1. Spirit Fanfics >
  2. Herói amaldiçoado >
  3. Capítulo 1

História Herói amaldiçoado - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Iae pessoal, tô aqui com mais uma história, espero que gostem.

Capítulo 1 - Capítulo 1


 

 Izuku Midorya entendeu a muito tempo o quão cruel e injusto o mundo realmente era, escondido por trás de uma faxada alegre havia um lugar escuro e nojento que representava a verdade das coisas, pelo menos para ele.

 

Izuku Midorya sempre sonhou em ser um herói, salvar as pessoas com um sorriso no rosto, ser uma inspiração e alguém com que as pessoas pudessem contar.

 

Porém, em um mundo onde 80% da população possuía algum super poder conhecido como individualidade, Izuku Midorya deu o grande Azar de fazer parte dos 20% que não os tinham.

Graças a isso ele passou a ser ridicularizado por quase todos que conhecia, seus amigos acabaram de tornando seus agressores e o pior de tudo é que ninguém fazia nada para ajudá-lo

 

No dia que descobriu sobre sua condição ele perguntou a sua mãe se ele ainda podia ser um herói, ele esperava que ela disse sim e apoiasse seus sonhos, mas a realidade não é tão gentil.

 

Ela apenas chorou e se desculpou com seu filho, era óbvio que ela não achava que ele podia ser um herói, assim como todos os outros, apesar disso ele não guardava rancor nem nada do tipo.

 

 

Pelo menos não dela....

 

 

 

 

Atualmente, Midorya estava andando pelas ruas de Musutafu quando avistou a luta de um herói contra um vilão, ele parou para anotar em seu caderno sobre as individualidades que via.

 

Tinha se tornando um hábito para ele analisar peculiaridades e heróis em geral, ele não tinha desistido totalmente de seus sonhos, Afinal, All might , seu ídolo, não desistiria.

Então ele tinha esperança de que com isso poderia ser um herói.

 

 

Depois que o vilão foi preso por Kamui Woods, Izuku tomou seu caminho em direção a escola, ele não estava muito animado com isso , afinal , aquele lugar era o epicentro de seus problemas, onde ele sofria abusos constantes de quase todos seus colegas de escola e os professores não mexiam um dedo sequer em relação a isso.

 

Sim, a realidade tende a ser decepcionante.

 

Saindo de seus devaneios, midorya entrou na sala de aula e sentou-se em sua cadeira, com o passar de alguns minutos outros alunos foram entrando e tomando seus lugares.

 

Alguns olhavam pra ele e riam da " aberração sem individualidade", outros apenas o ignoravam.

 

Depois que todos sentaram em seus lugares o professor entrou na sala de aula carregando uma pilha de papéis em seus braços.

 

- bom classe, está na hora de vocês decidirem que profissões querem para vocês... Bom, todos vocês querem ser heróis de qualquer maneira não é ?- disse o professor enquanto simplesmente jogava os papéis para o alto.

 

Automaticamente a sala se encheu de sons alegres e pessoas usando suas individualidades, isto é, até um certo aluno decidi se pronunciar.

 

- Não me compare a esses perdedores, com individualidades fracas como as deles eles não tem chance nenhuma.- Disse Katsuki Bakugou com um sorriso de escárnio em seu rosto.

 

Os alunos começaram a protestar mas Bakugou simplesmente os ignorou.

 

 

- certo, você se inscreveu para a U.A não é?- perguntou o professor enquanto a sala ficava surpresa.

 

- nossa, a U.A é incrivelmente difícil de entrar- comentou um aluno aleatório.

 

Bakugou apenas sorriu com orgulho, pelo menos até a próxima frase ser dita...

 

- ah sim, Midorya também está se inscrevendo para a U.A- disse o professor.

 

- droga...- pensou midorya.

 

 

A reação da sala era exatamente a que ele esperava, todos começaram a rir e chamá-lo de inútil sem individualidade o que fez o garoto apenas abaixar a cabeça e tentar ignorar os comentários, enquanto isso Bakugou apenas olhou feio para ele.

 

 

Com o passar do tempo as aulas Finalmente acabaram e os alunos foram para suas casas, Midorya havia acabado de arrumar sua mochila quando foi repentinamente jogado no chão por alguém que lhe chutou.

