1. Spirit Fanfics >
  2. Heroes and villains in - The New generation- interativa. >
  3. Capítulo 4

História Heroes and villains in - The New generation- interativa. - Capítulo 8


Escrita por: e kineh


Notas do Autor


Olá caros leitores! Como estão? Espero de coração que estejam bem.

Como prometido mais um capitulo postado. Esse e o ultimo com recrutamento, mais falta uma personagem que já estava destinada a entrar em outro capitulo.

Para falar a verdade, a parti desse capitulo, eu irei gosta de fazer mais, não sou muito criativa com recrutamentos.

Peço desculpas pelos erros de ortografia, eu ainda não os corrigir.

Os capítulos não demorarão a sair, mais por agora pode. Descobri o que eu tenho e é caso de cirurgia. Infelizmente tenho um tumor, mais gracas a Deus por hora esta benigno. Assim que eu fazer a cirurgia, irei ficar de resguarde, são dois meses sem fazer nada, só dentro de casa - não que eu não fique - mais como vou ficar só em casa, sem trabalhar, serão dois meses escrevendo. provavelmente serão quatro capítulos só em um mês, e talvez oito nos dois, então vocês não ficaram sem capítulos por muito tempo.

espero que gostem do capítulo e até o próximo.

Capítulo 8 - Capítulo 4


Oslo - Noruega

Carolina - no mesmo dia - 09:56pm

 

Ao chegar à cidade, Carolina não pode deixar de ficar inquieta querendo logo encontra seu primo. Não são os mais próximos, pode se ter a certeza. Quando se conheceram, ao invés de darem um abraço e conversarem como primos normais, eles travaram uma luta de destruir metade de uma pequena cidade. Após chamarem mais do que queriam de atenção, Ângelo foi embora, deixando Carolina arcando com as consequências. 

 

Isso já é mais um motivo para a loira não gosta do primo, mais a verdade é que ela não tem outro motivo específico para não gosta dele, ou melhor, tem sim!

 

Mesmo não querendo, a loira apreciava e ficava encantada com as maravilhas da capital da Noruega. Admitia para si mesmo que a cidade era realmente um bom lugar para morar. 

 

A Odinson preferiu caminhar sem rumo por mais alguns minutos, para distrair mesmo, antes de raciocinar onde encontraria seu primo. 

 

Mesmo tendo passado algumas informações de cada recruta, muitas coisas faltavam, e uma desses era onde exatamente - referência - Os recrutas estariam. E esse detalhe é um dos mais importantes como pensa a loira.

 

{•••}

 

Praguejando com todas suas forças Nick e principalmente Elizabeth, Carolina foi resmungando até chegar em uma floresta, onde supostamente encontraria o tal "Anjo", que assim que souber do tal, já teve a certeza dele ser seu primo.

 

Andando com cuidado entre as árvores no meio da Escuridão, Carolina pedia a Odin que com muita facilidade trouxesse seu primo até ela, mais se indignava por tal coisa não ocorrer. 

 

Enquanto se concentrava em pensar em um lugar onde o filho de Ângela pudesse se encontrar, não percebeu o ser que aproximava de si e por isso é acertada com tudo por uma espécie de marreta gigante. 

 

Seu corpo foi jogado a uma distância considerável grande, provando que o ser que a atacou não era fraco. 

 

— Essa doeu! - Se colocou de pé, e antes de receber qualquer ataque do ser a sua frente, esticou os braços para cima e um raio a aceitou, trazendo ao seu corpo sua armadura, que lembrava imensamente ao de seu pai. - Acho que você buscou encrenca com a pessoa errada!- partiu para cima do, agora descoberto, homem. Seu rosto não era possível ver, a escuridão do lugar não ajudava, mais isso não era algo que iria atrapalhar a Odinson. 

 

Perto o bastante, desferiu um soco no maxilar do homem, que gemeu de dor pela força usada. 

 

"Conheço essa força!" - pensou o homem que sorriu de lado em seguida.

