História Here Comes the Sun - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui
Tags Ally Brooke, Camila Cabelo, Dinah Jane, Lauren Jauregui, Normani Kordei
Visualizações 53
Palavras 1.313
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Detalhes de um sorriso


- O que acha que devo fazer? - Dinah perguntou, olhando a movimentação em sua sala
Holly e Ayla discutiam sobre quem é o melhor em um desenho esquisito, que Dinah lera Gravity Falls na abertura. Camila apenas olhava as duas sem expressão alguma. Com certeza sem entender o porquê de gêmeas tão barulhentas terem chegado e se apossado da televisão. Dinah adorava as gêmeas de Ally, tanto, que era juntamente com sua esposa, a madrinha de Holly e Ayla, muito amadas pelas loirinhas de pele morena.
- Eu não sei... - Mani sussurrou, encarando fixamente Camila, que continuava a olhar as gêmeas
- Eu também não! - Dinah exclamou frustada - Eu já alimentei ela... É um bom começo não é?
- Eu não sei... - ouviu novamente, a amiga sussurrar aérea
- Nós temos um bom convívio certo? Porque já consegui fazê-la me responder... E ela não respondia ninguém, ela gosta de mim okay? - divagou alto, encarando a melhor amiga
- Eu não sei...
- Ah Mani! Dá pra dizer algo que não seja "não sei"?! - Dinah exclamou baixo, para não chamar a atenção das meninas, brava pela óbvia alienação de Normani
- Mas eu não sei, DJ! - a negra exclamou, finalmente olhando para a loira a sua frente
- Droga! O que Lauren faria hein? - perguntou alto, procurando uma saída rápida e menos desesperada para tudo aquilo
- Te mataria - Normani foi categórica, e as duas riram alto, nervosas
- E a Ally, Mani? O que ela faria?
- Horários - Normani deu de ombros
- Horários? - Dinah questionou, confusa
- É Dinah, horários. Allysson diz que toda criança necessita de horários, pra tudo! As gêmeas tem horário até pra tomar banho! - a morena exclamou
- Entendi... - a mulher sussurrou - Ela tem que ter horários pra comer, também?
- Claro... E pra brincar, estudar e dormir e... É tão cheio de coisa! Só Ally mesmo pra entender e fazer! - Mani exclamou, devidamente frustada
- Eu não sei não Mani... Camila nem roupa tem!
- Já sei o que fazer então! - a negra exclamou sorrindo
- O quê?!
- Compras! - berrou, fazendo todas olharem e em seguida, gargalhou
Dinah teve que rir, junto das gêmeas
Normani não era a pessoa mais ajuizada, por isso, elas davam certo juntas
E ainda rindo, de relance, viu a sombra de um sorriso nos lábios de uma certa garotinha.
°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°
- Está confortável? - Dinah perguntou pela terceira vez seguida a Camila, enquanto terminava de afivelar o cinto de segurança em seu acento
Camila não entendia o que era "confortável" mas se a moça do cabelo de sol queria saber se ela estava gostando, ela estava. Por isso, tocou o nariz sinalizando o seu sim e fazendo Dinah suspirar aliviada e sorrir
Estava indo tudo bem
Seu medo era somente, levar a garota ao shopping
Ouviu uma buzina e olhou a tempo de ver a Range Rover Evoque laranja, nada chamativa de Mani, sair do estacionamento, indo a frente com as gêmeas
Acenou rapidamente e focou sua atenção na garotinha, que a olhava fixamente
Os olhos castanhos ainda mais claros e mais belos pelo sol
Completamente linda, mesmo com o cabelo caindo sobre o rosto em repicados estranhos
Será que ela deixaria cortar...?
- Você gostou das meninas, Mila? Eu sei que são barulhentas, mas são boas meninas... - perguntou pensando nas gêmeas Kordei-Brooke
Como ela esperava, precisara somente uma breve explicação sobre as condições de Camila para Holly e Ayla entenderem que a nova coleguinha era especial, e terem cuidado em ser gentis com ela. Eram mesmo, as filhas de Ally
Camila tocou novamente o narizinho, indicando que realmente gostara das duas meninas. Na pequena cabecinha, ela não sabia direito quem eram as loirinhas e tinha tremido de medo ao vê-las entrar na casa. Mas seu medo fora em vão, as gêmeas foram engraçadas e doces com ela, tentando a colocar em toda  conversa que tinham e a chamando pra brincar, ficando um pouco frustadas ao perceberem que a amiga não iria mesmo falar com elas. De fato, elas eram lindas e eram meninas, algo que incomodava a pequena latina. Ela queria ser como as gêmeas e ter longos cabelos, poder usar rosa o tempo inteiro
Ela queria muito, ser uma menina
Mas na sua cabecinha, ser menina doía
E doía muito
Era feio e errado
E se a moça do cabelo de sol não gostasse mais dela? Se ela fizesse as coisas que as outras meninas fazem?
Dinah sorriu grande, feliz pelo bom convívio das crianças e em outro ato impulsivo, deixou um beijo nos cabelos de Camila, saindo do carro
Foi só quando deu partida em seu lindo Volvo, que de relance, pelo retrovisor, viu um sorriso.
Definitivamente, um sorriso
Aberto
Pra ela
°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°
Beneath the shelter of the trees, only love can enter here. - cantarolou alegre, enquanto dirigia - A simple life, they live in peace.

