História Here is to the crazy ones. (HIATUS) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Alice, Capitão Killian "Gancho" Jones, Robin Hood, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Alice, Curious Archer, Hook, Mad Archer, Madarcher, Margot, Once Upon A Time, Ouat, Robin, Tilly, Zelena
Visualizações 54
Palavras 1.532
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, LGBT, Literatura Feminina, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Jolly Rogers.


Fanfic / Fanfiction Here is to the crazy ones. (HIATUS) - Capítulo 5 - Jolly Rogers.

Tilly estava tentando preparar um café da manhã para ela, mas ela não sabia o quão difícil isso poderia ser. Há pouco tempo atrás ela passaria na padaria mais próxima, pediria um suco com pão e tudo beleza, agora ela está deparada com uma diversidade de frutas e pó de café e no fim, tudo o que ela conseguiu fazer foi um sanduíche de pasta de amendoim com geléia. Estava ótimo.
Seu celular tocou assim que ela foi dar sua primeira mordida. Ela suspirou com frustração. Tilly estava morta de fome, já tinha gastado metade de sua manhã tentando pensar em algo para comer e quando finalmente tinha conseguido alguém decide ligar. Ela largou seu sanduíche de lado e começou a procura por seu celular. A casa estava uma bagunça, principalmente seu quarto.
            Quando a menina finalmente alcançou o aparelho, ele desligou. Ela viu, porém, que a pessoa tinha lhe deixado uma mensagem.


“Píer de Hyperion essa tarde? – M”


