História Heroes - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Ação, Fantasia, Naruhina, Naruto, Romance, Sasusaku
Visualizações 127
Palavras 3.648
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem!!!

Capítulo 10 - When darkness comes Ill light the night with stars


 

— Olá. Me chamo Hinata Hyuuga. É um prazer finalmente conhece-los. 

A garota vidente pronunciou com sua voz doce. Sasuke e Sakura notaram sua timidez e também apresentaram-se dizendo seus nomes mas Naruto teve uma reação diferente.

— Você consegue me ver? — ele disse colando o nariz a alguns centímetros do da garota.

— E-eu consigo.— Hinata respondeu gaguejando e sentindo o rubor subir em suas bochechas.

— Então quantos dedos tem aqui? — Ele disse levantando o dedão, o indicador e o dedo do meio.

Sakura notou que a garota ficou ainda mais constrangida com a proximidade dele. Parecia que desmaiaria a qualquer instante. Ela gaguejava e não conseguia formar nenhuma palavra, o que só fazia com que Naurto se aproximasse ainda mais. 

— Deixe se ser idiota. Você está a constrangendo! — Sakura gritou para Naruto puxando-o pela orelha que ficou vermelha alguns segundos depois pela força que ela usou. 

— Desculpe por ele Hinata. Não queríamos ofende-la. — Sakura disse e Naruto meneou que sim com a cabeça. 

— Oh, não se preocupe Sakura, não me ofendeu. Na verdade, muitas pessoas se encontram na mesma dúvida sobre meus olhos. Só que alguns não tem a coragem de perguntar como o Naruto. Mas acho que você me compreende bem. É normal que as pessoas fiquem curiosas pelo tom do seu cabelo também, né? 

Sakura concordou e logo estavam conversando animadamente, mesmo que Hinata fosse um pouco retraída. Ino não parecia ser muito próxima a ela  mas juntou-se a conversa. Hinata os convidou para sentarem-se juntos no jantar e eles aceitaram. Sasuke iniciou outra conversa. 

— Vocês mencionaram algo sobre times. Como é isso? 

— Ah sim! Os times. Bom, para que aprendamos o verdadeiro significado do trabalho em equipe eles nos colocam em times de três alunos. Talvez até quatro, em algumas exceções. Cada time possui um instrutor, o nosso por exemplo é o Asuma. — disse Ino

— Trabalho em equipe? — perguntou Naruto.

— Sim. De acordo com os dados que eles tem aqui, é comprovado que mutantes que vivem reclusos e sozinhos são mais fracos. Nós nos tornamos realmente fortes quando estamos juntos, lutando pelo que é certo. — Shikamaru completou. — Pareceu uma grande baboseira melosa né? Bom, mas é isso que indicam as estatísticas.

— Até que faz sentido. — Sakura comentou pensativa, levando o dedo indicador ao queixo.

— Sem uns aos outros, não teríamos chego até aqui. — Sasuke disse baixo, como se dissesse isso para si mesmo. Naruto, que era seu melhor amigo a anos, sabia quanto o orgulho Uchiha estava ferido para Sasuke admitir algo assim.

— E quem será nosso instrutor? O Kakashi? — Sakura perguntou.

— Imagino que sim. — Shikamaru a respondeu.

Naruto, Sasuke e Sakura apenas balançaram suas cabeças em concordância e logo o jantar estava sendo servido. 

Como o dia havia sido frio e a noite seria mais ainda, o prato principal seria sopa. Sopas e caldos dos mais diferentes tipos com pães. Comeram com vontade enquanto Ino explicava as rotinas do dia seguinte.

— Bom, nós levantamos as 8hrs. Cada andar tem dois banheiros, um masculino e um feminino. Eles são grandes até. Alguns dão sorte de ter banheiro no quarto, mas a maioria tem que usar o comunitário.— Ino disse e Sakura não comentou que tinha um banheiro só para ela. 

— Os treinos de aptidão geral começam no campo aberto as 9hrs da manhã e vão até a hora do almoço. São exercícios, lutas, corridas e etc. O professor Gai quem dá essas aulas.

— Gai é o sobrancelhudo? — Perguntou Naruto.