 

Mesmo reconhecendo a loira agora, pois no início pensou ser um outro inimigo, não iria parar, não agora que pode fazer uma revanche decente. Com sua velocidade sobre humana, conseguiu chegar a tempo de pegar sua marreta e defender o que acabara de reconhecer, o ataque do Mjölnir. 

 

— Então você é digna? - perguntou debochado. 

 

— E quem disse que não sou? - jogou contra o peito do homem que se não fosse rápido o suficiente, teria ficado preso caído no chão por conta do martelo. — Velocidade Sobre-humana,  resistência Sobre-humana e super força?... Parece que Odin atendeu meu pedido - ironizou tendo seu martelo em seguida em sua mão. - Não vim lutar com você! - 

 

— Que chata, estava querendo revanche!- 

 

— No momento não tenho tempo para isso, mais te asseguro que lutaremos outro dia! - desfez sua armadura - Quero tratar outro assunto com você agora, e eu prefiro em outro lugar! - 

 

{•••}

 

— Então está querendo me dizer que a Shield está montando uma equipe e eles me querem nela? - obteve um aceno positivo da loira - O que ganho em troca? - 

 

— Faça me o favor! - esbravejou - Não te daremos nada em troca, mais as vidas salvas, seus pais, os nossos de volta já será uma grande recompensa!- abaixou seu dom ao ter alguns pares de olhos vidrados em si. Eles estão em uma lanchonete. 

 

— Calma filha de Thor, estou apenas brincando, não precisa trazer uma tempestade! - olhou o clima através da enorme janela de vidro.

 

— Mas não sou eu que estou fazendo isso é apenas o clima previsto para hoje - deu de ombros e tomou seu café - Com um dedinho meu - sorriu sem graça, seguindo com uma gargalhada pela cara do seu primo. 

 

Talvez eles não querem se matar tanto assim!

 

{•••}

 

Base principal da shield

Outro dia - 08:38am 

 

O dia amanheceu estranhamente estranho. A sala em que, pelo menos agora, estão todos os recrutas o clima é horrível. Pode se sentir a tensão entre cada um. Uns se olhavam como se quisessem se matar, outros pouco se importavam com quem estava ali, e outros apenas parabenizada Nick pela idéia, ridícula e sem juízo, que no caso era a Rainha de Atlântida. 

 

— Se ninguém destruir metade dessa base até o fim dessa equipe, eu renuncio meu trono! - encarou Nick - Isso vai da uma merda, e nem foi eu que disse! - Se afastou de Nick para não esfregar mais algumas verdades em sua cara, já que está a conversar com o homem à horas.

 

— O que vamos fazer agora Nick? - Elizabeth que se mantinha em silêncio se pronunciou, tendo apenas a atenção do Fury. 

 

— Recrutar mais alguns! - 

 

— Como? Eu escutei bem? - Carolina adentra na conversa cruzando os braços. - Não acha que já tem doido de mais no hospício, não? E olha que eu estou me incluindo! - 

 

— Ontem Athena nos trouxe mais quatro fichas, não podemos deixá-los de lado! - 

 

— Claro, porque não aumentar o circo não é mesmo? - sorriu irônica e encarou séria Nick. Diane que analisava tudo com uma certa distância, logo se pronunciou:

 

— Olha aqui - Se aproximou novamente - Irei aposta todas as minhas cartas nesse jogo, e eu espero que no final eu saia como vencedora, caso contrário vocês saberão do porque o Tártaro e um lugar indesejado! - ditou fria. Diane estava arriscando muitas coisas ali, e uma dessas e a proteção do seu povo. Como ela está na equipe, não pode dar a atenção necessária para a proteção dos Atlantes e os sete mares.

 

{•••}

 

— Atenção! - Nick falou buscando a atenção de todos na sala. Respirou fundo ao ter apenas os heróis atentos a si - Atenção! - voltou a falar, deve vez um pouco mais alto.

 

— Eu avisei que não seria fácil! - sussurrou Carolina.

 

— Eles nem te respeitam - provocou Diane segurando a risada. 