 

Midorya tentou se levantar apenas para receber outro chute no rosto, o que o fez cuspir sangue e provavelmente quebrou seu nariz.

 

Ele finalmente conseguiu levantar a cabeça e viu vários alunos em volta dele, e, obviamente, Bakugou sendo o principal.

 

 

Bakugou se abaixou até midorya e agarrou a gola de sua camisa o puxando para perto de seu rosto.

 

- Escuta aqui se merda inútil, você acha que pode ser um herói? Entenda, você é apenas um patético sem individualidade, Você NUNCA será um herói Deku!- disse Bakugou com raiva.

 

Midorya não pode falar nada pois Bakugou colocou sua mão no rosto de midorya e lançou uma explosão que fez midorya cair no chão com o rosto cheio de queimaduras.

 

Os outros alunos apenas se aproximaram de midorya e, aproveitando que ele estava no chão, começaram a chutar seu corpo enquanto tudo que midorya podia fazer era se encolher afim de proteger seus órgãos vitais.

 

Bakugou então pegou o caderno de Midorya e o explodiu com sua individualidade jogando o mesmo pela janela logo em seguida.

 

Ele se virou e começou a sair da sala junto com os outros agressores, mas não antes de terminar de quebrar o garoto.

 

- aliás Deku, se quer tanto ser um herói eu tenho uma sugestão.- disse Bakugou, dessa vez com um tom de escárnio em  sua voz - porque não vai até o topo de um prédio e se joga rezando para nascer com uma individualidade em sua próxima vida?.

 

 

Sim, foi isso mesmo que aconteceu, já não bastasse os abusos, Bakugou ainda havia dito para midorya se matar enquanto os outros apenas riam.

 

Eles então finalmente foram embora Deixando midorya sozinho, ele se levantou devagar e com dificuldade devido a todos os ferimentos em seu corpo e, pegando suas coisas saiu da escola em direção a sua casa, recuperando seu caderno queimado logo em seguida.

 

 

Izuku sofre esse tipo de abuso desde seus 4 anos de idade, você poderia pensar que alguém assim já teria quebrado a muito tempo e ele de fato teria, se não fosse por seu ídolo All might que , com aquele sorriso que transmite confiança, conseguia fazer Midorya manter a esperança e suportar tudo que havia passado, ele era sua âncora para impedi-lo de afundar em dor e sofrimento.

 

 

Midorya estava tão absorto em pensamentos que não percebeu quando o bueiro da ponte por onde passava se abriu.

 

- hehe, você vai ser um bom disfarce para min.- disse uma voz sombria que acabou tirando midorya de seus pensamentos.

 

Porém já era tarde demais, o vilão, semelhante a lodo o segurou e começou a entrar por sua garganta afim de tomar o corpo de Izuku.

 

Ele tentou desesperadamente escapar, sobreviver, mas nada disso adiantou, o vilão continuava entrando em seu corpo enquanto a visão de midorya ficava embaçada até que ele finalmente desmaiou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Midorya abriu os olhos devagar, porém rapidamente se sentou devido a surpresa.

 

- A-All might?- disse midorya.

 

Seu herói favorito, seu ídolo, estava de frente para ele com aquele sorriso característico no rosto.

 

- que bom que você está bem jovem, mais eu preciso ir, deixei um autografo no seu caderno.- disse All might enquanto se prepara para pular.

 

- e-espere, eu quero te perguntar algo...- disse midorya com nervosismo por estar na presença do símbolo da paz.

 

- sinto muito, eu não tenho tempo.- disse All might saltando logo em seguida.

 

Porém, midorya havia se pendurado na perna do herói no exato momento em que ele pulou.

 

All might pousou em um prédio próximo, vapor saindo dele.

 

- droga, não tenho mais tempo...- pensou All might.

 

 

Para a surpresa de midorya, uma cortina de vapor cobriu a área sumindo logo em seguida e revelando All might em sua forma esquelética.

 

All might percebeu a surpresa e descrença no rosto de midorya e explicou o que havia acontecido, falando sobre a luta que teve e o ferimento que só deixava ele atuar como herói três horas por dia.