— Sim, ele mesmo. Depois do almoço temos um descanso de no máximo duas horas e aí começam os treinos específicos. Eles ficam por conta do instrutor de vocês. A duração do treino também depende deles. Se eles julgarem necessário passar a madrugada toda treinando, eles irão. 

— Isso é bem a cara do Gai. Ainda bem que estamos com o Asuma. — Chouji comentou com as bochechas cheias de pão. — A Ino esqueceu de comentar sobre as missões. Dar uma volta por Chicago e voltar inteiros, escoltar algum mutante que contratou nossos serviços ou até mesmo resgates de jovens perdidos como nós. Mas esse último é um pouco mais raro. — Chouji concluiu.

— Ah, ela não se esqueceu Chouji. — Shikamaru comentou como se o amigo tivesse falado mais do que deveria. — Desde o incidente de vocês, os Uchiha estão mais atentos. O velho Hiruzen não quer que ninguém saia em missão nessas condições.

Antes que os três pudessem responder, a voz de Kakashi os assustou.

— Vejo que já estão fazendo amigos. — ele comentou sorrindo por baixo da máscara preta.

— Da onde você saiu? — Naruto perguntou.

— Não importa. Já terminaram o jantar, certo? Venham comigo. — Ele disse dando as costas para que Naruto, Sakura e Sasuke o seguissem. — Ah, você também Shikamaru.

.

.

.

Naruto foi reclamando todo o caminho de volta para a sede que não pôde repetir o jantar uma quarta vez, mas parou quando Kakashi os guiou para o último andar da ala oeste, local que ainda não haviam visto.

— Ei, onde estamos indo? — Naruto perguntou emburrado.

— Para a sala do diretor Hiruzen. Temos alguns assuntos de gente grande para tratar e infelizmente vocês são necessários.

— É, tanto faz. — Shikamaru disse dando de ombros. 

A porta de madeira estava aberta e Kakashi entrou sem pedir licença, mas desculpando-se pelo atraso.

Era um grande cômodo, com estantes de livros e arquivos aos cantos; uma grande mesa de pedra escura com uma cadeira estofada atrás. Ao redor haviam  mais cadeiras e até mesmo um espaçoso sofá à esquerda. Na parede atrás da mesa, uma imensa janela de vidro fumê acizentado que dava vista para toda a EEK.

Os garotos reconheceram Hiruzen, o velho diretor sentado em sua cadeira estofada.

— Oh, entrem jovens. Sintam-se a vontade.

Naruto aproximou-se do sofá mas Kakashi guiou seus ombros levando os a sentar nas cadeiras dispostas de frente para Hiruzen. Sai também estava presente. 

Kakashi parou de braços cruzados junto a algumas figuras já conhecidas. Asuma, o filho de Hiruzen que os apresentou á escola anteriormente. Maito Gai, o instrutor energético e esquisito com quem encontraram no campo de treinamento. E por fim, uma mulher com longos fios negros a quem não foram apresentados ainda.

— Essa é a Kurenai. É instrutora do time 8, o time da Hinata. — Shikamaru sussurrou explicativo para os outros que assentiram.

O velho Hiruzen entrelaçou seus dedos e os encarou com seus pequenos olhos escuros envolvidos em rugas. Ele era tão amigável que aquela sala seria facilmente confundida com o escritório de algum avô. 

— Devem estar se perguntando o que fazem aqui.

— Na verdade, ai! — Naruto ia começar a falar mas Sakura o interrompeu com um pisão em seu pé direito.

— Deixe que ele conclua Naruto. 

— Hã, sim senhor. Estamos. — Sasuke contornou enquanto lançava uma olhada feia para os dois. 

— São tempos sombrios para nós. Em todos esses meus anos, que não são poucos devo ressaltar, nunca estivemos tão ameaçados. Temos inimigos por todos os lados e, entrando em consenso com os mais velhos, decidimos que é tempo de agir.