            Tilly sorriu ao ler a proposta de Margot, apesar de no fundo estar um pouco aflita pelo Píer ser um lugar muito aberto, onde muitas pessoas poderiam vê-la e ela não poderia arriscar isso... Mas ela iria de qualquer forma.
            Tilly nem comeu seu sanduíche, ela olhou em seu relógio e viu que era quase 15h e já estava animada demais, então apenas pegou seu melhor casaco e saiu.
            As pessoas realmente deveriam pensar que ela era de fato completamente louca de estar usando um casaco com capuz em um calor de 30 graus, mas ela não podia correr o risco de alguém reconhece-la.
            Tilly foi até o Píer pelos becos, pois o risco de ser vista por lá era menor. Já bem próxima do local de encontro ela percebeu que tinham algumas balinhas e doces espalhados pelo chão de uma forma não muito bagunçada, muito pelo contrário, os doces formavam uma espécie de caminho. Ela hesitou de início, mas sua fome falou mais alto, então foi catando todos os doces que encontrava pelo chão e guardando em seus bolsos.
            Acabou que os doces realmente era um caminho que levava a um barco que estava estacionado no píer. Tilly não era muito ligada em barcos então ela não sabia muito bem por onde procurar Margot, mas pouco tempo se passou até ela encontra-la acenando dentro de um barco velho, porém muito bonito. Jolly Rogers estava escrito em seu casco.
            Tilly estava muito impressionada com cada detalhe do barco assim que entrou nele. Jolly Rogers não era um barco comum, era bem grande e chique, só estava meio mal cuidado, abandonado no píer como se seu dono estivesse esquecido ele ali e nunca mais lembrado onde o guardou. O interior do barco era repleto de lembranças que Tilly acreditou ser de seu dono, tinha retratos empoeirados, quadros e uma decoração suja, mas intacta. Ela não entendia como que um barco tão bonito poderia ter sido abandonado.
            - E aí, loirinha! Gostou do barco?
            Tilly se surpreendeu com Margot aparecendo do nada enquanto ela estava tão imersa em seus pensamentos.
            - Ah, oi! Sim! Muito legal…
            Disse a garota voltando a olhar para todo o convés.
            - É seu?
            Perguntou Tilly, querendo saber como Margot tinha descoberto o local.
            Margot sorriu com a pergunta da menina.
            - Quase...
            Respondeu Margot entregando uma maça do amor à Tilly. A garota pegou o doce, mas não estava satisfeita com a resposta que tivera.
            Margot notou a frustração de Tilly.
            - Eu vinha aqui quando era criança. Ele nunca teve dono, sempre foi assim desde que eu me lembre.
            Margot andava pelo barco passando a mão nas instalações conforme falava até parar de frente a uma janela.
            - Era legal vir pra cá e observar o mar. Pensar que tem todo um mundo ao nosso redor. Eu me sentia livre aqui.
            Ela se virou para Tilly que a escutava com bastante interesse enquanto comia a maçã que tinha ganhado.
            - Vi que você se abriu para mim aquele dia, que não teve medo de me mostrar um pouco do seu mundo. Eu só quis fazer o mesmo por você.
            Tilly sorriu ao ouvir a menina dizer isso. Ela de fato gostou muito de descobrir uma parte do mundo de Margot, mas gostaria que não tivesse aparentado indiferença. Ela estava tão vidrada na maçã do amor, estava com tanta fome que ao mesmo tempo em que achava tudo aquilo muito fofo ela só queria comer aquele doce.
            - Fico feliz que gostou da maçã.
            Disse Margot brincando. Essa Tilly, como que ela podia ser tão adorável? Tão cheia de luz, alegre, bonita... Foi engraçadinho o jeito que ela ficou toda assustada quando ela percebeu que Margot notou o tanto que ela estava esfomeada.
            - Desculpa.
            Respondeu Tilly com a carinha de piedade mais linda do mundo e a boca cheia de maçã.
            Margot não conteve a risada dessa vez, era incrível como a relação das duas era tão natural e gostosa.
            - Eu – e- é... É bom conhecer um pouco de ti, Margot.
            Continuou Tilly.
            - É sério... É legal conhecer alguém que a gente gosta né?!
            Tilly tentou consertar a situação que para ela tinha sido constrangedora, mas que para Margot tinha sido só uma explosão de fofura. Não era mais novidade para ninguém que elas se gostavam e compartilhar esses momentos agradáveis, se abrir uma para a outra de forma a se entregar e deixar a pessoa entrar em sua vida, em seu mundo é a coisa mais romântica que alguém poderia fazer quando se esta apaixonada. Sim, Tilly e Margot estavam apaixonadas.
            - Vem, quero te mostrar uma coisa.
            Margot agarrou o braço de Tilly e a conduziu para o lugar mais escuro do barco, não era muito agradável lá em baixo, não tinha quase nada, exceto por uma porta escondida no canto. Margot abriu e revelou um pequeno quartinho onde só uma cama de casal cabia, na verdade, a cama era a única coisa no quarto. O quartinho era diferente do lugar escuro em que elas estavam, era extremamente iluminado que chega os olhos de Tilly arderam e demoraram pra se acostumar. Era diferente de todo o resto do barco, era limpo e parecia até que tinha sido reformado, as paredes e o teto eram de vidro o que dava a impressão de que a cama estava flutuando nas águas do oceano, era mágico.
            Ao ver esse quarto tão incrível Tilly não conseguiu nem reagir, só ficou parada em frente à porta de boca aberta, sem palavras.
            - Legal, né?!
            Margot estava bastante entusiasmada, mas quem não ficaria diante de tudo aquilo.
            - Vem, senta!
            A menina se deitou na cama e olhou para Tilly, aguardando ela se sentar ao lado dela com um sorriso imenso no rosto, um sorriso extremamente lindo.
            Tilly se sentou e logo se deitou ao lado de Margot, seus olhos encaravam a imensidão de nuvens acima de suas cabeças. Era um dia nublado, mas ainda bastante ensolarado e quente.
            Tilly estava impressionada com aquela vista e Margot ficou feliz por ter causado essa impressão na garota. Ela tivera a mesma reação quando encontrou aquele quarto.
            - Eu tinha uns 14 anos eu acho quando descobri esse quarto e decidi reforma-lo, mas ele sempre foi assim, a cama e as janelas, eu só pintei e troquei de colchão... Espero que o dono goste da mudança se um dia ele ver.
             Tilly olhava para Margot com um milhão de estrelas em seus olhos, aquela garota se tornava mais fascinante a cada dia.
            Elas sorriram uma para a outra. O momento era indescritivelmente maravilhoso. Margot estava adorando mostrar seu esconderijo para Tilly e ver que ela estava apreciando o lugar tanto quanto ela. Tilly estava amando conhecer Margot cada vez mais.
            As meninas estavam perdidas nos olhos uma da outra quando de repente tudo o que Tilly conseguia olhar eram os lábios de Margot, ela tentava disfarçar e voltar a olhar seus olhos mas sempre  voltava a notar a maciez de sua boca rosa. A luz do sol que entrava pela janela desenhava perfeitamente todo o rosto de Margot, refletia cristais de ouro em seus cabelos loiros e Tilly podia jurar que até cheiros de rosas ela sentiu esvair da garota a sua frente.
            Margot notou o jeito que Tilly a observava e normalmente ela se sentiria desconfortável com alguém reparando em tantos detalhes seus, mas para sua surpresa ela não tinha como estar mais confortável. Tilly tinha esse poder sobre Margot de faze-la se sentir mais ela mesma do que qualquer outra pessoa, era como se aquela loirinha fosse o seu próprio barco, ela se sentia livre e leve quando estava em sua presença e esse sentimento era uma das coisas mais fabulosas do mundo todo.

Tilly se aproximava involuntariamente de Margot como um imã que a puxava cada vez mais pra perto, como um encanto que Margot tinha jogado sobre ela e ela não conseguia resistir, Margot percebera isso e estava se deixando levar, era possível sentir o hálito quente das duas se encontrando na pouca distância que as separavam, mas subitamente Margot virou o rosto, olhando a janela ao seu lado, deixando Tilly frustrada e confusa. Ela não queria isso?


Notas Finais


Sinto muito ter demorado tanto para postar esse capítulo, infelizmente acredito que esse mês eu não vou poder postar regularmente. A ff ficará em hiatus até minha vida dar uma tranquilizada um pouco, mas assim que voltar a escrever eu volto com esse projetinho, por favor não desistam de mim! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...