História Herdeiros do amanhã. (Interativa) - Capítulo 18


Escrita por: ~ e ~Lhdf31

Visualizações 70
Palavras 2.034
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção Adolescente, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Desculpem.

O capitulo ficou extremamente curto, mas já foquei em alguns personagens. Me digam o que acharam deste capitulo, juro que o oito vai ter mais ação e menos falação.

Capítulo 18 - Capitulo 7


Depois do anúncio feito pela diretora , a maioria dos alunos ficou inquieto.

 

-- Gente, será que é algo grave? – Sophie parecia bem preocupada.

 

-- Eu estou ficando preocupada. – Mary disse enquanto enrolava o cabelo loiro em seus dedos.

 

-- Não se preocupem. A diretora só deve ter deixado os cães infernais soltos, ou talvez os dragões tenham resolvido atacar a academia, ah, os sátiros e as ninfas também podem ter se rebelado. – Raph dizia tentando acalmar a todos.

 

-- Isso me parece bem ruim. – Zaiko disse encarando o platinado com seus olhos negros e uma cara um pouco preocupada.

 

-- Não se preocupem. Isso já aconteceu antes. Apenas fiquem nos seus quartos e tudo  ficará bem. – Nathaniel disse trazendo um pouco mais de paz as pessoas. – Agora, por favor, quem terminar dirija-se aos quartos, ok? – Nathaniel disse saindo e sendo seguido por Violeta.

 

Marina...

 

A garota de cabelos azuis caminhava pelo extenso corredor indo em direção a sala da diretora. Ela seguia o caminho lentamente até que tromba com a mesma.

 

-- Marina! O que faz aqui? Pensei que tivesse ido para o seu quarto. – A diretora disse segurando-a pelos ombros evitando que caísse.

 

-- A senhora me mandou buscar a quimera.

 

-- Ah, sim, a quimera. Vamos pega-la. – A diretora saiu puxando a garota até a sala dela onde Ellie se encontrava digitando algo no computador. – Aqui está. – A diretora disse pegando uma corrente que terminava num pescoço de leão.

 

A criatura possuía uma cabeça de leão, outra de cabra e uma de dragão. Seu corpo era uma mistura dos três, tendo asas de dragão, a parte da frente do corpo é a de um leão, e a traseira de uma cabra. No lugar da calda havia o corpo de uma serpente venenosa que deixava a mostras suas presas brancas.

 

-- Obrigada. – A garota agradeceu e saiu.

 

 

Lunna...

 

Depois da saída da garota, a diretora se voltou a sua companheira.

 

-- Ellie, preciso que chame a Zafira e avise as ninfas que o cais será interditado por hora.

 

-- A senhora tem certeza?

 

-- Não temos tempo a perder. Se for como da última vez....

 

-- Não podemos deixar que aquilo aconteça novamente!

 

-- Eu sei. Por isso mandei que os alunos ficassem nos quartos deles, é uma medida de segurança, não posso arriscar a vida deles, não mais.

 

-- Mas e os outros, senhora? A ninfas, naiades e sátiros?

 

-- Nós não podemos fazer muito para os que não estão ao nosso alcance. Por hora mande que os sátiros retornem, que as ninfas e naiades deixem os cais e voltem até nós. É o máximo que posso fazer agora.

 

-- Eu farei o que pediu. Quer que eu os chame? 

 

-- Sim, convoque a todos. Temos muito a resolver e quero que todos saibam o que falaremos lá dentro.

 

 

Nicolas...

 

O garoto alto e de pele clara andava pelo corredor da sua ala indo em direção ao quarto estando um pouco chateado.

 

-- As aulas mal começaram e já vão acabar? Qual é? – O jovem de olhos azuis disse se trancando no quarto.

 

O quarto não era muito luxuoso, na verdade era bem simples. Tinha uma escrivaninha feita de uma madeira muito resistente e clara, e sobre ela tinha um computador. As cortinas amarelas haviam sido substituídas por pretas com pequenos raios desenhados em branco. A cama tinha um lençol vermelho com o símbolo da Cavaliers, e o travesseiro tinha um desenho como o de uma bola de basquete também com esse símbolo.

 

O guarda roupa era feito de uma madeira mais escura e com portas de correr. Na porta do meio tinha um enorme espelho que refletia todo o resto do quarto, que constava basicamente na porta que dava ao banheiro e uma bola de basquete.

 

O garoto de olhos tão azuis quanto o céu se jogou na cama até que ele ouviu um barulho vindo da ventilação.

 

-- Onde você está indo? A saída é para cá, tenho certeza. – Dizia uma voz abafada.