 

— Elizabeth, poderia? Esquece - Notou não ter a ruiva na sala. Em seguida o moreno olhou para a loira.

 

— Nem vem, meu humor não está bom, não estou a fim de quebrar a cara de senhor ninguém - 

 

— Com coisa que seria fácil assim! - revirou os olhos - Irei te ajudar caro Nick - levantou da cadeira. Só de levantar já recebeu a atenção de alguns rapazes, as heroínas e alguns heróis, e Anti, já tinham a atenção desde Nick, mais só foi Diane dizer "Atenção" que todos pararam o que estava fazendo para a olhar. - Não quero ser chata, ou lhes mostra uma personalidade não amigável de início, então peço a educação de todos. O que temos para falar e de suma importância, então se não querem escutar, e preferem ficar brincando, a porta da saída é logo ali - apontou para a grande porta. - Não iremos nos importar caso queiram ir embora - ditou seria. Diane sabe como chamar atenção, teve que aprender quando se tornou rainha.

 

— Não posso ir embora quando se tem tantas garotas gostosas em um lugar só! - Theo exclamou recebendo cara de nojo e reviradas de olhos de todas as mulheres na sala e alguns rapazes, como o de Zaki e Michael e Ângelo.

 

— Nick esse cara faria falta na equipe? - Diane perguntou a Nick em um sussurro.

 

— Diane! Contenha-se e retorne ao que iria fazer! - Ordenou Nick. Diane apenas respirou forte e voltou a falar, ignorando o olhar malicioso do moreno a si. 

 

— Voltando ao que iria dizer. Esse equipe tem dois únicos intuitos. Primeiro: Proteger o planeta dos Vilões que não quiseram se juntar a nós e dos seres que estão ameaçando nossa existência, que no caso não sabemos quem são. Segundo: Trazer nossos pais de volta. Talvez muitos de vocês nem queiram esse segundo intuito, mais peço que ajudem para que os que interessam, chegam aos seus objetivos. - deu uma pequena pausa - Já é óbvio que não nos daremos muito bem, todos nesta sala são diferente um do outro, temos muitas diferenças que tenho certeza que nos levarão a discussões e brigas, mais vamos dar o nosso melhor e tentarmos, pelo menos isso, nós darmos bens!... Mais informações serão passadas a vocês mais tarde, assim que os que restam chegarem….. E só isso, podem voltar aos quartos de vocês! - finalizou 

 

{•••}

 

Las Vegas - Nevada - EUA

Carolina - Mais tarde - 10:06

 

A música um pouco alta, levava a alguns corpos se moverem de acordo com a batida. As pessoas ali, naquele local se divertiam. Enquanto uns ficavam dançando na pista luxuosa de dança, outros apostaram suas sortes, que as vezes nem tinham, nos jogos. Alguns palavrões do leve até pesado saíam das bocas dos azarados, e gritos de euforia, dos sortudos. 

 

Trajando um vestido preto curto, e um salto amarração também dá mesma cor, Carolina atravessava o cassino indo em direção ao bar. Ao chegar lá, se sentou em um dos barcos e fez seu pedido. 

 

— Irei querer um Magie Noir, por favor! - cruzou suas pernas e jogou seu cabelo para o lado. Quem olhasse a veria jogando seu charme, mais na real ela jogava seu cabelo apenas porque estava atrapalhando sua visão. 

 

"Droga Diane" - pensou referente ao vestido que trajava. A loira não era chegada nessas roupas, mais sua amiga disse que era necessário, já que onde iria era um dos mais luxuosos cassinos de Las Vegas. 

 

— Aqui está! - uma mulher alta, seu cabelo é longo na cor acastanhado, assim como seus olhos. De porte físico bem treinado e de semblante sério, se pronuncia entregando um coquetel.  Esse coquetel e conhaque Hennessy e champanhe Dom Pérignon com licor de amora, lichia, capim-limão e casca de yohimbe.