"Obito ensinou vocês dois, Sakura e Naruto, muito bem. Ele é um garoto realmente formidável e fez um ótimo trabalho. Já você Sasuke, não tenho dúvidas quanto a seu treinamento. Você também Sai. Vocês mostraram-se avançados, digo, devido a vida que levaram antes daqui. Já estão no mesmo nível que os jovens da sua idade que treinaram desde pequenos.

Pode soar grosseiro o que direi, mas vocês estão conectados as possíveis ameaças que nos assolam. Asuma, Kurenai, Gai e Kakashi talvez possam explicar melhor." Finalizou Hiruzen, dando sinal para que os outros prosseguissem.

Asuma teclou algumas coisas no computador posto a mesa e uma tela holográfica azulada projetou-se acima dela. Ficaram boquiabertos diante da tecnologia escondida na sala do velho Sarutobi. 

Asuma digitou mais algumas coisas e três pastas diferentes surgiram. Kurenai guiou o indicador para a primeira e clicou nela. Gai observava tudo com suas sobrancelhas franzidas e Kakashi com a mão repousada no queixo.

— Dentre todas possíveis ameaças, temos três nomes em questão. O primeiro é o mais ameaçador de todos, no entanto, o mais distante. É a Uchiha Company. As informações que temos vem de alguns espiões como Obito, mas são escassas. Sabemos do desenvolvimento da curaX e também do interesse militar, mas só até ai. — Disse Kurenai. 

— Bom, eu também não sou de muita ajuda, para ser sincero. No último mês que conheci verdadeiramente o que se passava na empresa. — Sasuke disse o que todos esperavam. 

— Tudo bem, Sasuke. Sabemos disso. — Kakashi disse tranquilizando-o. Kurenai voltou-se para a segunda pasta e clicou nela. Uma figura já conhecida por Sasuke, Naruto e Sakura preencheu a tela. A garota trincou o maxilar e apertou o estofado da cadeira ao ler as informações do Doutor Cobra.

— Este é o Orochimaru. Sei que já o conhecem. Ele tem diversos laboratórios clandestinos espalhados pelo país, com os mais diferentes tipos de mutantes. Em resumo, ele é um cientista louco. Gosta de brincar com nosso material genético e criar aberrações. Também pratica o rapto de crianças mutantes. As mais interessantes são vendidas para os Uchiha, mas ele mantém as outras como experiências. Calculamos aproximadamente algumas dezenas de crianças e adolescentes mantidos em cárcere nos seus laboratórios.

— Eu fiquei em um desses laboratórios junto com a Ino. — Sakura tomou fôlego e continuou — Na minha época consegui calcular de dez a quinze crianças no máximo por laboratório. Nunca mais do que isso. Mesmo que fossemos mantidos dopados, imagino que era muito arriscado tantos poderes assim reunidos.

— Sim, sim. Orochimaru já foi meu aluno, acreditam? — Hiruzen perguntou com visível decepção, enquanto olhava para um dos quadros de sua mesa, que não era visível para os outros.  — Seus poderes assustavam as outras crianças. Mas eu o incentivava. Dizia que estava tudo bem ser diferente, que ele era incrível. Ele é reptiliano, consegue falar com cobras e até mesmo tranformar-se em uma. Mas a ambição subiu para sua cabeça. Assim como uma cobra, ele precisava trocar de carcaça. E então, alguns mutantes fora daqui começaram a desaparecer. Foi quando ele começou suas incansáveis pesquisas. Casos isolados, nós nunca imaginamos o que estava acontecendo até que Anko, uma das nossas espiãs, revelou os segredos dele. 

— Ele fugiu, e era escorregadio. Sabia nossos truques de rastreamento e nunca mais o encontramos. — Gai comentou.

— Quem é o próximo? — Sasuke perguntou para trocar de alvo, notando o incômodo de Sakura. 

— O próximo, pequeno Uchiha, é Danzou Shimura. É um simples humano sem o geneX. Ele é um ex militar fanático e criou uma organização chamada Raíz. Nela, crianças mutantes são ensinadas desde cedo a espionar, matar e torturar. Depois de feita a lavagem cerebral, Danzou as usa em missões ou simplismente as vende por um alto valor. 

Sasuke, Sakura e Naruto ficaram boquiabertos diante da crueldade do homem, enquanto Sai parecia perdido em pensamentos.

