História Heróis da Cidade - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Heróis, Poderes
Visualizações 4
Palavras 1.028
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


--> Olha só quem apareceu, isso eu mesmo. Me desculpem a demora de
trazer as atualizações de " Desejo de tê-lo ", mas isso explico nas notas finais.

--> Então fiquem com um primeiro capítulo de " Heróis da Cidade ".

--> sem capa, porque eu ainda não consegui fazer uma.

--> Obs: capítulo não revisado.

Capítulo 1 - Início do Fim


  - Calma, já vou abrir.- Ele fala se levantando da cama, e tomando cuidado para não se machucar com os espinhos de gelo.

- Diego o que aconteceu com seu quarto?- A garota diz impressionada com a quantidade de gelo que aquele pequeno quarto tinha. O quarto de seu irmão tinha virado um Alaska no meio daquele de sua casa.- Isso é neve nas suas mãos?

- Hm, acho que sim.- Ele fala olhando para suas mãos.

- Tá muito escuro por aqui. Cadê a droga do interruptor?!- A Ginger se esgueirar por umas das paredes procurando pelo interruptor, e percebendo que o mesmo estava coberto de gelo.

- Acho?

- Sim. Só que tá emperrado. Você consegue chegar do outro lado?

- Andar nesse caminho de gelo e me machucar?

- Sim ou tá com medo?- falou um sorrisinho sínico.

- Vo ir só porquê você tá duvidando.

- Hm, sei. Isso vai lá.

- Ainda consigo vê esse sorrisinho teu aí, por causa da luz do corredor.- Falou, vendo sorriso se desmancha e, reparando que a mesma estava tremendo de tanto frio que aquele quarto exalava por conta do gelo.- Espera do lado de fora do quarto.-

- Tá bom.

Começará anda na extensa passarela de gelo que havia tido no meio do quarto até a janela. A luz do Sol iluminava aquele quarto que estava coberto de gelo e neve, estava lindo aquilo que os dois enxergavam mas se não fosse pelo frio até a Ginger tirava uma foto.

Diego olhará a irmã mais velha fascinada pelo que havia acontecido com seu quarto.

- Então o que você queria falar para mim?- Porém começava a falar tirando a mesma de seu transe daquele divino lugar de gelo.

- A mesmo eu ia te falar sobre o gelo e também sobre alguns fios muitos "estranhos" no meu quarto. Mas você bem que poderia sair daí de perto da janela, não?!

- Tá bom, tá bom. Mas como assim fios "estranhos"?- Falou, vendo a Ginger fazer uma expressão meio indiferente com a pergunta.

- Porquê você mesmo não vê?

- Tá bom já entendi.

- Se entendeu, por quê pergunta?

- Muito obrigado pela sua ignorância, querida irmã.- Falou num tom totalmente irônico, sendo reprovado de imediato pela a irmã.- Então vamos?

-... Hum sim.

Os dois começaram á andar pelo corredor, reparando que partes da parede e do chão estavam completamente congelados.

- Você fez um ótimo trabalho.- Falou, vendo olhar de desprezo que o mesmo le lançava.

- Já vai começar? Tá tão cedo, Não precisa.

- Hahaha, só tô te zuando. E são 11:57.- Falou, apontando para um relógio que tinha a frente da porta de seu quarto.- Bem pelo menos o gelo não chegou até aqui.

- E você se livro disso, mas você vai me ajudar a limpar todo aquele gelo.

- Haa sô meio que obrigada a isso, então tá.

- Tu aceito muito fácil isso.

- Você já fez merda com a metade da casa, então fazer o quê né?! Eu moro aqui.

- Abre a porta aí.

- Tá.

O quarto de Ginger estava coberto de linhas azuis detalhadas com números, como se fosse números lotéricas, tudo embaralhado. Era como se fosse teias de aranhas, estava em toda parte aqueles fios de cores azuis com um forte neon que as mesmas tinha, mas também como se fosse feita por obra humana. O quarto tinha uma forte luz que vinha da janela e também do neon dos fios.

- É como se fosse uma balada ou um outdoor de motel.- Diego fala como o quarto de Ginger fosse uma grande área de festa, bem o local parecia isso.

- Ótima comparação, meu querido irmão.

- Só tô falando.

- Já acabou?

- hahaha já

- Não tô vendo graça.

- A sua cara é a melhor.

- E eu tenho cara de palhaça pra você ficar rindo.

- Você gosta de acabar com alegria dos outros.

- HA HA HA melhorou.

- Nossa tua animação me contagia.

- Agora já acabou?

- Sim. Mas o que isso?- Falou, apontando para os fios azuis.

- Não sei. Ei você vai tocar mesmo?

- Tem algum problema? Isso parece teias de aranhas, dá nada não.

- Olha o que aconteceu com a nossa gata, ela voltou a ser um bebê.- Falou, pegando a gata com o nome de Galáxia, ela era fofa, tinha uma pelagem macia, e a cor preta e com alguns potinhos branco, com uma linda coleira azul.

- É mesmo. Ela voltou a ser um bebê, mas como? Será que isso são fios do tempo?.

- Provavelmente.

- Ei o que aconteceu com a sua mão?- Falou, apontando para a mão que estava a gata que estava encharcada de algo vermelho.- É sangue?

-... Hum, a é mesmo, devo ter me machucado quando corri pra seu quarto. Segura a Galáxia.

- Tá. Então vai um gelinho?- Falou, com um sorriso convencido.

- Não gostei do sorriso, mas aceito o gelo.

- Tá, perai. Já aproveito e coloco a Galáxia lá fora. Não faz nada

- Sim, isso vai lá. E eu não sou você, pra ficar fazendo tanta merda.

- Escutei isso.

-...

- Mas o que será exatamente isso?- Fala, se aproximando e tocando em um dos fios, e todo aquele neon que havia no quarto acaba sumindo com apenas um simples toque.- Ahh, os fios não me afeta faz sentido, provavelmente fui eu que fez isso, assim como meu irmão não sentia frio por causa do gelo. Mas como isso é possível? Isso realmente são poderes?

- Já tá falando sozinha? Aqui o gelo.

- Não, e obrigada.- Fala, pegando o gelo e colocando numa grande rasgo que tinha em sua mão. Bem aquela ferida na mão dela demoraria muito tempo para se cicatriza.- Hm, como odeio o gelo

- Hm, ei cadê os fios?

- Eu toquei e sumiu.

- Entendi. Vamos lá para baixo para fazer um curativo nesse seu machucado, e pensa num jeito de limpar todo aquele gelo e neve.

- Sim.

" Como eu e a Ginger vamos fazer isso, eu não faço a mínima ideia. "


Notas Finais


--> Bem como eu ia explicar, tive alguns problemas pessoais, e não tive tempo de escrever um capítulo, e também onde eu escrevo teve alguns problemas,e algumas palavras não aparecia. E eu só consegui arrumar ontem. Então me desculpem a demora, e é só isso mesmo.

--> Espero que tenham curtido o primeiro capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...