História Heroic Chronicles - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Histórias Originais
Visualizações 5
Palavras 5.481
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - Batalhas de vida ou morte e um turbilhão de sentimentos


Reino dos vampiros:

Dentro de uma sala de reuniões, o rei do vampiros Alucard, estava repassando os esquemas para o início da invasão ao mundo dos humanos. Checando a quantidade de soldados que seriam enviados, as formações e principalmente, checando seu não havia nenhuma cede da C.O.M, ao arredores da primeira cidade que atacaria. Foi aí que Alucard foi interrompido por uma chamada vindo do comunicador que estava na sua mesa. Isso realmente emburreceu o rei, mas ela sabia quem era do outro lado da linha, então pegou o comunicador e atendeu a ligação.

Alucard: Espero que seja importante-Diz assim que viu o rosto de seu subrinho mais velho aparecer no comunicador.

Enquanto Alucard estava no aconchego do castelo dos vampiros, Richard ainda se mantinha na floresta de Rogsvordde, tentando não ser encontrado pelo seu primo Rodney e nem pelos amigos que ele havia feito.

Richard: É importante sim tio-Diz sorrindo de canto, enquanto estava encostado em uma árvore.

Alucard: Antes de tudo! Você conseguiu capturar o Rodney?-Pergunta de uma vez. Alucard queria saber se Rodney era ou não uma ameaça antes de qualquer outra coisa.

Richard: Ah,-Suspira frustrado-não. O Rodney tava com uma garota loira. Ela me impediu de levar ele. Mas eu o derrotei-Diz a última parte se vangloriando.

Naquele momento, Alucard ficou bem intrigado. Seu filho havia fugido à apenas dois dias e já havia feito uma aliada? Não, ninguém seria tão ingênio em confiar em alguém que acabasse de conhecer. Era isso que Alucard pensava. Então...quem seria essa suposta aliada de Rodney? Foi aí que então, Alucard conseguiu se lembrar de uma pessoa que ele...na verdade seu filho havia conhecido no passado. Durante um dos treinamentos de Rodney para aguentar a luz do Sol quando ele era criança, uma garota apareceu. Ela aparentave ser mais nova que o próprio Rodney, mas isso não importa, importa o fato de que ela o ajudou naquele dia. Enquanto Rodney queimava pela luz do Sol, a garota havia colocado um guarda-chuva para cobri-lo , assim o salvando. O grande detalhe, é que essa garota era loira e que Rodney passou à se interessar por ela desde o dia que à viu. Será que era isso?

Alucard: Richard, como era a garota?-Pergunta numa mistura de curiosidade com relutância.

Richard: Ah...Ela era, loira, tinha cabelo cumprido, olhos verdes, uma pele clara, uma cicatriz no olho direito, tava usando roupas normais de humano e um colar de coração-Aquela descrição, na parte da aparência, batia perfeitamente com os traços da garota que ajudou Rodney no passado, tirando pela cicatriz no olho.

Alucard: Richard...-Diz chamando a atenção do sobrinho, que havia se distraído descrevendo Angela-Traga o Rodney de volta! Estou enviando reforços para te ajudar! Mas não volte aqui, enquanto não estiver com o meu filho!!!-Grita extremamente sério.

Richard: ...Tudo bem-Concorda meio espantado com a mudança de humos repentina do tio-E oque eu faço sobre a garota?

Alucard: Pode fazer que você quiser. Não é ela oque eu quero mesmo-Diz antes de encerrar a comunicação na cara de Richard.

Richard: Oque eu quiser é?-Pergunta para si mesmo com um sorriso malicioso, enquanto guardava o dispositivo de comunicação-Isso vai ser divertido.

----------------------------------------------------------------------------------

Em outra parte, bem longe, naquela mesma floresta, estavam Mark e Honey. Os dois ainda estavam tentando socorrer "7". Ainda bem que, Mark conseguiu fazer um curativo na ferida de "7", usando o kit médico que ele havia trazido.

"7": Ah...-Resmunga o adulto, podendo finalmente descansar, já que o Kinllen havia terminado o curativo no seu ombro.

Mark: Pronto...ah-Diz de forma exaustiva enquanto limpava o suor da sua testa-Seu sangramento parou "7". Agora...eu recomendo descanso. Um tempinho sem fazer esforço-Diz olhando para o homem deitado no chão.

Honey: Sério, onde aprendeu essas coisa? Eu não consigo nem costurar meu próprio ombro-Diz impressionado com as habilidades médicas de Mark. Ele havia levado apenas 3 minutos para fazer aquele curativo.

