História Héteros - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Dabi, Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Fumikage Tokoyami, Inko Midoriya, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Kyoka Jiro, Mina Ashido, Minoru Mineta, Momo Yaoyorozu, Ochako Uraraka (Uravity), Personagens Originais, Shouto Todoroki, Tenya Iida, Toga Himiko, Tsuyu Asui
Tags Amor, Bakudeku, Bnha, Boku No Hero Academia, Dekubaku, Gay, Harem, Hentai, Hetero, Hot, Ktsudeku, Lemon, Lgbt, Lgbtq, Mha, My Hero Academia, Orange, Seme, Uke, Yaoi, Yuri
Visualizações 146
Palavras 2.389
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiee florzinhas ♥️♥️

Cá estou, trazendo o capítulo 2 finalmentee 😸
Se ocorrerem muitos erros, por favor me perdoem! Eu só betei uma vez 😅

Esse capítulo tem uma música, que eu acho que encaixa muito bem com a leitura, deixa na vibe do momento! Então eu suuper recomendo que vocês escutem quando chegar o momento em que ela começar a tocar na história, eu deixei o nome da música e a letra no instante em que ela começa na fic.

Enfimm, espero que vocês gostem!! Nos vemos nas notas finais (10 comentários no primeiro cap!? Vou infartar de felicidade ♥️♥️)

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction Héteros - Capítulo 2 - Capítulo 2

Izuku estava deitado na cama do quarto de Todoroki, enquanto mexia no celular. Mais especificamente, enquanto stalkeava o Instagram da Ochaco.

- Você nunca vai me corresponder, não é..? - Susurrou tristemente.

O garoto estava realmente cabisbaixo, ele faria qualquer coisa pela morena, mas mesmo Midoriya dando tudo de si, não era o suficiente para conquistar a garota.

- Deixa de ser trouxa Izuku, ela nunca vai aceitar seus sentimentos! - O garoto dizia a si mesmo, na tentativa de superar sua paixão de tantos anos.

Repentinamente, o esverdeado começou a escutar barulhos altos de portas sendo abertas bruscamente. Como não estava com a cabeça raciocinando direito, tanto pelo álcool, quanto pela tristeza que estava encarando, sua primeira reação foi se esconder em baixo da escrivaninha daquele quarto.

"Que merda tá acontecendo aqui?" Era o que se passava na mente dele.

Pôde ser escutado em alto e bom som a porta do quarto onde Midoriya estava, ser aberta e fechada com tanta brutalidade quanto as outras. Logo após, o garoto viu pés passando a passos pesados pelo quarto, e escutou o som de alguém se jogando na cama onde estava.

- Finalmente, porra! Um quarto vaziu nesse caralho. - Katsuki disse deitado na cama.

Não podia ser... Era a voz do garoto que tinha acidentalmente beijado a pouco tempo atrás. Realmente ele não dava um tempo.

E agora? ele deveria sair dali, ou esperar até que o loiro se retirasse?

Izuku não estava confortável em ficar no mesmo cômodo que aquele cara, ainda mais daquele jeito, escondido.

Estava prestes a sair de lá quando escutou uma ligação, felizmente não era seu celular que estava tocando.

- Alô? -

.

.

.

- Você realmente acha que eu não sei!? Vai ver se eu tô na esquina, caralho! -

Lição off

Parece que aquele estressadinho estava discutindo com alguém, era de se esperar.

Midoriya não tinha mais o que fazer naquele lugar, não estava mais sozinho, e aquela situação estava estranha. Só que nada é tão ruim que não possa piorar, porque depois de uns cinco segundos após terminar a chamada no celular, o loiro explosivo começou a gritar, gritar mesmo, e de um jeito estranho, como se estivesse aliviando sua raiva, ou algo assim.

Izuku se segurou para não rir.

- Tô realmente fodido... Agora essa velha vai jogar minhas coisas na rua. Onde diabos eu vou enfiar aquele monte de tranqueiras? -

Essa parte não saiu em forma de grito, mas foi dita em voz alta.

De repente, Midoriya começou a escutar uma espécie de "desabafo" do loiro, ele estava falando sozinho, ou pensou que estava.

