1. Spirit Fanfics >
  2. Het mooie aan liefde >
  3. Espalhando a notícia

História Het mooie aan liefde - Capítulo 41


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite gente, hoje eu nem ia postar mas estou um pouco triste então queria escrever algo fofo kk
Assisti hoje Chernobyl pela 2° vez e fiquei tão mal, além de ficar vendo esses vídeos loucos sobre 3° guerra mundial, o futuro me deixa tão triste... Minha única esperança é aguardar pela volta de Jesus ❤ ai ai 😢
Enfim, deixemos de falar de coisas tristes kkkk hoje eu precisava fazer um cap coelhinho fofinho para esquecer a vida real por uns minutinhos
espero que gostem ❤

Capítulo 41 - Espalhando a notícia


Fanfic / Fanfiction Het mooie aan liefde - Capítulo 41 - Espalhando a notícia

— Finalmente chegaram! Por que demoraram tanto? — Donny foi abrindo a porta para receber o casal. O filhinho de ambos já havia acordado novamente, para a felicidade de Ann-Marie que depois de se higienizar, foi correndo para os braços do bebê.

— Bom, nós fomos comprar alguns presentinhos depois que saímos da clínica. Acho que vocês vão gostar... — Nouri trouxe consigo uma sacola gigante e colocou no meio de sua sala de estar. Marie já foi correndo para ajudá-lo a abrir. — Não consigo evitar de mimar meu mais novo sobrinho, então eu acabei exagerando.

— Esse é para a casa de vocês. — Anny tirou de dentro da sacola gigante almofadas fofas e confortáveis.  Eram do tipo nórdicas, feitas de laços. — Isso também é para a casa — tirou uma moldura enorme de dentro do saco. Não entendemos nadica.

— Uma moldura sem foto?

— Appie, pega o álbum da escrivaninha... — De imediato, o marido de Ann saltou para procurar um álbum de fotos gigante no fundo de uma gaveta.

— Mas o que é isso? — Perguntei, curiosa.

Ele trouxe o álbum até mim e virou em uma página específica. Quando vi, meus olhos brilharam.

— Que lindo!

— Que lindo... — Donny concordou.

Foi basicamente a nossa primeira foto juntos, no dia em que estávamos ajudando Anny a escolher seu vestido de casamento. Como éramos os padrinhos, ficamos absolutamente o tempo inteiro pertos um do outro. Porém, quase sempre de mal humor. Essa foto em questão era diferente: a primeira em que estávamos sorrindo.

— E claro que não podia faltar o primeiro brinquedo! — Appie tirou da sacola gigante uma pelúcia de coelho, gigante e fofa! Acho que meus hormônios estavam tão à flor da pele que comecei a choramingar.

— Ai, muito obrigada! Vocês são maravilhosos... — Mesmo Donny ficou emocionado e abraçou os amigos. Minha meta de vida era ter uma família tão fofa quanto a família Nouri, era uma sorte tê-los por perto.

Donny parecia bem emocionado com todas as notícias. Resolvi deixá-lo a sós com seus amigos enquanto acompanhava Anny no preparo do jantar. Éramos tão diferentes, ela parece ter nascido para ser uma mãe, era tão delicada e carinhosa com a família, além de ter todas as habilidades que eu não tinha.

— Você sempre sonhou em ter uma família assim? — Perguntei enquanto Anny cortava tomates para uma macarronada. — Você parece ter vocação para ser uma mãe.

Ela sorriu calmamente — ...Nem sempre. Quando eu me mudei para cá, somente queria fugir da minha antiga vida.

Fiquei com um pouco de receio em perguntar por mais detalhes, mas Anny os deu por vontade própria.

“Meus pais viviam brigando, era um completo inferno. Isso durou até o dia em que meu pai morreu de overdose. Era um viciado. Não tínhamos dinheiro e estava muito difícil arranjar emprego na Bélgica. Então como eu sou a mais velha, me mudei para Amsterdam. Precisava ajudar minha mãe e meus irmãos”.

— Quando eu cheguei aqui, odiava o mundo todo. A última coisa que se passava na minha cabeça era me casar e ter filhos, pensei que meu destino seria como o dos meus pais. Eu literalmente só vivia para trabalhar. Mas aí eu conheci o meu querido Appie e você sabe o final... No fim das contas, não há nada mais precioso do que estar rodeado de pessoas que te amam.

Era impressionante saber que ela passou por tanta coisa e escondia tão bem por trás de um rostinho fofo e meigo. Era difícil dizer algo agradável depois de ouvir tudo isso, mas sentia que ela já havia superado tudo isso.

— Os nossos filhos serão muito amigos, eu presumo. E bom... Os pais deles são quase irmãos, o que faz de nós duas...

— “Irmãs” — ela sorriu com a ideia. — Se for um menino, serão ótimos amigos. Vai ser tão fofo! Se for menina...

— Podem ser namoradinhos! — Certamente os dois ficariam irritadíssimos com nossas suposições malucas. De repente, eu não me sentia pronta para ter um filho, agora, já estava planejando as relações pessoais que meu bebê teria!

Certamente, eu teria muita coisa a resolver a partir de agora. O que eu faria com minha empresa na Estônia? Fecharia? E minha casa? Como trabalharia em Amsterdam? Havia tantas coisas a se pensar, mas agora eu só conseguia aproveitar o momento e curtir a gravidez. Os problemas eu poderia deixar para depois.

Eu a ajudei a preparar o macarrão (mesmo que minhas habilidades na cozinha fossem abaixo do ridículo), quando terminamos, pudemos ouvir alguns cochichos suspeitos na sala de estar.

“A Valentina vai te matar...” — Donny parecia cochichar com alguém.

“Eu sinto muito, eu não sabia que não podia contar...” — Já até consegui imaginar a causa raiz. E meus nervos explodiram naquele momento!

— O que é que foi?! — Entrei na sala de surpresa.

— T-tina eu sinto muito! Não sabia que era segredo e...

— O QUE VOCÊ FEZ? — Eu falei que Souf era fofoqueiro! Se fosse o que estava pensando, ele estava ferrado!

— E-eu... Postei no stories sobre vocês e...

Peguei meu celular para eu mesma averiguar o quão grave era a situação. Quase desmaiei quando vi as novecentas notificações! Havia centenas de mensagens no celular e centenas de notificações no Instagram. O desgraçado tinha simplesmente postado uma foto minha e de Donny com a legenda “parabéns pela gravidez”.

— DESGRAÇADO! — Ele só conseguiu escapar porque Donny me segurou. Mas que vontade de quebrar uma panela na cabeça dele!

Em questão de minutos, aquilo virou notícia de jornais, sites de fofoca, blogs e tudo que há de ruim na mídia! Não tardou até eu receber uma mensagem de Paulo, todo chocado e sem entender nadica!

Pronto, o que era para ser discreto já virou assunto de segurança nacional.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...