Mark: Enquanto estava na C.O.M...eu fui voluntário na equipe médica-Diz guardando as coisas que trouxe, dentro de uma caixinha-Meses aprendendo e diversas missões para por em prática, eu me tornei ótimo nessas coisas-Diz ainda ofegante. O calor do momento havia feito muita pressão sobre ele.

Então os dois garotos deixaram de ficar de joelhos e se sentaram no chão para descansar e recuperar o fôlego. Mark realmente poderia ficar vários minutos assim, mas ele logo foi interrompido, assim que Honey se levantou com um olhar de desconfiado e chamou sua atenção.

Honey: Ei Mark. Não é melhor a gente ir atrás deles?-Pergunta olhando para a direção que Angela e Rodney haviam ido.

Mark porém, não respondeu, ele apenas virou a cabeça e olhou para a direção em que as árvores não eram tão altas. Já era possível ver o céu ganhando uma cor alaranjada e o Sol se pondo.

Mark: O Sol tá quase se pondo. Temos que ficar pra tomar conta do "7", ele não tá em condições de lutar-Diz encarando o companheiro caído na sua frente.

Honey: Mas pode dar ruim! Já pensou que o Rondey pode sei lá...! Morder a Angela?!-Pergunta irritado para o amigo, sem saber que isso já havia acontecido.

Mark: O Rodney não machucaria a Angela, afinal, pelo visto ele gosta bastante dela. Então el não faria isso.

Honey: Ah, pelo amor de Deus Mark!-Grita elevando um pouco seu tom-Você mesmo me disse! Nunca nem viu esse cara antes de anti-ontem. Acha mesmo que ele é de confiança?!-Pergunta chocado com a falta de preocupação de Mark.

Mark iria provavelmente dar mais alguma resposta para fazer Honey se acalmar e deixar esse ciúme de lado, mas antes que pudesse, ele ouviu alguma coisa se movimentando na floresta. De cara, ele pensou que poderia ser outro vampiro, mas hostil. Então ele se levantou e disse:

Mark: Honey...-Diz interrompendo as reclamações do amigo e se olhando para onde havia vindo o barulho misterioso-cuida do ''7''-Diz adentrando no meio da floresta e já puxando uma estaca de madeira do coldre de sua calça.

Honey: Oque foi?-Pergunta receoso, mas o ruivo não obteve nenhuma resposta.

Enquanto Mark caminhava pela floresta, ele continuava à ouvir os passos ao seu redor, como se alguém estivesse andando em círculos em volta dele. E apesar da tensão que a floresta passava, ele não permitia se mostrar intimidado.

Mark: Quem é que tá aí?!-Pergunta de uma vez só. Então Mark ouvir alguma coisa cair no chão atrás de si, logo de cara, ele se virou já apontando a estaca de madeira.

Assim que se virou, Mark viu exatamente quem estava atrás dele: Era uma mulher. Ela aparentava ter 25 anos. Seu cabelo era um loiro meio platinado e seu penteado era bem peculiar, parte do seu cabelo estava todo virado para a esquerda, fazendo uma franja ao lado do seu olho esquerdo, isso sem falar de uma bolinha de coque no topo da cabeça e um rabo de cavalo atrás. Seus olhos eram vermelhos, ela usava brincos de grandes argolas, um vestido vermelho bem curto que deixava seus ombros e sua perna direita à mostra. Suas unhas eram meio grandes e pintadas, também com esmalte vermelho e ela usava dois salto altos escuros. Ela podia parecer uma humana bem rica, mas usas presas entregavam que ela era uma vampira.

???: Hehehe, olá fofo-Diz a vampira, sorrindo para sedutoramente para Mark.

Mark: Quem é você?!-Pergunta sem dar a mínima para a paquera da vampira.

???: Meu nome é Leia. Leia Angarô. Eu vim pra cá pra ajudar o meu irmão Richard, junto da minha outra irmã.

Mark: Tem mais de vocês?!-Pergunta já começando à ficar preocupado. Será que a invasão já havia começado e o "Angelsquad" não sabia?

Leia: Sim, mas só nós. Eu e a minha irmã Lucinda fomos enviadas pra cá atrás do nosso primo Rodney. E nós tivemos o relato de que ele tinha ajuda. Era uma garota, mas segundo a descrição que recebemos, vocês dois são bem parecidos-Diz sorrindo de canto e apontando para Mark com o dedo indicador. E enquanto a vampira apontava para Mark, seu sorriso ia crescendo de forma psicótica.

Mark (pensamento): Angela...tomara que esteja bem!-Pensa já sabendo oque aquela vampira faria.