 

 

Depois que foi explicado midorya ficou surpreso e aliviado, isso só tornava All might mais incrível, indo contra suas circunstâncias e salvando as pessoas, mas não foi para isso que ele tinha se agarrado a All might.

 

 

- A-All might... Alguém sem individualidade como eu... Pode ser um herói?- perguntou Midorya.

 

 

Era agora, essa era a hora onde All might voltaria para sua forma musculosa e diria com um sorriso " Mas é claro que sim Jovem Midorya, Você será um ótimo Herói algum dia", seriam as palavras que fariam tudo que ele suportou por anos sumirem, as palavras que ele sempre esperou ouvir, chegou o momento de receber a confirmação de seu sonho....

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

- sinto muito jovem, mas você não pode ser um herói.- disse All might.

 

 

E naquele momento o mundo ruiu, tudo, absolutamente tudo que impedia izuku de quebrar e afundar em um mar de dor e solidão foi repentinamente tirado dele.

 

Ele permaneceu com um olhar vazio, sua atenção já não estava mais no herói a sua frente, All might continuou falando sobre como ele poderia ser um policial mas izuku não estava ouvindo.

 

" Você deveria desistir "

 

A voz do médico de Izuku soou em sua mente enquanto as palavras de All might se tornavam mais abafadas.

 

" Eu sinto muito..."

 

Dessa vez a lembrança da voz de sua mãe em sua cabeça, Izuku nem mesmo notou que All might não estava mais lá.

 

" Olhem, é a Aberração sem individualidade"

 

As lágrimas começaram a descer desenfreadamente por seu rosto, toda a dor,todo o sofrimento que passou desde seus 4 anos de idade finalmente ultrapassando suas defesas mentais.

 

"Escuta aqui seu merda inútil, você acha que pode ser um herói?"

 

 

Midorya caiu de joelhos, as lágrimas se intensificando cada vez mais, ele estava totalmente desnorteado Agora, sua mente estava confusa.

 

"Entenda, você é apenas um patético sem individualidade, Você NUNCA será um herói Deku!"

 

 

As palavras que vieram a seguir em sua mente doeram como se facas em brasa fossem atravessadas em seu coração.

 

" Sinto muito jovem, mas você não pode ser um Herói"

 

Ele segurou seu peito com força, não sendo mais capaz de conter toda a dor que passou em sua vida, a represa emocional que ele havia construído desde seus 4 anos de idade rompeu com uma única frase.

 

" .... você não pode ser um herói"

 

"  .... você não pode ser um herói"

 

" .... você não pode ser um herói"

 

As palavras de All might se repetiam em sua mente enquanto o probre garoto apertava seu peito com uma de suas mãos,as lágrimas ainda correndo como um rio de seus olhos angustiados , todos os ferimentos em seu corpo não eram nada comparado a dor que ele sentia agora, ele queria que ela parasse, ele PRECISAVA que ela parasse.

 

"porque não vai até o topo de um prédio e se joga rezando para nascer com uma individualidade em sua próxima vida?"

 

As palavras vieram em sua mente como se em resposta ao que ele estava sentindo.

 

 

Lentamente Izuku caminhou em direção a beirada do prédio, o vento batendo em seu cabelo e em seu rosto encharcado não fez nada para aliviar a dor que ele sentia.

 

Parado de frente para a única saída que ele havia encontrado ele volta a pensar em todos os momentos de sua vida, a maioria dos bons momentos aconteceram antes de ser diagnosticado como sem individualidade.

 

 

 

Midorya então dá um passo para a frente, seus sentidos já totalmente entorpecidos.

 

- acho... Acho que esse é o fim, sei que minha mãe ficará triste por min, afinal ela é a única pessoa que se importa comigo mas.... Sinto muito.... Eu não suporto mais, eu preciso de.....

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

Paz.....

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E com um último passo, Izuku Midorya sentiu o chão desaparecendo abaixo de seus pés, o vento soprando para cima na direção oposta a sua queda, a queimação em seu peito ainda estava lá, mas isso pouco importava, em pouco tempo Izuku não sentiria mais nada, ele enfim teria Paz.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Midorya esperou o impacto que encerraria seu sofrimento mas aparentemente, o destino tinha outros planos para ele.

 

- droga garoto, porque você se jogou?- perguntou uma voz distante.