 

— Obrigada, mais quero outra coisa, dessa vez seu telefone, o que me diz? - sorriu maliciosa - Ou melhor, posso conversar com você por alguns minutos? - 

 

— Não para o número e sim para a conversar! - falou e se afastou da bancada, falando alguma coisa com seu colega de trabalho. 

 

"Obrigada Diane, te devo essa" - 

 

Flash Back On

 

— Está dizendo que terei de dar em cima dela? - pela segunda vez perguntou a Diane, que se perguntavam como de inteligente sua amiga dava uma de burra.

 

— Sim Carolina, como Athena falou, ela gosta de mulheres, mais e demossexual, então você dará o passo primeiro. Peça seu número, provavelmente ela não te dará, mais antes de sua resposta peça para conversar com ela. Se tudo der certo, e só é rezar e pedir a Odin que ela venha com você! - 

 

Flash Back off

 

{•••}

 

— Agradeço por ter aceitado vir conversar comigo - falou se sentando em uma das cadeira. As duas se encontrava em uma parte do cassino vip, uma área que Carolina já havia pensando e alugado apenas para elas.

 

— Não a de quer, mais como viu, estou no meu horário de trabalho. Poderia ser direta ao ponto? - indagou a morena.

 

— Claro! A Shield precisa de você. A equipe que estamos criando precisa de você! - Mais do que direta, Carolina falou.

 

— Está me dizendo que me chamou aqui para me levar a Shield? Desculpe mas isso não irá rolar ! - a raiva em sua voz já era notável. A morena não disse mais nada, apenas virou as costa e saiu apressadamente da sala.

 

— Que porra! - exclamou irritada ao não avista mais a imagem da morena - E eu me esqueci que ele ser trocar de aparência - furiosa saiu do local, esbarrando em que tivesse a sua frente, mal sabendo que uma dessas pessoas, mais necessariamente um homem que lhe chamou atenção, era a jovem filha de Mística e Magneto.

 

{•••}

 

Los Angeles - EUA - Oficina de Robbie Reyes 

Elizabeth  - Mais tarde - 13:26pm

 

— A alguém aqui? - perguntou após adentrar a oficina. Elizabeth chegou a Los Angeles alguns minutos atrás, chegará rápido por conta do Quinjet que usou. Não demorou muito procurando até achar a oficina de Robbie Reyes. 

 

— Olá no que posso ajudar? - perguntou uma mulher de pele branca, cabelo mediano na coloração loira, com aproximadamente 1,71 de altura, que acaba de sair por uma das portas da oficina.

 

 — Poderá me ajudar aceitando meu pedido - sorriu em seguida - Meu nome é Elizabeth Rogers, sou agente da Shield e vim lhe fazer um pedido… A alguns anos, pessoas vêm sumindo, mais necessariamente pessoas com habilidades peculiares, por esse motivo a Shield criou uma equipe, já recrutamos bastante pessoas, mas quanto mais melhor. A um tempo a Shield te analisa e guardar todas as informações, inclusive a que você também e igual a Alejandra Jones, e para complementar, e filha dela. - deu uma pausa - Sei que está achando isso tudo muito louco, mas necessito de uma resposta concreta e rápida. Você aceita fazer parte dessa equipe? - perguntou um pouco receosa com a resposta, talvez pela feição da mulher a frente, que não indicava nada, estava neutra.

 

— E uma situação complicada, mais pode contar com minha ajuda! - 

 

— Agradeço por confiar sua ajuda e habilidade a nós, mais não a necessidade com a desconfiança, pelo menos não a mim, a última coisa descartada, que faria a você, e mal. - 

 

— Sim! - foi a única coisa que falou, antes de mudarem de assunto para irem a base. 

 

{•••}

 

Nova York - EUA 

Elizabeth - Mais tarde - 19:39pm

 

Charlotte Strange se encontra no refeitório da universidade batendo um papo com suas amigas. A mesma ri dos acontecimentos que são narrados pelas mesmas. 

 

— Ei, você disse que não voltaria com ele - riu da cara da amiga por falar que voltou com o ex. 

