1. Spirit Fanfics >
  2. Heroi Arcano >
  3. Um Novo Mundo

História Heroi Arcano - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Galera falta eu ajeita a acentuação e pontuação fora isso me digam oq acham da historia. Se gostarem da primeira eu posto a segunda. Ao todo ja tenho 3 capitulos prontos

Capítulo 1 - Um Novo Mundo


 Herói Arcano!

CAPITULO 1:

UM NOVO MUNDO

Tudo começa na França moderna, eu sou um jovem chamado Yato tenho 17 anos e sou extremamente humilhado por ter alta inteligência, e de saco cheio de tudo isso sempre me afastei o máximo das pessoas pois sempre as achei toxicas de mais para me entregar eventualmente a alguém eu realmente achava meu mundo muito chato sem graça e sem valor, enquanto caminhava resmungando para Deus no caminho para casa, fiz varias perguntas a mim mesmo sobre o porquê eu precisaria continuar ali e percebi q nesse meu mundo nada fazia sentido pois ninguém reconhecia o valor de ninguém e quando superados pela ambição faziam algo extremamente idiota, eu sempre achei isso um saco e nunca achei q esse realmente fosse meu mundo.

Eu reclamava pois eu achava aquela minha mania de aprender rápida muito estranha "por que eu n posso ser normal?" era minha pergunta continua todo santo dia. Então de tanto resmungar e reclamar eu me perdi na cidade e no caminho me distrai demais em meus pensamentos barulhentos que por fim não me dei conta aonde estava indo, eu tentei voltar mas já estava muito escuro no caminho de volta, de repente eu escutei uma voz, doce e suave, uma voz feminina implorando por ajuda, mas essa voz não parecia ser do mundo físico, parecia ser algo distante demais para ser real, eu ignorei e continuei andando, então outra voz, uma voz masculina e velha porem engraçada me perguntou -Você está cansado da sua vida de merda? Que tal eu lhe oferecer um recomeço? Não estou falando em começar do zero! E sim de um recomeço com a sua idade normal, um outro mundo onde vc se sentiria a vontade e poderia ser aceito por seus feitos!

Então eu pensei que não seria uma má ideia pois eu já estava cansado daquilo tudo e queria extremamente uma mudança radical, a voz disse -Então, eu faço isso por você, mas em troca eu quero que você se devote ao bem, podendo usar maldades como maneiras de vencer ou até mesmo o poder da morte. Um plano livre, mas nunca machuque um inocente! Se fizer isso irei atrás de você.

Depois disso ficou um silencio absoluto e eu já n enxergava mais. Eu já n estava mais entendendo oq ocorria ali e pela primeira vez indaguei para mim uma coisa diferente, ´´o por que eu n aceitaria sendo q n tinha nada a perder´´ eu aceitei e disse em voz alta com muita esperança de retorno. ´´ por favor me tire desse mundo maldito´´ então a voz me disse o seguinte -Esta feito. Primeiro aprende a língua desse novo mundo e assim prosperará

Uma luz estranha brilhou onde eu estava e quando me conta eu não estava mais nas ruas da França, e sim em um campo aberto com céu noturno totalmente limpo e cheio de estrelas.

A primeira vista era tão linda q nunca achei q veria um céu tão limpo como aquele, logo eu percebi q havia uma luz vermelha sangue por traz e mim, quando olhei ali havia uma foice... era tão bela q eu n conseguia parar de olhar, melhor dizendo q aquela foice n parecia normal.

Alguns minutos se passaram e eu tive a impressão q ela estava me pedindo pra toca-la e cada vez brilhando mais intensamente... então com êxito me aproximei e a toquei, me senti como se algo apertasse meu coração. Uma dor insuportável logo desmaiei, eu n sei quanto tempo dormi, mas acordei com uma voz bem maligna me mandando levantar pois dizia estar com fome, quando eu abri meu olhos eu estava segurando a foice e ela parecia bem mais brilhante do que antes então eu a voz me disse pra matar algo n importa oque pois estava faminta, olhei pra foice e percebi que era dali q a voz vinha, então eu perguntei como se ela fosse me responder, quem era q estava falando comigo, achando q obteria respostas, passou um tempo e nada de respostas então me senti um idiota falando sozinho, quando eu ia largar a voz gritou – não me largue aqui. – eu olhei e percebi q aquela foice estava mesmo viva e falando comigo, (detalhes da foice, lamina prateada na parte debaixo e com a parte de cima toda como se fosse sangue escuro avermelhado, o cabo era negro com alguns esqueletos desenhados azuis) então eu novamente a perguntei quem era, dessa vez tive respostas, ela me disse que era uma arma lendária com vida própria, muito poderosa q já havia destruído nações, mas seu antigo dono foi consumido por trevas e por fim morreu, oque eu entendi foi q ela sobrevive com a força vital de seu portador porem n causa nenhum mal a ele, também lhe concede um grande poder inexplicável, e que seu nome era Darkin.