 

 

Midorya provavelmente teria reconhecido aquela voz mas ele não estava com cabeça pra isso agora, a única coisa que ele sabia é que haviam interrompido sua tentativa de suicidio.

 

 

Ele lentamente se afastou do lugar, andando a esmo pela rua e ignorando as chamadas do herói que o salvou, ele nem sequer se deu ao trabalho de verificar quem o havia pego.

 

 

Virando uma esquina ele chega em um beco escuro, o sol já estava se pondo a essa altura do campeonato mas isso não importava agora.

 

 

Midorya caiu de joelhos no chão, apoiando sua testa na parede do beco enquanto voltava a chorar.

 

 

- ... Eu sou tão inútil que não consigo nem mesmo acabar com isso.... porque minha vida tem que ser tão difícil.... porque?...o que eu fiz pra receber isso? - disse midorya enquanto suas lágrimas caiam de seus olhos e iam em direção ao concreto.

 

 

Uma nova onda de emoções veio a midorya além da tristeza e solidão.

 

Raiva...

 

Ódio...

 

Rancor...

 

- porque...- perguntou Midorya novamente, dessa vez com raiva em sua voz.

 

- porque...

 

Midorya deu um soco na parede, provavelmente quebrou sua mão mais esse era o menor de seus problemas agora. 

 

 

"Porque"

 

 

Estando tão absorto em sua raiva ele não notou uma extranha aura verde circulando seu corpo.

 

 " Porque"

 

Izuku acertou outro soco na parede, dessa vez a força do soco criou algumas rachaduras.

 

 " Porque"

 

Midorya continuou repetindo sua pergunta enquanto socava a parede com cada vez mais força, seus olhos já não tinham mais lágrima,secos de tanto chorar, mas o coração de Izuku doía mais que nunca, A extranha aura ainda rodeando seu corpo sem que izuku a percebesse.

 

 

Enquanto izuku estava perdido em pensamentos algo incomum aconteceu.

 

 

 

uma mão cinza com unhas longas e negras começou a sair de dentro da parede atrás dele, junto com um som fantasmagórico e tenebroso.

 

 

Pouco a pouco a criatura foi saindo de dentro da parede, Izuku sentiu um calafrio e, esquecendo seu ataque de raiva por um segundo, se virou para a direção de onde o som vinha, a aura verde desapareceu logo que ele avistou o que havia atrás deles e Uma nova emoção o preencheu.

 

 

 

 

 

 

 

Medo

 

 

 

 

 

Em sua frente estava a criatura mais bizzara que izuku já tinha Visto, ele tinha certeza que não era uma individualidade de mutação.

 

A criatura a sua frente era cinza, tinha três metros de altura e possuía uma constituição magra com vários buracos em seu corpo,só havia um olho vermelho no lugar onde devia estar sua boca e duas bocas com dentes afiados como navalhas no lugar onde deviam estar seus olhos.

 

 

Midorya congelou, o medo o fez esquecer qualquer coisa anterior, a queimação em seu peito, suas feridas físicas e emocionais, todas se tornaram irrelevantes.

 

A criatura estava prestes a atacar quando foi repentinamente cortada por uma espada, ela recuou segurando seu braço decepado emitindo alguns sons perturbadores que provavelmente foram resultado da dor.

 

Agora um homen de pelo menos 27 anos e cabelos azuis estava em pé de frente para a criatura, ele segurava uma espada que emanava uma estranha aura Azul e vermelho semelhante a aquela que cercava midorya a alguns segundos.

 

- sei que você deve ter algumas dúvidas mas depois que eu lidar com essa Maldição eu te explico- diz o homen para izuku sem realmente olhar para ele antes de avançar contra a criatura.

 

O monstro tenta cortar o homen com suas garras mas ele desvia e corta o outro braço da criatura com facilidade, com outro rápido movimento ele corta as pernas e logo em seguida corta a criatura ao meio.

 

Os pedaços do monstro caem no chão e rapidamente desaparecem como fumaça negra.

 

 

- o que... O que foi aquilo?- pergunta Izuku com a voz fraca devido ao choro.

 

- era uma maldição, mas antes de te explicar, você primeiro precisa me explicar porque você está assim.- diz o homen obviamente se referindo aos ferimentos e a aparência lamentável de Midorya.

