1. Spirit Fanfics >
  2. Heroes >
  3. A Audiência

História Heroes - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Tá aí. Espero que gostem

Capítulo 23 - A Audiência


Antes  que  qualquer  um pudesse  fazer algo a estrutura  do prédio  tremeu novamente e Clara  caiu.  Os demais correram para o andar de baixo.

- 51 eu vou resgatar a Capitã  vocês  evacuem imediatamente.  É  uma ordem. Mandou Keyla. 

- Mas Key....

- Teobaldo  eu te dei a porra de uma ordem! Tato e os demais bombeiros  segiram descendo  pelas escadas enquanto  Keyla procurava Clara.

- Capitã você  consegue  me ouvir?  Indagou Keyla no rádio.  E não obteve resposta. Logo ela escutou  o som que qualquer  bombeiro  temia ouvir. Era o bipe de Clara.  O dispositivo  ficava preso no cinto dos bombeiros  é era acionado quando  um deles  ficava muito tempo sem se mexer. Logo Keyla achou  a loira caída entre os escombros e respirou aliviada ao perceber que a chefe tinha tido tempo de acionar o airbag de sua jaqueta  . A Tenente usou um colar cervical para estabilizar seu pescoço e a pegou no colo e saiu dali o mais rápido que pode. Assim que ela conseguiu sair do prédio  levou Clara até  a ambulância de Anderson e Karina. Logo Clara começou a despertar.

- Capitã fica parada pro Anderson poder te examinar.  

- Batimentos  em 60 , pressão  11 por 7 saturação  em 98% . Falou Anderson .

- Viu eu tô ótima. Disse Clara tentando se levantar mas foi impedida por Keyla.

- Você  ficou descordada então por favor vai por hospital ser examinada. Pediu K2.

- Tá  eu vou. Vem comigo?  

- Claro princesa. Respondeu Katiane.  Assim que a ambulância saiu Keyla foi até Helena .

Tenente porque você não evacucou quando eu dei a ordem? Questinou Helena  

- Coronel eu não  podia deixar a minha Capitã  pra morrer.  Se quiser escrever  contra mim no seu relatório  fique a vontade  porque eu garanto  que no meu eu vou deixar bem claro  que a senhora   demorou demais pra dar a ordem de Mayday e colocou a vida  de toda a minha equipe em em risco.  Respondeu Keyla. 

- Escuta aqui eu sou sua Coronel e sua mãe e exijo respeito. 

- Com todo respeito Coronel  a senhora não  é  minha mãe  e em nenhum momento  a minha  intenção foi te desrespeitar  enquanto comandante  . Eu só  achei  que era justo te avisar  sobre o meu relatório. Respondeu Keyla.

Enquanto isso na audiência. 

- Senhor Alexandre  Siqueira  o senhor  esteve completamente  ausente da vida da sua filha nos últimos  três anos.  Porque depois dessa tempo o senhor resolveu pedir a guarda da menor?  Indagou o Advogado de Samantha.  

- Eu admito que eu errei como pai mas eu estava em um momento  difícil da minha vida. Agora eu sou um novo homem e eu só quero cuidar da minha filha. Eu sou cristão e não acho apropriado a Samatha  expor a minha filha ao homossexualismo dela. Respondeu Alexandre. 

- Então homofobia é o único motivo do senhor querer a guarda da Sófia? 

- Eu não sou homofobico  eu só acho  que crianças não devem ser expostas a esse tipo de coisa. Respondeu o bombeiro.  

Sem mais perguntas.  Falou o advogado. Foi a vez  do advogado  de Alexandre questionar Samantha.  

- A senhora mora com quem no momento?  

- Com a minha  irmã  e o meu cunhado mas eles estão noivos e depois do casamento  elas vão se mudar e eu e a Sófia  morar no apartamento da minha noiva e da minha cunhada . Respondeu Samantha. 

- Então você permitiu que a sua filha morrasse com um homem praticamente desconhecido  e agora  pretende  levar ela pra casa duas  outras desconhecidas ? Questinou o homem. 