Sai sentiu pequenos fragmentos de seu passado voltarem a lhe assombrar, mas não podia demonstrar fraqueza em frente a todos. 

— Eu não estou me sentindo muito bem, será que posso voltar ao meu dormitório? Amanhã o Kakashi pode me informar o que foi decidido nessa reunião. — Sai pediu. 

— Sim garoto, sem problemas. Esta dispensado. — Hiruzen disse.

Sai agradeceu em um movimento com a cabeça e saiu levando seu caderno e pincel para o quarto. Suas pernas estavam duras e dava passadas largas, como se quisesse afastar-se o mais rápido possível. Assim que ele fechou a porta, Kakashi suspirou.

— É, exatamente como eu pensava.

— O quê? Do que está falando ein? — Naruto perguntou espalmando as mãos nos braços da cadeira. 

— Acho que entendi. Ele é um desses jovens da Raiz, correto? — Shikamaru perguntou.

Kakashi assentiu e continuou:

— Obito desconfiou e me passou a informação. Assim que conheci o Sai, matei minhas dúvidas. As dificuldades comportamentais, seu jeito impessoal e automático... além de claro, um bom treinamento. 

— Ele é esquisito sim, mas não acho que seja isso. Porque Danzou não o quis de volta então? — Naruto perguntou.

— Talvez ele tenha fugido — Sasuke contrapôs.

— Ou, falhou em alguma de suas missões e os Uchiha o capturaram. — Sakura também sugeriu.

— Acho que fico com a hipótese da Sakura. Aquele noite em Watertown, foi Danzou quem mandou Zabuza. Ele não mandaria os membros da Raiz para que nós não o identificássemos. Ele só não contava que Zabuza falharia e ainda abriria o bico. Acredito que ele estava atrás do Sai e você três seriam um belo brinde. 

— Fora que é claro o Danzou coleciona Sharin-. Oh, desculpe. — Gai começou a falar e foi cortado por um olhar irritado de Kakashi, desculpando-se no final. Há coisas que os garotos ainda não deviam saber e devia controlar sua lingua. 

— Por isso o Sai é assim, então? — Sakura perguntou mais para si mesma do que para os outros. Nunca entendeu o comportamento grosseiro e infantil de Sai, pelo menos não até agora. Que sabia que ele não era nada diferente dela: uma criança esquecida, sozinha e anormal. 

— Não fiquem assim tão abatidos. Temos um espião, Yamato, na cola de Danzou. Ele está em missão a alguns meses e sua próxima entrega de relatórios é em uma semana. — Asuma disse tentando anima-los.

— E deixe-me advinhar, dependendo das informações que ele trouxer vocês vão querer agir? — Shikamaru perguntou.

— Sim Shikamaru. E vamos precisar de vocês para isto. Por enquanto, apenas treinem bastante durante a semana enquanto aguardamos Yamato. 

— Estão dispensados agora. Ah, e isto fica entre nós, certo? 

— Sim. — Responderam Sakura. Sasuke e Shikamaru enquanto Naruto fazia sinais de que fechava a boca com chave e a jogava fora. 

.

.

.

Assim que dispensados, Naruto correu para tomar um banho deixando Sasuke e Sakura para trás. 

Antes que pudessem chegar as escadas, Kakashi os abordou com um celular em mãos. 

— Obito está ligando Sasuke. Ele precisa falar com você.

Sasuke assentiu e tomou o celular, deslizando o dedo para atender. 

— Alô? 

"Sasuke garoto, é você?" 

— Sim Obito, pode falar.

"Bom, eu já conversei com Kakashi, ele me disse como se saíram e que já estão em segurança. Ele é um amigo de confiança, pode ficar tranquilo. Mas o que eu tenho a tratar não é sobre vocês."

— Sim, nós chegamos até aqui inteiros pelo menos. Obrigada por isso, primo. Então o que foi?

"Itachi está desaparecido, Sasuke"

A linha ficou muda por mais algum tempo enquanto Sasuke processava. Sakura e Kakashi enrijeceram a postura ao lado. 

"Sasuke?"