 

 

Querendo explicações, midorya contou tudo que havia acontecido, seus abusos, até sua tentativa de suicidio, ele teria chorado de novo se não fosse pela falta de lágrimas.

 

 

- acho que eu entendi, por ser sem individualidade muitas pessoas começaram a te intimidar e zombar de seus sonhos, isso é despresivel.- disse o homen guardando a espada na bainha.

 

 

Ele se aproximou de Izuku e o ajudou a se levantar.

 

 

- bom, izuku Midorya, considere-se com sorte pois eu, Hitsuy itchigami , tenho uma proposta para você.- disse o Homen agora conhecido como Hitsuy

 

 

- que... Que tipo de proposta?- perguntou Midorya

 

 

- simples, eu lhe darei o poder para ser um herói em troca de você me ajudar com minhas tarefas quando nescessário.- disse Hitsuy.

 

 

Midorya ficou surpreso e ansioso, era realmente possivel que ele recebesse uma individualidade.

 

- você vai me dar uma individualidade?- perguntou Midorya incrédulo e curioso ao mesmo tempo.

 

- claro que não- disse Hitsuy, porém ao perceber a expressão desanimada de midorya ele decide explicar.- veja midorya,nesse mundo existe o que chamamos de Maldições, são criaturas que toman forma apartir das emoções negativas da humanidade, aquela coisa que eu enfrentei era uma maldição.

 

Midorya só pode ficar em silêncio enquanto Hitsuy explicava tudo.

 

- também existem pessoas que são capazes de manipular a " energia amaldiçoada" que é formada pelas emoções negativas assim como as Maldições para usar algo que chamamos de Jujutsu, nois, usuários de Jujutsu somos conhecidos como "Feiticeiros" ou " xamãs", então essa é minha proposta, eu te ensinarei a controlar sua energia amaldiçoada e a usar jujutsu e em troca você me ajudará com meus deveres como Feiticeiro, o que me diz?- pergunta Hitsuy.

 

- desculpe mais... Isso é um pouco difícil de acreditar...- diz midorya.

 

Hitsuy apenas  suspirou e andou até midorya colocando a mão no topo da cabeça do Garoto, sua mão brilha e midorya arregala os olhos em uma expressão de surpresa.

 

- O que foi isso?- pergunta midorya.

 

- minha individualidade, me permite ler e enviar memórias assim como apagar as memórias de qualquer um, contanto que eu toque sua cabeça, é útil para manter o essas coisas em segredo, você pode facilmente fazer o Jujutsu se passar por uma individualidade mas não dá pra fazer o mesmo com as Maldições.- explicou Hitsuy

 

- Então você me mostrou suas memórias para que eu acreditasse em você?- perguntou Midorya, surpreso com todas as informações que havia recebido.

 

Hitsuy fez um aceno com a cabeça confirmando as palavras de Izuku.

 

 

- porque você está me oferecendo isso? - pergunta midorya.

 

- primeiro porque eu preciso de um ajudante.- disse Hitsuy deixando midorya um pouco desanimado.

 

- segundo porque eu pude sentir suas emoções negativas, e foi isso que atraiu aquela maldição para você, saber controlar isso será muito mais seguro.

 

- e terceiro....porque eu acho que você pode ser um grande Herói algum dia.- responde Hitsuy com um sorriso sincero no rosto.

 

 

Midorya finalmente consegue chorar de novo, mais dessa vez é de felicidade, ele poderia ser um herói e Hitsuy iria ajudá-lo com isso.

 

- eu aceito!- disse midorya,limpando as lágrimas de seu rosto.

 

- ótimo, me encontre na praia de dagobah amanhã bem cedo, umas 7 horas pra ser mais preciso, começaremos seu treinamento.- após dizer isso Hitsuy se virou e foi embora.

 

Midorya assistiu seu novo mestre ir embora com um sorriso no rosto, uma nova determinação brotando dentro de si e alimentando seu sonho quase extinto.

 

 

- Eu serei um herói, e ninguém vai me impedir, nem mesmo All might.- pensou midorya antes de ir para casa.

 

 

Time skip ( No dia seguinte)

 

- aí está você, fiquei preocupado que você tivesse mudado de idéia.- disse Hitsuy ao avistar midorya.