- Tô fodido pra caralho... Não tenho casa, não tenho grana, e nem consigo ficar com a única garota que eu realmente gostei nessa vida! Mas ela tem razão em não querer ficar comigo... Quem ia querer sair com um cara como eu? É óbvio que ela prefere o pavê riquinho... -

Izuku sentiu-se culpado por estar escutando aquilo sem o outro saber.

- Eu não podia estar mais na merda... -

.

.

.

- Você acha? -

Uma voz vinda do além - do Midoriya - tornou-se presente no cômodo.

Os olhos rubis se arregalaram, e ele tomou um susto pelo acontecido, levantou da cama num pulo.

- PORRA! QUEM CARALHO TÁ AQUI!? -

- Se você acha que tá na merda... Hah, pelo menos você não tem que escutar os problemas de um estranho porque ele não notou sua presença, e já era tarde de mais pra vazar. - O esverdeado disse saindo de baixo da escrivaninha.

Katsuki havia tomado um susto, e assim que reconheceu a cabeleira verde, emputeceu.

- Ah não, não é possível! Você tá em toda parte! - O loiro reclamou, e em seguida deitou no colchão novamente.

- Tá chapando? É você quem está em toda parte! Eu tava aqui primeiro, porra. -

- Tsc. -

Midoriya se sentou de pernas cruzadas na cadeira da escrivaninha e começou a encarar o outro.

- Se você não quiser dar entrada na UTI, por conta de um coma gravíssimo, é melhor ficar de bico fechado. -

- Fica de boa aí, não sou um cuzão, não tenho porquê espalhar os problemas pessoais de um cara que eu nem conheço. -

- Não vai sair daqui não, cabeça de brócolis? -

- Como eu disse, eu cheguei primeiro. -

Bakugou sentiu uma pontada de raiva do esverdeado.

- Por que você não sai? -

Sentiu outra pontada de raiva, mas ele estava tão esgotado que não tinha sequer paciência para brigar.

- Não tô com cabeça pra ficar junto com esses imbecis. - Respondeu seco.

Izuku suspirou em desaprovação, ele preferia evitar o rapaz, mas não estava nem um pouco afim de voltar pra festa.

- Cara, eu realmente não vou sair do quarto. - Afirmou o esverdeado.

- Foda-se, tô me lixando pro cômodo que você vai ficar. -

Estava um silêncio constrangedor, Midoriya alternava em encarar o loiro e o chão, enquanto Katsuki mantinha um olhar pensativo mirado pro teto, com os braços em baixo da cabeça.

- Huh, olha, parece que o Todoroki guarda umas bebidas no quarto. - O menor disse se referindo ao pequeno refrigerador com uma garrafa de vinho em cima.

Katsuki olhou para onde o garoto olhava, e assim que percebeu a garrafa, ele rapidamente se levantou para pegá-la, abriu a mine geladeira e percebeu que as outras bebidas eram Ice, fez uma careta e fechou-a.

O loiro abriu a garrafa e logo mandou bons goles para dentro, deixando o outro um pouco atormentado.

- Ow, eu também quero! -

Bakugou lançou um olhar irritado para o garoto, mas tampou a garrafa e jogou para o mesmo, que agarrou com certa dificuldade.

Depois de dar uma golada na bebida, Midoriya notou que Katsuki estava sentado na cama, e apesar de não ter ido com a cara do rapaz, ele realmente detestava aquela atmosfera estranha, então decidiu quebrar o gelo.

- Notei que você também tá afim de uma garota que não te dá moral... -

- Haha, nem vem com essa seu idiota. Não somos iguais, se é o que você está pensando. -

O loiro respondeu por sentir que o desconhecido havia de certa forma lhe subestimado, mas logo se arrependeu de ter dado corda para iniciarem uma conversa.

- Que? Você nem sabe o meu nome. Como poder dizer isso com essa entonação de "Eu sou superior"!? -

- Da pra ver de longe que você é um virjão fracassado. -

- É essa a mensagem que meu rosto passa? Hah - Apesar da resposta provocativa do loiro, Midoriya não correspondeu agressivamente, ele realmente estava se poupando de mais brigas com o outro.