 

— Desculpas, mais ele é uma tentação! - Se abanou com as mãos rindo em seguida - Mais por falar em tentação, Steve Rogers que é uma mesmo, viu? - 

 

— Ele realmente, é! Não é à toa que conquistou minha mãe! - Elizabeth se pronunciando na brincadeira assustando todas da mesa. 

 

— Eu, me desculpe - a garota apavora se desculpava.

 

— Não se preocupe, estou brincando com vocês! - sorriu gentilmente amenizando a situação é acalmando as garotas - Mais não foi para brincar ou assusta você que vim aqui… Posso conversar com você senhorita Strange? - 

 

— Claro, vamos para o jardim! - 

 

{•••}

 

— Então vocês me querem nessa equipe? - Elizabeth já tinha a explicado toda a situação.

 

— Sim, na verdade precisamos de você! - sorriu gentil.

 

— Fico grata por me darem uma chance, espero me dar bem com você e com o resto da equipe - retribuiu o sorriso - E sim, isso é um sim! - 

 

{•••}

 

Londres - Reino Unido 

Diane - Mais tarde - 14:22pm 

 

As informações passada para a Rainha, era que em horários vagos o filho do flash adorava cozinhar. Por essa informação, Diane buscou saber onde ele cozinhava, então descobriu de um restaurante que anda fazendo bastante sucesso em Londres. Não foi difícil descobrir que tal era do rapaz, então preparou seu plano de recrutamento e se dirigiu ao estabelecimento. 

 

Ao chegar se surpreende pelos detalhes compostos por dentro, cada mínimo detalhe bem pensado. Se encontra bastante pessoas no local, saboreando dos pratos apetitosos, mais não deixavam de ter vaga. A morena caminhou calmamente até uma mesa, tal que já tinha reservado horas antes. No meio do percurso, fora surpreendida por uma criança.

 

— Você é uma sereia moça? - perguntou tombando sua cabeça para o lado, formando um biquinho nos lábios que fez Diane a achar bem fofa. A garotinha aparentar ter seus cinco anos, seus olhos são castanhos e seus cabelos negros, trajando em seu corpo um vestidinho vermelho. — Eu vi você nadando uma vez. Ninguém acreditou em mim! - sua feição de alegria se tornou de tristeza. Diane abaixou para ficar da altura da garotinha e falou:

 

— Eu sou, mais uma sem calda! - alisou os cabelos da menininha. Os olhos da garota tomaram um brilho diferente - Eu tenho algo a fazer, mais prometo voltar aqui e te levar para conhecer os tubarões - sorriu e depositou um selinho na testa da mesma - Para você! - Diane estendeu a mão e em seguida surgiu água, ela moldou a mesma em uma sereia, e a congelou, entregando a menina logo mais que sorriu agradecida e voltou para a mesa onde estava seus pais. 

 

Diane ao não ter mais a presença da garotinha, retornou seu caminho e se sentou na mesa, tendo um garçom chamado logo em seguida.

 

— O que deseja senhorita? - 

 

— Desejo conversar com o Chef, mostre isso a ele! - Diane tirou um pequeno envelope de sua bolsa e o entregou.

 

— Sim, senhorita! - 

 

{•••}

 

Nesse exato momento Alec que se mantinha no controle de suas ações, o mesmo mantém sua concentração na receita que segue para terminar o prato, vulgo criado por ele mesmo. 

 

— Senhor Alec - o garçom chamou seu chefe assim que chegou na cozinha - Uma moça mandou lhe entregar isso - o entregou o envelope. Ao analisar apenas por fora e notar o símbolo da shield, Alec agradeceu o garçom e o pediu para levar a moça ao seu escritório e saiu do local indo para o lugar marcado. 

 

"Do que será que se trata?" - West perguntou

 

"Não faço idéia!" - 

 

Alec ao chegar em seu escritório abriu e leu todas as informações contidas nos papéis que haviam dentro. Os papéis eram documentos, todos relacionados ao seu pai, Barry.