— Eu ouvi. Mas como? Meu pai deve ter desconfiado dele e o pegou, se ele fez isso mesmo Obito a essa hora já devem descobrir que o Itachi ele— e parou quando o primo o cortou, já que falava tudo muito rápido, tentando entender o que acontecera com o irmão.

"Sasuke, acalme-se. O Itachi sumiu no mesmo dia que vocês e posso te assegurar que não está com seu pai, ninguém sabe de seu paradeiro. Eu acredito que seja algum plano do seu irmão, ele sempre foi muito discreto. Vamos confiar nisso, sim? Conversei com Kakashi e vamos mandar alguém para investigar esse sumiço, mas você sabe, as coisas estão sinistras por aqui"

— Obito, o Itachi é como eu, se pegarem ele... 

"Eu sei Sasuke. Mas ele não contou nada, então não nos quer envolvidos nisso, seja o que for, confie nele, pois eu estou confiando."

Sasuke estava amedrontado, tudo que seu irmão fez por ele o trouxe até aqui. Para protege-lo, para deixa-lo em segurança. Itachi nunca falhara com ele, então o que lhe restava era esperar por notícias. Lembrou-se de duas semanas atrás, quando ele o deixara na porta dos funcionários do Centro de Pequisa. Pediu para que não o procurasse, e por mais que doesse, Sasuke atenderia a seu pedido.

"Você pode fazer isso?" Obito perguntou após alguns segundos em silêncio.

— Sim eu posso.

"Ótimo. Há mais uma informação. Nosso tio Madara está com viagem agendada para cá."

— Pensei que ele estivesse comandando a filial de Atlanta.

"Ele virá para tomar as rédeas do seu pai. As coisas ficaram mais complicadas agora."

Sasuke entendeu o que Obito quis dizer, lembrando-se do tio-avô Madara. Ele era um homem frio e centrado, sempre muito envolvido no trabalho. Não tinham um contato muito frequente pois ele comandava as Uchiha Company do outro lado do país, e agradecia por isso. O velho era realmente apavorante. Se ele viera de tão longe, era com motivo. E ele sabia que o motivo era em parte por sua culpa.

"É, eu também pensei a mesma coisa. Fudeu para nosso lado. Mas seja confiante, sim? Em breve estarei aí com você moleque. É uma promessa". 

Sasuke não demonstrava muito o que sentia, sempre tentou mostrar-se forte para seu pai. Não diria a Obito que estava com saudades ou que estava amedrontado e seu primo sabia, contendando-se com a resposta que Sasuke lhe deu:

— Vou esperar. 

Despediram-se e finalizou a ligação entregando o celular a Kakashi, que lhe deu dois tapinhas nas costas e antes de ir, disse para Sakura e Sasuke.

— Sejamos confiantes como ele, Sasuke. — referindo-se a Obito. 

Sakura ficou parada enquanto Kakashi se afastava sem saber direito o que dizer a Sasuke. Bem antes, Naruto já havia lhe contado essa história sobre seu melhor amigo Uchiha mas nunca mencionou que era o garoto propaganda da curaX. No laboratório do centro de pesquisas, havia um holograma com uma foto de rosto do Sasuke. Sorrindo, com uma camiseta da Uchiha Company e alguma frase motivacional em baixo. Sakura odiava olhar pra ele alguns instantes antes de ser levada aos exames. Odiava seus dentes alinhados e brilhantes, suas covinhas discretas nas duas bochechas e odiava mais ainda acha-lo tão lindo. 

Assim que o conheceu, fez questão de odia-lo mas não pudera por muito tempo, pois ele se mostrava cada vez melhor do que ela pensara. Ou menos pior, como preferia dizer.

Sabia que Itachi era seu irmão mais velho e sem ele, não estaríam aqui hoje. Quando Sasuke lhe deu as costas e caminhou para a entrada da sede, afim de tomar um ar, teve uma pequena briga interna, em que um lado lhe dizia para ir conforta-lo e o outro para ignorar.

Decidiu um meio termo e o seguiu em silêncio. A entrada da sede onde já não havia mais ninguém, já que todos a essa hora dormiam, então estavam sozinhos a luz do luar, uma vez mais. 