(Por sobre as árvores viver
A família ver crescer
Viver assim, traz tanta paz.)

O sol tocava sua pele de leve, impedido de esquenta-la graças ao vidro e ao ar condicionado. Tudo a sua volta parecia mais brilhante, mais feliz, mesmo através de seu usual Ray-Ban aviador e marrom.
Estava leve, radiante. Feliz.
E sabia perfeitamente que isso tinha haver com a garotinha no banco de atrás.
Elevou seus olhos para o retrovisor e encarou Camila. Ela olhava a janela, atenta a movimentação fora do carro, seus pés pequenos, balançavam de acordo com o ritmo da música que ecoava no carro, em seus lábios, havia o esboço de um sorriso.
Isso fazia Dinah sorrir, por dentro e por fora, estranhamente feliz por vê-la bem
- Raise your head up, lift high the load - voltou a cantar no mesmo ritmo e afinação que o cantor -  Take strength from those that need you.
Build high the walls, build strong the beams.
A new life is waiting, but danger's no stranger here.

(Ter coragem.
Recomeçar
Com toda sua força
Reconstruir, um novo lar
Na vida que segue perigos vai encontrar)

De fato, ela jamais superaria seu amor pela Disney, amor esse, que a fazia choramingar como uma criança para Lauren ir com ela a Orlando, todo 4 de julho. Iam, seguidamente, há três anos. A esposa por sua vez, nunca fora ligada a desenhos animados nem histórias de princesas, mesmo ela, vivenciando a monarquia em seu país. Mesmo assim, achava engraçado e muito fofo o amor da loira pela Disney Word, fazendo suas vontades como se a mulher de 26 anos fosse uma garotinha apaixonada pelas princesas "disneyanas". É claro que a Sra. Jauregui pretendia passar o mesmo amor por esse mundo mágico para a filha que elas teriam, mesmo com Lauren enchendo seu saco dizendo que não deixaria a futura bebê assistir desenhos com apologia ao machismo e a facismo. E pelo tempo que passaria com a pequena Camila, ensinaria ela a também amar a Disney.
Por isso, entoava com força e orgulho as notas de Dois Mundos, do seu adorado filme, Tarzan
Ainda cantando, entrou no estacionamento do shopping e se dirigiu a primeira vaga que avistou
Seu coração quase parou quando viu uma comum BMW 330I branca e perfeitamente polida. E de dentro dela, uma outra loira desceu. Trajando uma saia midi rodada, branca com rosas negras estampadas elegantemente, blusa de malha com mangas longas, também negra e saltos de bico fino, salto agulha da mesma cor que sua blusa. O cabelo loiro brilhava em seus ombros, em um corte elegante, a franja presa para trás da cabeça, revelando uma expressão muito brava. Mesmo com os saltos altíssimos, ela ainda era extremamente baixa.
Dinah a reconheceria a quilômetros de distância. Aquela, era a Sra. Perfeita
Aquela, era Allysson Brooke
A melhor amiga e braço direito de Lauren
Merda...
°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°°



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...