- O Tato não é um desconhecido.  Minha família conhece ele a anos e ele é um pai pro meu sobrinho. E a minha noiva é amiga das minhas irmãs desde a época da escola e nos  estamos  juntas a quase um ano.  É a irmã  da Heloísa e madrinha  da Sófia adora os três .  Respondeu Samantha. 

- A senhora sabe que a maioria  dos abusos acontece dentro de casa...

- Eu não vou admitir que você faça esse tipo de insinuação  sobre a minha mulher...

- Protesto Meretissimo  especulação! Bradou  advogado de Sam

- Protesto aceito. Doutor Sampaio  controle sua cliente  e Doutor Belisario  eu não vou admitir insinuações  infundadas no meu tribunal.  Declarou o juiz.  

- Não foi a minha intenção.  Sem mais perguntas.  Logo Arthur chegou para ser interpelado pelo juíz. 

- Senhor  Arthur qual a sua avaliação como Conselheiro Tutelar sobre as condições em que vive a menor  Sófia Siqueira Lambertini? Indagou o juíz.  

- A Sófia  tem uma vida confortável.  Ela tem um quarto na casa da mãe que divide  com o primo  e também  tem um quarto na casa da Heloísa.  Estuda numa boa escola. 

- E o que o senhor tem a dizer da relação dela com os familiares com quem ela vive?  

-  Ela e  o primo são muito próximos, ela demonstra gostar muito dos tios e ter uma relação muito boa com a mãe e a companheira.  Ela relatou que iria sentir saudades  de morar com o primo e os tios mas parecia feliz em mudar para o apartamento da Heloísa. Respondeu o homem..

- E  o que o senhor tem a dizer sobre a relação da menor com o progenitor? 

- O pai é um desconhecido para ela. Ela nem mesmo queria passar qualquer  tempo com ele pois  claramente  ela não tem muitas lembranças do mesno. Respondeu  Arthur.  

- Sem mais perguntas . Falou o juiz . Logo foi a vez de Sófia ser ouvida. Para isso ficaram  apenas ela, o juiz e o Conselheiro Tutelar  na sala .

- Sófia meu nome é  Eduardo e eu sou o juíz que vai decidir com quem você vai  morar . É. Muito importante  que você  me fale a verdade. Você entende? 

- Sim.

- Você  gosta  de morar com a sua mamãe? 

- Gosto muito. 

- E  da  Lica você gosta? 

- Muito.  A mamãe  Sam pediu ela pra casar  e ela aceitou.  Então agora eu chamo a Lica de mamãe  Lica.  

- Alguém te pediu pra chamar a Lica assim? 

- Não.  Eu quis porque ela ama eu e cuida de eu. Que nem o Tio Tato  cuida do Tônico.  

- É você não tá triste que você não vai mais morar com seus tios e os seu primo?  

- Não. Eu vo  fica com  saudades  mas a Tia Key falou que o Tato é  um príncipe  e aí ela vai levar ela pra um castelo e eu vou poder ir lá visitar  e nadar na piscina.  E vou morar com as minhas mamães  e lá  tem o meu quarto e  tem a dinda Clara.  Respondeu Sófia. 

- E  o seu papai? Você gosta dele ?

- Não eu já ouvi  ele ser malvado  com a mamãe Lica  e ele  fica falando  que as minhas mamães vão pro inferno  e que eu vou também se eu morrar com elas. Eu não quelo morar com ele.  Falou a menina entre lágrimas.  

- Ei  não  precisa chorar. Arthur chama todo mundo pra dentro. Pediu o juíz.  Assim que Lica  entrou  na sala Sófia correu pro colo dela. 

- Calma meu amorzinho  a mamãe Lica tá aqui.  Vai ficar tudo bem.  Declarou Lica. Samantha colocou  o braço envolta dos ombros da noiva  e fez cafuné nos cabelos da filha. 

- Depois de analisar  tudo que foi apresentado eu tenho certeza  que o melhor para a menor em questão  é continuar  sob os cuidados da mãe.  Por isso eu indefiro o pedido de guarda unilatreal do senhor Alexandre Siqueira que  terá direito a visitação  em fins de semana  alternados. Eu preciso resaltar  para o senhor  que homofobia  e alienação  parental são crimes  e que  o direto  de visitação  pode ser suspenso  caso seja para o melhor  interesse  da criança.  O caso está encerrado. 

