo estranho pelo corredor, algo como uma nevoa negra e curiosamente foi investigar, ao abrir uma porta uma mão esquelética o agarrou e o puxou para dentro.

 

- Foi muito fácil entrar – comentou Duron enquanto via o pobre funcionário ser devorado vivo.

- Geralmente quando se pensa que a segurança é infalível não se nota as brechas – disse Pallas – a arrogância dos reis e nobres é a maior causa de suas quedas.

 

Na sala além de Pallas e seus capangas havia um grupo de mortos-vivos, todos grandes e vestindo armaduras completas, pequenos demônios também estavam a postos para qualquer coisa, era um grupo composto pelo pior que a escuridão poderia oferecer.

 

- Nosso alvo é um só: a princesa imperial Ryna – dizia Pallas como se quisesse confirmar tudo – vamos mostrar a morte dela para todos que estão assistindo este evento!

 

Continua.


Notas Finais


Na capa temos o golem humanoide do Karias.
.
Tivemos um pequeno desentendimento entre Tane e Ryna, mas no final elas ainda são amigas lutando pelo mesmo homem rsrsrsr
Eu queria ter feito lutas mais detalhadas, mas quando ter tanta gente envolvida é complicado dar detalhes, pelo menos no próximo capitulo vamos ver o que Pallas está planejando.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...