 

— Será que eles sabem onde ele está? - perguntou para si próprio e para West.

 

— Não, nós não sabemos onde ele está, mais e por esse motivo que eu vim aqui. A shield está criando uma organização, ou uma equipe, falei como quiser, e tem o intuito responder essa pergunta que você acabou de fazer, como outras, além da proteção do mundo! - Se aproximou de Alec que se mantinha surpreso. - O que me diz Alexsandre West-Allen? - 

 

— Eu tô confuso, e.eu não sei, não sei nem o que falar! - O moreno começou a embolar em suas próprias palavras. 

 

— Apenas fale, "Eu aceito"! - 

 

{•••}

 

Base principal da shield 

Dois dias depois - 12:46pm

 

A dois dias quando todos, finalmente, se juntaram, ou quase, por Odin só houve uma discussão, mais nada que colocasse o mundo em perigo. Nesse exato momento mais uma vez todos, falta uma, estavam na sala de reuniões. Nick já tinha falado tudo que fora na reunião passada, e nesse exato momento os explicava sobre a base própria da T.N.G.

 

— Vocês serão mandados para lá ainda hoje, peço que sejam maduros o suficiente para não destruir aquela base, nos custou muito caro. Haverá um líder e vice líder lá, e eu pensei bem, nada melhor do que um rei e uma rainha, não é mesmo? Diane será a líder e Zaki T'Challa será o vice, a partir de agora quem ficarão responsáveis por tudo que acontece com vocês serão, eles. Ao chegarem lá terá mais uma coisa que precisaram decidir. Isso é tudo, se dirijam para o avião que os espera! - 

 

{•••}

 

No avião

 13:01pm

 

— Que clima, não? - Diane perguntou Eliz.

 

— Devo admitir! - Se concertou no assento - Notou o comportamento de Carolina? - indagou ao olhar Carolina que se mantinha de forma mais indiferente do que ficava. 

 

— Você ainda se preocupa? Já estou acostumada! - deu de ombros brincando com água em suas mãos. 

 

— Olá! - Às duas heroínas olharam o ser que se pronunciou.

 

— Olá - em uníssono falaram sorrindo gentilmente. - Deseja alguma coisa? - Elizabeth indagou.

 

— Apenas conversar com vocês! - Charlotte falou. 

 

— Sente-se e se sinta à vontade. Nos diga o que acha de está fazendo parte dessa equipe? - Diane perguntou 

 

— E estranho, devo admitir, mais e bacana só pelo fato de podermos, juntos, ajudar os que precisam! - 

 

— Sua bondade e notável. Mais não seja boa demais, principalmente nessa equipe, nem todos irão te tratar da mesma maneira! - Diane a encarou - E outra, por mais que estamos aqui com um único objetivo, alguns podem está escondendo outros, então não confie sempre! - 

 

— Obrigada pelo conselho, irei o acolher! - sorriu. 

 

— "Atenção, coloquem os cintos e se segurem, nós iremos aterrissar" - O piloto os comunicou.

 

{•••}

 

Base T.N.G 

13:15pm

 

O avião aterrissou com sucesso, a base e localizada em uma ilha, a mesma é protegida por uma espécie de barreira, que envolve ela toda, mais com um raio de 30.000 metros de distância da terra firme. 

 

Todos desceram do avião, e ao baterem o olhar na "Base" a surpresa foi inevitável.

 

— Vou perguntar ao Nick se viemos aqui para uma férias ou para aprimorarmos nosso poderes e salvar o mundo? - “falou” Carolina.

 

— Seja lá o que ele pensou, vou me controlar para não quebrar essa belezura! - Theo se pronunciou se aproximando das três mulheres. - Não é mesmo Diane? - passou o braço por sua cintura.

 

— Vou te dar um segundo para tirar sua mão daí, caso contrário quem vai quebrar essa casa sou eu! - Theo apenas gargalhou por ter conseguido a irritar e se afastou da mesma. — Não é querendo ser pessimista ou algo do tipo, mais vai dar muita merda isso tudo! - 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...