Eu vou recorrer! A minha filha  não vai ser criada por duas  aberrações! Gritou Alexandre  antes de sair.  Lica e Samantha nem deram atenção  para ele . Apenas  encheram a filha de beijos.  Elas  saíram do tribunal  e entraram  no carro de Roney .  Lica ligou o celular e viu que tinha várias  chamadas  perdida de ambas as cunhadas.  Aquilo fez o seu coração gelar então  logo ela ligou para K2.

- Katiane o que aconteceu com a minha  irmã? Indagou Lica desesperada  

- Calma Heloísa. A Clara bateu a cabeça, ficou desacordada  por um tempo  mas ela tá  consciente e os sinais vitais estão bons.  Eles levaram ela pra radiologia.  Explicou K2.

- Em que hospital  vocês estão? 

- No HCBM. Respondeu Katiane. 

- Tá.  Eu chego aí em dez minutos. Avisou Lica antes de desligar. 

- Roney deixa a gente no HCBM e fica com a Sófia por favor. Pediu Lica  

- Pode deixar a Clara  tá bem? 

-  Tá sim. A K2 disse que ela bater a cabeça mas tá  bem.  

- Mamãe  Lica a Tia  Clara tá dodói de novo? 

- Tá sim mas logo ela vai ficar boa. 

Assim que o casal chegou no hospital Lica  saiu correndo que nem uma desperada  e foi até a recepção .

- Capitã  Clara Becker ela é  minha irmã. ..

- A Capitã Becker  está bem.  Ela está no quarto  202 informou  a recepcionista. 

Logo o casal foi até o quarto da loira . Lica entrou  afobada  e foi logo abraçar a irmã.  

- Calma doida eu tô bem. Só uma concussão.  

- Você  frequenta  mais esse hospital que as pessoas que trabalham aqui. Você vai precisar passar  a noite aqui? 

- Não .  Finalmente o pedido de casamento Limantha saiu! Samantha já  tava achando que você ia enrolar  a minha  irmã. 

- Jamais  Clarinha. O que eu mais quero  e  ter a sua irmã como  esposa. 

- Sam eu preciso  que  você  vá pro 51. Eu sei  que você  tem mais um dia de folga  mas...

- Pode deixar  . Descansa  que  eu vou cuidar de tudo. Respondeu  Sam antes de dar um beijo  no rosto  da amiga.  

- Amor você  também  tem que voltar. 

- Eu  sei . Deixa a sua irmã cuidar de você.  Eu vou pra sua casa assim que terminar o meu turno. Eu te amo muito minha princesa.  

- Eu também  te amo demais  meu anjo.  Katiane deu um beijo casto nos lábios  da namorada e saiu.  

- O que exatamente aconteceu com você?  Indagou Lica. 

- O chão meio que desabou e eu caí no andar de baixo .

- Meu Deus Clara  um dia você  se pendura  num helicóptero, no outro isso. Você  podia ter morrido  hoje!

- Irmãzinha para de ser dramática. Eu tô bem.  Agora me conta como foi o pedido de casamento? 

- Foi lindo. A Sammy me levou pra passear  de barco  e cantou  uma música  linda que ela escreveu pra mim.  Ela disse coisas tão lindas pra mim. Contou Lica.

E a Sófia ? Como  ela reagiu?  Meu Deus a audiência  era hoje?  Deu tudo certo? 

- Deu tudo certo sim. A Sófia vai ficar com a gente.  E  tem mais.  Ela me chamou  de mamãe! 

-  Ai eu fico tão feliz de te ver  assim tão alegre. Sabe  eu  tava  pensando  agora que vocês  vão  se casar eu tava pensando  em me mudar. Não  tem  nada a ver  eu ficar  atrapalhando vocês.  