— Sinto muito pelo seu irmão. Mas sabe, pelo que vocês dizem ele parece ser um cara esperto. Ele está bem Sasuke. Tem que manter isso em mente. — Ela disse encarando o horizonte.

— É complicado. — ele respondeu com a voz frustrada. 

— Eu sei que sim. Eu não sei se Naruto alguma vez já comentara do meu passado com você, afinal, ele é um boca aberta não? 

— Ele nunca disse nada. E eu também não perguntei. Cada um de nós tem seus fantasmas.

Sakura soou surpresa e desviou o olhar para ele por um segundo. Seus olhos pretos estavam cansados, e mirava o horizonte com certa decepção. Mas seu rosto continuava belo como sempre, iluminado pela luz da lua.

— Você não parece interessado mas eu direi mesmo assim. Apenas... ouça, ok? Minha família é do interior, as coisas são meio atrasadas por lá. Os casos de mutantes eram abafados pela mídia e pela polícia em local. Meus pais eram desinformados dessas coisas. Quando notamos que algo estava errado comigo, eles não sabiam como reagir. Apenas não conte a ninguém, eles diziam. Mas eu fui crescendo e os incidentes tornaram-se mais graves. Você já viu o que acontece quando estou dormindo, não é? 

Sasuke balançou a cabeça em afirmação, lembrando-se dos objetos movendo ao redor dela.

— Eu não faço ideia de que porra é aquela! 

Sasuke fez uma careta pelo palavrão que ela usou e a garota notou.

— Oh desculpe mauricinho, esqueci que você não falava palavrões.

— Você também não devia. É muito bonita para esse linguajar. — Sasuke disse automático e arrependeu-se depois de ter confessado que a achava bonita em voz alta e ainda para a mesma. Sakura o encarou pelo elogio e ficou sem graça, virando o rosto e pigarreando.

— Obrigada, eu acho. Enfim, Orochimaru estava ficando conhecido e através de boatos nós fomos até ele. Meus pais praticamente me ofereceram de bandeja. Se soubessemos quais eram suas reais intenções... — Ela disse soando raivosa.

— E então? — Sasuke perguntou encorajando-a a desabafar.

— E então em uma das nossas consultas, um cara estranho entrou na sala junto com uma enfermeira morena. Usava ataduras por todo o rosto, deixando apenas um olho a mostra e um longo casaco de pelo. Orochimaru disse que era um pesquisador, com mais experiência do que ele. O nome dele é Dosu. Ele disse que meus pais também precisavam de acompanhamento médico, para me entender melhor. Deu sua mão esquerda para meu pai e a direita para a minha mãe enquanto cantava uma melodia baixinho e os olhava fixamente. Ele era um encantador. Estava tirando suas memórias e eu sequer notei. Quando percebi que os dois ficaram com cara de abobalhados, me levantei nervosa e então senti a agulhada no meu pescoço. Aquela foi a ultima vez que vi meus pais

Sasuke ficou chocado com a história da garota e sentiu-se até mal por julga-la no começo. Ele costumava a achar ácida e grosseira. Definitivamente não era uma dama. Mas por trás dessa casca que Sakura mostrava para os outros, existia essa menina. Uma menina que contou detalhe por detalhe de como perdeu seus pais, mesmo que estejam vivos. Que tentou disfarçar um filete de lágrima que escorreu, limpando-o rapidamente. Agora podia entender com mais clareza a raiva que ela demonstrou no início. Também me odiaria se estivesse no lugar dela, pensou. 

— Eu sinto muito por isso, Sakura. Realmente nem imaginava que— Sasuke disse mas parou quando a garota levantou a palma da mão.

— Não, por favor. Não precisa dizer nada. Só saiba que... ainda não é tarde de mais. Seu irmão vai entrar em contato Sasuke. Nós não podemos nos dar ao luxo de fraquejar diante dessas situações.

— Precisamos ser fortes.

— Sim, precisamos.


Notas Finais


Tivemos uma explicação melhor do passado da Sakura, dos “vilões” em questão, e um mistério sobre o Itachi kkkkkk até o proximo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...