- Com certeza, você tem cara de ser um daqueles nerds que nunca saem de casa, e nunca comem ninguém, só ficam com a cara enfiada nos livros. -

- Wow, você diz tudo isso sobre mim só pela minha face? Realmente não está enganado em todos os sentidos... -

- Sei. -

- Eu realmente não costumo sair de casa, e admito que sou meio nerd sim, mas... Cara, eu não sou esse "virjão" que você tá dizendo aí. -

- Aé? Já transou quantas vezes? -

- Sei lá, ué. Eu não fico contando. -

- Então o nerd transa, que surpresa. -

- Quando você disse aquilo sobre nós não sermos iguais, estava se referindo a isso não é? Deixa eu adivinhar... Você é o clássico pegador. -

- Nada mais a acrescentar no seu julgamento a primeira vista? -

O menor se levantou da cadeira e sentou nos pés da cama, para poder enxergar o rosto do outro com mais clareza, já que o local era bastante escuro.

Colocou a mão no queixo e fez cara de quem estava pensativo, o que arrancou uma breve risada do loiro.

- Você é encrenqueiro, joga vídeo games violentos e curte um cigarrinho do capeta de vez enquando. - Falou de um jeito que passava a impressão de que estava 100% seguro do que afirmava.

Katsuki se impressionou, de fato o garoto havia acertado tudo.

- É, você é realmente bom nisso. -

- Obrigado, obrigado, pode aplaudir que eu mereço. -

Bakugou soltou uma risada nasal e deu um soquinho no ombro do esverdeado, ele estava estranhamente se desarmando naquele momento.

- Aliás... Eu me chamo Izuku, Izuku Midoriya. -

- Katsuki Bakugou, "O pegador". -

Rapidamente um estalo veio na mente de Midoriya, ele já tinha escutado esse nome antes, ele estava falando com o cara que sua paixão estava mirando.

- Ah, só pode ser sacanagem uma porra dessa. -

Katsuki franziu o cenho.

- O que foi? -

Midoriya desabou com as costas na cama, e soltou um suspiro profundo de desaprovação.

- O motivo de eu estar aqui agora é o fato da garota que eu gosto não dar moral pra mim, descobri que ela tá afim de um tal de "Katsuki"... Haha eu já devia ter imaginado. -

Izuku disse de maneira triste, o que embora muito sutilmente, causou em Katsuki um leve sentimento de culpa.

- Quem é essa garota? -

- O nome dela é Ochaco... Tem cabelos castanhos curtinhos, um rostinho redondo, ah ela é tão fofa... - O esverdeado falou como um verdadeiro bobo apaixonado.

- Cara redonda? Ah claro! A cara de bolacha. Pensei que ela jogasse pro outro time. -

Midoriya lançou um olhar confuso para o outro.

- Essa Ochaco aí tá na minha turma de química, foram uns boatos que eu ouvi. -

- Boatos idiotas, eu ouvi ela falar "o quanto seu olhar é sexy e intenso". -

- Como eu disse, são só boatos, podem ser mentira... Mas enfim, passa aí o vinho. -

O menor se levanta e pega a bebida, antes de entregá-la ao loiro, ele ingere um pouco.

- Sabe, não pensei que fosse possível ter uma conversa tranquila com você, quando nos esbarramos mais cedo, você me pareceu bem esquentadinho. -

- Porra... Eu tô bêbado cara. -

- Eu sei, hah... Também tô, aliás, devolve o vinho. -

Bakugou e Midoriya que antes eram completos desconhecidos, passaram muito tempo daquela madrugada conversando e rindo bastante, estavam alterados por conta do álcool, mas isso só contribuiu para dar início a mais conversas divertidas, e causar muitas gargalhadas. Conversaram sobre como estavam em situações ridículas da vida, apesar de serem diferentes um do outro, sobre o jeito que encaravam aquilo tudo, mas também riram pra caramba conversando sobre micos, sobre drogas, sobre o ensino médio, falaram de assuntos banais como vídeo game, rolês aleatórios, músicas... Ambos estavam se divertindo tanto um com o outro que mal puderam acreditar. No começo não imaginavam que pudessem ser dar bem um com o outro, mas logo perceberam que estavam redondamente enganados.