- Para de ser boba Clara.  Você não  atrapalha. E  eu não  quero  que você  se mude. Eu sei  que pra  casa dos nossos pais você não  volta  e eu não  quero  você morando sozinha. 

- Heloísa eu tenho  trinta anos na cara. Acho  que  é idade o suficiente pra morar  sozinha. 

- É  mas até a Sófia  tem mais juízo do que você. Você  vive  esquecendo  de tomar o seu remédio, se deixar você só  come  porcaria. No que depender  de mim você  só se muda  se quando casar. Argumentou Lica. 

- Você é  muito  exagerada.  Mas se você  faz tanta questão  assim eu fico. Por enquanto.  Respondeu a loira. Foi quando uma médica entrou. 

- Clara você  já pode ir pra casa você  é...

- Lica irmã mais velha da Clara. 

- Eu sou a Doutora Vitória.  A sua irmã vai ficar bem . Só precisa  ficar de repouso por sete dias e eu vou  receitar AT-121 pra dor.  Vocês já podem ir pra casa.  Explicou a médica.  

Na casa de Luís e Marta. 

- A Malu me ligou de novo ontem.  Comentou Marta. 

- Meu amor  a gente  tem avisar isso pra Lica. 

- Não Luís já  basta ter uma viatura  na porta. Polícia  nos seguindo.  

- Marta você sabe o quanto  a Malu é  perigosa...

- Ela não quer fazer nada comigo.  O jogo dela é usar as minhas filhas pra me atingir.  Sempre foi . Aposto que ela sabia que eu ia estar na outra unidade no dia do incêndio.  Ela só queria  mexer  com a cabeça das nossas filhas.  Argumentou Marta. 

- Você  tá  certa. Eu não sei como  um dia eu pude me apaixonar  por essa mulher. Lamentou Luís. 

- Você se apaixonou  por quem você  achou  que a Malu era.  Aconteceu a mesma coisa comigo. Ela é muito boa em enganar as pessoas. Respondeu Marta. 

No dia seguinte 

Anderson e Telma foram visitar Tina na prisão. Assim que chegam lá na sala em que aconteciam as vistas eles  encontram  a Tenente sentada.  Ela tinha um olho roxo e um corte no lábio. Anderson  sentou na cadeira ao lado dela e fez carinho em seu rosto.

- Meu Deus meu amor o que aconteceu? 

- Uma miliciana  me agrediu mas eu tô bem e ela já foi isolada.  Respondeu Tina.

- Isso é uma absurdo! Você deveria estar segura aqui. Exclamou Telma. 

- Não se preocupem.  Eu tô sozinha na cela agora.  São só mais vinte dias e eu tô fora daqui. Ponderou Tina. 

- Eu trouxe as coisas que você gosta de comer. Seu pai mandou umas coisas do restaurante. Falou Anderson  tirando  algumas  sacolas de sua mochila. 

- Eu eu trouxe  mais roupas limpas e mais um cobertor  pra você. A mamãe e o papai  querem te ver. 

-Obrigada meus amores.  Eu não quero eles nesse lugar. Respondeu  a Tenente.

- Tá  eu vou  falar isso pra eles. Falou Telma. 

- Alguma novidade? 

- A Keyla e  o Tato finalmente  marcaram  a data do casamento, A Sam ganhou  a guarda da Sófia e ela é a Lica estão noivas. A Sam fez  o pedido. Contou Anderson. 

- Meus  casais! Fui eu que pedi sim. E a  sua irmã  desencanou da Clara? 

- Ela parou de insistir  mas fica se lamentando pelos  cantos desde que que a Clara e a K2 começaram a namorar.   Respondeu ele. 

- Eu amo a sua  irmã mas ela  é  muito trouxa  de perder o mulherão da porra que é a Clara. Sem falar  que  ela acabou com as five. A Lica  não  vai perdoar ela  tão cedo. Comentou Tina.

- Eu realmente  espero que ela perdoe um dia. A Ellen  tá  muito sozinha  desde  que as duas brigaram.  Comentou  Anderson. 

- Eu sei. Quando eu sair desse buraco eu vou tentar que as duas se acertem.  Garantiu Tina. 