 

Izuku estava muito melhor agora, seus ferimentos foram tratados por sua mãe ( foi definitivamente uma dor de cabeça tentar explicar o que tinha acontecido para ela, principalmente sem tocar no assunto da tentativa de suicidio) e sua expressão não tinha mais toda aquela tristeza e angústia, midorya havia encontrado uma nova esperança e alguém para apoiar seus sonhos.

 

- bom, eu cheguei então... O que vamos fazer?- pergunta Midorya ansioso para começar o treinamento.

 

 

- primeiro de tudo você precisa ser capaz de trazer sua energia amaldiçoada para fora, você estava fazendo isso de forma inconsciente naquele beco e foi isso que atraiu a maldição, mas não se preocupe, quando você controlar sua energia esse tipo de coisa não vai mais acontecer.- explicou Hitsuy enquanto se sentava em cima de uma geladeira.

 

- muito bem, feche seus olhos e se concentre nas emoções negativas mais fortes que você já experimentou, depois imagine que elas fluem como um rio, redirecione esse fluxo para que corra por cada músculo de seu corpo e finalmente, imagine  o rio transbordando.- disse Hitsuy.

 

Midorya fez exatamente o que ele disse, fechando os olhos ele começou a se concentrar em todos os abusos que sofreu desde seus 4 anos, a falta de fé das pessoas em seus sonhos, toda a dor, tristeza, solidão,desespero,angústia, Raiva...

 

Todas essas emoções começaram a fluir por seu corpo e com um pouco de esforço ele começou a imaginar o fluxo crescendo, a ponto de seu corpo não ser capaz de conter a quantidade porém com delicadeza o suficiente para seu corpo não romper.

 

 

Midorya então abriu os olhos e uma aura verde fantasmagórica  o envolveu da cabeça aos pés, Hitsuy sorriu vendo que midorya não teve dificuldade em manifestar sua energia amaldiçoada, ele tinha um grande controle para alguém que tinha acabado de descobrir sobre a existência desse "mundo".

 

 

Midorya também sorriu, olhando para suas mãos e testemunhando seu passe de entrada para a carreira de herói, finalmente ele realizaria seu sonho.

 

- Muito bem garoto, agora redirecione toda a sua energia amaldiçoada para seu punho e soque essa geladeira.- disse Hitsuy, descendo da geladeira e indo para o lado de Izuku.

 

- certo.- disse midorya.

 

 

Ele redirecionou o fluxo de energia amaldiçoada para seu punho direito e toda a aura que o cercava foi concentrada apenas em seu punho.

 

Com um grito midorya acertou um soco com toda sua força e o resultado foi surpreendente, A geladeira explodiu em centenas de milhares de pedaços minúsculos.

 

Midorya olhou surpreso para seu punho, ainda cercado pela aura verde.

 

 

- muito bem garoto, você conseguiu aprimorar sua força usando a energia amaldiçoada, porém isso ainda não é Jujutsu e pode levar algum tempo até você desenvolve-lo.- disse Hitsuy.

 

- Tudo bem, eu vou me esforçar ao máximo para aprender.-  disse Midorya.

 

- você é determinado hein, acho que você só precisava de alguém para apoia-lo, fico feliz que seja eu a te transformar em um herói.- disse Hitsuy.

 

- mas... Agora que eu fiquei sabendo sobre as maldições e quantas pessoas sofrem com isso... Eu não seria um herói completo se eu ignorasse o que tem acontecido.- disse midorya com uma grande determinação em sua voz.

 

- espere, você quer dizer que...- Hitsuy começou a falar mais foi interrompido por midorya.

 

 

- eu serei um Herói,que lidará com Vilões e Maldições, se existem poucos feiticeiros hoje em dia então eu estarei lá para derrota-las - declarou midorya.

 

- você não para de me surpreender garoto, muito bem, vamos ao treinamento.- disse Hitsuy ainda sorrindo.

 

 

 

E assim o treinamento de midorya para se tornar um herói  começou.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Continua...

 

 

 


Notas Finais


Foi isso galera, deixem perguntas ou sugestões aqui nos comentários.
suas opiniões tbm são muito importantes então qualquer crítica construtiva é bem vinda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...