Os garotos estavam sentados no chão com as costas encostadas na cama, acabavam de se recuperar de outra rodada de risadas escandalosas. Midoriya acabara de fazer uma imitação hilária - ou pelo menos tinha sido hilária aos olhos de dois bêbados como eles - do professor de inglês da Yuuei, Hizashi Yamada.

- Sabe Izuku, até que você é um nerd legal... - O loiro falou com a famigerada voz de bêbado.

- É? Hahah, eu continuo pensando que você é um babaca. - Midoriya respondeu no mesmo estado.

- Ah, então chupa meu pau. - Katsuki retrucou.

- Que horas são? - O esverdeado perguntou.

O maior sacou o celular do bolso e deu uma olhada no horário.

- São... 03:52 -

- A minha mãe vai me matar... -

- Pelo menos ela se importa com você... -

Izuku se lembrou dos problemas que o outro tinha com família, e logo sentiu-se mal por ter feito aquele comentário.

- Ei, foi mal cara. -

- Porra, corta essa. - Katsuki obviamente não queria falar sobre aquilo.

Ambos ficaram quietos, o clima saiu de muito divertido para uma melancolia repentina

Apesar do quarto estar completamente fechado, era possível escutar a música que tocava na festa. E repentinamente, Izuku começou a prestar atenção na música que estava tocando naquele instante. Reconheceu a batida que se iniciava e começou a procurar pela janela, para o som poder entrar sem ter que abrir a porta. Notou que o quarto era realmente grande, assim que avistou cortinas pretas e grandes que iam desde o teto ao chão do lugar, abriu as mesma se deparando com uma sacada, cujo a porta de vidro ficava entre paredes também de vidro lisas e limpas. A sacada dava vista para a lateral da mansão, onde se tinha uma visão perfeita do céu, que estava simplesmente maravilhoso, as estrelas estavam belíssimas naquela madrugada.

- Está tocando Dancin! -

Bakugou vira o olhar para onde Midoriya estava, e se surpreende com o que vê.

O cenário das estrelas iluminando o rapaz sorridente de cabelos esverdeados, como quase todas as lanternas neon do quarto, fez o coração do loiro bater um pouco mais rápido.

- Wow que lindo... -

Palavras essas que Katsuki acabou por dizer involuntariamente e de forma baixa, por sua sorte o outro não as escutou. Mas o loiro sim as escutou, e quando saiu de seu momento de admiração a beleza alheia, pensou: "Que merda foi que eu disse?".

Katsuki se levantou do chão deixando a garrafa de vinho lá, foi até onde o garoto estava e percebeu que o mesmo tinha começado a dançar de forma sútil ao som de Dancin.

(Dancin/Aaron Smith)

Get up on the floor

Dancin' all night long

Get up on the floor

Dancin' till the break of dawn

Get up on the floor

Dancin' till the break of dawn

Get up on the floor

Dancin'

{Levante-se do chão

Dançando a noite toda

Levante-se do chão

Dançando até o amanhecer

Levante-se do chão

Dançando até o amanhecer

Levante-se do chão

Dançando}

Midoriya dançava de forma um tanto quanto desengonçada, mas ele não se importava com isso. Estava tentando tirar o outro dos pensamentos tristes que o assombravam, fora que Izuku realmente amava dançar aquela música.

Bakugou estava bastante próximo ao esverdeado, quase ultrapassando a linha do espaço pessoal do mesmo, porém não percebia - talvez por conta da bebida -.

O loiro tinha um pequeno sorriso bobo estampado no rosto, o jeito que o menor dançava era realmente divertido, também foi naquele instante que Katsuki percebeu como as orbes cor de esmeralda do garoto a sua frente eram realmente lindas, brilhantes e intensas, logo em seguida começou a encarar a boca do mesmo, era tão tentadora...

Naquele momento, Bakugou foi totalmente tomado por um impulso, e beijou os sedutores lábios de Izuku





.

.

.

.

.




(CONTINUA?)


Notas Finais


E chegamos ao fim! Nem acredito que estou no segundo capítulo, minha idéia inicial era fazer uma One-Shot 😅

Comentem o que acharam, se querem que essa fic seja longa ou mais curtinha 😸

Obrigada por terem lido, beijinhos no ♥️!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...