- Amor o horário de vista acabou a gente  volta na semana  que  vem.  Eu  te amo muito minha  Samurai. Declarou Anderson antes de dar um abraço  e um beijo  estalado no rosto da namorada. 

- Eu também te amo muito  Andy. Respondeu Tina. 


- Te amo maninha.  E  por  favor  toma cuidado. Pediu  Telma  enquanto abraçava  a mais  velha. 

- Também  te amo neném.  Eu prometo que vou me cuidar. Respondeu  a Tenente.  

A noite no apartamento  de Keyla o casal estava  deitado na cama assistindo um filme quando  Tônico  entrou no quarto chorando . Keyla imediatamente  pegou o filho no colo.

- Mamãe  eu tive um sonho ruim.

- Você  quer dormir comigo  e com o papai?  

- Quero.  Keyla deitou na cama junto com o menino e Tato abraçou  os dois. 

- Eu sonhei  que o Deco me levava  embola e me prendia no quarto escuro.  Contou o menino entre lágrimas.

- Filho eu a mamãe  não vamos deixar ninguém  te levar da gente . Prometeu Tato. 

- Filho o Deco  já  te trancou num quarto escuro?  

- Já.  Quando  ele  viu eu brincar de boneca.  Aí ela falou que se eu contava  ele dava uma surra  em eu. Contou o menino  chorando. 

- Ninguém  vai bater em você  meu principezinho.  A mamãe e o papai  não vão deixar.  Garantiu Keyla. Ela começou a cantar  Trem Bala enquanto  Tato fazia cafuné  no filho. Logo ele  adormeceu. 

- Eu  sei o que você  tá pensando  . Eu também quero  arrebentar a cara do Deco mas isso  não resolve  nada. Amanhã cedo a gente  liga  pro conselho  tutelar e pro advogado.  Falou Tato.

- Você  tá certo.  Eu só  espero que o Tônico não tenha  que ver o Adalberto nunca mais. Respondeu Keyla. 

Ao mesmo tempo  na residência das irmãs Becker. 

Lica estava colocando Sófia pra dormir  enquanto  Samantha  observava a cena.  

- Meu amorzinho você  tem dormir que amanhã é o primeiro dia de aula  amanhã eu conto outra história.  Falou Lica. 

- Tá bom mamãe.  Você  vai levar eu na escola ?

- Vou sim. Respondeu Lica já  lacrimejarando. Ela tinha vontade de chorar  de emoção cada vez  que Sófia a chamava  de mãe.  

- Dorme bem minha  filha.  Eu te amo  muito.

- Eu  também  te amo muito mamãe Lica.  Disse Sófia antes de fechar os olhos. Heloísa  ficou fazendo  cafuné na menina e logo ela adormeceu. Assim que Lica  saiu do quarto foi abraçada pela noiva. 

- Ca de vez que eu vejo você cuidando da nossa filha eu me apaixono  mais . Declarou Samantha. As duas foram pro quarto e se deitaram abraçadas. 

- Pra quando  você  tá pensando  em marcar o nosso casamento?  Indagou Lica. 

- Por mim assim que a Keyla e  o Tato voltarem da Lua de Mel a gente casa. Respondeu Samantha.  Inicialmente  a cacheada  tinha pensado num noivado mais longo  mas depois de ver Sófia chamando  Lica de mãe  ela não via mais motivos pra esperar. 

- Eu também quero casar logo mas eu quero muito uma Lua de Mel  e com os casos que a gente tá investigando  eu não vou poder tirar férias tão cedo. Respondeu Lica  nervosa. 

 - É  eu não quero casar  num  dia e você  ter que trabalhar  no outro.  Mas eu também  não quero ter esperar  muito.  Em seis  meses eles são obrigados a te dar férias então  que tal  fevereiro? Sugeriu Samantha.  

- Fevereiro tá ótimo  pra mim.  Respondeu Lica.

- Eu não quero nada muito  grande, tava pensado  em chamar  o pessoal  do 513, umas pessoas  do meu antigo Quartel e talvez  alguns amigos do tempo de escola, de Academia e a família.   Opinou  Samantha.