----------------------------------------------------------------------------------

Enquanto seu irmão encarava uma vampira bem na sua frente, Angela estava junto de Rodney caminhando pela floresta para tentar encontrar seus amigos. Vira e mexe, Angela passava a mão pela marca que Rodney havia deixado no seu pescoço após a mordida. E isso não passou despercebido do vampiro, que já estava se sentindo um pouco mal por ter mordido a melhor amiga, mesmo com o consentimento dela.

Rodney: Angela-Chama pelo nome da loira ao seu lado.

Angela: Fala-Diz sorrindo contida, enquanto observava a floresta em busca de algum sinal de seus amigos.

Rodney: Tá...tudo bem?

Angela: Tá tudo bem, apesar da mordida ter doído um pouquinho-Diz olhando para o vampiro, enquanto passava levemente a mão no pescoço. Oque ela não sabia, era que esse comentário tinha pesado um pouco para Rodney.

Rodney: Tá, doendo muito?-Pergunta preocupado

Angela: Ah, só um pouco-Diz descontraída.

Mas assim que Angela diz isso, ela e a Rodney perceberam que já estava anoitecendo. Para Rodney, isso até que era bom, pois ele podia ser mais resistente ao Sol, mas assim, ele não precisaria mais se esconder em baixo das árvores para se proteger. Mas tinha um porém. Rodney sabia que a noite poderia ter mais vampiros, então ele apenas acenou para a amiga e ela entendeu o recado, então os dois começaram à se apressar para encontrar os outros

----------------------------------------------------------------------------------

Leia: ................................Me fala onde ela tá!-Foi a única coisa que Leia disse para Mark antes de partir para cima dele.

A vampira então correu em direção à Mark em uma velocidade incrível, o Kinllen ainda podia vê-la, mas não mudava o fato de que ela era veloz. Então assim que Leia ficou mais próxima de Mark, ela já começou à desferir diversos socos no mesmo. Por sorte, ele conseguiu puxar outra estaca de madeira e usar as duas para se defender dos socos da vampira, enquanto tentava acertá-la com uma das estacas. Mas Leia também era capaz de desviar dos golpes de Mark e isso enquanto sorria debochadamente!

Leia então dá um chute nas mãos de Mark, forçando ele à largar as estacas. O garoto agora estava indefeso, então Leia aproveitou essa chance para usar sua metamorfose. Mas a dela era bem diferente da dos outros vampiros, ela podia mudar seu corpo como bem desejasse, e oque ela decidiu fazer  agora foi: Transformar sua mão em garras gigantes. Aquilo realmente foi uma surpresa para Mark, mas ele não deixaria perder por isso, então ele avançou contra a vampira, mesmo sem estar com alguma arma nas mãos. Leia atacou primeiro, ela tentou cortar Mark usando suas garras, mas ele desviou. Então Leia repetiu o processo algumas vezes e quando parecia que  nunca daria certo, ela apenas fez sua mão crescer e tentou esmagar Mark. Então o meio-bruxo usou os dois braços para segurar o ataque de Leia.

Porém, a força da vampira era bem maior que a de Mark, então o garoto mal se aguentou em pé, antes de ser forçado à ajoelhar no chão e ter que continuar fazendo mais força para não ser esmagado.

Mark: Aaaaaahhhhh!!!!

Leia: Me diz onde eu encontro a garota, e a dor acaba!!!-Diz tentando forçar Mark à desistir.

Mark: Rrrrr, NUNCA!!!!-Esse foi o grito de guerra que Mark deu antes de criar uma pequena explosão de fogo ao seu redor, forçando a vampira à soltá-lo.

Leia: AI!!-Grita de dor, assim que sente sua mão queimando por causa das chamas.

Então para tentar cauterizar a dor, Leia levantou seu braço e segurou a própria mão que havia se queimado. Mal sabia ela, que essa era a oportunidade perfeita para Mark usar suas chamas de novo. Então Mark concentrou seu poder nas duas mãos e disparou uma rajada enorme de chamas em direção à Leia. Ele queria acabar com aquela luta agora. E foi isso que ele pensou assim que viu a vampira ser consumida pelas chamas, mas a alegria do Kinllen se desfez, assim que ele viu Leia saindo ilesa da fumaça que o ataque de Mark havia criado, ela estava apenas com algumas partes de seu vestido queimadas.

Mark: O-Oque?! M-Mas como isso é possível?!-Pergunta chocado que uma criatura sensível à luz do Sol, tinha resistido à um ataque de chamas tão intenso.