No fim da conversa ele novamente me pediu pra matar algo, mas eu lhe respondi q nunca havia matado nada antes, então ele me disse q faria porem me usando, eu n entendi mas aceitei a proposta, então me senti fraco todavia n perdi a consciência, percebi q asas vermelhas saíram da minhas costas como se fossem feitas de sangue, meu sangue, olhei pela lamina q era quase um espelho e percebi q meus olhos azuis estavam avermelhados e meus cabelos pretos estavam brancos, então comecei a sentir um cheiro muito bom mas nunca havia sentido aquele cheiro, eu nos sentia como via algo amarelo, quase como se tivesse me guiando a algum canto, entrei numa floresta a noite, entretanto n estava nada escuro eu via com perfeita clareza, decidi correr e quando corri foi em uma velocidade impressionante, então decidi testar meus limites, passava tudo tão rápido porem eu conseguia ver todos os detalhes, então quanto mais eu corria mais aquela cor amarela ficava mais densa, então eu enxerguei uma frota de soldados carregando varias pessoas, mas eu percebi q n eram pessoas normais algumas tinham orelhas e rabos, outras eram mais peludas q outras, então eu escutei Darkin me dizendo para matar os soldados. Eu engoli seco pois estava completamente armados e eu só tinha uma foice, e também nunca havia matado ninguém, fiquei excitante porem Darkin me disse q se eu n matasse alguém ele se alimentaria de min, eu realmente senti algo sendo digerido dentro de min, eu n tinha escolha, sai do escuro e empunhei a foice em modo de combate q havia visto em um jogo, Darkin me disse q eu tinha uma boa postura e q me ajudaria. (cena de batalha, uma floresta escura com um caminho dentro dela com varias arvores mortas e com cores extravagantes.) quando os soldados me viram eles ficaram em alerta e me chamaram de monstro, então me lembrei q tinha asas de sangue em minha costa, sem excitar , meu corpo se mexeu sozinho e cortou a cabeça do primeiro num piscar de olhos, a foice pareceu ficar menos radiante e mais embutida em escuridão, então Darkin me pediu para jogar sangue na lamina, eu peguei a cabeça decepado do soldado e joguei na lamina, algo em mim desejou por mais sangue, como se eu n fosse mais eu, como se eu fosse outra coisa faminta por sangue, logo percebi q estava cercado por soldados, eram tantos q eu nem sabia contar, todavia eram muito lentos pra min e eu via um amarelo em cada um muito forte, percebi q era o local exato do coração, então descobri o real poder por traz daquela foice, um por um dos soldados, iam caindo com um golpe fatal da foice sobre meu controle, eu n sabia o por que mais estava amando aquilo, parecia q eu n tinha mais sentimentos de culpa e sim puro prazer, quanto mais soldados matava mais a foice parecia feliz, porem o ultimo soldado n parecia ter medo de min, ele tinha uma aura verde ao seu redor, e quando desembainhou sua espada uma forte rajada de vento me atingiu, eu percebi q n era alguém normal nada ali era, então fui com tudo pra cima dele, em cada golpe eu ficava mais feliz mais excitado pois ele estava defendendo todos com aquela espada dourada, quando me percebi estava com um sorriso enorme no rosto e ouvi Darkin me dizer pra deixar ele me substituir pois eu n tinha a menor noção de luta, ele n estava errado, eu disse q tudo bem contanto queria de alguma forma ajudar, logo após minha decisão minha vista escureceu e eu estava no mesmo lugar contudo flutuando, sentia um calor enorme como se estivesse sobre posse de alguém, então percebi q eu n tinha um corpo e conseguia me ver em terceira pessoa eu vi q o meu corpo estava no mesmo lugar contudo flutuando, sentia um calor enorme como se estivesse sobre posse de alguém, então percebi q eu n tinha um corpo e conseguia me ver em terceira pessoa eu vi q o meu corpo estava se movendo por controle de algo e senti uma enorme sede de sangue, então percebi q eu transbordava uma aura azul clara e q a espada na minha mão possuída era preta e transbordava a mesma aura, percebi q eu n era eu e sim a espada, então eu chamei pelo Darkin e perguntei oque estava acontecendo, ele me disse que trocou de lugar comigo nada mais, eu percebi q virei uma espada! Foi pelo meu desejo de ajudar q estava naquela situação Darkin me disse pra focar na luta q n havia acabado, então foquei na luta e comecei a brilhar mais ainda como a espada na mão dele, então ele foi com tudo pra cima do ultimo soldado, em três golpes o soldado caiu de joelhos no chão e Darkin o cortou a cabeça.