- Eu também  tava  pensando  nisso.  Não quero  chamar  pessoa  que  eu não conheço  direito. Concordou Lica. 

- Seu aniversário  tá chegando  o que você  tá pensando em fazer ?

- Uma festa junto com a Clara no 193. Almoço na casa dos meus pais. 

- Então  eu quero pelo  menos  tomar um café da manhã  especial com você  e a nossa filha. Eu aposto  que a K2 vai querer o mesmo com a Clara.  

- Combinado.  Eu amo quando  você diz nossa filha. Declarou Lica.

- Você  já  é  uma  mãe  incrível  pra Sófia. Vem cá  você  é a Clara não se matavam  quando  eram  crianças  por ter dividir  o aniversário?  

- A gente  brigava bastante quando era criança. Uma vez acho que eu tinha uns dez anos e a Clara  nove ela queria uma festa  da Mulher-gavião  e eu queira  da Mulher  Maravilha. A briga  foi  tão feia que ela fugiu de casa.  Imagina  o desespero de tudo mundo.  Aquela ali nunca  teve juízo.  

- Demorou muito pra encontrar ela. ?

- Horas. Eu estava  desesperada achando  que ela tinha sido lavada pelo homem  do saco.  Até ela finalmente  aparecer. Ela entrou na apartamento  do zelador sem ele ver e depois acabou trancada até o zelador ir almoçar  e encontrar  ela lá.  Eu fiquei um mês inteiro  sem implicar com ela e a gente  acabou fazendo uma festa das heroínas  da Liga da Justiça.  Contou Lica. 

- Coisa que vocês  duas poderiam  ter feito desde o começo.  Implicou Samantha. 

- A gente era criança. Se defendeu Lica. 

- Se a Sófia  for igual a você  com os irmãos  eu vou enlouquecer.  Declarou Samantha. 

- Irmãos?  

- É.  Agora que a gente  vai casar eu tenho certeza que quero  ter pelo menos um bebê com você.  Confessou Samantha. 

- Eu  também quero. Eu tenho  pensado sobre isso e eu quero carregar  o nosso bebê. Respondeu Lica.

- Você  iria ficar ainda mais linda grávida.  Disse Samantha. 

- Acho que a gente  tem curtir um pouco o casamento  e quem sabe  no fim do ano que vem a gente  começa a tentar.  Propôs Lica.

- Eu  concordo. Mas se você  engravidar  você  tem que prometer  que não vai fazer nada perigoso.  

- Assim que  a gente  fizer  o primeiro  procedimento  eu me afasto do trabalho de campo.  Garantiu Heloísa.  

- Eu te amo tanto  minha linda. 

- Eu também  te amo muito Sammy.  Declarou Lica antes  de se aninhar  os braços da amada.  

Ao mesmo tempo  no quarto de Clara. 

A loira  estava  deitada nos braços da namorada  que fazia carinho  em seus cabelos. 

- Você  ainda  tá com do de cabeça? Indagou Katiane preocupada 

- Um pouco.

- Tá sentindo enjoo ou tontura? 

- Um pouco de enjoo.  Respondeu a loira.

- Amor se você não  melhorar a gente  vai ter voltar pro hospital.  Declarou K2.

- Não  precisa se preocupar. É  normal  ter esses sintomas depois de uma concussão.  Ponderou Clara. 

- Tá mais você  vai  me falar  se sentir tontura.  E vai  ficar  aqui  bem quietinha e me deixar cuidar de você. Pediu Katiane. 

-  Nem  precisa pedir. Tudo que eu quero hoje é o seu carinho.  Respondeu a loira.

- Eu  te amo muito. Declarou K2.

- Eu também  te amo  demais. Respondeu Clara.  Katiane ficou fazendo carinho na namorada  até ela adormecer. 

No dia seguinte.

Keyla acordou e viu que Tato e Tônico  não estavam na cama.  Ela olhou a hora em seu celular e concluiu  que o noivo havia ido levar  o filho na escola . Então  ela fez as suas higienes  e tratou  de ligar para seu advogado  e relatar o que Tônico  tinha  lhe relatado.  O homem garantiu que iria pedir a suspensão  das visitas. Keyla encerrou a ligação . Foi quando  Tato e comprimentou  a noiva  com um beijo.  