Leia: Hahaha,-A vampira começar à rir de forma debochante-eu tenho habilidade de regeneração garoto! Suas chamas não vão me matar!

Depois daquilo Mark começou à refletir. Como matar alguém que se regenera? Precisaria ser rápido e acertar o golpe certo, no local certo. Foi aí que Mark pensou em uma solução, se conseguisse destruir o coração dela, ele poderia encerrar aquela luta e matá-la de uma vez. Mas teria que ser rápido.

Mark (pensamento): Beleza, como eu acerto o coração dela?!-Se pergunta em pensamento enquanto via a vampira o encarar sorrindo-Eu ainda tenho uma estaca presa na parte de trás da minha cintura. Ela não deve ter percebido, posso fingir que vou atacar ela só com socos e chutes e quando ela tentar bloquear meus golpes, eu finco a estaca no peito dela! Beleza, você consegue Mark!-Pensa a última frase, já entrando em posição de combate.

E assim que Leia viu que Mark estava se preparando, ela fez um sinal com a sua mão, como se chamasse Mark para uma troca de socos.

Leia: Pode vir!

Mark então correu cerca de quatro passos e no quarto, ele deu um pulo em direção a sua oponente e tentou desferir um chute giratório nela, mas Leia defendeu o golpe usando os dois antebraços. Mark então voltou para o chão e os dois passaram à apenas trocar socos um com o outro. E no último soco, Mark usou sua mão esquerda e assim como ele esperava, Leia segurou seu punho.

Leia: Hahaha, ainda não entendeu garoto?!-Pergunta, demonstrando como estava se divertindo com aquela luta-Meus reflexos são mais rápidos que os seus! Não vai conseguir me pegar de surpresa nem aqui, nem no infer...AAAHHH!!!-Leia não pôde terminar sua frase, pois assim que ela ia dizer "inferno", ela sentiu alguma coisa sendo fincada no seu peito, mais precisamente no coração.

Então Leia olhou para baixo e viu oque aconteceu: Mark havia conseguido fincar a estaca de madeira nela. Agora não tinha mais volta, a única coisa que o fator de cura de Leia não curava, era seu coração. Então Mark soltou a estaca que já estava suja com o sangue da vampira.

Mark: É...parece que eu te peguei de surpresa-Foi a única coisa que Mark disse, antes de Leia cair sem vida no chão, manchando a grama de vermelho.

Após isso, Mark correu o mais rápido possível para se reunir com Honey e "7". Por sorte sua batalha não havia sido muito longe de onde eles estavam, então ele pôde chegar à tempo.

Honey: O Mark voltou!-Diz para o adulto ao seu lado, assim que viu seu amigo voltando.

"7": Garoto!

Mark: Pessoal! A gente tem que procurar um lugar mais seguro!!! Eu encontrei uma vampira agora pouco, e ela disse que tem mais uma com ela!!! A gente tem que voltar pra cabana do "7"!

Honey: P-Pera! Tem vampiros...de verdade aqui?!-Pergunta o Carmesim, já começando à ficar desesperado, enquanto o loiro ajudava "7" à se levantar.

Mark: Quer descobrir por conta própria?!

Honey: Fala sério Mark, você é o primeiro gay que eu conheço que consegue não sair correndo e gritando numa hora dessas-Diz espantado com a falta de medo do amigo.

Mark: ...-Depois dessa frase, Mark parou um pouquinho e se virou para Honey-1°: Isso é preconceito Honey. 2°: Minha sexualidade não muda o fato de que eu já enfrentei esses bichos! E 3°: Nesse contexto você também seria gay, você corre igual bixa quando vê os vampiros!-Diz retrucando o comentário anterior de Honey.

Depois disso, Honey não tinha mais oque falar, apenas conseguiu perguntar uma coisa:

Honey: E a Angela?-Pergunta, porém, se preocupando mais com a loira do que com Rodney.

Mark: Eles vão ficar bem. A Angela é uma ótima guerreira e o Rodney sabe como vampiros agem. É melhor a gente procurar amanhã!

Então Honey aceitou a decisão do amigo e o seguiu, junto com "7".

"7": Como assim "sexualidade"?-Pergunta ainda achando estranho oque Mark havia falado.

Mark: Depois eu explico!-Diz enquanto ele e os outros dois corriam para fora da floresta. Nesse momento a cabana de "7" era o lugar mais seguro.

---------------------------------------------------------------------------------

A noite já havia chegado, Angela e Rodney estavam no meio da floresta ainda. Não haviam conseguido encontrar os outros à tempo e como já estava muito tarde, a Kinllen já estava pensando em desistir.