 

-- Não, não. Tenho certeza que vi uma luz daquele lado ali.

 

Depois daquela fala, Raph e Rubi caem no espaço vazio do quarto, trazendo junto, a poeira da ventilação

 

-- O que vocês dois estão fazendo aqui??

 

-- Cala a boca. Se a diretora descobre, a gente ta fudido. – O Raph disse fazendo um gesto de silencio com a mão.

 

-- Olha, nós não queríamos ficar nos quartos, então resolvemos fugir, mas o idiota ai não sabe se locomover na ventilação. – Rubi disse sem encarar o platinado nos olhos

 

-- Por que estavam na ventilação? Não podiam ter usado a porta? – Nicolas perguntou como se usar a porta fosse a escolha mais obvia.

 

-- Eu queria que fossemos só eu e o Rubi, mas ele quer chamar o resto do pessoal, então, já que estamos aqui vamos logo. – Raph disse se levantando

 

-- Por que acha que eu iria com vocês? – O garoto disse se levantando da cama.

 

-- Porque ouvimos você resmungando, então vamos logo! – O Rubi disse já sem paciência.

 

-- Ok. – O garoto de cabelos castanhos abriu a porta e eles começaram a fuga.

 

-- O que faremos agora? – Rubi falou.

 

-- Chamamos o resto ué. – O Raph disse batendo na porta da Luana e o Nicolas foi bater na de Zaiko. – Oi Luana, quer se divertir? – Raph disse quando a mesma abriu a porta com seus óculos de realidade virtual em cima da cabeça.

 

-- Quero, claro! – Ela disse abraçando Raph e pulando para fora, mas voltando logo em seguida para deixar seus óculos dentro do quarto. – A aventura esta lá fora. – Faz uma pose de herói usando um palito de picolé como espada.

 

-- Ah, oi Zaiko. Quer fugir dos quartos com a gente e dar uma volta por aí? – Nicolas perguntou num tom muito convidativo quando o garoto japonês de cabelos alaranjados abriu a porta.

 

-- Não. – E voltou a fechar a porta.

 

-- E aí Nico, se é que posso te chamar assim, conseguiu convence-lo? – Raph disse se escorando no ombro do mesmo que ainda encarava a porta.

 

-- Não e não. Não me chame de Nico e não consegui convencê-lo. – O garoto de ollhos azuis foi se dirigindo a saída da ala.

 

-- Bom, já somos quatro, agora só faltam.... mais uns quarenta alunos. – Rubi disse soltando um suspiro por fim.

 

-- Então vamos logo! – Luana e Raph disseram juntos e começaram a saltitar na frente dos outros dois.

 

 

Zaiko...

 

O garoto de cabelos num tom de laranja estava com um sorriso de “fala sério” enquanto ligava seu computador.

 

- Aquele cara, o Nicolas, ele queria que eu fugisse. Pff, capaz mesmo que eu vá me meter numa encrenca dessas. – O garoto disse antes de ser atingido por um taco de baseball.

 

-- Boa noite, senhor “não me meto em confusões”. – O  rapaz loiro encapuzado disse pegando  o mesmo e amarrando seus braços e pernas logo em seguida jogando-o em suas costas. – Estaria mais seguro com seus amigos senhor Denki. – Diz antes de se teletransportar para alguma casa no meio da mata.

 

-- Você pegou algum aluno? – Aquela mesma voz que quase não podia ser ouvida falou.

 

-- Sim, senhor Cronos, fiz como pediu! – O rapaz colocava o japonês totalmente amarrado e desmaiado no chão.

 

-- Excelente, já temos como barganhar com eles. Eu finalmente a terei. Finalmente terei o que me pertence. – A voz riu até sumir lentamente.

 

Sophie...

 

A loira estava sentada em sua cama encarando o teto entediada.

 

-- Poxa, nem deu tempo de falar com o pessoal, os horários são muito apertados e ainda mandam a gente ficar nos quartos? E a aula livre? Pff, droga. – A loita começava e ficara com raiva enquanto rolava na cama. Ela para ao ouvir uma batida na porta.

 

-- Sophie você está aí? – Ela ouvia uma voz masculina a chamando do outro lado.

 

-- Sophie... – Antes que pudesse terminar a frase, Sophie abre a porta e Nicolas cai em cima dela juntou com Luana.

 

-- Ah, oi. Tudo bem? Quer fugir com a gente? – Luana falava muito elétrica.

 

-- O quê? – Sophie anda tentava processar a informação.

 

-- Ela quer saber se gostaria de sair conosco para... sei lá, assaltar a cantina? – Nicolas disse se levantando e ajudando Sophie a ficar de pé.