-  Bom dia meu amor. 

- Bom dia meu lindo . Eu já falei com o advogado. Ela explicou  para ele a conversa  com o homem.

- Eu só  espero que isso se resolva  logo pra gente  seguir a nossa vida. Falou Tato.

- Essa não é a única coisa  que a gente  precisa  resolver.  Meu amor você precisa denunciar a Lúcia.  

- Eu não tenho  prova  de que foi ela.  Eu não vou me humilhar  numa delegacia  a troco  de nada. Respondeu Tato. 

- Meu lindo  eu sei que é  difícil pra você  denunciar  mas essa mulher  é  perigosa.  Ela pode tentar te machucar  de novo.

- Keyla eu não vou nem na  sem um segurança  ou você  ou algum policial.  

- Eu  sei mas...

- Por favor  Keyla eu não  quero mais falar sobre isso. Percebendo  que o navio  estava ficando agitado  a bombeira decidiu  encerrar o assunto.  

- Tá  eu não vou mais tocar nesse assunto. Respondeu  Keyla fazendo  carinho  no rosto do noivo.  

- Desculpa Key...

- Meu amor você não  tem pelo que pedir desculpas.  Você não fez nada de errado.  Vem deitar comigo um pouco que ainda  tá muito  cedo. Sugeriu Keyla.  Os dois foram pra cama se se deitaram  abraçados. 

- Eu  te amo muito meu príncipe .

- Eu também  te amo muito.  

Na noite seguinte. 

 Duca parou o carro  num galpão onde já  estavam  Malu , Deco , Alexandre  e um homem  que ele desconhecia. 

- Lucas  essess são  meus sócios.  Lúcia, Adalberto, Alexandre  e Lívia  .  Você  trouxe  o produto?  

- Está  aqui.A grana?  Duca abriu  a bolsa  que carregava  e mostrou vários  tijolos  de uma substância  branca. Então Livia   mostrou  a ele uma mala lotada de notas de cem. 

Na delegacia  a força tarefa  observava  tudo  através  das câmaras  implantadas  nos óculos que Duca  usava. 

- Primeira  parte do plano  um sucesso. Agora só precisamos  pegar a Lúcia  no pulo.  Falou Sara.

- É rápido  porque já deu do meu namorado  ficar  tendo que seduzir  bandida. Comentou Bianca. 

 - Vamos continuar  de olho uma hora  ela vacila.  Opinou Vic. Lica já estava  caindo de sono  então  ela foi no banheiro  lavar  o rosto. Ela estava prestes a sair do banheiro  quando  Vanessa entou  no cômodo. Antes que Lica pudesse reagir a mulher  a jogou contra  a parede  e começou pressionar  seu corpo  contra  o dela e enquanto  beijava o seu pescoço.  Lica queria mais do que tudo  empurrar  a mulher  para  longe  mas seu corpo não parecia  obedecer os seus comandos. Heloísa  sentia  um misto  de medo, nojo  e impotência. Ela era um policial  treinada ela deveria  conseguir  se proteger.  Vanessa   segurou  o seu pescoço  a deixando  sem ar enquanto  passava a mão  dentro  de blusa  da policial.  Foi quando  a porta  se abriu.  Samantha  não pode acreditar no que via. O coração  de Lica parou  ao ver a noiva. Vanessa inteiramente  afrouxou  o apertou no pescoço da policial.  

- Sammy ela me agarrou! Eu não queria eu juro! Contou Lica  entre  lágrimas.  









 

 




Notas Finais


E aí o que acharam? Marta foi mesmo apaixonada pelo Malu. E reunião de bandidos com transmissão ao vivo pra polícia ? Vocês acham que o Tato vai denunciar a Lúcia? E a Samantha vai acreditar na Lica ? Se tiver pelo menos três comentários o posto próximo capítulo já aviso que vai ter muita ação. XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...