Rodney: E então Angela...-Chama pela loira, tirando ela de seus pensamentos-Quem foi que fez essa cicatriz em você?

De novo esse assunto, Angela não havia contado a verdade antes, pois sabia que Rodney iria ficar com raiva e tentaria se vingar de Jasper. Mas Angela sabia que Rodney não era páreo para ele, nem ela mesma era. Então mais uma vez, ela tentou desviar do assunto:

Angela: Ah isso?! B-Bem...olha Rodney, já tá bem de noite! Porque a gente não tenta juntar alguns galhos pra fazer uma fogueira e passar a noite?! Eu vou só avisar o Mark...-Diz sorrindo forçadamente e já pegando seu celular. Mas A Kinllen não pôde ligar para o irmão, pois Rodney havia colocado sua mão em cima da tela do celular de Angela antes disso. Então Angela começou á encarar o vampiro.

Rodney: Por favor. Eu só quero saber-Pede com toda a educação e lançando um olhar de cachorro pidão para a loira.

Agora sim, Angela não conseguia mais segurar esse segredo. Devia dizer a verdade para ele.

Angela: Olha Rodney...-Diz guardando o celular no bolso-tá bom, vou contar. Tudo começou quando...-Porém, a fala da loira foi interrompida, por uma risada.

???: AHAHAHAHAHAHAHAHA-Do nada uma risada diabólica começou à ecoar pela floresta, e Angela e Rodney podiam ouvir perfeitamente da área sem árvores em que estavam-AHAHAHAHAHAHAHA-Um detalhe, era uma risada feminina.

A Kinllen e o Angarô então ficaram de costas um para o outro, Angela sacou sua Killer Rose e Rodney já esfriou suas mãos. Então de dentro dos arbustos saiu a dona da risada misteriosa: Uma mulher em questão de rosto e corpo, ela era igual à Leia, mas ela tinha algumas diferenças, seus cabelos eram pretos e os olhos dela eram azuis. E até o seu vestido era diferente do que a sua irmã usava, o seu era um vestido Mid de Alcas branco (se quiserem, pesquisem para terem uma noção melhor). E assim como Leia, ela tinha suas presas à mostra, deixando claro que ela era uma vampira.

Assim que viram essa mulher na sua frente, Angela e Rodney tiveram reações diferentes. A Kinllen ficou confusa com aquilo, enquanto o Angarô soltou um longo suspiro e disse:

Rodney: *Suspiro* Lucinda-Diz encarando a vampira na sua frente.

Lucinda: Haha! Oi primo!-Diz acenando com um olhar de lunática para Rodney.

Angela: Hã? Pera aí, ela também é sua parente?!-Pergunta espantada olhando para Rodney.

Rodney: É, ela é irmã do Richard.

Lucinda: Isso aí! Eu tô aqui junto da Leia e do Richard pra levar você de volta Rod!!-Lucinda tinha o terrível hábito de sempre falar gritando e com um tom de maluca-Apropósito, você viram a Leia por aí?! A gente se separou e eu não vi mais ela desde então!!-Pergunta olhando em volta, fingindo que estava procurando alguma coisa.

Angela: Escuta aí!-Grita para chamar a atenção do da vampira novamente para si-Você não vai encostar um dedo no Rod!!-Diz frustrada, já não bastava aquele primo de Rodney para atormentá-lo, agora teria que se preocupar com essa psicopata.

Lucinda: Hm? Aaaaaah, entendi, você deve ser a mulher que o meu irmão tava falando!!-Diz apontando para Angela-Muito bem, já que é assim...eu vou tentar deixar você inteira pro Richard-Diz sorrindo de orelha à orelha, exibindo sua presas de vampira.

Lucinda então usou sua agilidade para poder chegar perto de Angela o mais rápido possível, e apenas com um soco na cara, ela conseguiu fazer com que Angela se afastasse de seu primo.

Rodney: Angela!!! AAHH!!-Rodney nem teve tempo de reagir, pois assim que se deu conta, Lucinda tinha acertado ele com um bastão feito de gelo, nocauteando o primo na hora. Lucinda também era uma criomante, assim como Rodney.

Lucinda: Haha, dois coelhos numa cajadada só!!-Diz como se fosse uma criança de 5 anos toda empolgada, então Lucinda estica sua mão para agarrar Rodney, mas ela logo foi interrompida.

Angela: Hey!!!-Grita Angela, se levantando e passando à encarar Lucinda de frente-Cê bate fraquinho assim mesmo ou tá de brincadeira?!-Pergunta debochando da vampira.