 

-- Bom, eu não tenho nada melhor para fazer mesmo, vamos, claro! 

 

Os cinco então saíram e foram chamar a todos.

 

-- Não vai chamar sua irmã Raph? – Rubi perguntava apontando para o quarto da mesma, a única porta que estava coberta por gelo, sem nenhuma vida.

 

-- Não, ela não gosta dessas coisas, é capaz de nos dedurar. – Raph respondeu puxando a todos para a próxima ala.

 

 

 

Zaiko...

 

Depois de muito tempo, o garoto acordou, ainda meio zonzo, mas conseguia ver que não estava mais em seu quarto. O garoto logo percebe a enorme figura de capa negra se aproximando.

 

-- Ora, acordou? – O homem disse com uma voz grossa.

 

O garoto tentou falar algo, mas sua boca estava presa por uma fita.

 

-- Oh, quase me esqueço, vamos tirar isto aqui. – O homem loiro dizia tirando a fita da boca do rapaz.

 

-- Onde eu estou? Quem é você? Por que estou amarrado? –  Zaiko dizia tentando desesperadamente se soltar.

 

-- Calma garotinho, não vou machucá-lo. Apenas preciso manter a diretora longe.

 

-- A Lunna? Quem é você e o que quer com a nossa diretora?

 

-- Digamos que meu mestre apenas quer a parte do acordo dele.

 

-- Que acordo?

 

-- Você acha que vou falar algo para um garotinho que está do lado dos deuses? Jamais trairei meu senhor. – O Homem riu. – Mas digamos que seja um acordo um tanto ruim, e seria bom se ela colaborasse.

 

-- Eu não estou entendendo onde eu entro nessa história toda.

 

-- Ora, você será nossa moeda de troca.

 

Nicolas...

O grupo com mais de quarenta alunos seguia pelo corredor.

 

-- Certo, todos aqui? – Violeta se pronunciou. 

 

-- Sim! – Todos gritaram.

 

-- Espera aí, acho que esquecemos de alguém. – O garoto de olhos azuis disse olhando atentamente os vários rostos. – A Helena! Cadê ela?

 


-- Nossa, acho que essa nós esquecemos.

-- Falta a Iasmim também! – Gregory gritou.

 

-- Ok, eu e o Nicolas vamos buscar a Helena, o Gregory e a Kira buscam a Iasmim. O resto espere aqui sob o comando do casalzinho ali. – Violeta disse enquanto puxava Nicolas para o corredor de Zeus.

 

 

Quando chegaram ao quarto de Helena, Nicolas foi quem bateu na porta.

 

-- Uhnn...... – Violeta fez um coraçãozinho com a mão.

 

-- Calada. – Nicolas disse logo em seguida sendo recebido pela garota de cabelos castanhos que abria a porta vagarosamente.

 

-- Posso ajudar? – A garota disse com um olhar de incomodo.

 

-- Estamos planejando fugir, gostaria de ir conosco? – Violeta disse, e mesmo que não devesse usar seus poderes, ela fez com que a garota se animasse e aceitasse o convite.

 

 

Kira...

 

A garota de cabelos cacheados e negros seguia Gregory que andava rapidamente até o quarto de Iasmim.

 

-- Iasmim! – Gregory gritou batendo várias vezes na porta.

 

-- Já vai, já vai! Não precisa quebrar a porta! – Iasmim gritava um pouco irritada com o barulho.

 

-- Estava chorando? – Gregory fala observando que a garota que abrira a porta tinha os olhos vermelhos.

 

-- Não! Diga logo o que quer.

 

-- Eu e a Kira...

 

-- Kira? Agora você virou amiguinho dela é? Então fale com ela seu idiota! – Iasmim tenta bater a porta na cara de Gregory mas ele era mais forte

 

-- O que está acontecendo com você? Você não era assim.

 

-- Não está acontecendo nada eu só....

 

-- Eu só o que?

 

-- Eu só estou com medo de que você me troque por aquela maldita russa.

 

-- Jamais. Você é minha melhor amiga, eu e a Kira só temos muito em comum, certo Kira?

 

-- Sim, e ele realmente só fala em você. – A garota respondeu ainda no corredor.

 

-- Então, agora aceita se juntar ao nosso grupo de fuga?

 

-- Vocês e quem mais?

 

-- Sei lá, só nós e os novos alunos.

 

-- Caramba, vocês vão roubar a cantina? Por que se forem eu quero sorvete.

 

-- Então vamos.

 

 

Continua....


Notas Finais


Comentem o que acharam, sei que deve estar horrivel, mas é o que temos pra hoje.


Até a proxima.

Beijinhos da louca *3*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...