No final da luta minha vista havia de ficar escura novamente e eu percebi q estava em posse do meu corpo novamente e q a foice n parecia mais querer nada, peguei uma bainha de espada e a espada dourada do ultimo soldado e senti um poder extraordinário vindo dela, logo senti q ela se sentia aliviada por n pertencer mais aquele cavaleiro, eu perguntei o nome dela e logo ela me respondeu com um brando `` Excalibur``, e que eu era seu novo dono pois era merecedor de coração puro, eu a coloquei em uma bainha q peguei de um soldado caído no chão e endurei na minha cintura, coloquei a foice sobre minhas asas de sangue e como previsto lá ela ficou, as asas sumiram e a foice continuou pendurada, então fui em direção a carroça e libertei as pessoas de lá, eram 5 garotas diferentes, uma tinha orelhas de coelho com cabelo branco e usava uma roupa velha rasgada, outra tinha orelhas e rabo de raposa como um olho de predador, outra tinha orelhas e rabo de gato com o mesmo olhar do lobo mas menos ameaçador, outra era humana, parecia frágil pois eram pequena com cabelos escuros e muito fofa, a ultima era normal porem parecia conversar com arvores, então logo lembrei q dríades conversam com a natureza. Perguntei a elas o porquê de estarem ali, elas disseram q foram sequestradas de suas vilas e que seriam vendidas com escravas, eu disse q estavam livres pra ir, então virei as costas e segui a trilha, então Darkin me disse q estávamos sendo seguidos por elas, as cinco me seguiam com um olhar de esperança porem assustadas, eu perguntei o porque de elas estarem me seguindo, então elas disseram q deviam a vida a mim e queria me ajudar em qualquer objetivo meu, então me lembrei q n tinha condições de alimentá-las ou ajudá-las, elas disseram q n precisavam, pois sabiam caçar exceto a humana, q n tinha muita coisa a oferecer, eu decidi ajudar elas ate elas conseguirem se manter.

Depois de uma longa caminhada chegamos a um vilarejo bem simples e lá aluguei um canto pra dormir com as moedas q tomei dos soldados mortos. Aluguei somente um quarto, dei a cama pras meninas, e dormi no chão, no outro dia perguntei seus nomes e elas disseram q n tinham um exceto a humana q se chamava Yue. Perguntei as outras se elas queriam q eu lhe desse nomes, elas ficaram bem felizes com a ideia, então eu as nomeei: a coelha eu chama de Yuuki pois seus cabelos brancos me lembravam a neve, a raposa eu a nomeei de Liz pois combinava com a sua aparência, a gata nomeei de Shiro sem motivos eu gostei do nome, e a dríade chamei de Kurumin pois tinha uma aparência muito agradável e bondosa, com isso encerrei os nomes e por fim perguntei se elas haviam gostado, eu percebi na hora o sorriso delas, n tinham como esconder a felicidade delas. Então percebi cheiro de sangue muito próximo, eu vi rastros amarelos e iam diretamente a perna de Yue, ela estava escondendo a ferida aberta, eu pedi pra olhar e ela parecia excitante no entanto, deixou. Era uma ferida muito feia causada por uma lamina, ela disse q um soldado queria toca-la e ela negou, nisso ele a cortou, eu fiquei muito puto, e perguntei a Darkin o que fazer, ele me disse pra dar uma arma a ela, então eu dei a Excalibur pra ela, eu escutei um tem certeza de leve na cabeça, a espada parecia gostar da ideia e pareceu estar em duvidas, eu disse q tudo bem pois seria útil, depois de dá-la a Yue, uma aura verde surgiu nela inteira, e suas feridas foram curadas, ela mexia a espada com se fosse papel, e assim percebi q ela era forte e que tinha um destino lindo pela frente.

No mesmo dia eu pedi para as garotas ficarem no quarto pois iria recolher informações daquele mundo tão estranho, fui ate o centro da cidade num acampamento de sábios, lá encontrei um senhor muito simpático q me disse q estávamos no território mais longe do império, e que a capital se chamava Bélica. E que o nome do rei era Bartolomeu, perguntei a ele sobre o ultimo dono da foice de uma forma indireta, ele disse que o cara foi o ultimo herói invocado pra esse mundo contudo q faleceu sem explicações e que ate hoje nunca acharam o seu corpo. Logo após tanta conversa voltei pro alojamento onde estava alugado para passar a noite, eu nem notei o quanto tempo havia passado, descobri q a vila paga as pessoas para se livrarem dos monstros ao redor da vila, enfim achei o trabalho q ali me manteria, com isso percebi q as garotas estavam com fome e desci a taverna para lhe comprar a janta. Logo em seguida fui dormir, quando acordei na manha seguinte todas as 5 estavam no chão comigo. E eu percebi q elas n gostavam de luxo, então decidi perguntar se elas queriam aprender a sobreviver, elas responderam com um sim desbravador, então pedi para q Darkin as ensinassem a lutar e assim passou-se 2 a anos com treinamentos diários. Quando me dei conta do progresso delas percebi q estava apegado as 5 demais e n podia simplesmente deixa-las, então as tornei minhas companhias de viajem pois n podia viver pra sempre naquela vila, me despedi e segui rumo a capital, muito mais forte com mais controles sobre meus novos poderes de Darkin e com ajuda extra de minhas amigas que também n estavam nada fracas.


Notas Finais


Capitulo 2
Rumo a Capital.
Ja esta pronto. Baseado na relevancia desse capitulo eu vou postando


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...