Lucinda: Rrrrrrrr, NÃO CAÇOA DE MIM!!!!!-Esse grito foi tão alto, que até chegou à doer os ouvidos de Angela, Lucinda parecia uma criança gritando porque não ganhou o brinquedo que queria.

Foi aí que do nada, Lucinda se transformou em uma sombra e começou à se mover de forma esguia pelo chão indo até Angela. Aquilo surpreendeu a loira, nunca tinha visto ninguém usar essa habilidade, e Angela ficou ainda mais chocada, assim que viu Lucinda aparecer bem na sua frente pronta para socá-la. Por sorte o tempo de reação de Angela foi bom e ela conseguiu corresponder e então começar uma troca de socos de igual para igual. O único problema, era que os golpes de Lucinda não tinham um padrão, ela apenas atacava desgovernadamente, então Angela acabava quase sendo acertada algumas vezes.

Então a troca de socos acabou, assim que Angela fez um movimento de levar o seu braço da esquerda até a direita espalhando suas chamas, mas Lucinda conseguiu desviar. Então Angela continuou atacando, mas dessa vez usando apenas bolas de fogo, essas que a vampira desviava, como se estivesse brincando, a mesma não parava de rir enquanto fazia isso.

Lucinda: Ahahahahahaha!!! Você tem a pontaria de um morcego ao nascer do Sol!!-Diz debochando da loira, que logo se irritou.

Então Angela decidiu mudar sua estratégia, a loira bateu as duas mãos uma na outra e depois bateu ambas no chão, fazendo uma pequena onda de luz passar pela terra. Logo depois disso, algumas ondas de terra começaram à se levantar e ir em direção à sua adversária. Lucinda por sua vez, não perdeu tempo e logo usou seus poderes de gelo novamente, fazendo os mesmos movimentos e ataques que Angela. A Kinllen atacava usando investidas de terra, enquanto a vampira usava investidas de gelo. Então, nem uma, nem outra eram atingidas.

Assim que percebeu que essa estratégia nova não funcionaria, Angela retirou as mãos do chão e sacou novamente sua Killer Rose. E assim que a vampira foi em sua direção, Lucinda já deu um mortal para trás. Assim que pousou no chão, ela desviou de um ataque que Angela tentou dar na sua cabeça e logo depois ela tenta acertar um chute no queixo dela. Mas Angela foi mais rápida que Lucinda, ela segurou a vampira pelo pé e forçou ela à se manter em apenas uma perna, enquanto sorria vitoriosa para a vampira.

Lucinda: Ah, não vale segurar o meu pé!!!-Diz de forma birrenta.

Angela; Ah, foi mal-Diz entrando no clima.

Lucinda: Solta o meu pé agora!!

Angela: Tranquilo-Diz simplesmente, antes de acertar um soco no meio do rosto da vampira, fazendo ela desmaiar na hora-Ei! Tá acordada ainda?-Pergunta dando um chutinhos no corpo de Lucinda.

Lucinda: Ah, só mais uns segundinhos mamãe, hoje não tem aula-Diz alucinando por causa do nocaute.

Angela: Hahaha. Ai, essa foi a luta mais estranha da minha vida-Diz relaxando, colocando as mãos no quadril e largando sua KIller Rose.

Mas derrepente, Angela sentiu alguém agarrar ela por trás, a garota obviamente se assustou com aquilo, mas o susto mudou para raiva, assim que ouviu a voz do responsável.

Richard: Oi lindeza! Sentiu saudades?-Perguntava o vampiro de forma irônica, enquanto erguia a meio-bruxa na sua frente, segurando ela pela barriga.

Angela: Você!!-Grtou a loira, já começando à se debater. Angela nunca havia se debatido tanto na sua vida, só pelo que viu de Richard, Angela já odiava ele, agora ter um cara desses à agarrando desse jeito, era algo que chegava à ser repugnante.

Por sorte, ela conseguiu acertar um soco na cara do vampiro forçando-o à soltar ela, mas isso resultou em ela acabar caindo no chão. Então, como se fosse um reflexo, Angela começou á se arrastar para pegar a sua Killer Rose, mas antes que ela conseguisse, Richard à impediu segurando ela e então o vampiro virou seu corpo, ficando por cima de Angela e encarando ela nos olhos. Mesmo com isso, a loira não parava de se debater.

Richard: Oh, Oh! Não! Chega! Parou!-Diz agarrando os pulsos de Angela, fazendo ela parar de se mover-Isso-Diz, sem se importar coma expressão de aflita estampada no rosto de Angela-Ai Angela. Olha só pra você, esse rosto, sua força...seu corpo! Como eu queria ter você toda pra mim. Sem nada, nem ninguém pra me atrapalhar quando eu precisasse de você pra suprimir meus desejos.

Angela: Rm!-Resmunga tentando se soltar.

Richard: Oque é isso?-Pergunta olhando para o pescoço da loira-Ah entendi. Você prefere oferecer seu corpo ao meu priminho inferior, do que à mim. Tô chateado-Diz fingindo mágoa na sua voz-Mas não tem problema, na verdade, ele só facilitou oque eu vou fazer-Aquela frase, exatamente havia deixado Angela ainda mais preocupada.

Angela: Oque vai fazer?!-Pergunta quase chorando de aflição.

Richard: Sabe como é, meu pai e meu tio, são contra outras raças se misturando conosco. Então, se vai ser meu brinquedinho, vai no mínimo precisar...se encaixar nos padrões da classe social dos vampiros-Depois disso, Richard abriu bem sua boca, dando um grande destaque para suas presas.

Naquele momento, a ficha caiu para Angela...

Angela: Não, não, não!-Diz voltando à se debater, agora com mais força.

Richard: Não se preocupe, você já tem os furos, só vai doer um pouquinho-Diz aproximando suas presas do pescoço de Angela.

Angela: NÃÃÃÃÃÃÃÃOOO!!!! ME SOLTA!!! SOCOOOOOORRO!!!

Foi aí que então, sem Richard e Angela perceberem, mais um indivíduo naquele local acabou acordando. Rodney ainda estava meio zonzo por causa da pancada na cabeça, mas ele logo voltou sua atenção para um determinado ponto, assim que ouviu vários gritos de socorro.

Angela: NÃO!!!!! PARA!!!!-Gritava desesperadamente, enquanto Richard não a mordia ainda.

Rodney: ANGELA!!!!!!-Gritou já se levantando e indo em direção à garota. Mas quanto mais se aproximava, mais Rodney podia ver que tinha outra pessoa lá. E assim que reconheceu que era seu primo Richard, e oque ele estava tentando fazer, Rodney nunca sentiu tanta raiva na vida-DESGRAÇADO!!!!!-Foi a única coisa que Rodney disse, antes de acertar um chute com toda a força, na cabeça de Richard.

Richard: AAAHHH!!!

Assim que Richard saiu de cima de Angela, a própria pôde enfim, tentar, recuperar o fôlego que perdeu naquela hora. Já havia enfrentado monstros e ficado em condições extremas, mas nada se comparava à isso. Ter sido chamada de "brinquedinho" e ouvir que alguém faria "aquelas coisas" com ela, sem seu consentimento. Que situação traumática. Tão traumática, que Angela não conseguia encarar nem Richard, nem mesmo Rodney agora e também não conseguia tirar a mão de seu pescoço.

Richard: Ah, Rodney, como vai primão...

Rodney: ME DÁ, UM MOTIVO, PRA EU NÃO TE PARTIR NO MEIO!!!!-Grita completamente alterado.

Richard: Ora Rodney-Diz como se fosse óbvio, enquanto se levantava do chão-Eu sou...da família hehe. Você não aceitaria viver com o sangue do seu primo, nas suas mãos não é?

Rodney: Disse o mesmo cara, que bebeu o meu sangue algumas horas atrás!

Richard: ...*Suspiro* Você sempre foi primo mais chatinho que eu tive.

Rodney: Richard...eu já vi você fazer muitas coisas-Diz se lembrando de cada maldade que seu primo havia feito no passado-Você me insultava, me chamava de fraco. Quando meu pai precisava de alguém pra testar minha resistência, você aceitava de bom grado. Mas isso...ISSO NÃO DÁ PRA ACEITAR!!!-Depois desse grito, Rodney pulou em cima de Richard e começou à desferir soco após soco no seu rosto-VOCÊ PODE ME ATACAR!!! PODE ME ME MACHUCAR!!! PODE ME MATAR!!! MAS NÃO É PRA VOCÊ MEXER COM A ANGELAAAA!!!-A cada frase de Rodney, era um soco na cara de Richard, tanto que o rsoto do mesmo chegou à ficar desfigurado no processo, por causa de tantos hematomas, ferimentos e sangue.

Mas infelizmente, Richard conseguiu aproveitar uma pequena abertura que Rodney deu, e usou isso para trocar as posições. Agora com Richard em cima e Rodney em baixo, o mais velho ergueu o punho direito, cobriu com magia negra e apenas disse:

Richard: Como quiser, primo-Foi tudo que Richard disse, estampando um sorriso psicopata, com os dentes cobertos de sangue. 

Mas antes que o mais velho pudesse realmente fazer oque iria fazer, a cabeça de Richard foi simplesmente arrancada do seu pescoço!!!

Aquilo foi algo chocante para Rodney, uma hora, seu primo estava quase o atacando e na outra, sua cabeça estava caída no chão e seu corpo caído em cima de Rodney.

Rodney: Ah!-Grita assustado, retirando o cadáver de Richard de cima dele. Por Richard estar em cima dele, Rodney acabou se sujando todo de sangue, tanto que, só conseguiu limpar uma parte que estava no seu rosto.

Rodney passou alguns segundos observando aquilo, até que olhou para seu lado e viu oque realmente tinha acontecido: Angela tinha arrancado a cabeça de Richard usando sua Killer Rose! A garota não demonstrava remorso nenhum no olhar, na verdade, a expressão de Angela, era de pura raiva naquele momento, enquanto arfava loucamente naquele momento.

Rodney: Angela...-Chama pelo nome da amada. Mas assim que Angela olhou para Rodney, ele viu uma coisa bem interessante: os olhos de Angela completamente vermelhos. Rodney não sabia, mas isso só acontecia quando Angela ficava extremamente furiosa.

Angela: Ele tentou...!-Diz voltando a olhar para o cadáver de Richard-Ele ia me transformar, só pra poder me usar sem problemas!..........ELE IA ME VIOLAR!!!!-Grita enfurecida, então Angela ergueu sua espada, que agora estava manchada em vermelho, para poder começar à dar golpes desenfreados no corpo sem vida de Richard.

Angela apenas não fez isso, pois Rodney segurou suas mãos impedindo. Realmente, ele sentia um ódio imenso pelo primo, mas já estava acabado e agora para sempre, não tinha mais oque fazer.

Rodney: Angela! Se acalma!-Diz segurando o rosto da loira e fazendo ela olhar para ele.

Nesse momento, Angela fez um das coisas que se matava de esforço para não se repetir, ela chorou por tristeza. Tudo que ela conseguiu fazer para se consolar, foi abraçar Rodney e enterrar a cabeça no seu peito, enquanto deixava as lágrimas caírem.

Rodney: Angela...-Diz abraçando a loira, bem forte.

Angela: Me desculpa!!-Grita entre o choro-Isso sempre acontecesse co-comigo!!!-Angela não conseguia falar direito, pois os soluços não deixavam-Eu-Eu tenho esse lado ruim, que quando eu fico com muita raiva, e viro uma pessoa que eu não quero ser!!! É como outra de mim!! E-E, eu tenho medo do que ela pode fazer com as pessoas importantes pra mim!!! Como você!!!

Rodney: Angela...-Diz chamando a atenção da Kinllen, de forma calma-Você tá bem?-Pergunta olhando dentro dos seus olhos, esses que já tinham voltado para sua cor normal.

Angela: Oque?

Rodney: Você tá bem?-Pergunta mais uma vez, agora a Kinllen respondeu, mas apenas com um aceno de concordância-Ótimo, pra mim é isso que importa, você está bem. Olha só, esse seu outro lado, não vai fazer nada ruim pras pessoas importantes pra você, nem pra mim. Porque só existi uma de você Angela! E a única você que existi, é bondosa, amorosa, forte e se importa com o bem-estar dos outros! Essa é a Angela que eu conheço...e...por quem eu me apaixonei-Após essa frase, Rodney foi se aproximando do rosto da loira e quando podiam sentir as respirações um do outro, ele colou seus lábios nos dela.

De inicio, Angela ficou surpresa com essa ação repentina, tanto que ela largou sua espada no chão. Mas aos poucos, ela foi se entregando ao beijo. Os lábios deles encaixavam perfeitamente um com o outro, como duas peças de um quebra-cabeças. Aquela sensação, a sensação que esperaram durante anos, de finalmente estarem juntos de novo, e dessa vez, para sempre.

Logo depois que o ar de ambos faltou, os dois abriram os olhos e voltaram à olhar nos olhos um do outro, enquanto um leve rubor cobria seus rostos. Os orbes verdes, vidrados nos orbes azuis radiantes. Seus corpos colados, as mãos de Rodney na cintura de Angela, a os braços de Angela em volta do pescoço de Rodney.

Angela: Rod...-Diz ofegante

Rodney: Eu prometo Angela. Nunca mais vou deixar ninguém tocar em você daquele jeito, faz sua promessa enquanto acariciava o rosto da loira.

Angela: Eu te amo

Rodney: Eu também te amo



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...